Proposta enxuta da Previdência vai equiparar servidor com trabalhador privado

Resultado de imagem para reforma da previdência charges

Charge do Latuff (Arquivo Google)

Lisandra Paraguassu e Maria Carolina Marcello
Yahoo Notícias/Reuters

A nova proposta de reforma da Previdência vai manter a idade mínima, regra de transição até 2037 e equiparação entre o regime dos servidores e o regime geral da Previdência, e irá retirar a incidência da Desvinculação das Receitas da União (DRU) das receitas previdenciárias, diz o relator da reforma, deputado Arthur Maia (PPS-BA).

O texto da emenda aglutinativa, que substituirá a proposta aprovada na Comissão Especial, expurgará os pontos mais polêmicos, sairão as modificações previstas nos Benefícios de Prestação Continuada e das aposentadorias rurais.

TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO -Maia disse à Reuters que a intenção é que fique de fora na nova proposta também o aumento no tempo mínimo de contribuição, que iria dos atuais 15 anos para 25. No entanto, ainda existe resistência a isso na equipe econômica.

“Hoje o tempo mínimo de contribuição para a pessoa se aposentar com 65 anos é 15 anos de contribuição para o trabalhador urbano. Então a ideia seria manter isso”, disse Oliveira Maia, acrescentando que outra alternativa seria acabar com o acúmulo de pensões e aposentadorias.

“Tudo isso são propostas que estão sobre a mesa. Agora é possível fazer tudo? Não. Temos que eleger aquelas que são as mais importantes”, disse.

GRANDE VITÓRIA – De acordo com o relator, a reunião serve para ver o que “toca mais as bancadas”, mas o cenário no momento é de convergência.

“Se conseguirmos recuperar metade da economia que se imaginava no começo da reforma da Previdência será uma grande vitória”, disse o deputado.

A proposta que foi aprovada em comissão especial da Câmara, em maio deste ano, representava 76 por cento da economia inicial prevista pelo governo com a proposta original, que era de 800 bilhões. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, diz esperar que com a nova proposta essa economia não fique abaixo da metade da expectativa inicial. “Qualquer mudança que diminua o benefício fiscal (na reforma da Previdência) terá de ser compensada”, disse Meirelles.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Esta reforma está muito esquisita. O servidor público que ingressou recentemente já foi equiparado ao trabalhador da iniciativa privada, segundo a última reforma. As informações são contraditórias, no Brasil tudo é feito de forma bagunçada, chega a ser desanimador. É preciso que as coisas sejam claras, transparentes e exibidas à opinião pública com antecedência. Mas quem se interessa? (C.N.)

5 thoughts on “Proposta enxuta da Previdência vai equiparar servidor com trabalhador privado

  1. Já estão aumentando de 11 para 14%, sobre o bruto, a alíquota de previdência dos servidores. Para todos e mesmo estando aposentado vai continuar contribuindo, até o dia da morte. Se paga e sobre muito.
    Quem já entrou no serviço público a partir de 2012 já está enquadrado no teto da previdência. Qualquer coisa a mais é punir milhares de servidores que já ganham pouco. Quem deveria pagar mais deveria ser os altos salários da administração pública. Querem que os servidores desse país paguem o pato sozinhoas pela roubalheira dos políticos corruptos e maus gestores. Sejamos honestos, pois quem entrou no serviço público, não criou as regras, e teve que adequar a sua vida e a da sua família para viver assim. Nem pra iniciativa privada e nem pra publica se deve mudar as regras no meio do caminho. A velha mania do PT de jogar uns contras os outros para alcançar o seu intento continua no governo Temer, se qualquer análise e discussão mais apurada. A corja vai continuar mandando nesse país, criminosos no poder vão continuar dando as cartas e criando leis para nós?

  2. Bom tarde.

    Oh Sócrates!!!, injusto, justo, Sujeito (alma), justiça(verdade), o que devemos fazer ou não fazer?

    É por que aqui rasga-se a Constituição, como se fosse a carta de mamãe. Desculpe-me mãe.

    Quando Mourão, de uma vez por todas, deixarei de acreditar em suas palavras, diga-nos, caso seja assim, que está tudo dominado, e venha como Presidente do Brasil. Você é homem para este império adormecido e vilipendiado.

  3. Irão igualar?
    Legal, mas… irão igualar por onde?

    -Os servidores públicos terão agora FGTS ou o trabalhador privado terá o FGTS cortado?
    -Os servidores públicos terão um teto de pagamento de INSS ou o trabalhador privado terá que pagar o INSS sobre todo o salário?
    -Os servidores públicos poderão se aposentar sem terem contribuído como o trabalhador rural/privado ou o trabalhador rural/privado, que hoje se aposenta sem contribuição, terá que contribuir se quiser se aposentar?
    -Os servidores públicos deixarão de contribuir para a Previdência depois de se aposentarem, como é feito hoje, ou será o trabalhador privado é que pagara a Previdência mesmo depois de aposentado?
    -O patrão dos servidores públicos fará agora a contribuição patronal para a Previdência ou será o patrão do trabalhador privado que deixará de contribuir?

    Abraços.

    (PS: O Meirelles, realmente, deve entender de Previdência. Afinal, não tem como você ser um bom sonegador eficiente sem ter o conhecimento de pormenores desse assunto, conforme ficou demonstrado na sua administração da J&S)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *