Presidente ultrapassa os derradeiros limites da democracia e está perdendo cada vez mais apoio

Gilmar Fraga / Agencia RBS

Charge do Gilmar Fraga (Gaúcha/ZH)

Merval Pereira
O Globo

A situação do presidente Jair Bolsonaro está chegando ao limite, e foi ele que forçou essa situação. Acredito que não contava com a reação forte do Supremo Tribunal Federal, que até agora estava levando em banho-maria, com conversas, reuniões e notas cuidadosas.

Mas quando o presidente da República anuncia que vai sair da Constituição para combater o STF, ultrapassa os limites da democracia.

PERDENDO APOIOS – Bolsonaro está avançando num terreno que não controla e assim vai perdendo sustentação. O apoio que ele ainda tinha dos empresários já foi embora – isso fica claro com o manifesto e a entrevista do presidente do Banco Credit Suisse, Jose Olympio Pereira, no Globo.

Esse pessoal já está em busca de outra opção. Apoiar Bolsonaro implica uma insegurança jurídica muito grande que afeta a economia. A classe média já o deixou, pela maneira de se comportar, de falar, e da falta completa de postura no cargo.

Tudo isso faz com que ele fique isolado num nicho de militantes radicais e no próprio Exército.

FORÇAS ARMADAS – Imagino que o apoio do ministro da Defesa não seja acompanhado pela maioria de seus comandados, porque é um descalabro o que está acontecendo.

O Congresso já derrotou amplamente o voto impresso, e acho que Bolsonaro não tem muita saída; ou se enquadra, ou não vai durar no governo. Será atingido por medidas previstas na Constituição, das quais o presidente da República não pode se afastar.

A reação de setores da sociedade era o que estava faltando. Junto com decisões do Congresso e do Supremo, Bolsonaro enfim está sendo encurralado.

6 thoughts on “Presidente ultrapassa os derradeiros limites da democracia e está perdendo cada vez mais apoio

  1. Quanto mais BROXAnaro chicoteia sua jegada

    mais e mais os jegues zurram
    o seu nome

    … ou mudam o foco
    da discussão

    para esconder a corrupção
    e os assassinatos
    na sala de visitas
    da familícia Boçal.

  2. “A classe média já o deixou,” e a classe de baixa renda o detesta. Foi esta que mais sofreu com a pandemia. Um amigo meu perdeu um sobrinho e prefere ver o demônio ao desgraçado presidente.
    É muito triste quando a perda é próxima da gente e que poderia ser evitada. Não há nada como um dia atrás do outro. Um dia riremos.

  3. Tem como auditar o voto !!
    Eu vou votar no Bolsonaro e mandar via Zap meu impresso que compareci no local de votação …

    Aquele papelzinho , depois de assinar o livro recebemos do mesário o comprovante que comparecemos ao local de votação; é só fotografar e mandar pra ele .

    Se naquela sessão a urna der numero diferente dos comprovantes é porque foi fraudada !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *