Projeto da equipe econmica depende da estabilidade poltica

Pedro do Coutto

No seu primeiro pronunciamento depois de ter seu nome formalizado pela presidente Dilma Rousseff como novo ministro da Fazenda, reportagem de Marta Beck, Cristiane Jungblut Catarina Alencastro, O Globo de sexta-feira, Joaquim Levy anunciou uma poltica gradual de ajuste fiscal com meta para trs anos: 2015, 2016 e, portanto, 2017. Acentuou um supervit de 1,5% respectivamente em 2016 e 2017.

Ressaltou, dessa forma, sua confiana em poder executar seu projeto, junto com Nelson Barbosa e Alexandre Tombini, pelo menos at a fase final do segundo mandato de Dilma Rousseff. A autonomia – disse – acho que est dada.

Portanto, preparem-se todos para os cortes nos gastos pblicos. Um deles, inclusive, foi diretamente focalizado por Levy: o repasse de recursos do tesouro ao Banco do Brasil e Caixa Econmica Federal, sistema adotado pela gesto atual, especialmente em 2014 para refinanciar compromissos financeiros da Unio e de empresas estatais.

A compresso das despesas ser, portanto, bastante sensvel. Logo de incio um embate vista com as foras parlamentares em torno do aumento de vencimentos do funcionalismo. Superada esta fase, atravs de acordo, como os sintomas indicam, tero que ser encontrados recursos financeiros que evaporam atravs de obscuros investimentos da Petrobrs que produziram grandes lucros a pessoas que, inclusive em certos casos, dispem-se a devolver as parcelas mais aparentes.

BASE POLTICA

De qualquer forma, o governo Dilma Rousseff nunca dependeu tanto de sua base poltica, uma vez que as medidas, no declinadas, mas embutidas nos princpios de Joaquim Levy, no podem ser classificadas como populares. Da porque seu nome s foi revelado publicamente depois das urnas de outubro.

Surpresa? Nem tanto. Como o ministro Guido Mantega encontrava-se de fato demissionrio, o nome de Levy circulava no noticirio, provando, uma vez mais que segredo no existe em carter permanente. Acaba vazando. O que no incio era uma informao transformou-se numa confirmao. Da mesma forma que o reajuste real dos preos dos combustveis e das tarifas pblicas, dentro do princpio eterno de que no h dbito sem crdito e vice-versa.

Tem que se definir, isso sim, a dose suportvel pela sociedade. A que entra inevitavelmente o papel que vai caber base poltica. Essencial para que o choque que est vindo no se transforme em vendaval. O perodo do voto passou. O das iluses tambm. Agora o jogo outro e no se pode escapar da verdade dos fatos.

Nem no plano econmico, tampouco na rea poltica. A convergncia fundamental. Cabe presidente assegur-la. A unidade do projeto difcil. Mas o nico caminho, a nica opo.

 

29 thoughts on “Projeto da equipe econmica depende da estabilidade poltica

  1. Pedro do Coutto,

    No teremos estabilidade alguma,mas “sangue,suor e lgrimas”.

    Explico:

    1-As insanidades generalizadas cometidas nas Eras Lula/Dilma/PT so imensas.

    2-Com o avano da operao Lava Jato,mais de 70 parlamentares includos e revelando oficialmente a participao de Lula e Dilma,as instabilidades,tanto no legislativo como executivo,indica paralizao nos dois setores.

    3-A fantoche-farsante e dubl de presidente da Repblica,perder o controle da gravssima situao,entrar em choque com Levy para bloquear uma ao ortodoxa no caos econmico-financeiro-monetrio (a nica) que ela e o PT criaram.Tentar,mais uma vez,a via do populismo e do assistencialsimo irracional.Ser um “tiro no p”.

    4-O caos generalizado avanar (A correo de rumo no se dar em menos de 3 anos).

    5-O legislativo (vide Cmara dos Deputados e Senado),mais a sede de poder do “urub”
    Michel Temer (maom adormecido),no existaro em salvar suas peles,e o processo de impeachment de Dilma ser uma realidade.

    Resumo da pera: Quem fala em estabilidade fundamentado na simples nomeao de um ministro da Fazenda (o nome certo Economia) no tem a mnina noo da complexidade da situao do pas.A causa est em Dilma/PT/Lula.

    PS:Dilma,Lula,PT e aliado$,deveriam estar presos por crimes de responsabilidade e de lesa-ptria.A institucionalizao da corrupo (Petrolo o maior crime de corrupo do mundo,por exemplo) a servio da causa ideolgica petista-comunista de poder ditatorial e totalitrio,revela isso.

    PS2:Para um organismo (Brasil) tomado pelo cncerr (PT/Lula/Dilma) no h outra opo, seno a extirpao total (fim de Dilma/Lula/PT) para evitar metstases (inviabilidade irreversvel do Brasil como nao).

    PS3:Em 2015 e 2016,sero anos de expanso do projeto da insana e satnica Nova Ordem Mundial.
    O Brasil ser atingido como um tsunami devastador.

    Quem viver ver!

  2. Caros CN e Carlo Germani … Bom dia!

    Em relao Nova Ordem Mundial … no tem nadica de nova … est nas Profecias Bblicas!!! Constatemos:

    1 – O Brasil tem sido o maior sinal destes tempos … fomos dos ltimos a acabar com a escravido – coisa da poca em que a Economia era primria, com agropecuria e minerao.
    2 – Neste mesmo Brasil, a Legislao Trabalhista chegou antes da Indstria – enquanto, nos outros pases j industrializados, a legislao veio depois da atividade secundria da Economia ter se tornado cabea nas atividades humanas.
    3 – No nosso Brasil somos pioneiros no controle das aes tercirias; pois mantemos um resqucio da ditadura, chamado CPF!!!

    Por aqui, acabou a teoria do domin … com a vitria da Revoluo do Rosrio e suas Marchaaquis da Famlia com Deus pela Liberdade e da Vitria!!!

    Por aqui, acabou o rentismo internacional … com aquilo roxo e Zlia informando que s pagamos o que podemos!!!

    S que o rentismo foi atacar outras praas … … … e a??? ??? ???

    • Caro Liono,

      Qual a relao da Nova Ordem Mundial com as constataes que voc escreveu?

      PS: Voc tem conhecimento amplo sobre o que o projeto (em pleno andamento) da insana e satnica Nova Ordem Mundial?

  3. Estimado Carlo Germani … continuemos, ento???

    Primeiramente, temos que saber quem o VERDADEIRO CONSPIRADOR:

    “9. Aprendei-o, povos, e ficareis consternados. Ouvi com ateno, terras longnquas. Podeis pegar em armas e sereis destrudos; 10. preparai um plano, e ele malograr; dai ordens e elas no sero executadas, porque Deus est conosco. 11. Porque eis o que o Senhor me disse quando me agarrou e me preveniu contra essa poltica: 12. No chameis conspirao tudo aquilo que o povo chama conspirao; no vos assusteis. 13. o Senhor que vs deveis ter por conspirador; a ele que preciso respeitar, a ele que se deve temer. 14. Ele ser a pedra de escndalo e a pedra de tropeo para as duas casas de Israel, o lao e a cilada para os habitantes de Jerusalm. 15. Muitos dentre eles vacilaro, cairo e sero despedaados; sero presos ao lao e apanhados na armadilha. 16. Eu vou recolher esta declarao e selar esta revelao para os meus discpulos. (Is 8)”
    … … …
    Caro amigo … vamos tirar o selo??? que fique bem claro … quem ler passa a ser meu discpulo – e discpulo sustenta o pesquisador, topas??? ou voc acha que as pesquisas caem do Cu, prontinhas??? ??? ???

  4. A Bblia registra momentos de vrias Ordens Mundiais … so importantssimos os escritos de Daniel.

    “A esses quatro jovens, Deus concedeu talento e saber no domnio das letras e das cincias. Daniel era particularmente entendido na interpretao de vises e sonhos”. (Dn 1,17)

    “1. No segundo ano de seu reinado, Nabucodonosor teve sonhos que lhe perturbaram a tal ponto o esprito, que perdeu o sono. 2. Mandou chamar os escribas, os mgicos, os feiticeiros e os caldeus para lhe fazerem a interpretao. Estes vieram apresentar-se diante do rei. … 5. O rei disse aos caldeus: para mim coisa decidida: se no me explicardes o contedo do sonho bem como sua significao, sereis estraalhados e vossas casas reduzidas a um monto de imundcies. 6. Mas se me revelardes tanto o contedo quanto a significao do sonho, recebereis de mim donativos, presentes e grandes testemunhos de honra. Portanto, dizei-me meu sonho e o que ele significa. … 10. Os caldeus deram ao rei esta resposta: No h homem algum sobre a terra que possa fazer o que exige o rei. E, de fato, jamais rei algum, por maior e mais poderoso que tenha sido, pediu tamanha coisa a um escriba, mgico ou caldeu. 11. A questo proposta pelo rei difcil e ningum poderia dar a soluo ao rei, a no ser os deuses que esto excludos do trato com os seres carnais. 12. Com isso, o rei encolerizou-se e, na sua fria, deu ordem para matarem todos os sbios de Babilnia. 13. A sentena foi publicada e o massacre dos sbios comeou. Procuravam Daniel e seus comapanheiros para mat-los, 14. quando este dirigiu a Arioc, chefe da guarda do rei, que havia sado para executar todos os sbios babilnios, palavras cheias de prudncia e sabedoria: 15. Por que, perguntou-lhe, uma sentena to severa da parte do rei? Arioc exps-lhe o assunto, … 17. Logo que voltou do rei, Daniel ps a par do assunto seus companheiros Ananias, Misael e Azarias. 18. Pediu-lhes para implorarem a misericrdia do Deus dos cus a respeito desse enigma, a fim de que no matassem Daniel e seus companheiros com o resto de Babilnia. 19. O mistrio foi ento revelado a Daniel numa viso noturna. Pelo que, bendizendo o Deus dos cus, 20. Daniel expressou-se como segue: Bendito seja o nome de Deus de eternidade em eternidade, porque a ele pertencem a sabedoria e o poder! 21. ele quem faz mudar os tempos e as circunstncias; ele quem depe os reis e os enaltece; ele quem d sabedoria aos sbios e talento aos inteligentes. 22. ele quem revela os profundos e secretos mistrios, quem conhece o que est mergulhado nas trevas, junto ao qual habita a luz. 23. Deus de meus pais, eu vos exalto e vos louvo, porque vs me destes a prudncia e a fora, e porque vs nos manifestastes o que vos pedimos, revelando-nos o sonho do rei. 24. Depois disso, Daniel foi procurar Arioc, a quem o rei tinha incumbido do massacre dos sbios de Babilnia. E falou-lhe assim: No mandes matar os sbios de Babilnia. Introduze-me presena do rei para que eu lhe d a explicao. … 26. O rei dirigiu a palavra a Daniel (que tinha o cognome de Baltazar): s realmente capaz, disse-lhe, de desvendar-me o sonho que tive e fornecer-me a interpretao? 27. O mistrio cuja revelao o rei pede, respondeu Daniel ao rei, nem os sbios, nem os mgicos, nem os feiticeiros, nem os astrlogos so capazes de revelar-lhos. 28. Mas no cu existe um Deus que desvenda os mistrios, o qual quis revelar ao rei Nabucodonosor o que deve suceder no decorrer dos tempos. Eis, portanto, teu sonho e as vises que se apresentaram a teu esprito quando estavas em teu leito. 29. Senhor, os pensamentos que vieram ao teu esprito, enquanto estavas em teu leito, so previses do futuro: aquele que revela os mistrios mostrou-te o futuro. … 31. Senhor: contemplavas, e eis que uma grande, uma enorme esttua erguia-se diante de ti; era de um magnfico esplendor, mas de aspecto aterrador. 32. Sua cabea era de fino ouro, seu peito e braos de prata, seu ventre e quadris de bronze, 33. suas pernas de ferro, seus ps metade de ferro e metade de barro. 34. Contemplavas (essa esttua) quando uma pedra se descolou da montanha, sem interveno de mo alguma, veio bater nos ps, que eram de ferro e barro, e os triturou. 35. Ento o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro foram com a mesma pancada reduzidos a migalhas, e, como a palha que voa da eira durante o vero, foram levados pelo vento sem deixar trao algum, enquanto que a pedra que havia batido na esttua tornou-se uma alta montanha, ocupando toda a regio. 36. Eis o sonho. Agora vamos dar ao rei a interpretao. 37. Senhor: tu que s o rei dos reis, a quem o Deus dos cus deu realeza, poder, fora e glria; 38. a quem ele deu o domnio, onde quer que habitem, sobre os homens, os animais terrestres e os pssaros do cu, tu s a cabea de ouro. 39. Depois de ti surgir um outro reino menor que o teu, depois um terceiro reino, o de bronze, que dominar toda a terra. 40. Um quarto reino ser forte como o ferro: do mesmo modo que o ferro esmaga e tritura tudo, da mesma maneira ele esmagar e pulverizar todos os outros. 41. Os ps e os dedos, parte de terra argilosa de modelar, parte de ferro, indicam que esse reino ser dividido: haver nele algo da solidez do ferro, j que viste ferro misturado ao barro. 42. Mas os dedos, metade de ferro e metade de barro, mostram que esse reino ser ao mesmo tempo slido e frgil. 43. Se viste o ferro misturado ao barro, que as duas partes se aliaro por casamentos, sem porm se fundirem inteiramente, tal como o ferro que no se amalgama com o barro. 44. No tempo desses reis, o Deus dos cus suscitar um reino que jamais ser destrudo e cuja soberania jamais passar a outro povo: destruir e aniquilar todos os outros, enquanto que ele subsistir eternamente. 45. Foi o que pudeste ver na pedra deslocando-se da montanha sem a interveno de mo alguma, e reduzindo a migalhas o ferro, o bronze, o barro, a prata e o ouro. Deus, que grande, d a conhecer ao rei a sucesso dos acontecimentos. O sonho bem exato, e sua interpretao digna de f. … 47. Dirigindo-se a Daniel, disse o rei: Vosso Deus verdadeiramente o Deus dos deuses, o Senhor dos reis; tambm o revelador dos mistrios, j que pudeste revelar este.”. (Dn 2)

  5. Caro Carlo Germani, destaco:

    1 – 28. Mas no cu existe um Deus que desvenda os mistrios, o qual quis revelar ao rei Nabucodonosor o que deve suceder no decorrer dos tempos.

    2 – Nabucodonosor considerado cabea porque foi o conquistador de Jerusalm, com poder de DESTRUIR o TEMPLO snif

    3 – Nabucodonosor tambm cabea porque partiu para conquistar TODOS os povos … deste modo, ele considerava HomeMulher como semelhantes em qualquer pas – diferentemente de outros povos que achavam que os outros pases seriam inferiores e, portanto, no valia a pena conquist-los.

  6. O experiente e competentssimo Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO, como sempre de forma clara e compreensiva, nos mostra que o Projeto da nova Equipe Econmica, (reduo da Despesa Pblica, aumento da carga Tributria, Ajustes Estruturais visando mais uma Poltica de Oferta, etc,etc, tudo isso sem jogar o Pas na Recesso e visando a Inflao no centro da Meta de 4,5%aa) , capitaneada pelo futuro Ministro da Fazenda JOAQUIM LEVY ( Czar da Economia de DILMA II ), depender enormemente da Base Poltica que apoia a Presidenta DILMA, PT-Base Aliada de +- 20 Partidos. Viu bem o grande Jornalista, porque essa Base Aliada menor que a anterior, e a Oposio est bem mais aguerrida.
    Mas a Presidenta DILMA dispe de trs poderosas armas, o VETO, as MEDIDAS PROVISRIAS e a POLCIA FEDERAL dando um “Caloro” nos Cobradores de COMISSO nos Negcios Pblicos, (Malfeitos), que dever diminuir bastante daqui para a frente, o que evitar certa perda de Receitas que se esvaem “pelos ralos”.
    A Presidenta DILMA, junto com o bom e longevo ( quase 9 anos) Ministro GUIDO MANTEGA, fez o que fez no Governo DILMA I, ( esgotamento das Polticas KEYNESIANAS de Demanda, reduzindo o DESEMPREGO mesmo a custa de perda de Produtividade, e mantendo a INFLAO dentro do teto da Meta de 6,5%aa, no ligando muito para o aumento do Deficit Pblico, aumento do Endividamento Pblico e deteriorao das Contas Nacionais). Ganhada a Eleio, “agora so outros quinhentos”, preciso arrumar a Casa, para deixar a coisa em ponto de bala para 2018.
    Teremos 2 anos de crescimento baixo e depois gradativamente iremos acelerar.
    A Tarefa difcil, vai ser preciso muita habilidade para repartir bem seu CUSTO, entre as Classes Altas, Mdias e o Povo, sendo que o Povo que dever sofrer MENOS ENCARGOS.

    • Estimado Flvio Jos Bortolotto … como sempre nos orientando … agradecido fico!!!

      Tenho recomendado a todos que acompanhem a produo da Petrobrs … em vez de ficarem s nas denncias. Est acontecendo a inviabilizao do Brasil por causa de falta de retorno nos investimentos da Petrobrs.

      O Brasil gastou com a mudana da capital mais de 300.000.000.000 de dlares, conforme estudo da FGV … gastos que no teriam sido feitos se a capital continuasse no RJ … e o RJ ainda tem mais servidores pblicos federais civis e militares do que Braslia – tambm a folha de pagamento no RJ bem maior que a no DF.

      Desde 2009 que a produo est estagnada … e quanto a Petrobrs investiu??? ??? ??? A MORA A QUESTO!!!

      Saudaes do Liono Ramos Ferreira

  7. O senhor pode recorrer Histria para assim concluir … j que o sonho sobre o que deve suceder no decorrer dos tempos … … … ou seja: o sonho sobre as Ordens Mundiais!!!
    … … …
    Antes, daremos um pulo ao Novo Testamento – pois h quem ache que o Antigo Testamento coisa superada.

    H 4 narraes da vida de Jesus … sendo que 3 Evangelhos so sinticos … pois relatam os acontecimentos como em paralelo … e a podemos ter um entendimento melhor de que cada um relata ao comparar as 3 redaes … … … vamos l, ento???

    “Ele respondeu: A vs concedido conhecer os mistrios do Reino de Deus, mas aos outros se lhes fala por parbolas; de forma que vendo no vejam, e ouvindo no entendam”. (Lc 8,10) … necessrio se manter em humildade e ter corao puro … … …comparemos:

    So Marcos … “Quando virdes a abominao da desolao no lugar onde no deve estar o leitor entenda , ento os que estiverem na Judia fujam para os montes;” (Mc 13,14) … … … So Marcos alerta: “o leitor entenda” – porm, no explica!!!

    So Mateus … “Quando virdes estabelecida no lugar santo a abominao da desolao que foi predita pelo profeta Daniel (9,27) – o leitor entenda bem -” (Mt 24,15) … … … So Mateus explica que foi predita pelo profeta Daniel … e tambm alerta: “o leitor entenda bem” … o alerta de So Mateus um alerto; pois no s para entender (como est em Marcos) … PARA ENTENDER BEM!!! !!! !!!

    Tanto Marcos quanto Mateus eram judeus e seus leitores sabiam (bem) o que queriam dizer … mas pedem para no deturparem!!! !!! !!!

    So Lucas no era judeu (caso nico em escritor das Escrituras Sagradas) … e relata o que pesquisara; pois confessa: “1. Muitos empreenderam compor uma histria dos acontecimentos que se realizaram entre ns, 2. como no-los transmitiram aqueles que foram desde o princpio testemunhas oculares e que se tornaram ministros da palavra. 3. Tambm a mim me pareceu bem, depois de haver diligentemente investigado tudo desde o princpio, escrev-los para ti segundo a ordem, excelentssimo Tefilo, 4. para que conheas a solidez daqueles ensinamentos que tens recebido. (Lc 1)”

  8. Caro Carlo Germani … vejamos So Lucas:

    “1. Levantando os olhos, viu Jesus os ricos que deitavam as suas ofertas no cofre do templo. … 5. Como lhe chamassem a ateno para a construo do templo feito de belas pedras e recamado de ricos donativos, Jesus disse: 6. Dias viro em que destas coisas que vedes no ficar pedra sobre pedra: tudo ser destrudo. 7. Ento o interrogaram: Mestre, quando acontecer isso? E que sinal haver para saber-se que isso se vai cumprir? … 20. Quando virdes que Jerusalm foi sitiada por exrcitos, ento sabereis que est prxima a sua runa. 21. Os que ento se acharem na Judia fujam para os montes; os que estiverem dentro da cidade retirem-se; os que estiverem nos campos no entrem na cidade. 22. Porque estes sero dias de castigo, para que se cumpra tudo o que est escrito. 23. Ai das mulheres que, naqueles dias, estiverem grvidas ou amamentando, pois haver grande angstia na terra e grande ira contra o povo. 24. Cairo ao fio de espada e sero levados cativos para todas as naes, e Jerusalm ser pisada pelos pagos, at se completarem os tempos das naes pags. (Lc 21)”

    Jesus afirma NOVA ORDEM MUNDIAL … com Jerusalm pisada pelos pagos – AT SE COMPLETAREM OS TEMPOS DAS NAES PAGS!!!

    Terminado este tempo … HAVER NOVA ORDEM MUNDIAL JUDAICA??? A precisamos entender Salomo, filho de Davi!!! !!! !!!

  9. Caro Liono Ramos Ferreira, agradeo e li o link em espanhol que voc me enviou
    sobre o percurso feito pelo homem primitivo, atravessando a Sibria, o estreito de Bering, o Alasca etc, locais em que a temperatura est muitos graus abaixo de zero,
    chegando no final da linha a Patagnia. O que leva o ser humano primitivo sair de um
    clima bom para se enfiar na neve, ou no seio da floresta amaznica, onde ainda hoje existem
    alguma tribos indgenas em estado primitivo que no tiveram contacto com o homem branco.
    Assim como surgiram a fauna em toda a Amrica, no mais lgico que tambm tenha surgido
    o ser humano. Os cientistas no tm como provar que o ser humano saiu da frica para se instalar
    na Patagnia, ou no interior da floresta amaznica, que hoje com todos os recursos encontra-se dificuldade para penetra-la. Cientistas tambm erram.Posso estar errado, mas assim que penso.
    abraos.

  10. Tomar medidas sacrificando o povo fcil, quero ver o governo dar
    exemplo de austeridade, diminuindo o nmero de Ministrios, acabando
    com as boquinhas nas estatais e nos rgos pblicos, limitar os cartes
    corporativos, sem sigilo, inclusive o da Presidente, a sim, o governo
    demonstrar que realmente quer tirar o Brasil do buraco, em que ele deixou.
    No acredito, aguardemos.

  11. J houve uma Ordem Mundial com Israel na cabea … no tempo de Salomo!

    “Naquele dia, o Senhor fez aliana com Abro: Eu dou, disse ele, esta terra aos teus descendentes, desde a torrente do Egito at o grande rio Eufrates:” (Gn 15,18)

    “Os limites que te fixei vo do mar Vermelho ao mar dos filisteus, e desde o deserto at o Eufrates. Porque entregarei em tuas mos os habitantes dessa terra, e expuls-los-ei de diante de ti”. (Ex 23,31)

    “Voltai e parti. Tomai o caminho do monte dos amorreus e das regies vizinhas; ide s plancies, s montanhas, aos vales, ao Negeb, s costas do mar, terra dos cananeus, ao Lbano e at o grande rio Eufrates”. (Dt 1,7)

    “O vosso territrio se estender desde esse deserto e desde o Lbano at o grande rio Eufrates – todo o pas dos hiteus – e at o mar Grande para o ocidente”. (Js 1,4)
    … … …
    com o Rei Davi que Israel vai chegando s margens do Eufrates: “Davi venceu, em seguida, Adarezer, rei de Soba, em Hamat, quando estava a caminho para estabelecer seu domnio sobre as margens do Eufrates”. (1Cr 18,3)
    … … …
    Com Salomo se estabelece Nova Ordem Mundial: “Ele dominava sobre todos os reis, desde o Eufrates at a terra dos filisteus e a fronteira do Egito”. (2Cr 9,26) … “Salomo dominava sobre todos os reinos, desde o Eufrates at a terra dos filisteus, e at a fronteira do Egito. Esses reinos pagavam tributo e ficaram-lhe sujeitos durante todo o tempo de sua vida”. (1Rs 4,21)

  12. E que o post e o Brasil fazem ligao com que medito???

    “O Senhor vai ferir Israel. Como o canio levado pelas guas, assim o Senhor os tirar dessa boa terra que ele deu aos seus pais e os dispersar para alm do Eufrates, porque fabricaram para si dolos que provocam a clera do Senhor”. (1Rs 14,15)

    O Brasil est alm do Rio Eufrates … bem alm, certo??? e que os brasileiros possuem para ter alguma coisa com isso???

    E a promessa se cumpriu: “O rei do Egito cessou ento suas expedies fora de sua terra, porque o rei de Babilnia se tinha apoderado de todas as possesses do rei do Egito, desde a torrente do Egito at o Eufrates”. (2Rs 24,7)
    … … …
    Bem … no Brasil que est a maior populao de descendentes de Abrao e Sara … uns 20% de brasileiros so filhos dos 20% de judeus sefarditas do Portugal dos Descobrimentos … que foram at batizados por ordem do Rei Dom Manuel I … e obrigados a se manterem como catlicos at com processos pela Inquisio … … … acontece que recentemente Francisco Pedro criou Colgio Revisor, em que se pode mudar as sentenas da atual Congregao para a Doutrina da F – sucessora da antiga Inquisio!!!

  13. Dona Dilma quer realmente dar sua maior contribuio para solucionar os enormes problemas economicos que ela promoveu? J que decidiu ser candidata e pior ainda conseguiu vencer graas a 54 milhes de votos de um povo corrompido pelo bolsa-familia, ela poderia agora dar uma contribuio decisiva para o inicio da soluo dos problemas:
    – PEA DESCULPAS E RENUNCIE, pois com essa ANTA no poder no existe soluo por melhor que seja o ministro da Fazenda, at mesmo porque ela no vai permitir que ele trabalhe e faa o que tem que ser feito.

  14. E o que faz Salomo ser diferente???

    “Jud e Israel, desde D at Bersabia, viviam sem temor algum, cada qual debaixo de sua vinha e de sua figueira, durante todo o tempo que reinou Salomo”. (1Rs 4,25)

    Ou seja … paz … segurana … prosperidade … … … ao contrrio do que esperamos pelos prximos 3 anos!!!
    … … …
    Como Salomo conseguiu isto??? Herdou de seu pai guerreiro, o Rei Davi!!!

    E como Davi conquistou a tranquilidade para Israel???

    “1. Ora, tendo o rei Davi acabado de instalar-se em sua residncia, e tendo-lhe o Senhor dado paz, livrando-o de todos os inimigos que o cercavam, 2. disse ele ao profeta Nat: V: eu moro num palcio de cedro, e a arca de Deus est alojada numa tenda! … 5. Vai e dize ao meu servo Davi: eis o que diz o Senhor: No s tu quem me edificar uma casa para eu habitar. … 12. Quando chegar o fim de teus dias e repousares com os teus pais, ento suscitarei depois de ti a tua posteridade, aquele que sair de tuas entranhas, e firmarei o seu reino. 13. Ele me construir um templo, e firmarei para sempre o seu trono real. 14. Eu serei para ele um pai e ele ser para mim um filho. Se ele cometer alguma falta, castig-lo-ei com vara de homens, e com aoites de homens, 15. mas no lhe tirarei a minha graa, como a retirei de Saul, a quem afastei de ti. 16. Tua casa e teu reino esto estabelecidos para sempre diante de mim, e o teu trono est firme para sempre.
    17. Nat comunicou a Davi todas as palavras dessa revelao. (2Sm 7)

  15. Caro Carlo Germani … o Templo de Salomo, filho de Davi, foi destrudo por Nabucodonosor … … … e Jesus anuncia que no ficaria pedra sobre pedra do Templo reconstrudo com autorizao persa e embelezado por Herodes.

    Aps Salomo, no houve outra Ordem Mundial com Israel na cabea … porm, est l: “1. Por que tumultuam as naes? Por que tramam os povos vs conspiraes? 2. Erguem-se, juntos, os reis da terra, e os prncipes se unem para conspirar contra o Senhor e contra seu Cristo. 3. Quebremos seu jugo, disseram eles, e sacudamos para longe de ns as suas cadeias! 4. Aquele, porm, que mora nos cus, se ri, o Senhor os reduz ao ridculo. 5. Dirigindo-se a eles em clera, ele os aterra com o seu furor: 6. Sou eu, diz, quem me sagrei um rei em Sio, minha montanha santa. 7. Vou publicar o decreto do Senhor. Disse-me o Senhor: Tu s meu filho, eu hoje te gerei. 8. Pede-me; dar-te-ei por herana todas as naes; tu possuirs os confins do mundo. 9. Tu as governars com cetro de ferro, tu as pulverizars como um vaso de argila. 10. Agora, reis, compreendei isto; instru-vos, juzes da terra. 11. Servi ao Senhor com respeito e exultai em sua presena; prestai-lhe homenagem com tremor, para que no se irrite e no pereais quando, em breve, se acender sua clera. Felizes, entretanto, todos os que nele confiam”. (Sl 2)
    … … …
    Haveria mesmo os que conspiram Nova Ordem Mundial … e contra o Senhor e contra seu Cristo … portanto, o senhor est certssimo – satnica … porm, conspirao precisa ser secreta – trevas, entendeu???

    “Ela deu luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as naes pags com cetro de ferro. Mas seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do seu trono”. (Ap 12,5) … “De sua boca sai uma espada afiada, para com ela ferir as naes pags, porque ele deve govern-las com cetro de ferro e pisar o lagar do vinho da ardente ira do Deus Dominador”. (Ap 19,15) “Ele traz escrito no manto e na coxa: Rei dos reis e Senhor dos senhores!” (Ap 19,16)

    Abrao!!!

  16. Prezados … mesmo no havendo necessidade de sermes papais novos … muitos se surpreendem com o Papa Bento XVI dando conselhos para se sair da crise!!! !!! !!! e qual foi a grande surpresa??? ??? ???

    http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/encyclicals/documents/hf_ben-xvi_enc_20090629_caritas-in-veritate_po.html … CARTA ENCCLICA CARITAS IN VERITATE … DO SUMO PONTFICE BENTO XVI … AOS BISPOS … AOS PRESBTEROS E DICONOS … S PESSOAS CONSAGRADAS … AOS FIIS LEIGOS … E A TODOS OS HOMENS DE BOA VONTADE … SOBRE O DESENVOLVIMENTO HUMANO INTEGRAL NA CARIDADE E NA VERDADE

    INTRODUO

    CAPTULO I … A MENSAGEM DA POPULORUM PROGRESSIO

    CAPTULO II … O DESENVOLVIMENTO HUMANO NO NOSSO TEMPO

    CAPTULO III …

    FRATERNIDADE,
    DESENVOLVIMENTO ECONMICO
    E SOCIEDADE CIVIL

  17. CAPTULO III FRATERNIDADE, DESENVOLVIMENTO ECONMICO E SOCIEDADE CIVIL

    CAPTULO IV … DESENVOLVIMENTO DOS POVOS, DIREITOS E DEVERES, AMBIENTE

    CAPTULO V … A COLABORAO DA FAMLIA HUMANA … 67. Perante o crescimento incessante da interdependncia mundial, sente-se imenso mesmo no meio de uma recesso igualmente mundial a urgncia de uma reforma quer da Organizao das Naes Unidas quer da arquitectura econmica e financeira internacional, para que seja possvel uma real concretizao do conceito de famlia de naes. De igual modo sente-se a urgncia de encontrar formas inovadoras para actuar o princpio da responsabilidade de proteger [146] e para atribuir tambm s naes mais pobres uma voz eficaz nas decises comuns. Isto revela-se necessrio precisamente no mbito de um ordenamento poltico, jurdico e econmico que incremente e guie a colaborao internacional para o desenvolvimento solidrio de todos os povos. Para o governo da economia mundial, para sanar as economias atingidas pela crise de modo a prevenir o agravamento da mesma e em consequncia maiores desequilbrios, para realizar um oportuno e integral desarmamento, a segurana alimentar e a paz, para garantir a salvaguarda do ambiente e para regulamentar os fluxos migratrios urge a presena de uma verdadeira Autoridade poltica mundial, delineada j pelo meu predecessor, o Beato Joo XXIII. A referida Autoridade dever regular-se pelo direito, ater-se coerentemente aos princpios de subsidiariedade e solidariedade, estar orientada para a consecuo do bem comum[147], comprometer-se na realizao de um autntico desenvolvimento humano integral inspirado nos valores da caridade na verdade. Alm disso, uma tal Autoridade dever ser reconhecida por todos, gozar de poder efectivo para garantir a cada um a segurana, a observncia da justia, o respeito dos direitos[148]. Obviamente, deve gozar da faculdade de fazer com que as partes respeitem as prprias decises, bem como as medidas coordenadas e adoptadas nos diversos fruns internacionais. que, se isso faltasse, o direito internacional, no obstante os grandes progressos realizados nos vrios campos, correria o risco de ser condicionado pelos equilbrios de poder entre os mais fortes. O desenvolvimento integral dos povos e a colaborao internacional exigem que seja institudo um grau superior de ordenamento internacional de tipo subsidirio para o governo da globalizao [149] e que se d finalmente actuao a uma ordem social conforme ordem moral e quela ligao entre esfera moral e social, entre poltica e esfera econmica e civil que aparece j perspectivada no Estatuto das Naes Unidas.

    CAPTULO VI … O DESENVOLVIMENTO DOS POVOS E A TCNICA

    CONCLUSO … No final do Ano Paulino, apraz-me formular os seguintes votos com palavras do Apstolo tiradas da sua Carta aos Romanos: Que a vossa caridade seja sincera, aborrecendo o mal e aderindo ao bem. Amai-vos uns aos outros com amor fraternal, adiantando-vos em honrar uns aos outros (12, 9-10). Que a Virgem Maria, proclamada por Paulo VI Mater Ecclesi e honrada pelo povo cristo como Speculum Iustiti e Regina Pacis, nos proteja e obtenha, com a sua intercesso celeste, a fora, a esperana e a alegria necessrias para continuarmos a dedicar-nos com generosidade ao compromisso de realizar o desenvolvimento integral do homem todo e de todos os homens [159].

    Dado em Roma, junto de So Pedro, no dia 29 de Junho Solenidade dos Santos Apstolos Pedro e Paulo do ano de 2009, quinto do meu Pontificado.
    BENEDICTUS PP. XVI

  18. http://tribunadainternet.com.br/o-derrotado-ja-tem-nome/#comment-173485 tem cpia de e-mail meu … destaco:
    1 – Do m3 ao (m3)3 Parte 9b (e=mc radiao tempo) 1 Nov 2010 … (respondendo com RETIRAR no envio outros e-mails)
    .
    Do m3 ao (m3)3 Parte 9b Uma brevissimazinha historinhazinha do movimento e O sistema de coordenadas marranas
    .
    Ento o tal mpio se manifestar. Ele usar de todas as sedues do mal com aqueles que se perdem, por no terem cultivado o amor verdade (Caritas in veritate Encclica do Papa Bento XVI sobre a crise mundial) que os teria podido salvar. Por isso, Deus lhes enviar um poder que os enganar e os induzir a acreditar no erro. II Tessalonicenses 1,3 3,5
    .
    http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/encyclicals/documents/hf_ben-xvi_enc_20090629_caritas-in-veritate_po.html
    .
    Amados e Amadas,

    Fiquem com Deus. Liono chegamais Lio (s no rdio da obra de construo da Ponte Rio-Niteri a ponte Dilma-Temer vai de Dilma at Dilma kkk KKK KAKAAKAAA)
    … … …
    Em 01/11/2010 j adiantava as dificuldades de Dona Dilma (PT) … com Michel Temer (PMDB).

  19. http://tribunadainternet.com.br/o-derrotado-ja-tem-nome/#comment-179454 tem cpia de meditao que compartilhei em 11/05/2012 … destaco:

    Saiu pipocado segue ento do e-mail de 11/5/2014:

    Do m3 ao (m3)3 Parte 12 ESCNDALO 11 Mai 2012

    Estamos chegando em 15/05/2012; e terminando o Tempo de Restaurao de Todas as Coisas assim no poderia ficar devendo a Restaurao da LUZ tenho me mantido fiel como restaurador; fugindo da HIPOCRISIA deste modo, esta meditao ESCNDALO!!! igualmente Jesus: Mc 14,27 E Jesus disse-lhes: Vs todos vos escandalizareis, pois est escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas sero dispersas (Zac 13,7). Jesus preparando os apstolos!!!

    http://www.if.ufrgs.br/historia/young.html mostra um histrico das pesquisas sobre a luz onda ou partcula? coisa que se discute desde Newton! O Experimento da dupla fenda de Young est bem mostrado por 1801 que Thomas Young fez tal experincia 211 anos!!! Quando feita com partculas, esto no link acima: balas e espingarda!!! pa!!! !!! !!!

  20. http://tribunadainternet.com.br/o-derrotado-ja-tem-nome/#comment-182222 tem cpia de meditao que partilhei com colegas em 13/05/2012 … destaco:

    Segue a Parte 14 (https://groups.yahoo.com/neo/groups/profecias/conversations/messages/7094)
    7094 Do m3 ao (m3)3 Parte 14 FIM lioncorf May 15, 2012? com:

    http://www.youtube.com/watch?v=gAKGCtOi_4o feita no escuro dar um resultado feita na LUZ h a contribuio dos ftons porm, h os que insistem em manter uma posio, baseados em autoridade!!!

    No auge de sua Misso, Jesus foi questionado pelos que detinham a autoridade da LEI DE MOISS e Jesus foi mais do que humilde: comeou pregando nas Sinagogas, muitas vezes at a convite at chegar no Sindrio ( fora) mas deixou claro: preguei at no Templo e s me predem como malfeitor??? ??? ???
    … … …
    Um segredo deve ser guardado por 3 dias e 3 noites, como as Escrituras ensinam!!! !!! !!!

    FIM DOS TEMPOS DE RESTAURAO DE TODAS AS COISAS

    VEM, SENHOR JESUS!!! !!! !!!

  21. Tambm com Francisco Pedro … o Vaticano insiste com a necessidade de Autoridade Poltica Mundial … http://br.radiovaticana.va/storico/2014/10/01/caritas_in_veritate_enc%C3%ADclica_de_bento_xvi_completa_cinco_anos_e_%C3%A9/bra-828460 … com:

    Home / Igreja … Caritas in veritate: Encclica de Bento XVI completa cinco anos e tema de encontro no Vaticano … 01/10/2014 … Cidade do Vaticano (RV) O Pontifcio Conselho da Justia e da Paz inaugurou esta manh sua 28 Assembleia Plenria.
    Os temas centrais do encontro, que ser realizado at o dia 3, so o quinto aniversrio da Encclica de Bento XVI Caritas in veritate e o 10 aniversrio do Compndio da Doutrina Social da Igreja.
    Na abertura do evento, o Secretrio do Pontifcio Conselho, Dom Mario Toso, afirmou que a finalidade da Plenria analisar a recepo da Encclica de Bento XVI nos vrios continentes e evidenciar os aspectos de continuidade com o magistrio social do Papa Francisco, para ressaltar as consequncias prticas no plano pastoral.
    Dom Toso citou os inmeros congressos e iniciativas organizados nos ltimos cinco anos inspirados na Caritas in veritate, em especial sobre a questo da autoridade poltica mundial.
    O Secretrio do Pontifcio Conselho tambm anunciou que durante a Plenria ser divulgado o documento Energia, justia e paz e est em preparao outro volume sobre o tema Terra e alimento.
    (BF)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.