Procurador-geral quer incriminar Eduardo Cunha de qualquer jeito

Para destruir Cunha, Janot mistura formato ‘Word’ com ‘PDF’

Carlos Newton

Os sites dos jornais divulgaram segunda-feira que o procurador-geral da República Rodrigo Janot considerou “despropositada” a versão do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de que houve fraude no setor de informática da casa legislativa. Conforme a Folha e o Globo revelaram na semana passada, os arquivos de computador de dois requerimentos protocolados pela então deputada federal Solange Almeida (PMDB-RJ) indicaram Eduardo Cunha como “autor”.

Os requerimentos pediam que a Câmara solicitasse informações ao TCU (Tribunal de Contas da União) e ao Ministério de Minas e Energia sobre os contratos fechados entre as empresas Mitsui e Petrobras. De acordo com depoimento prestado por um dos delatores da Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef, o objetivo dos requerimentos, segundo ele feitos a pedido do lobista Fernando Soares, era pressionar o empresário Julio Camargo a pagar propina no esquema da Petrobras.

Cunha negou participação na formulação dos requerimentos e disse que suspeitava de fraude no setor de informática, pois haveria discrepância entre a data do protocolo dos requerimentos e as datas registradas nos arquivos de computador.

JANOT REFORÇA A DENÚNCIA

Nas contrarrazões encaminhadas ao ministro-relator Teori Zavascki, em resposta a um recurso em que os advogados de Cunha pedem o trancamento do inquérito no Supremo, afirmou o procurador-geral Janot:.

Embora o investigado tenha levantado por meio da imprensa a hipótese de fraude (…), esta versão se mostra completamente despropositada, pois, em verdade, a data que consta no arquivo é posterior à data em que o requerimento foi protocolizado porque aquela data diz respeito à data em que o arquivo em formato ‘Word’ – em que foi apresentado o requerimento da deputada Solange Almeida – foi convertido em formato ‘PDF’ para divulgação na internet. Neste sentido, é bastante evidente que a conversão somente poderia ocorrer após a sua apresentação à Comissão, não havendo nisto qualquer indício de fraude“, escreveu Janot, acrescentando que o procedimento é rotina “bastante comum” na Câmara.

Os jornais festejaram a argumentação de Janot e aumentaram o tom das denúncias contra Cunha, sem mencionar o principal argumento de defesa apresentado pelo presidente da Câmara, que na semana passada enviou a todos os integrantes da CPI da Petrobras documentos para se defender de sua vinculação aos requerimentos suspeitos de terem sido feitos para achacar a Mitsui.

A DEFESA DE CUNHA

Na quarta-feira, Cunha mostrou aos membros da CPI que os registros no gabinete dele foram feitos um mês depois dos registros no gabinete da então deputada Solange Almeida, fato que muda bastante a questão, mas os jornais, no afã de destruírem Cunha, não publicaram este importantíssimo detalhe.

Agora, é o procurador-geral da República que investe contra Eduardo Cunha, com uma argumentação tresloucada que ganha destaque no noticiário. Na tentativa de justificar a diferença de datas, Janot usa uma justificativa patética, de quem não sabe nada de informática, pois mistura arquivos em formato ‘Word’ com transcrição em ‘PDF’, quando não é disso que se trata e qualquer transcrição de formato pode ser feita de imediato, não é preciso esperar um mês.

PROCURADOR DISTRAÍDO

Estranhamente, o procurador Janot não percebeu que a data de registro da proposta no computador de Cunha, em que ele é tido como “autor” do requerimento, é muito posterior à data do requerimento apresentado oficialmente à Mesa pela deputada Solange Almeida.

A este respeito, Cunha se defende com um argumento plausível. Afirma que, se fosse o autor do documento, o registro em seu computador teria de ser anterior à apresentação do requerimento pela deputada. Este é o fato, extremamente óbvio,  que não pode ser negado, pois fatos ou existem ou não existem. É com base neste argumento que o presidente da Câmara assinala que pode ter havido fraude, e esta hipótese não deve mesmo ser descartada numa investigação policial, que deveria ser urgentemente feita.

BIOGRAFIA NO LIXO

Diante de tudo isso, fica evidente que o deputado Eduardo Cunha está incomodando o establishment. Por isso, querem destruí-lo de qualquer maneira, e com apoio integral do procurador-geral da República.

O pior é que, para cumprir a espinhosa missão, Rodrigo Janot está tomando atitudes que  jogam no lixo sua biografia trajetória, que está próxima do fim e daqui a pouco poderá ser arquivada em formato ‘Word’ ou em ‘PDF’, digamos assim, para falar a mesma linguagem do douto comandante do Ministério Público Federal..

22 thoughts on “Procurador-geral quer incriminar Eduardo Cunha de qualquer jeito

  1. Mas ontem eu ouvi o pronunciamento de Paulo Roberto Costa à CPI da Petrobras, que disse com todas as letras que desviou propinas da Petrobras para o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

    • Você está enganado, Ednei Freitas. Costa citou vários políticos, inclusive Renan Calheiros, mas negou envolvimento com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

      Abs.

      CN

      • Me enganei sim, caro CN. A citação de Paulo Roberto Cunha foi a de Renan Calheiros, e não de Cunha. Acontece que estes dois parlamentares estão misturados na minha cabeça como farinha do mesmo saco. Mas peço desculpas a você e aos leitores de TI pelo equívoco digitado. Mas, ainda assim, Eduardo Cunha está longe de ser um “mocinho”.

        • Concordo contigo, Ednei. Cunha não é “mocinho”, mas perto dos bandidos que o estão acuando, mais parece um anjinho barroco.

          Abs.

          CN

  2. Esse atraso na publicação do requerimenmto é normal, conforme já explicado em outras fontes. Portanto, a defesa do cunha é pra lá de esfarrapada.

  3. Reportagem de O GLOBO de hoje, 06.05.2015 (Globo online):

    BRASÍLIA – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki prorrogou até 29 de junho o inquérito que investiga o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por suposta participação em irregularidades na Petrobras. Cunha é um dos políticos investigados no âmbito da operação Lava-Jato. O pedido foi feito em abril pelo delegado da Polícia Federal (PF) Thiago Machado Delabary. Segundo ele, a prorrogação é necessária devido à complexidade da investigação e à necessidade de ouvir pessoas envolvidas no episódio.

    Cunha é acusado pelo crime de corrupção passiva, por receber propina da Samsung, empresa de afretamento de navios, e de empreiteiras com contratos com a Petrobras. Ele teria usado deputados sobre os quais têm influência para apresentar requerimentos na Câmara como forma de pressionar a Samsung e outras duas empresas: Mitsui e Toyo. O objetivo seria forçar a liberação do pagamento de suborno.

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/ministro-do-stf-prorroga-inquerito-que-investiga-presidente-da-camara-16061863#ixzz3ZMFegJwV

  4. Eduardo Cunha, tem sido um empecilho para o governo do PT, então,
    é necessário destruí-lo. Com o Estado aparelhado e a mídia sob controle,
    o PT, vai mover mundos e fundos para incriminá-lo, independente se
    culpado ou não.

  5. Prezado Carlos Newton, sempre tive vontade de expressar minha admiração pela editoria e sua dedicada persistência na manutenção do “site” Tribuna da Internet. Leio todos vocês desde os velhos tempos quando a Tribuna da Imprensa era editada na rede. Parabéns e continue persistente e independente. Um abraço!

  6. Esse Janot, independente se Cunha é culpado ou inocente, já demonstrou a sua posição pró quadrilha que está no poder há 12 anos.

  7. E ainda teve um blogueiro que escreveu um post com o título ” Os argumentos furados dos críticos de Janot ” … Prefero nem dizer o nome da figura

  8. Quem ainda tem o descaramento de defender as estrelas decadentes petralhas, a despeito de tudo que ja foi evidenciado sobre o modus operandi do PT desde o mensalao, nao tem compromisso algum com a moral e bons costumes. Ressalvados os ignorantes que nao tem acesso a informacao e os analfabetos funcionais, todos os petistas sao cumplices. Cunha conhece o jogo dos ratos e tem estatura politica para enfrentar a bandidagem oficial. Cunha, um novo Aldo Moura? Tremam, petralhas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *