Procuradoria pede que Moro acelere o processo, mas defesa de Lula tenta atrasar

Resultado de imagem para procuradores de curitiba

Procuradores querem aumentar a pena de Lula

Deu no G1 Curitiba

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou nesta segunda-feira (17) um recurso de apelação contra a sentença do juiz federal Sérgio Moro que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. No documento, os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato pedem que o magistrado abra prazo para que sejam apresentadas as razões do recurso do MPF.

O documento não aponta ainda as razões pelas quais o MPF pretende recorrer da sentença. Isso só deverá ser apresentado à Justiça quando Moro abrir o prazo para a manifestação da Procuradoria.

JUSTIFICATIVA – Na condenação, Moro afirmou que Lula recebeu propina por parte da OAS ao ex-presidente. Para o juiz, o ex-presidente recebeu um apartamento triplex em Guarujá, no litoral paulista, em troca da manutenção de diretores da Petrobras que facilitaram irregularidades em contratos entre a empreiteira e a Petrobras.

Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a nove anos e meio de prisão. No entanto, em nota enviada à imprensa no dia da condenação, os procuradores da força-tarefa disseram que discordam da pena. Eles acreditam que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) deve aumentar as penas aplicadas a Lula e aos demais réus, incluindo o ex-presidente da empreiteira OAS, José Aldemário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro.

LULA RECORRE – Na sexta-feira (dia 14), os advogados do ex-presidente Lula também apresentaram à Justiça um recurso contra a sentença definida por Moro.

A petição, denominada “embargos de declaração”, não teve efeito modificativo e pede ao juiz que esclareça melhor diversos pontos que a defesa considera obscuros ou contraditórios dentro da sentença já definida.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Ficam bem claras as estratégias de acusação e defesa. Enquanto a Procuradoria pede que o juiz Moro acelere a tramitação do processo, abrindo logo prazo para apelações (recursos que podem modificar a sentença), os advogados de Lula fazem justamente o oposto, tentando retardar a chamada fase recursal, para que a questão se arraste sem julgamento na segunda instância (Tribunal Regional Federal de Porto Alegre) e Lula possa sair candidato e disputar a eleição presidencial de 2018. (C.N.)

6 thoughts on “Procuradoria pede que Moro acelere o processo, mas defesa de Lula tenta atrasar

  1. Há diversas dúvidas sobre a probabilidade de Lula ir para a cadeia caso a condenação seja referendada pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre.

    1- CABE RECURSO se a condenação de segunda instância não for por unanimidade.

    2- CABE RECURSO se a condenação de segunda instância for por unanimidade MAS OS JULGADORES TORÇAM POR TIMES DIFERENTES.

    3- CABE embargos infringentes.

    4- CABE RECURSO A SER INVENTADO.

  2. A acusação esta satisfeita com a condenação. Porém, como a defesa quer diminuir o tempo de reclusão, o ministério público recorre para aumentar, ou seja, equilibrar o jogo e ficar como esta.
    O lula terá esta cruz para carregar pelo resto da vida,
    porque sempre haverá um recurso, contra ou a favor.
    Acho que deveria “pendurar as urnas” e ir pescar com os netos, porque na idade que esta, um descanso seria bem vindo.
    Tai uma coisa que nunca entendi. Em todas as profissões, as pessoas passam a vida contando o tempo para a aposentadoria, mas no meio político é justamente o contrário, não querem largar o osso, vejam o caso do Sarney, ainda vive em Brasilia e metido com a política.
    É comum político morrer em pleno cargo, com idade avançada.

    • “…não querem largar o osso…”
      É por aí, sim.
      Mas primeiro não querem largar o foro e nenhum deles nem pensa em perder a imunidade parlamentar, que faz um bem danado !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *