Procurador Aras tenta afastar Moraes para blindar o ministro Salles e os madeireiros

Subprocurador-geral Augusto Aras, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ser o novo chefe da Procuradoria Geral República (PGR), concede entrevista após reunir-se com o presidente do Senado, sendor Davi Alcolumbre (DEM-AP).  Foto: Marcos Brandão/Senado Federal

Aras quer tirar de Moraes o processo contra Salles

Eliane Cantanhêde
Estadão

O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou nesta terça-feira, 25, ofício ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, para afastar o ministro Alexandre de Moraes da investigação sobre exportação ilegal de madeira cujo principal envolvido é o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que foi alvo de busca e apreensão da Polícia Federal na semana passada, com autorização de Moraes.

No ofício para Fux e numa petição direta para Moraes, Aras defende que essa operação da PF, chamada de Akuanduba, seja redistribuída a um outro ministro, por sorteio, ou vá direto para a ministra Cármen Lúcia, que já é responsável por uma ação conexa: a denúncia do delegado Alexandre Saraiva, ex-superintendente da PF no Amazonas, de que Salles obstruiu a maior investigação ambiental em favor de quadrilhas de madeireiros.

UMA PROVOCAÇÃO – A dúvida que perpassa tanto a PGR quanto o próprio Supremo é como a Operação Akuanduba, aberta pela Polícia Federal após denúncia do governo dos Estados Unidos, foi parar com Alexandre de Moraes. Circula, inclusive, uma provocação entre ministros e procuradores: foi Moraes quem “escolheu” a PF, ou a PF quem “escolheu” Moraes”?

O delegado Franco Perazzoni é o responsável pela operação, que resultou em quebra de sigilos bancário e fiscal, além de buscas em endereços residenciais e funcionais de Ricardo Salles.

A acusação que circula de boca em boca contra o delegado e o ministro Alexandre de Moraes é de que eles teriam agido em comum acordo, “atropelando”, simultaneamente, tanto o procurador-geral da República quanto o presidente do Supremo, a ministra Cármen Lúcia e o próprio diretor-geral da PF, Paulo Gustavo Maiurino.

MENOS AUTONOMIA – Antes mesmo da reação de Aras, Maiurino já havia encaminhado ao Supremo uma proposta de regulamentação limitando a autonomia de delegados para iniciar investigações de ministros e outras autoridades com foro.

No ofício encaminhado a Fux e na petição para Moraes, Augusto Aras enfatizou o que ele considera violação ao princípio do juiz natural (que seria Cármen Lúcia) e alega que, além da competência prevista em lei, o juiz, ou, nesse caso, o ministro do Supremo, deve ser imparcial, distante das motivações tanto do alvo quanto do promotor da ação.

Aras se irritou ao saber pela imprensa da busca e apreensão em endereços de Ricardo Salles, do presidente afastado e de ex-diretores do Ibama, quando o correto, na opinião da PGR e de ministros do próprio Supremo, seria pedir a manifestação prévia da Procuradoria antes de determinar uma ação com esse peso contra um ministro de Estado.

FORRA DE MORAES? – A suspeita, não assumida publicamente, é de que Alexandre de Moraes teria “bypassado” Aras numa espécie de retaliação à posição do procurador-geral no caso da prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ). Moraes determinou a prisão em flagrante do deputado bolsonarista por ataque às instituições e por ameaçar ministros do próprio Supremo. O parecer de Aras, porém, foi contrário à medida, alegando que parlamentar com mandato só pode ser preso com autorização expressa da Câmara dos Deputados – o que não havia sido considerado.

Há registro de que a ministra Cármen Lúcia também teria reclamado com Fux e reivindicado a relatoria, alegando que ela é a “ministra preventa”. Além disso, causou estranheza na PGR e em gabinetes do Supremo a cronologia das decisões: Moraes assinou a autorização de busca e apreensão para a Polícia Federal no dia 12 de maio, mas ele só teria recebido toda a documentação da PF com as justificativas para a decisão no dia seguinte, 13 de maio.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A bancada da impunidade não é fácil. Atua nos Três Poderes com impressionante desenvoltura. Se depender desses bravos procuradores, ministros e juízes, só irão para a cadeia os criminosos pobres, pois a Justiça é cada vez mais elitista. (C.N.)

8 thoughts on “Procurador Aras tenta afastar Moraes para blindar o ministro Salles e os madeireiros

  1. Sabujice pouca é bobagem pra essa jegada do governo.

    Só pra lembrar aos jumentinhos borxonaristas: em 2013 Aras deu uma festa em sua casa que teve a presença, dentre outros, de Rui Falcão e José Dirceu….

    Que tal, vagabundinhos borxonaristas?

    Dói?

    Melhor virar o rosto e fingir que não é com vocês, né não, jegada vagabunda?

    Haja antolhos ideológicos!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk xD

  2. O quadro Santa Ceia já nos retrata que não existe grupo hermeticamente coeso ou uníssono. E é nessa possibilidade de quebra na unanimidade que os satãs apostam. Bolsonaro busca poderes sobrenaturais.
    Recentemente, delegados e superintendentes da PF lançaram um manisfesto, reafirmando o seu afinco pela autonomia da Instituição, em relação ao desgoverno Bolsonaro. Ou seja: querem uma Polícia Federal independente e com status de Ente de Estado.
    Foi o bastante para o Capetão sinalizar com mudanças na PF e PRF. Para isso, de pronto, passou ordem ao ministro da justiça.
    A tática é a seguinte: o presidente mexe, mexe, remexe até compor um grupelho que lhe seja cúmplice e subalterno, dentro da Corporação.
    O Órgão que a sociedade mais exigia que fosse independente, e até conseguiu uma atonomia relativa, mas depois o próprio chefe, Augusto Haras, entregou-se de bandeja. Faço alusão ao Ministério Público. A propósito, o chefe da PGR não seria mais um servidor lotado no Ministério Público, mas exercendo a “função de jagunço” do Poder Executivo?
    -O homem é CÍNICO, porque sabe que que o mau-caratismo será o passaporte, que o fará assomar no STF.

    • A tática é a seguinte: o presidente mexe, mexe, remexe até compor um grupelho que lhe seja cúmplice e subalterno, dentro da Corporação

      Sr. Paulo

      E não é só dentro do (des)governo do Bolsomaluco que tem esses subalternos que lhe babam os eggs.

  3. Sr. Newton.
    Cadê o “Grande Gestor Mundial”, o famoso comunopata John John Doryan Gray.?
    Eles não são “diferentes” de todos que estão ai, como dizem os Chefões da Máfia Tucanostra.

    Como diz aquele velho ditado .”A Soberba precede a ruína”…
    A arrogãncia, prepotência, petulãncia, desfaçatez, deboche, vai ser engolida pela praga comunista do PCC-Amarelo….
    Coitado do povo que tem desgovernantes desse naipe.

    Com aumento de casos, Doria recua e adia flexibilização em SP em 14 dias…

    https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2021/05/26/pronunciamento-governo-de-sp-onde-assistir-a-coletiva-ao-vivo.htm?cmpid=copiaecola

    • PS.

      “Nós sabemos fazer”.
      “Somos os mais preparados”.
      “Somos um partido diferente de todos que estão ai”..
      “Não podemos deixar São Paulo cair nas mãos dos outros”…..

      Vão se lascar antes que eu me esqueça…

  4. Boa noite , leitores(as):

    Meritíssimo Presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux , encarecidamente dê um basta nas ” SANHAS CRIMINoSAS ” do Procurador Geral da República – PGR Augusto Aros , não atendendo suas pretensões de mudar e afastar o relator ministro / juiz Alexandre de Moraes , pois com toda certeza e sem sombra de dúvidas, ele vai jogar no lixo todo material incriminatório /comprobatório e todo acerto investigado dos crimes do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles e seus comparsas , vide o estrago que ele e suas/seus comparsas da PGR fizeram no ” Ministério Público do Brasil , com o agravante de que estão perseguindo seus colegas do MP , mas ele os trata como inimigos e criminosos .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *