Privilégios do Poder Judiciário envergonham o país

Paulo Sérgio Serra

Foi publicado que o Senado Federal aprovou, por unanimidade, um pequeno reajuste para os funcionários do Judiciário. Elogiável a decisão dos senhores senadores que, em colaboração com o governo federal na administração dessa grande crise que a todos afeta, estabeleceu uma reposição que varia de 53 a 73 por cento sobre os salários desses trabalhadores do Poder Judiciário brasileiro. É apenas reajuste de inflação, sabemos.

Mas nada justifica que, legislando em causa própria os magistrados tenham aprovado para si (e também para os servidores, para não pegam mal) uma modesta ajuda escolar de R$ 900 para cada filho dos tão mal pagos trabalhadores do Judiciário. Enquanto isso, o governo federal anuncia cortes nas verbas da educação e da saúde.

Sem problemas esses anunciados cortes, pois o resto da nossa população experimenta o pleno emprego, ganha bem e tem salários elevados o suficiente para custear suas despesas e de seus filhos com escolas particulares e planos de saúde. Inclui-se aí os abastados aposentados, cujos polpudos salários foram reajustados em exorbitantes 6 por cento.

Realmente, é uma vergonha este nosso país.

18 thoughts on “Privilégios do Poder Judiciário envergonham o país

  1. Sr. Paulo Sérgio, o senhor está equivocado; este auxílio escolar foi concedido somente para os magistrados. E quanto ao reajuste aprovado pelo Senado, o índice correto varia entre 56 a 59% e não a 73…

    • Mais uma razão para considerar abusivo o auxílio escolar, concedido aos detentores dos mais altos salários da categoria.
      É bom notar que o auxílio, para cada filho, supera em 14% o salário mínimo legal vigente no país.
      Esse auxílio é um insulto a cada trabalhador brasileiro..

  2. Mais uma matéria mentirosa. Não se trata de reajuste, mas correção inflacionária para uma categoria que não tem aumento desde 2006. E o tal auxílio escolar (de fato uma imoralidade) foi concedido apenas para os magistrados. Parece que os servidores do judiciário viraram os culpados por tudo de ruim deste país, inclusive a crise econômica….

    • Sem os auxiliares o Judiciário definitivamente pára. Quem sabe o que significa “Concluso ou Conclusão ao juiz” sabe de que estou falando. Advertência: não são os auxiliares que prolatam as sentenças como também não são eles que retardam o andamento dos processos.

  3. Eu sempre achei que Brasília não é BRASIL, principalmente em volta da praça dos tres poderes. Lá a grana rola aquí nós é que rolamos para ajuntá-la e nos sobram os farelinhos. Mas um dia acaba!

  4. Não sou Babão
    Sem os auxiliares o Judiciário definitivamente pára. Quem sabe o que significa “Concluso ou Conclusão ao juiz” sabe de que estou falando. Advertência: não são os auxiliares que prolatam as sentenças como também não são eles que retardam o andamento dos processos.
    Irineu Cascalho
    Sr. Paulo Sérgio, o senhor está equivocado; este auxílio escolar foi concedido somente para os magistrados. E quanto ao reajuste aprovado pelo Senado, o índice correto varia entre 56 a 59% e não a 73…
    Irineu Cascalho
    Salientando que o reajuste aprovado para os servidores será implantado em 06 parcelas semestrais, ou seja, em 03 anos…
    Irineu Cascalho
    Sr. Paulo Sérgio, o senhor está equivocado; este auxílio escolar foi concedido somente para os magistrados. E quanto ao reajuste aprovado pelo Senado, o índice correto varia entre 56 a 59% e não a 73…
    Marcelo de Souza
    Mais uma matéria mentirosa. Não se trata de reajuste, mas correção inflacionária para uma categoria que não tem aumento desde 2006. E o tal auxílio escolar (de fato uma imoralidade) foi concedido apenas para os magistrados. Parece que os servidores do judiciário viraram os culpados por tudo de ruim deste país, inclusive a crise econômica….
    Vocês estão certíssimos!
    Além do que essa reposição salarial(ESTE SIM O TERMO CORRETO) feito a prestação é uma vergonha e é um estelionato cometido aos servidores do Judiciário!

  5. SÓ SENTE VERGONHA QUEM TEM VERGONHA!

    É ingenuidade, e até burrice, esperar comportamento ético de quem não tem ética. Não se pode julgar os outros por si; por esse motivo é que os INGÊNUOS e honestos acabam sempre caído nas mãos dos bandidos!

    Tenho um amigo funcionário do TJDFT que SENTIA VERGONHA todas as vezes que ia de casa para o Tribunal e do Tribunal para casa:

    -Por se ele o único funcionário do Tribunal que morava em umas das cidades da periferia de Brasilia, ele sempre era o ÚNICO PASSAGEIRO do ônibus funcional. Contava ele que ficava “sem ter onde enfiar a cara” ao ver homens, mulheres e crianças espremidos em ônibus lotados ao lado do dele, feito animais, enquanto o ônibus onde ele estava, com mais de quarenta assentos desocupados, seguia apenas como ele e o motorista!
    Mesmo ele tendo conseguido aquele emprego com muitas horas de estudo e esforço, se sentia desconfortável pela cruel realidade dos outros!
    Como até olhar para os lados era constrangedor, fingia ler alguma coisa durante o percurso…

    Abraços.

    (PS 01: Ora, sem a MASSA DOS SERVENTES de pedreiro a construção civil no Brasil também pára…)
    (PS 02: Espero que essa micharia de “correção inflacionária” seja estendida, na mesma grossura, aos servidores dos outros poderes…)

    • Na vida dos servidores efetivos da justica federal nao tem moleza. A carga de trabalho e maior do que em qualquer outra area, assim como a exigencia intelectual. Os serventuarios sao os mais capacitados, mas que foram aprisionados por uma carga de trabalho, de metas de producao e de tarefas que lhe exigem o dobro das oito horas diarias, fazendo com que extrapolem sem horas extras as 16 horas diarias, fazendo absolutamente tudo no judiciario, sobretudo os votos e as decisoes que constroem a jurisprudencia nacional e dao a gloria toda aos ministros e demais magistrados que nada fazem.

      A remuneracao desses explorados servidores e muito baixa e sua vida e miseravel, nao sobrando sequer tempo para comerem sua marmita preparada de madrugada. Sao os servidores que andam quilometros a pe e abarrotados como animais no transporte publico.
      O servidor luta para manter seu emprego todos os dias, em meio ao oceano de nobres e apadrinhados senhores comissionados.

  6. Esse Paulo Sérgio além de burro é muito mal informado e joga de mal caratismo. Os servidores não ganham qualquer ajuda para escola dos filhos. Mentira! Vá se informar antes de escrever merda! Em quase 10 anos o salário mínimo e o bolsa – família dos vagabundos aumentaram muito mais que 100 porcento.

  7. Ha chantagem e muita mentira nesse jogo de colocar trabalhadores subalternos contra trabalhadores tambem explorados.

    Serventuarios que trabalham quinze horas por dia proferindo dezenas de complexas decisoes, mas sem nenhuma autonomia. Sempre no transporte publico a arrotado e morando na mais distante e perigosa periferia. Matando dez leoes por dia, dormindo muito pouco, sem condicoes para se aperfeicoar ou cuidar de sua familia. Tentando desesperados complementar a renda. Sempre perseguidos, em feroz pressao e desumana produtividade. Competindo muito mais do que em qualquer mercado, sempre temendo as arbitrariedades de magistrados, ministros e seus apadrinhados, na luta e competicao diaria para se manterem no emprego. O que os diferencia dos demais trabalhadores brasileiros?

    Deve ser combatido o excesso de comissionados e apadrinhados e o corporativismo patrimonialista de certos magistrados.

  8. Ai esta o cerne da questão, Fabio. A manobra na Camara e no Senado foi motivada pelo revanchismo em funçao dos cargos prometidos e, como de praxe, não cumpridos.

    A bomba com capa de “78 porcento de aumento” em meio ao “ajuste fiscal” foi articulada com a grande midia para chantagear o veto sob pressao politica, projeçao de suposto “efeito cascata” diante da inflaçao dilapidante e dependencia do capital especulativo na crise do modelo credito-consumo, gasto publico-divida publica, commodities-corrupçao e bolhas de ilusao.

    Alem do badalado projeto, que caminha para a racionalizacao e reducao de comissionados, mas sofre campanha de desinformacao para que seja vetado, ha o aumento das CJs e uma contra-proposta de cala boca de “20 porcento” em quatro anos, com efeito financeiro resultante da GAJ, mas sem incentivo a qualificaçao, sendo rapidamente absorvido e mantendo a farra e a dependencia das funcoes. So nao enxerga isso quem nao examina e se deixa manipular pela grande, manipulada e interesseira midia.

  9. Não se preocupem, senhores Serventuários da Justiça. A TERCEIRIZAÇÂO está a pleno vapor aqui no TJRJ. Pior, nas atividades-fim. Os PROGER da 1ª e 2ª Instâncias estão lotados de terceirizados, dando ‘pitacos’ nas ações e Recursos propostos/interpostos. É uma ‘suruba’ geral. Quem é a famiglia dona da empresa de terceirização que atua no tribunal, quem? quem? quem? Como diz o Editor/moderador do blog: Et la nave va. brasil = nau dos insensatos.

  10. O nosso poder judiciário é corporativista, são tantos benefícios que nos dá vergonha, fiz uma leitura de um jornal e as comparações com o poder judiciário sueco é impressionante, aqui os magistrados tem duas férias, ganham salários que nem se compara ao sueco, trabalham até aos sábados e domingos, são 40 mil processos por magistrados, aqui leva-se anos a fio para poder chagar a uma conclusão, é de nos dar nojo ver quantas benesses levam o poder judiciário, auxílio moradia, o sueco não tem, auxílio creche, o sueco não tem, carros oficiais, o sueco não tem, o salário de um magistrado da mais alta corte chega a R$ 18 mil reais, aqui passa dos R$ 100 mil, vão gozar estas benesses no exterior, o povo, é ignorável, são a ralé desta sociedade putrificada.

  11. Esse é o aspecto mais sombrio do negócio.

    Se chicoteiam e superexploram os serventuários, imagine como vão enriquecer explorando e pagando miséria para os terceirizados. Estamos nos patamares de relações de trabalho que precedem aos direitos sociais mínimos. Trabalhadores enfrentando jornadas de 16 a 20 horas, mesmo com regimes estatutários, sempre violados, adoecendo, se acidentando e mutilando. A ganância e a vaidade de algumas autoridades são tão danosas à humanidade quanto muitas guerras.

    São duas categorias igualmente exploradas. Servidores e terceirizados.
    Devemos apostar mais na otimização das metodologias de trabalho do que na exploração pura e simples.

    A expressão “suruba” geral é bem apropriada. Os poderosos bem relacionados com as autoridades abusam extremamente da necessidade do emprego dos servidores e terceirizados. Aniquilam suas forças e seu tempo de vida e ainda humilham e abusam sexualmente das candidatas que tentam uma vaga de emprego sem concurso.

    Eis a imagem do virtuoso judiciário brasileiro. Não muito distinta do restante do serviço público, apropriado por poucos.

  12. Recentemente ÉPOCA abordou o assunto. Alguns leitores defenderam os juízes dizendo que estudaram muito para merecer tais privilégios. Outros retrucaram : E os médicos ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *