Presidente do PDT gaúcho é contra a filiação de Carlos Araújo (ex-marido de Dilma) e atrapalha do Plano B da reeleição

Valmor Stédile

Em carta-aberta, o presidente do PDT de Porto Alegre, deputado Vieira da Cunha, se manifestou sobre o pretenso retorno do ex-deputado Carlos Araújo, considerando que isto “não seria construtivo para o partido”. O dirigente pedetista destaca que, apesar da omissão de pessoas como Araújo nos anos mais difíceis, o PDT cresce e se afirma como uma das principais forças político-partidárias no Rio Grande do Sul e no Brasil.

Carlos Araújo: barrado no baile?

“Estou convicto de que a candidatura própria ao Governo do Estado será mais um passo importante para fortalecer o trabalhismo”, destaca Vieira da Cunha, deixando claro que se depender dele a aliança do PDT gaúcho com o PT do governador Tarso Genro não se repete em 2014.

Antes de distribuir a cópia da carta para a imprensa, Vieira encaminhou o original para Carlos Araújo. O texto deve ser interpretado como um rompimento com Araújo, que deixou o PDT no final do ano 2000, mas vinha ensaiando um retorno ao partido e trabalhando, junto com os netos do ex-governador Leonel Brizola, contra o presidente Carlos Lupi.

“Inicio esta carta aberta te repetindo o que disse pessoalmente quando te visitei: como seria bom, face a tua história de militância, te receber de volta ao partido de braços abertos! Infelizmente, porém, quanto mais leio tuas declarações, mais me convenço de que o teu retorno não seria construtivo para o nosso partido. Já temos inimigos na trincheira de sobra”, escreve Vieira, referindo-se à deputada Juliana Brizola e ao ministro Brizola Neto.

O dirigente do PDT prossegue: “Deixaste o partido no final dos anos 2000. uma pergunta se impõe: que legitimidade tem para criticar a direção do PDT alguém que se desfiliou há mais de 12 anos?”

Vieira então faz um histórico de sua trajetória no PDT, citando os principais fatos que envolveram o partido e qual foi a posição de Araújo. Ao abordar a vitória do prefeito José Fortunati, pergunta: “Onde estavam tu e os teus protegidos, notadamente a deputada Juliana? Não vi vocês em nenhum ato de campanha.

E conclui: “Apesar da omissão de pessoas como tu nos anos mais difíceis, o PDT cresce e se afirma cada vez mais como uma das principais forças político-partidárias do Rio Grande e do país. Temos um passado que nos orgulha e, com um presente de muito trabalho”, construiremos um futuro promissor para o trabalhismo. Quem viver, verá!”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGO Plano B de Dilma Rousseff para a sucessão está fracassando. O PDT fecha as portas a Carlos Araújo. Assim, Dilma fica nas mãos de Lula e do PT. Se o ex-presidente mudar de idéia e decidir disputar a presidência, Dilma estará alijada da sucessão presidencial. E ponto final. (C.N.)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *