Prisão de Jefferson fez o fantasma da cadeia entrar nas preocupações do clã Bolsonaro

Desabafo de Eduardo comprova que a preocupação existe

Bernardo Mello Franco
O Globo

Na noite de quinta-feira, Eduardo Bolsonaro expôs um fantasma que apavora a família presidencial. O deputado reclamava do cerco a aliados que ameaçam a democracia e conspiram contra a eleição de 2022. Em tom de desabafo, questionou: “Qual seria o próximo passo? Prender o presidente? Prender um dos filhos?”.

Depois do sincericídio, o Zero Três ainda tentou se corrigir. “A gente não tem medo de prisão”, disse. Mas suas três perguntas já haviam escancarado o pânico do clã.

GABINETE DO ÓDIO – O Judiciário deu novos passos para desmontar a máquina de ódio e desinformação que sustenta o bolsonarismo. Na segunda-feira, o Tribunal Superior Eleitoral bloqueou o financiamento de sites especializados em notícias fraudulentas. Quatro dias depois, a Polícia Federal fez buscas contra aliados do presidente que organizam atos golpistas.

A operação da manhã de sexta foi autorizada por Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. No fim da tarde, Jair Bolsonaro apresentou um pedido de impeachment contra o ministro.

Na família presidencial, o vereador Carlos Bolsonaro é o mais assustado com o avanço das investigações. Quando o TSE fechou a torneira dos sites de fake news, o Zero Dois acusou o golpe e reclamou de “censura”.

PRISÃO DE JEFFERSON – Na semana anterior, ele havia protestado contra a prisão de Roberto Jefferson, que classificou como “injusta”.

“Qualquer inocente sabe que sua prisão é preocupante não somente a um, mas a todos os brasileiros”, tuitou o vereador, referindo-se a Jefferson. Sua preocupação parece menos ligada ao ex-deputado do que ao próprio destino.

O patriarca do clã também ganhou novos motivos para temer a cadeia. No início do mês, ele foi incluído na lista de investigados no inquérito das fake news. Na decisão, Moraes anotou que o presidente pode ter cometido onze crimes em seus seguidos ataques ao sistema eleitoral.

INFLAMAR A MILITÂNCIA – Bolsonaro sabe que o Senado barrará qualquer tentativa de cassar ministros do Supremo. Seu objetivo é inflamar a militância de extrema direita como preparativo para os atos governistas de Sete de Setembro.

O factoide também alimenta a campanha para minar a confiança popular no voto eletrônico. Moraes assumirá o comando do TSE em agosto do ano que vem, às vésperas das eleições.

A ofensiva contra o Supremo é um novo alerta a quem ainda se ilude com a ideia de que Bolsonaro possa se moderar.

RADICALIZAÇÃO – Em queda nas pesquisas, o presidente fará de tudo para manter os eleitores mais radicais a seu lado. Por isso, tende a aumentar os ataques às instituições e as ameaças de golpe.

A disputa de 2022 definirá mais que o futuro inquilino do Planalto. Para a família Bolsonaro, será uma questão de vida ou morte. Se perder o cargo, o capitão também perderá a blindagem judicial. Seu antecessor, Michel Temer, sabe bem o que isso significa. Ele foi preso em 21 de março de 2019, apenas 79 dias depois de deixar o poder.

18 thoughts on “Prisão de Jefferson fez o fantasma da cadeia entrar nas preocupações do clã Bolsonaro

  1. Tentaram de tudo para incriminar o Lulinha através da Gamecorp. Agora são 3 filhos com reais erros de conduta para dizer o mínimo.
    Como o mundo da voltas!

    • “Se tem uma coisa que eu me orgulho neste Páis, e não baixo a cabeça pra ninguém, é que, não tem neste Páis, uma viva alma mais honesta do que eu, nem dentro da Polícia Federal, nem dentro do Ministério Público, nem dentro da Igreja Católica, nem dentro da Igreja Evangélica, nem dentro do sindicado, nem no meio de vocês, pode ter igual, mais eu duvido.”””…

      Meu comentário vai em forma do Leão…

      https://www.youtube.com/watch?v=7Lxqsu-7t1ca

  2. “Na mosca!”

    Todos @s ex-presidentes, por ação ou inação, estiveram envolvidos em falcatruas, em ROUBOS, em transferências do dinheiro da população para um grupo diminuto de grandes capitalistas nacionais e internacionais

    … de todo modo, juntando todas as falcatruas de seus antecessores, o atual presidente é o que mais construiu provas contra si mesmo

    … o que não é de estranhar, dado o seu passado medíocre como militar, saindo, inclusive pela porta dos fundos

    … seu passado como parlamentar é mais medíocre ainda: 30 anos no centrão e jamais saiu da posição de “mosca do cocô do cavalo do bandido”.

    Tal excrescência, fruto de um fato que historicamente não se repete, chegou à presidência da república.

    A maioria absoluta da população que não o conhecia passou a conhecê-lo. Não há mais como enganá-la.

    Sua popularidade derreteu. Só os ingênuos de todo e as pessoas totalmente imersas nas trevas do culto à tortura e a corrupção o apoiam no momento. É muita gente, infelizmente

    ” mas não o suficiente para reelegê-lo”

    por isso busca a ruptura do Estado brasileiro

    o que não conseguirá.

  3. Segundo os especialistas de plantão, o famoso “fritador” de hambuguer lá na Matrix, antes “trabalhou” como aspone no Gabinete do então Verme Federal Bob Jeffis.

  4. São três os níveis de cadeia que tiram o sono do Bolsocheio: Uma caguetagem de algum miliciano ou familiar inconformado, que destampe algum esquema de rachadinhas, comissões suspeitas ou lavagem de grana, isso poderia proporcionar uma visita guiada a Bangu, mas é encrenca que o Waseff Tarado tira de letra: O fantasma de passar a faixa ou ser defenestrado e ficar aguardando o resultado da fatal devassa e auditoria o seu tempo de governo, aí desconfio que nem o Kakay em dobradinha com o Gilmar, conseguiriam dar jeito; e, finalmente, a mãe de todas as tempestades, o relatório devastador da CPI, alicerçado em um outro relatório imparcial e indestrutível (eu conheço) que comprovaram o dolo e o planejamento do excesso de óbitos da pandemia, e aí, sinto muito, é o FIM.

    • Como o Sr. é um excelente apreciador da paisagem política desde a sua janela, acho que lhe passou desapercebido quando passou um gato preto e o Sr. não percebeu que por trás do lindo gatinho, estava passando o que mais tira o sono do Clã miliciano.
      Era justamente o Enigma M. passou por detrás do bichano e o Sr. não viu…

      Não esqueça jamais que o pavor dessa corja, é quando a Madame M. resolve aparecer no planalto mal assombrado… rs

      Tudo isso que está acontecendo com esses delinquentes tem o dedo da Madame.
      Ela agirá até a derrocada final, quando o Enigma será elucidado.

      Um forte abraço,
      José Luis.

      • As peripécias de Miss M, estão sendo devidamente acompanhadas e arquivadas, aguardando a hora H, assim mesmo, muito obrigado pelo toque, pois reforça minha percepção da importância do assunto´
        Valeu, José Luís

  5. “Qual seria o próximo passo? Prender o presidente? Prender um dos filhos?”

    Essa conversinha não é à toa.
    Pra mim, o dudu está sugerindo um “golpe” a partir do Judiciário e do Legislativo para justificar o tal do “contragolpe”, já preconizado pelo PR.

    • Será que aquele da CPI com voz
      de castrati posando de macho alfa?
      Ele já quis prender um general, ouviu na tampa, – estou no QG do Exército, venha me buscar.
      Formiga querendo ter catarro.

  6. O que tem sido daquela representação feita junto ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados contra o Bananinha???

    A da deputada Flor de Lis viúva assassina foi adiante. Mas o do filho 02 do Genocida da República…

  7. Pelo berreiro que se assiste quem está se pelando de medo não é Bolsonaro.
    A esquerda é como a boca torta pelo uso do cachimbo, não perde nenhuma oportunidade de apontar nos outros os crimes que comete. É o método.
    Quem está com medo do sete de setembro, das Forças Armadas, das Policias Militares?
    Ora bolas, contem outra!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *