Procurador confirma acusação contra Renan por três crimes, e ele já é presidente do Senado

Felipe Seligman (Folha)

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, confirmou nesta sexta-feira (1º) que o senador Renan Calheiros (PMDB-AP), que acaba de ser eleito presidente do Senado, é acusado de ter praticado  crimes de peculato, falsidade ideológica e utilização de documentos falsos. Renan teve 56 votos, o oponente Pedro Taques (PDT-MT) conseguiu 18, houve dois votos em branco e dois nulos.

Beijim-beijim, tchau-tchau

Segundo Gurgel, o senador apresentou notas frias para justificar gastos de sua verba indenizatória, o que comprovaria o desvio dos recursos público e caracterizaria o crime de peculato, cuja pena varia de 2 a 12 anos de prisão.

“O peculato está relacionado à verba de representação, cuja utilização tem que ser comprovada e, no caso, foi comprovada com a utilização de notas frias. Então a apropriação [indevida] desses recursos ficou comprovada”, disse Gurgel, ao sair do STF (Supremo Tribunal Federal), após participar da cerimônia de abertura do ano no Poder Judiciário.

Para que Renan passe a responder a processo, o STF ainda terá que analisar o conteúdo da denúncia e entender que existem indícios suficientes para a abertura da chamada ação penal.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG Poucos recordam que Renan Calheiros começou sua carreira política militando no PCdoB. Aqui no Brasil, político virou sinônimo de corrupto e aproveitador (com raríssimas exceções). Os velhos comunistas, como Renan, apenas confirmam a regra. É desanimador.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *