Proposta de Witzel para ‘abater’ criminoso com fuzil depende de mudar a lei

Witzel aplaude a fala insossa do ministro Raul  Jungmann

Alba Valéria Mendonça
G1 Rio

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que é ilegal a proposta do governador eleito do Rio, Wilson Witzel, de formar grupos de atiradores de elite para “abater” traficantes. Jungmann disse que, para ser colocada em prática, a ideia dos “snipers” dependeria de uma mudança na lei federal. Ele não opinou se considera a proposta positiva.

“A proposta precisa passar pelo crivo das leis, da legislação e da justiça. Não podemos ter atividades que não sejam dentro das normas, das leis. E hoje ela (a proposta) não está. Precisa de uma modificação legislativa”, disse Jungmann.

TEM RUMO – Em reunião com o conselho de segurança da Firjan, no Rio, o ministro da Segurança Pública fez um balanço dos oito meses de atividades do ministério.

“Hoje temos um ministério por lei, um sistema unificado por lei, uma política de segurança nacional e recursos, advindos das loterias. A segurança pública pela primeira vez tem rumo e reúne todos os entes da federação”, disse o ministro.

Jungman afirmou que cabe ao futuro governador manter Garantia da Lei e da Ordem (GLO), mas que a intervenção federal que termina em 31 de dezembro não poderá ser prorrogada por ir contra a Constituição.

CRIME ORGANIZADO – O ministro também destacou que o BNDES, junto com o Ministério da Fazenda, está viabilizando a utilização de parte dos R$ 19 bilhões dos Fundos das Telecomunicações (Fust) para o desenvolvimento tecnológico para o combate do crime organizado no Rio.

“Vamos incentivar a criação do sistema de cercamento eletrônico, que vai permitir a identificarão de cargas, carros roubados, reconhecimento facial para combater o crime. Parte desses recursos vai ser para esse monitoramento. Os dados vão para uma Central que vai fazer esse cerco digital no comando ao crime. E a intenção é depois espalhar esse sistema para todo o território nacional”, disse Jungmann.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
No escritório com ar refrigerado e cafezinho, é fácil criticar a proposta de Witzer, que é a mesma de Bolsonaro. Duro é ver o policial subir o morro sob rajadas de metralhadoras e tiros de fuzil dos criminosos. Jungmann não deu opinião, porque nunca subiu numa favela para capturar bandidos. (C.N.)

45 thoughts on “Proposta de Witzel para ‘abater’ criminoso com fuzil depende de mudar a lei

  1. Art. 23. – Não há crime quando o agente pratica o fato:
    …II – em legítima defesa;

    Art. 25. – Entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios
    necessários, repele injusta agressão, atual ou IMINENTE, a direito seu ou DE OUTREM.

    Basta analisar a hermenêutica da lei.
    Se alguém porta um fuzil na rua que dispara 600 tiros por minuto, reagir com UM tiro de fuzil para anular este risco IMINENTE contra OUTREM é um meio moderado e necessário.

    Avisa o Jungmann que o PPS não cumpriu a cláusula de barreira e vai desaparecer. Não deu ibope…

    • A arma pode estar desmuniciada ou mesmo ser uma réplica.

      Certa vez eu estava saindo de um jogo de paintball, com um grupo, e em frente à casa a polícia parou bruscamente o carro e vieram conferir.

      Sorte de não atirarem antes para conferir depois. Afinal, se andam confundindo furadeira e guarda-chuva com metralhadora… (e olha que quem confundiu na ocasião foi integrante do BOPE)

      • Artigo 26 da Lei 10826 de 2003. São vedadas a fabricação, a venda, a comercialização e a importação de brinquedos, réplicas e simulacros de armas de fogo, que com estas se possam confundir.
        Parágrafo único. Excetuam-se da proibição as réplicas e os simulacros destinados à instrução, ao adestramento, ou à coleção de usuário autorizado, nas condições fixadas pelo COMANDO DO EXÉRCITO.

      • Desculpe, mas não posso conter minhas gargalhadas!

        Deve ser algo como aproximar-se de um leão em um circo com a desenvoltura de quem acha que o leão está desdentado e suas unhas caíram todas.

      • Por acaso essas armas de paintball não tinham nenhuma capa para que não fosse interpretado um mal uso das mesmas? Se saiu com elas a mostra e sem capas, isso foi no minimo um ato irresponsável.

    • A questão é que o agente subiu a porra do morro para o confronto – a burra política de segurança.

      O soldadinho
      do tráfico (afinal, eles não vão atuar assim contra as milícias) está no alto no morro com o seu radinho e seu brinquedinho.

      Chega o agente pela mata e pimba… tirou a vida de um jovem mal aproveitado pela sociedade.

      Isso é de uma patifaria. Desproporcional e ignora a corresponsabilidade estatal e da sociedade pelos fatores que levaram o indivíduo, muitas vez vulnerável, a estar naquela situação.

      Pena de morte, de execução arbitrary, ao juízo de um agente do estado, sem submeter o indivíduo ao devido processo é de um absurdo – crime mesmo.

    • Podem chorar, esgoelar, se debater no chão, mas o Witzel vai mandar os snipers atirarem nos canalhas com fuzil. Marginais serão abatidos e a população vai apoiar e vibrar.
      A massa quer se sentir segura. Só os esquerdalhas acham que um cidadão ter uma arma em casa é ameaça, mas um marginal com um fuzil na rua de costas não é. Aceita que dói menos.

  2. A crítica feita à política segundo esse atual modo de agir – subir morro atirando -, agora o governador eleito pretende atualizar – para tiro ao alvo – se dá porque não se faz política de segurança pública eficaz desse jeito, à luz do princípio da eficiência.

    Não vemos isso em qualquer outro país do mundo – não se combate as drogas só no Rio, no Brasil.

    A política desastrosa que só tende a piorar com a proposta do atual eleito, leva riscos desnecessários aos inocentes.

    Se numa guerra fosse, considerando os militares dos dois lados inimigos e a população civil no meio, estaria sujeito a leis que vedam o sofrimento de civis podendo haver sanções de órgãos internacionais, inclusive do Tribunal Penal Internacional.

    Portanto, a continuidade e recrudescimento do rigor com o abate pretendido pelo governador, sequer encontra respaldo no caso de guerra, comparativamente.

    Essa política de segurança não resolverá o problema das drogas, das armas, dos roubos, etc.

    Precisamos de mais educação, oportunidades a todos, distribuição de renda e o fim das desigualdades.

    • “Não vemos isso em qualquer outro país do mundo – não se combate as drogas só no Rio, no Brasil.”

      É uma observação indicativa de que você não é de fazer turismo. Ou pelo menos turismo de leitura do que anda acontecendo em alguns países, entre eles um que não vou citar porque a esquerda odeia.

      • Cita, pode citar

        Que país a polícia entra trocando tiros com quadrilhas?
        França, Bélgica, Inglaterra, Canadá etc. hoje que tem enfrentado problemas em seus territórios fazem todo um planejamento quando é para ingressar nas chamadas zonas proibidas ou guetos.

  3. Só pra você “Leão Furioso”….
    Isso é o clássico blablabá de petista …psolista Freixista… Chico Alencalista….
    Chega “gatinho manso”….
    Para traficante armado com fuzil (municiado simmm seo teorico “sabichão. ..)
    Aço 5.56 ou 7.62…
    Ficou claro ou precisa desenhar. ..”gatinho”???
    Miauuuu

    • Por isso o Brasil nunca é levado a sério no plano internacional.
      Assento na ONU? Vai ver se o país tem algum apoio. Não tem.
      Pois se o país não segue sequer as recomendações do UNODC, INCB

      O Futuro de uma Ilusão, de Sigmund Freud, o abordou a questão religiosa, onde afirmou: o efeito das consolações religiosas pode ser igualado ao de um narcótico.

  4. “Gatinho Manso”…
    Agora o Brasil ja começou a despontar.
    Só com a eleição. …veja bem…com a eleição de Bolsonaro.
    Apos a posse então nem se fala.
    Se ligue.
    E o Único Fred do mundo que tinha nome de “Froide”( uauaiaiaiashshshs…) usava um pozinho branco pelo nariz. …..que não era Coca…Cola
    Se é que vc me entende….
    Vai procurar o que fazer…..”Gatinho Manso”

  5. Nas escolas de samba ninguem se atreve a dar um tiro lá dentro. Se acontecer, o trouxa vai morrer com a própria arma.

    O que o novo governo vai fazer, é seguir o exemplo dos sambistas. Bem que ele poderia também copiar Singapura. Os pequenos delitos -como pixaçao de imoveis- são punidos com chibatada na bunda em praça publica

  6. O policial no calor da ocorrência, tem frações de segundo para decidir, se mata ou se morre. Mas depois, o ministério público e o judiciário, tem anos para decidir se o policial agiu certo ou errado, e geralmente decidem errado, quase sempre contra o policial.
    A sociedade é hipócrita, vive a fomentar a criminalidade, através do uso de substâncias proibidas, se insurge contra a violência, porém reclama da
    polícia quando faz incursões por zonas conflagradas e revida as agressões e mata bandidos. Afinal como corrigir a situação sem confronto? Com “diálogo”, com queria a Dilma?
    Violento só respeita uma coisa. Uma violência maior, ou seja uma força coatora maior que a sua.
    Não esperem a colaboração da bandidagem, porque isto nunca acontecerá, a única maneira de
    fazer a criminalidade retroceder, é eliminando os criminosos, não há outro caminho.

  7. Senhores, bom dia.

    A proposta do governador eleito WILSON WITZEL de permitir que atiradores de elite atinjam e matem bandidos que estejam em via pública armados com fuzis pode ser considerada a melhor proposta, a proposta mais REAL que apareceu no Rio de Janeiro nas últimas décadas.
    Explico:

    01- Normalmente, os confrontos entre traficantes e policiais no Rio de Janeiro se dão com ambos os lados armados com fuzis automáticos (que dão rajadas) que têm o alcance médio de 3.800 metros, aproximadamente, o que o torna mortal para qualquer pessoa que esteja em um círculo com diâmetro de 7.600m em torno do atirador.
    Portanto, qualquer cidadão, homem, mulher ou criança, que esteja nessa área coberta pelo raio de 3.800 metros em torno de um criminoso armado, ESTARÁ CORRENDO PERIGO IMEDIATO, EMINENTE, de ser morta, irresponsavelmente. Para que isso ocorra, basta o bandido apertar o gatilho, já que ele não tem preocupação ou compromisso com quem ou onde a bala atingirá. Alguém ainda tem a coragem de questionar “perigo imediato” pelo fato das autoridades brasileiras terem se acostumado com o caos, com a desordem, com a tolerância ao erro e com os marginais desfilando em grupos armados.
    Agora, tente imaginar o que a polícia de Nova Iorque ou de Londres faria, ao se deparar um grupo tão armado como os grupos cariocas andando calmamente no centro das respectivas cidades!

    02- Ao contrário do que se argumenta, quando qualquer pessoa realiza um disparo em via pública, É IMPOSSÍVEL SABER O QUE OU QUEM O PROJÉTIL ATINGIRÁ. E isso vale para o tiro disparado pelo policial e para o tiro disparado pelo bandido. Ao sair do cano da arma, somente Deus saberá o que ou quem será atingido, se terá a sua trajetória modificada por ricochete ou por outras situações fortuitas e se ele acabará por matar um inocente ou um culpado.
    O uso de um atirador sniper visa reduzir, ao mínimo possível, com um DISPARO DE PRECISÃO, o risco da polícia atirar em via pública e atingir um inocente pelo fato do atirador saber, com maior chance de acerto, onde o projétil atingirá, do que aqueles policiais que dão rajadas ou dão centenas de disparos apenas “no rumo” dos agressores usando apenas as miras normais das armas que, mesmo dotadas de miras telescópicas adaptadas, não são apropriadas para o DISPARO DE PRECISÃO. Para uma arma ser apropriada para o disparo de precisão não basta que apenasse coloque uma mira telescópica na sua parte superior, como é muito visto nas operações policiais. A arma precisa ter sido fabricada para essa função específica!

    03- Em um confronto, por exemplo, realizado entre dez bandidos e dez policiais, todos armados com fuzis que, geralmente, vêm com carregadores com vinte cartuchos, significa que serão dados 400 DISPAROS, “a ermo”, pelos dois lados, em um confronto que visava atingir apenas os dez criminosos. A todo esse risco, devemos acrescentar aquele adicionalmente produzido se os policiais e bandidos usarem o modo rajada. Nesse caso, um carregador desses demorará menos de dez segundos para ser esvaziado e será trocado por outro cheio, o que significará mais vinte disparos adicionais, podendo finalizar, no final da operação, mais de MIL DISPAROS efetuados, pelos bandidos e policiais, em uma área urbana habitada.

    04- O atirador de elite, também chamado de sniper, existe para que o risco de se atirar em via pública e de se atingir um inocente seja extinto ou diminuído ao máximo. Na suposição acima, onde as policiais precisarão enfrentar DEZ CRIMINOSOS armados com fuzis, a tropa inteira da polícia, mesmo que esteja armada com centenas de metralhadoras e de fuzis e de milhares de munições prontas para serem usadas, só precisará efetuar DEZ DISPAROS, um para cada bandido armado!

    05- Com o uso de atiradores de elite, diminuirão bastante, ou até cairão a zero, as pessoas inocentes mortas por balas perdidas durante os confrontos policiais, pois os policiais só darão um tiro para cada bandido avistado e o bandido não atirará na polícia por estes estarem fora da visão dos criminosos. Na verdade, com essa modalidade de ação, cairá o número de policiais mortos e até mesmo os confrontos entre polícia e bandido poderão ser extintos pela alta letalidade policial.

    06- A importância e a periculosidade do fuzil nos morros cariocas serão reduzidas gritantemente, pois qualquer bandido que esteja armado com esse tipo de arma saberá que será considerado um alvo legítimo e, sumariamente, sem aviso prévio, será abatido. Portanto, ninguém se arriscará andar armado nos “bondes”, em cima de automóveis, ou montar guarda nas ruas das bocas de fumo com um fuzil nas mãos, ou bloquearem rodovias após verem vários comparsas sendo mortos.

    07- Outro ponto a ser considerado positivo é a DIMINUIÇÃO DA MORTE DE INOCENTES pela diminuição dos disparos acontecidos durante cada confronto e por não mais aqueles serem confundidos com bandidos. O sniper usa uma mira telescópica que pode aumentar a proximidade do atirador em até 24X para ele poder, CALMAMENTE, visualizar o rosto do criminoso e as suas regiões vitais. Obviamente, se o atirador poderá escolher a região vital e até mesmo olhar nos olhos do criminoso antes de puxar o gatilho, será impossível que ele venha a confundir uma vassoura, uma arma de brinquedo, uma ferramenta, um guarda-chuva ou qualquer outro objeto com um fuzil, já que a visão que terá dos criminosos será a mesma que ele teria se estivesse a dois metros de distância dele, logo, diferente da visão que teria um policial dotado de arma normal.
    Portanto, por ser um “tiro de precisão” e pelo fato do atirador estar abrigado e fora do alcance das balas dos criminosos, ele não tem pressa em puxar o gatilho e não se precipita em atirar no primeiro vulto que aparecer pela frente, como faria qualquer policial da linha de frente por medo de ser morto.

    Portanto, já está na hora dos governantes decidirem de que lado estão: dos traficantes e dos assaltantes que agem armados com fuzis ou do lado das vítimas de balas perdidas e das pessoas inocentes, mortas nas vias públicas e até mesmo nas escolas.
    E veja que as autoridades do nosso país são tão pilantras que o governador eleito nem se referiu às pistolas de “uso restrito das Forças Armadas”: Elas poderão continuar sendo portadas normalmente pelos criminosos!

    Abraços.

    “A SOCIEDADE PRECISA DECIDIR QUAL É O PREÇO QUE ELA QUER PAGAR PARA TER SEGURANÇA.” Coronel do Exército Fernando Montenegro.

    • -Prezado, as leis nesta terra, entre as quais se destaca a nossa amada e idolatrada Carta Mãe, não foram feitas pensando em proteger o cidadão, mas pensando em garantir a impunidade ao criminoso e infinitos recursos aos advogados.
      -Por isso estamos no Século XXI discutindo coisas óbvias.

      -Agora ressurge a esperança que a mudança se inicie e que o CIDADÃO volte a ter mais valor para os governantes do que um BANDIDO.

      Abraços.

  8. Ele disse que vai acabar com a vistoria do Detran. Junto com o IPVA , o Detran cobra R$ 139,30 referente a… vistoria, A frota de veículos emplacados no Rio é 7 milhões. Só ai, perde receita de… r$ 975.100.000,00. Ou será que ele ´só vai acabar c/ a… vistoria, mas não com a cobrança da… vistoria. Vai, isto com certeza, acabar com milhares de empregos.

  9. VISTORIA II- Em MG não existe vistoria. Um amigo me disse q foi parado pelos Guardas, que, então, vistoriaram seu carro. Se isto acontecer aqui no Rio, a perda de tempo vai ser enorme e o achaque, também… AIinda vamos sentir saudades do tempo da…vistoria.

  10. Enquanto os bandidos não forem tratados no mesmo nível pelos policiais, a violência jamais será contida!

    Se estão usando fuzis, que usemos contra eles, simples.
    Que os carros de combate deem cobertura aos policiais, e que estes mostrem força, determinação e decisão.

    Não há mais diálogo, tampouco usar de panos quentes.
    O país está em guerra, pois a população está sendo dizimada pelos criminosos, que andam impunes, e não há corpo policial para enfrentá-los!

    Certo o novo governador do Rio, que quer usar snipes para abater os atiradores, que estão no alto dos morros ou até andando pelas ruas dentro de automóveis.

    A falácia comumente usada de que “a sociedade é culpada pelos fatores que levaram o indivíduo, muitas vez vulnerável, a estar naquela situação”, é risível, ingênuo, demagogo!

    Os verdadeiro culpados pela pessoa se encontrar naquela situação de marginal, de assassino, de bandidos SÃO SEUS PAIS!!!

    Homens e mulheres sem a menor condição que botam filho no mundo de maneira irresponsável, criminosa, estes são os culpados pelo aumento da miséria e da violência!

    Basta de sofismas, de agradar o pobre, de fazê-lo de vítima da sociedade, chega!

    Se os pais que tiveram esses delinquentes não souberam educá-los e sustentá-los, ninguém pode ser responsabilizado pelas suas condutas ilícitas, agressivas, assassinas!

    Muito antes de acusarem a sociedade, esses que se arvoram defensores dos Direitos Humanos deveriam punir o pai que abandona o filho, assim como a mãe, que tem várias outras crianças com companheiros diferentes!

    Nesta promiscuidade moral e carente de alimentos, roupas, moradias, de futuro, inexoravelmente aquela criança está condenada à marginalidade, a ser mula ou, com o tempo, um traficante!

    Falta ao governo, sim, a iniciativa de cortar o mal pela raiz!
    A Mariazinha e o Zezinho que já tiveram o seu filho, e mal e porcamente se sustentam, ESTERILIZAÇÃO!!!

    – Ah, mas tal medida é cruel, desumana!

    Hipócritas, quer dizer que as milhares de crianças sofrendo, padecendo, mal alimentadas e mal tratadas deve ser entendido como “normal”??!!

    Uma esterilização então é mais brutal do que a gente ver crianças sofrendo e doentes??!!

    Cínicos! Até quando vão dar a devida importância ao legítimo futuro desta nação, as suas crianças??!!

    Quer dizer que um filho é um mero acidente de uma trepada e, mal feita??!!

    Por isso o aborto?
    Por isso a descriminalização das drogas??

    Se os que repudiam o assassino ser tratado com a mesma violência, de modo a abortar seguidores, então que os pais dos criminosos sejam presos, sejam responsabilizados pela falta de atenção, de paternidade, de educação aos seus filhos!

    Agora, fim desse papo inconsequente e idiota, que o culpado é a sociedade, pois não fomos nós que fizemos as crianças que se transformaram em delinquentes, mas os seus genitores, que devem pagar à sociedade os males que seus rebentos estão causando, e não ao contrário como prega o demagogo, o bonzinho, o “gente boa”.

    Tá de fuzil na mão?
    Vai receber tiro de fuzil no lombo também!!!

    A menos que na mente doentia e malévola dessa gente que defende bandido, o policial deve ter a sua vida imolada naturalmente, pois faz parte da sua função perder a vida!!!
    O assassino, não, pois vítima da sociedade!!!

    Antes que eu esqueça, mas vão cagar no mato!!!

  11. Prezado esquerdista, defensor dos direitos humanos e que tem um filho que gosta de sair para a ESCOLA, para a CASA DA VOVÓ e para TRABALHAR com um fuzil pendurado no ombro:

    -O seu filho não será morto por causa da decisão do novo governador. Não se preocupe! Tem como evitar isso. As nossas autoridades são muito complacentes, COVARDES e cúmplices para permitir tal execução. Ele só será um alvo legítimo ser estiver com o fuzil MAS MÃOS, oferecendo risco IMINENTE para quem esteja no raio de alcance das balas!

    Portanto, ainda SERÁ PERMITIDO, pelas nossas autoridades, que ele leve as suas armas de uso pessoal e recreativo no porta-malas de um carro, dentro de uma mochila escolar ou embrulhado como presente para a vovó.
    Portanto, meu caro, quando o seu filho for sair de casa para dar um rolê, para ele não ser morto pela POLÍCIA FASCISTA, basta você falar para ele:

    “-Filhinho amado, não ande nas ruas com o seu fuzilzinho M-16 ou AK-47 exposto ou segurado pelas mãos, ok? Senão os POLICIAIS FASCISTAS poderão achar que você está cometendo algum crime e atirar em você, mesmo você sendo um ótimo filho, um neto muito dedicado à família e à sociedade e um jovem que gosta de ajudar as crianças carentes do Terceiro Mundo com o fruto do seu duro TRABALHO DE PEDREIRO! Quando for para a aula ou para ajudar os necessitados, meu amor, leve apenas uma pistola na cinta, ok?”

    Mas fale com calma para não traumatizar a criança!

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *