Primeira crise: Dilma manda ministro Nelson Barbosa desmentir declaração

Barbosa não disse nada demais, mas foi desmentido

Deu em O Globo

Com apenas um dia no cargo de ministro do Planejamento, Nelson Barbosa já levou a primeira bronca da presidente da República. Dilma Rousseff mandou o auxiliar desmentir as manchetes dos jornais sobre uma nova política de reajuste do salário mínimo. Após assumir o cargo, ontem, Barbosa informou que vai mandar ao Congresso Nacional um projeto de lei de alteração do reajuste do rendimento básico do trabalhador.

Na manhã deste sábado, depois de ler os jornais na praia, na base naval de Aratu, na Bahia, onde descansa, a presidente ficou irritada. Ela mandou o ministro redigir uma nota para desmentir as notícias.

Já no início da tarde deste sábado, o ministério do Planejamento soltou nota em que Barbosa afirma: “A proposta de valorização do salário mínimo a partir de 2016 seguirá a regra de reajuste atualmente vigente”. A nota diz que a proposta requer um novo projeto de lei, que será enviado ao Congresso este ano.

REGRA ATUAL ESTÁ VENCIDA

Com o comunicado, Barbosa volta atrás em relação às declarações que deu há pouco mais de 24 horas, durante a cerimônia de transmissão de cargo. Na ocasião, o ministro deixou claro que proporia uma “nova regra” para o reajuste do salário mínimo, Atualmente, o piso nacional é definido com base na inflação do ano anterior (medida pelo INPC) acrescida da variação do PIB dos dois anos anteriores. A regra expira neste ano e, portanto, precisa ser modificada ou renovada.

— Vamos propor uma nova regra para 2016 a 2019 ao Congresso Nacional nos próximos meses. Continuará a haver aumento real do salário mínimo — disse Barbosa na manhã de sexta-feira a jornalistas, garantindo que os rendimentos continuariam a aumentar acima da inflação. — São medidas que corrigem alguns excessos para que outros programas continuem como, por exemplo, a continuação da elevação do salário mínimo. A regra de que o salário mínimo tem de ser corrigido pela inflação mais o crescimento de dois anos anteriores vale apenas para este ano. Por isso, o governo já editou um decreto que eleva o ganho básico para R$ 788.

SINDICALISTAS CRITICARAM

Durante a coletiva de imprensa, no entanto, o ministro não detalhou qual seria a nova fórmula proposta. Em março, quando não estava no governo e atuava como pesquisador da Fundação Getulio Vargas, Barbosa defendeu que o salário mínimo fosse reajustado com base na média salarial nacional.

Ajustes no salário mínimo fazem parte do que é considerado por especialistas o maior desafio da nova equipe econômica: equilibrar as contas públicas. Isso porque o piso nacional serve de base para gastos do governo como a Previdência Social. Na cerimônia de sexta-feira, Barbosa repetiu o discurso que adotou quando foi anunciado oficialmente como sucessor de Miriam Belchior, dizendo que, para continuar a garantir ganhos reais aos trabalhadores, o governo precisa fazer ajustes. Segundo ele, esse processo já começou, com o aumento da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) e das restrições às condições de empréstimos por parte do BNDES.

O anúncio de sexta-feira foi recebido com críticas por parte de centrais sindicais. Representantes ouvidos pelo Globo ainda na noite de sexta-feira temiam que uma mudança da regra atual afetasse os aumentos reais de salário. A alteração da fórmula também foi criticada por economistas e especialistas em contas públicas. Segundo os analistas, a mudança, dependendo do cálculo proposto, poderia até elevar gastos.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Esta reportagem foi enviada pelo sempre atento comentarista Wilson Baptista Júnior, o Mano. Quando afirmamos aqui na Tribuna da Internet que Dilma não daria autonomia à equipe econômica, muitos comentaristas não acreditaram nesta hipótese, que agora se confirma. A regra do salário mínimo está legalmente vencida e é preciso fazer um novo projeto, conforme declarou Barbosa. Mas Dilma não gostou. Supostamente “doutorada” em Economia, ela acha que vai ganhar o prêmio Nobel e não dá autonomia a ministro algum. Sem dúvida, Levy e Barbosa vão sofrer nas mãos dela e acabarão pedindo o boné, depois que tiverem engordado os currículos. (C.N.)

13 thoughts on “Primeira crise: Dilma manda ministro Nelson Barbosa desmentir declaração

    • Meu caro, quem nasceu para ser tamanco nunca vai ser sapato. Não sei como ainda existem homens sem brio e que se acovardam quando são manipulados. Eu sou a dona do pedaço, só eu dou ordens. E ainda vem dizer que não sabiam de nada sobre mensalão e petrolão, se controlam tudo com mão de ferro. Tenho pena do meu país entregue as baratas e não podemos fazer nada, a não ser sair às ruas e protestar.

  1. Também antenado, com categoria, em cima do lance, o Moderador não deixou escapar, e analisou de bate-pronto, a primeira rebatida presidencial.
    Aliás, também a revista VEJA, cuja capa desta semana é exatamente sobre o tema. O título O Poder E O Saber, com Dilma encarando Joaquim Levy; o comentário complementa que ” com eles juntos, temos uma chance de atravessar o tempestuoso 2016. Se duelarem, o Brasil perde.”
    Ou seja a Caneta x Competência.
    O Nelson Barnosa, pagou para ver. Fez sua estreia, e já tomou uma lambada. Como deve ter tomado outras antes, já sabe como a banda toca. Só resta acompanhar e ver mais na frente como esse dois, Dilma e Levy vão se comportar.

  2. Vou pedir uma ajuda aos amigos da Tribuna, para tentar entender o que ocorre com o João Paulo Cunha. O STF nega tudo a ele enquanto dá tudo aos outros colegas reeducandos…
    ISADORA PERON – O ESTADO DE S. PAULO
    03 Janeiro 2015 | 16h 10
    Como o pedido não tem caráter de urgência, ele será analisado apenas após o recesso do STF, quando o curso
    já terá terminado
    BRASÍLIA O
    exdeputado
    João Paulo Cunha (PTSP),
    condenado no julgamento do processo do mensalão, não recebeu autorização
    do Supremo Tribunal Federal (STF) para deixar a prisão e fazer um curso na próxima semana. Intitulado “Iniciação Cristã Aspectos
    Teológicos e Patrísticos”, o curso é do tipo “intensivo de verão” e será oferecido pela Faculdade de Teologia da Arquidiocese de Brasília
    entre os dias 5 a 9 de janeiro.
    Segundo a assessoria do STF, o pedido de Cunha não foi negado, mas como a Corte trabalha em regime de plantão, o presidente do
    Supremo, ministro Ricardo Lewandowski, declarou em seu despacho publicado na última sextafeira
    que o pedido não tinha caráter de
    urgência e, por isso, só seria apreciado na volta do recesso do Judiciário, o que, na prática, inviabiliza que o exdeputado
    compareça às
    aulas.
    O curso tem um custo de R$ 300 (se for parcelado em duas vezes o valor sobe para R$ 320) e será dado pelo Monsenhor Antônio Luiz
    Catelan Ferreira, que foi nomeado no ano passado pelo Papa Francisco para fazer parte da Comissão Teológica Internacional, um grupo
    de teólogos responsável por discutir as doutrinas da igreja.
    No mês passado, o STF negou um outro pedido de Cunha, para que ele começasse a cumprir a pena no regime aberto. Ele, no entanto,
    foi autorizado a passar o fim de ano com familiares em São Paulo. O exdeputado
    foi condenado a seis anos e quatro meses no
    semiaberto.

  3. Recém começou o novo governo e Dillma não perdoa: já tem gente sendo mijada. É isto que acontece quando o pessoal não treina. Largaram os ministros campo a fora e lá se vão eles, felizes e sem saber o que e como fazer.
    A primeira lição é não falar, não opinar. Serão criticados pelo silêncio mas não serão mijados.
    O que um cargo e um dinheirinho faz com homens e mulheres!

    • isso se chama “levar um cagaço!”

      e pelo telefone !!!!!!!!

      falta BRIO e PERSONALIDADE a alguém.

      o que esse rapaz vai dizer para os filhos quando chegar, desmoralizado, em casa?

  4. É patética ou pateta? Eis a questão!

    Se não sabia do esquema na Petro, é pateta – Se sabia: então é esperta…

    O FATO É QUE A BOLCHEVICK TUPINIQUIN JÁ NÃO AGREGA NENHUMA CONFIANÇA PARA O CARGO QUE “PRETENDE” EXERCER ATÉ 2018.

    E a posse dela: POUCA GENTE! – Nem mesmo pagando a viagem o povo não veio em massa como a dita cuja esperava.

    Vai ser duro acertar!!!

  5. Tudo o que o PT quer é continuar comprando o nordeste com bolsa família e sexta básica, estão pondo vendas nos olhos da população e ninguém ver,é uma vergonha o trabalhador sobreviver com 788,00 reais, com preços elevados igual estão, mas o salários deles já aumentaram e o nosso quando realmente terá aumento digno ou teremos que continuar fazendo de contar que esta tudo bem, não temos que ir para as ruas buscar o que nosso de direito se deixarmos eles fazerem o que querem onde iremos parar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *