Previdência terá contribuição menor para empresas e maior para empregados

Resultado de imagem para reforma da previdencia charges

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Pedro do Coutto

São duas reportagens muito importantes publicadas nas edições de ontem de O Globo e de O Estado de São Paulo. Focalizam pontos essenciais do projeto de reforma da Previdência. A primeira reportagem é de Daiane Costa, Nilson Lima Neto e Geralda Doca. A segunda reportagem é de Adriana Fernandes e Idiana Tomazelli. Ambas focalizam com nitidez o projeto básico de reforma da Previdência elaborado pela equipe econômica do ministro Paulo Guedes.

O fato surpreendente para nós, os leitores, é que a equipe parte de uma proposta de diminuir a contribuição das empresas para com o INSS. De outro lado, a mesma equipe prevê aumentar de 11 para 14% as contribuições dos empregados e funcionários públicos. A meu ver, uma contradição.

NEM ISSO – Um versão ao contrário poderia até ter sido colocada em discussão. Mas nem isso. Contribuição maior só para empregados e servidores.

O texto final do projeto ainda está na dependência do que o presidente Jair Bolsonaro decidir. Mas o governo como um todo empenha-se em considerar a reação do Congresso Nacional. Não adianta se colocar em discussão um texto que provoque reação contrária de expressiva fração de deputados e senadores. Tem que se levar em conta, digo eu, o impacto negativo junto à opinião pública.

Um dos pontos que está suscitando resistência é o aumento do desconto mensal para empregados e funcionários que possuem remuneração mais alta. Tal ideia se aplicada na prática atingiria todos aqueles cujos salários ultrapassem o teto de 5.800 reais. O teto de 5.800 reais hoje se aplica tanto aos celetistas e funcionários que recebem acima desse limite. Assim, somente os fundos de aposentadoria complementar poderão fornecer a seus segurados a diferença entre 5,8 mil e o último salário no momento da aposentadoria.

UM PESO ENORME – O desconto de 14% possui um peso muito grande que talvez esteja acima da capacidade suportada pelos que integram a força de trabalho do país. De qualquer forma, quem ganha mais poderá ter contribuição maior. E as empresas, sem considerar sua lucratividade, passarão a contribuir menos.

De outro lado a matéria de O Globo publica estudo feito pelo economista e consultor do Senado, Pedro Fernando Nery, o qual a mim parece um delírio. Ele acha que o rombo da Previdência Social causado por servidores das empresas estatais e funcionários públicos atinge 7 trilhões de reais no seu conjunto. Relativamente ao funcionalismo ele atribui um déficit de 1 trilhão e 500 bilhões de reais. Uma fantasia. Inclusive os dados não citam o prazo no qual seu autor projeta o cálculo. Ele ainda inclui os municípios brasileiros destacando seu déficit acumulado de 800 trilhões de reais.

Não se entende em que universo em se desenrola o raciocínio de Pedro Fernando Nery. Tenho a impressão que o panorama traçado se localiza nas mágicas estrelas da Ursa Maior. Uma odisseia no espaço universal.

8 thoughts on “Previdência terá contribuição menor para empresas e maior para empregados

  1. Estão querendo esculhambar com a nossa Previdência Social.

    Até o FGTS eles querem misturar com previdência.
    Um dinheiro que é nosso desde o nascedouro e quando, dentro da lei, temos direito de sacar tudo.
    Vem agora essa “Ideia de Jerico” querer que recebamos o FGTS parcelado.

    https://www.infomoney.com.br/minhas-financas/aposentadoria/noticia/7908805/proposta-autoriza-uso-do-fgts-para-capitalizacao

    E pensar que esse povo que trabalha com carteira de trabalho assinada votou nisso tudo aí,
    parabéns, que belo tiro no pé.

  2. “UM PESO ENORME – O desconto de 14% possui um peso muito grande que talvez esteja acima da capacidade suportada pelos que integram a força de trabalho do país.”

    Quer ganhar mais, no entanto não quer pagar mais?

    A “falha” no sistema de capitalização do chile é que os trabalhadores são obrigados a pagar apenas 10% do salário e a correção foi aumentar esse valor para 15%. Pagando mais, a pessoa terá mais na conta.

    Qualquer pessoa normal entende isso, se você guarda mais dinheiro, mais terá guardado. Mas na lógica dos comunistas, é querer mais, guardando menos, com a diferença paga com o dinheiro dos outros.

  3. No dia em que seres humanos sensíveis a demanda popular tomar o poder, o nosso Brasil nunca mais será o mesmo. Pois essa meia dúzia que vira e mexe volta a falar impropérios para o povo será extirpada. O que impede que a equipe econômica do senhor ministro da economia faça a auditagem da dívida pública? Uma coisa só: a verdade. Como disse o nosso presidente, usando um versículo bíblico: Conhecereis a verdade e ela vos libertará. Deixemos as contradições de lado, as falácias e prossigamos com os os fatos reais que interessam ao povo. E não é ” o fato surpreendente para nós, os leitores, é que a equipe parte de uma proposta de diminuir a contribuição das empresas para com o INSS. De outro lado, a mesma equipe prevê aumentar de 11 para 14% as contribuições dos empregados e funcionários públicos. A meu ver, uma contradição.” Diga-se de passagem, um tremendo absurdo, tirar de quem não tem para dá ao mercado financeiro. Que País é este?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *