Procurador-geral faz suspense sobre as denúncias contra Lula, mas já deu sinais de que vai encaminhá-las ao Ministério Público, para abertura de inquérito.

Carlos Newton

Alvo de todo tipo de ataques pelos petistas, devido à sua atuação no processo do mensalão, o procurador-geral da República Roberto Gurgel faz suspense e diz que até agora não começou a examinar as acusações do publicitário Marcos Valério contra o ex-presidente Lula.

Gurgel alega que, assim que recebeu as informações de Valério, no segundo semestre do ano passado, decidiu não fazer nada até o final do julgamento do mensalão, que terminou em dezembro com 25 condenados, entre eles o próprio Valério e o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu.

Segundo a Folha de S. Paulo, na avaliação de Gurgel e das duas procuradoras da República que tomaram o novo depoimento de Valério, as informações do operador do mensalão confirmaram o que já tinha sido denunciado ao Supremo. A única informação nova, surpreendente e bombástica, foi de que recursos provenientes do Banco Rural teriam sido usados não só para alimentar o esquema, mas também para pagar contas pessoais do presidente Lula.

IMPROBIDADE

O ex-presidente já enfrenta um processo muito sério, em que é acusado de improbidade administrativa, junto com o ex-ministro da Amir Lando (Previdência}, por terem favorecido no Banco BMG (também envolvido no mensalão) no caso do empréstimo descontado em folha para aposentados, pensionistas e servidores civis e militares.

Agora, a acusação também é de muita gravidade. Mas Gurgel faz suspense e está levando Lula à loucura. Diz que “ainda não iniciou a análise do depoimento de Marcos Valério”, pois aguardava o término do julgamento da AP 470 (mensalão). Mas é difícil acreditar que, estando com esse material há tantos meses, até agora não o procurador não teve tido a curiosidade de constatar se Lula está ou não envolvido.

Sempre assediado pela imprensa, Gurgel se limita a esclarecer que somente após a análise poderá informar o que será feito com o material. Mas já adiantou que provavelmente enviará à primeira instância o depoimento de Valério de Souza, no qual ele diz que recursos do esquema foram utilizados para pagar despesas pessoas de Lula.

Se realmente o fizer, isso significará que Gurgel aceitou a denúncia e considera haver evidências de que Lula é realmente culpado. Caberá então a procuradores que atuam na primeira instância da Justiça abrir uma investigação contra Lula. Na condição de ex-presidente, o líder petista não têm mais o chamado foro privilegiado e será julgado como um cidadão comum.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *