Procuradoria avança e formaliza denúncia contra 36 acusados

Pedro do Coutto

Na quinta-feira, em Curitiba, o Procurador da República, Deston Dallangnol, ao lado do Procurador- Geral, Rodrigo Janot, formalizou a denúncia à Justiça contra nada menos de 36 acusados pelos escândalos que atingiram a Petrobrás e causaram prejuízos enormes tanto à Empresa quanto ao país. Prejuízos não somente financeiros, o que já seria muito, mas também à imagem política do país, projetando-a negativamente até no exterior. Reportagem de Cleide Carvalho e Jonas Rossi, O Globo de sexta-feira 12, reproduz nitidamente o episódio, acentuando e desvendando a sofisticação das operações, na qual se inclui a revelação, pelo procurador, o que chamou de fluxograma do dinheiro. Em outra matéria, esta de Carolina Benevides, foi destacada a luta do Ministério Público contra a impunidade.

A qual, no caso em tela, depois das ações desenvolvidas, tornou-se muito pouco provável que aconteça. Foram citados e relacionados 25 representantes de grandes empreiteiras, o que ocorreu pela primeira vez na esfera judicial. Os nomes de parlamentares no exercício do mandato não foram ainda citados. Isso porque possuem foro privilegiado, o Supremo tribunal Federal.

Rodrigo Janot, cuja presença na capital do Paraná, significou o pleno endosso das acusações, as quais partem, como ele disse, do superfaturamento no plano inicial dos crimes praticados. O esquema, inclusive, dividia-se em núcleos, do aumento extraordinário dos preços à entrega das vultosas propinas, depois se deslocando para a realização em série dos depósitos no exterior, além da entrega de frações aos chamados operadores. A atuação dos doleiros é outro capítulo. A aceitação dos depósitos também. Mas há ainda a questão política.

ESCALA DE AÇÃO

Sob este prisma coloca-se uma escala de ação fundamental para o próprio governo Dilma Rousseff. Quanto mais se aprofundarem as investigações e se expandirem as informações públicas e os indiciamentos, melhor para a imagem do Planalto e da presidente. Por isso, o que parece provável, verificando-se os julgamentos, reduz-se a pressão natural da opinião pública sobre o governo. Caso contrário, seria muito ruim para o Poder Executivo assistir a um desfile de impunidades, como aconteceu em tantos casos no passado. Ao contrário, a plena responsabilização dos culpados é essencial para o equilíbrio e o refortalecimento do ciclo presidencial exatamente na passagem do primeiro para o segundo mandato.

A presidente Dilma Rousseff necessita traçar sua estratégia para os episódios que vêm por aí. Pois no quadro não faltam os radicais. E também os falsos aliados que apenas desejam proteger a si e são capazes de uma traição a cada passo. São, sobretudo, os que mais exigem cautela em qualquer palco político, na medida em que não levaram (e não levam) em conta nem os limites institucionais e democráticos.

2 thoughts on “Procuradoria avança e formaliza denúncia contra 36 acusados

  1. “Na vida espiritual ninguém quer saber o que fomos, o que possuímos, que cargo ocupávamos no mundo; o que conta é a luz que cada um já tenha conseguido fazer brilhar em si mesmo” = Chico Xavier…

    Imagina a luz dos corruptos? Só trevas !

  2. Mais um tempo no jogo contra a corrupção.
    Na semana que começa, 2a.feira, dia 15, o Ministério Público Federal, do Paraná, estará remetendo mais um pacote de denuncias,,, segundo alguns jornalistas, um “pacotão”…

    Para a turma dentro do bloco, muitos ainda incógnitos, muitas emoções…
    No fundo e no raso, haja Lexotan!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *