Prévia patética do PSDB mostra como desperdiçar  recursos dos fundos partidário e eleitoral 

 (@PalalaWEB) / Twitter

Charge do Cazo (Arquivo Google)

J.R.Guzzo
Estadão

De todas as aberrações que falsificam a democracia brasileira, e transformam numa piada as grandiosas “instituições” formalmente previstas na Constituição, poucas se comparam aos partidos políticos. São 34 – ou seja, não são nada, porque não pode existir nem sinal de política séria com tanto partido assim.

Multiplicam-se como ratos não por alguma questão de “diversidade”, mas porque recebem dinheiro vivo do pagador de impostos, através dos “fundos” partidário e eleitoral: R$ 1 bilhão esse ano, mais quase R$ 6 bilhões em 2022, por conta da eleição.

AUMENTO DE 1.000% – Nos últimos 20 anos, essa fortuna dada de presente aos partidos aumentou em 1.000% – isso mesmo: 1.000%. Anos atrás a ex-deputada Heloisa Helena chamou os partidos brasileiros de “gangues partidárias”. Não eram partidos políticos; eram quadrilhas. De lá para cá não surgiu definição melhor.

Confie nos políticos brasileiros, de qualquer forma, quando se trata de transformar o péssimo em mais péssimo. O autor da proeza, desta vez, foi o PSDB, justamente uma das gangues que mais se esforçam para fazer pose de coisa séria.

Acredite se quiser: depois de passarem uma eternidade enchendo o noticiário com a história de que iriam fazer uma grande prévia interna para escolher seu candidato a presidente da República, seus chefes e “militantes” não conseguiram, sequer, organizar a votação. O aplicativo “caiu”. As pessoas não conseguiam votar. Sem outra saída, a coisa toda acabou suspensa.

DINHEIRO DOS FUNDOS – Gastaram um dinheirão (que veio dos “fundos”, justamente), para fazer a tal prévia, trocaram enfezadas acusações mútuas de fraude e convenceram a mídia de que o PSDB era o centro da política brasileira e do sistema solar.

No fim, não conseguiram nem montar uma eleiçãozinha com 40 mil votantes, ou algo assim. Foi humilhante.

O PSDB, com essa prévia patética, mostra o grau de desrespeito que os seus caciques têm pelo cidadão brasileiro; se não conseguem cuidar nem da própria vida, imagine-se a atenção que podem dar ao público e ao encaminhamento dos seus problemas.

SÃO TODOS IGUAIS – Ou seja: tanto faz quem será o candidato presidencial que ainda não tiveram competência para escolher. Todos eles são sócios com partes mais ou menos iguais nessa massa falida.

Ao mesmo tempo, fica exposta, mais uma vez, a farsa segundo a qual o PSDB tem mais “qualidade” que as outras 33 gangues partidárias que estão aí, ou coisa que o valha – a desordem é tão grande que não se sabe ao certo, sequer, o número exato de partidos que há no Brasil.

A prévia furada deixa claro que a falta de seriedade é a mesma; cada um é incompetente ao seu próprio jeito, é claro, mas são todos pinga da mesma pipa.

6 thoughts on “Prévia patética do PSDB mostra como desperdiçar  recursos dos fundos partidário e eleitoral 

  1. Verdadeira excrescência este fundo partidário. No próximo pleito deveriam consultar os eleitores se aprovam ou desaprovam o Fundo Eleitoral.
    Afinal, é dinheiro do eleitor contribuinte.

  2. Prévia patética do PSDB mostra como desperdiçar recursos dos fundos partidário e eleitoral

    E a farra desse desperdicio é bancado com o meu dinheiro.
    Segundo um Deputado que já foi integrante da Quadrilha do FHcorrupto, já foram gastos 8 milhões de contos com essa brincadeira de mau gosto das “democráticas prévias tucanescas”…
    Meu dinheiro indo para o ralo desses corruptos.
    As Fabianas Caviar ainda tem a cara-de-pau de dizer que estão “trabalhando” pelo “Brasil”…..

    • O PSDB, com essa prévia patética, mostra o grau de desrespeito que os seus caciques têm pelo cidadão brasileiro; se não conseguem cuidar nem da própria vida, imagine-se a atenção que podem dar ao público e ao encaminhamento dos seus problemas.

  3. “Como os tucanalhas dizem quanto estão em eleição.

    “Nós somos os mais preparados”
    Nós sabemos governar”.
    “Nós temos ideias”.
    “Nosso Partido é diferente de todos que estão ai”.
    “eu não sou político, sou um gestor”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *