Protestos populares em vários países nada têm a ver com comunismo ou com subversão

Resultado de imagem para protestos no chile 2019"

Os protestos são provocados pela desigualdade social

Pedro do Coutto

Reportagem de Daniel Avelar, na Folha de São Paulo de domingo, destaca os movimentos de protesto populares em vários países do mundo analisando-os sob o ângulo econômico social. Perfeita, a meu ver, a colocação principal no texto de página inteira, focalizando a subida dos termômetros que calculam sua legitimidade.

Digo eu o seguinte. Defender reformas sociais, que somente podem ser alcançadas através do desenvolvimento econômico, mantém infinita distância com o comunismo, sobretudo porque o comunismo no sentido de negar a propriedade individual e a livre iniciativa, começou a desaparecer em 1953 com a morte de Joseph Stalin.

NOVO FIGURINO – Uma coisa é o regime ditatorial que vigora hoje na Rússia, China, Coreia do Norte e Cuba. Tais regimes sufocam as populações com a falta de liberdade de expressão. Mas no caso da Rússia, o país hoje tem a presença de bilionários em suas fronteiras. A China também se enquadra no mesmo figurino.

Em matéria de liberdade, a Venezuela pode ser incluída entre as ditaduras, não há dúvida, pois o governo Maduro perdeu seu rumo há poucos anos. O que havia anteriormente e que se manteve com o fenômeno da guerra fria não tem mais lugar no pensamento de hoje. V

Vejam só um exemplo: em outubro de 2017 transcorreram 100 anos da Revolução Comunista. O presidente Putin deixou passar em branco qualquer manifestação sobre o fato que pertence à história universal e o jornalista americano John Reed foi o autor do livro “Os Dez Dias que Abalaram o Mundo”.

INTERNACIONAL – Houve um tempo em que a velha guarda comunista da então União Soviética propunha a internacionalização do comunismo. Esse foi inclusive o ponto de ruptura entre Stalin e Leon Trotsky. Houve a partir de 56 duas invasões soviéticas para manter o comunismo na Hungria e na Checoslováquia. Em 68 a invasão foi para derrubar o governo e sufocar a primavera de Praga.

A partir daí a ideia comunista foi se tornando numa impossibilidade para si mesmo. O capitalismo sempre que associado a liberdade, como a História comprova, e seguiu vencendo todos os cotejos que colocaram em confronto a força criativa do capital.

OUTRA REALIDADE – Atualmente o comunismo não inspira e muito menos lidera manifestações populares. Tais manifestações não trazem dentro de si a ideia de dividir bens em partes iguais. A ideia predominante do reformismo consiste apenas em valorizar os interesses do capital e do trabalho de forma mais justa do que continua acontecendo. hoje mais de 2000 anos depois da crucificação de Cristo.

Portanto, ir ao encontro dos princípios da liberdade não significa dar as mãos a comunistas que sobreviveram do passado até hoje. São muito poucos aliás. 

REFORMISMO – A ideia reformista é absolutamente livre de vinculações políticas, partidárias ou ideológicas. Nasce de um esforço para valorização do ser humano e de seu trabalho. Se ser esquerdista é ser reformista, devo assinalar que na lente de aumento dos que assim pensam não cabe de forma alguma a encíclica Mater et Magistra do Papa Joâo XXIII. Impossível, portanto, a classificação da esquerda radical a um documento que acentuou um ponto firme e eterno: os seres humanos têm que se realizar tanto na terra como no céu. A encíclica é do final dos anos cinquenta. 

Será que os conservadores da atualidade classificariam o Papa João XXIII como esquerdista? E o Papa Francisco que brilhantemente defende o combate a miséria e a opressão do poder contra seres humanos? Não acredito.

O reformismo busca apenas a valorização do trabalho e o respeito à existência humana na face da terra. A realização tem de valer tanto na terra quanto no céu. Amém.

21 thoughts on “Protestos populares em vários países nada têm a ver com comunismo ou com subversão

  1. Daí vem um vagabundo que nunca pegou pesado na vida, sintetiza todo o sofrimento do povo rotulando-o de esquerda, ameaçando-o dizendo-lhe que se radicalizar como radicalizou no Chile, vai tomar no U com novo AI-5. Vale dizer, o povo não pode nem reclamar mais das suas dores, tem que morrer igual carneiro, calado e chorando, porque se sair às para gritar saiam de cima das nossas costas FDP, não aguentamos mais os vossos pesos nas nossas costas, então ele, povo indignado com a patifaria política, é de esquerda, direita ou centro, tal qual rotulado por um dos seus pseudos representantes. Até onde vai essa demência ?

  2. E o que dizer da encíclica Rerum Novarum, do Papa Leão XIII , ” sobre a condição dos operários (em português, “Das Coisas Novas”) é uma encíclica escrita pelo Papa Leão XIII em 15 de maio de 1891. Era uma carta aberta a todos os bispos, sobre as condições das classes trabalhadoras. em que as ideias distributivistas de Wilhelm Emmanuel von Ketteler e Edward Manning tiveram grande influência na sua composição.

    A encíclica trata de questões levantadas durante a revolução industrial e as sociedades democráticas no final do século XIX. Leão XIII apoiava o direito dos trabalhadores de formarem sindicatos, mas rejeitava o socialismo ou social democracia e defendia os direitos à propriedade privada. Discutia as relações entre o governo, os negócios, o trabalho e a Igreja.

    A encíclica critica fortemente a falta de princípios éticos e valores morais na sociedade progressivamente laicizada de seu tempo, uma das grandes causas dos problemas sociais. O documento papal refere alguns princípios que deveriam ser usados na procura de justiça na vida social, económica e industrial, como por exemplo a melhor distribuição de riqueza, a intervenção do Estado na economia a favor dos mais pobres e desprotegidos e a caridade do patronato à classe operária.

    A encíclica veio completar outros trabalhos de Leão XIII durante o seu papado (Diuturnum, sobre a soberania política; Immortale Dei, sobre a constituição cristã dos Estados e Libertas, sobre a liberdade humana) para modernizar o pensamento social católico e da sua hierarquia. ” Elle$ sabem que a indignação social não tem nada a ver com comunismo, esquerdismo e o raio que o parta, mas elle$ usam os rótulos, comunismo, esquerdismo, separatismo…, malandramente, de má-fé, como álibi, como instrumento de estigmatização da indignação social, apenas para conservar o estado de podridão que, em sã consciência, ninguém aguenta mais.

  3. Aiiiiinnnnn, esse artigo é mentiroso!!!!!!!!! Aiiiiinnnn, foi o Foro de São Paulo, em conjunto com agitadores russos e globalistas a serviço de George Soros, que colocaram um milhão e duzentas mil pessoas no Chile!!!!!!!!!!!!!!!! E tudo com a intenção de destruir os valores da civilização judaico cristã e escravizar a população do Ocidente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    (Escrito em MODO BORXONETE/OLAVETE BABACA CONSPIRACIONISTA)

    • EM TEMPO:

      Ainnnnnn, esqueci de dizê que esse um milhão e duzentas mil pessoas que foram às ruas no Chile são tudo terrorista!!!!!!!!!!!!!!!!!

      (Escrito em MODO BORXONETE/OLAVETE BABACA CONSPIRACIONISTA)

  4. Que comentário esclarecedor! Os populistas conservadores falam sempre em esquerdismo, como forma de amedrontar o povo. Assim como: Se vocês não estão satisfeitos, então é porque querem a volta da “esquerda” em 2022. Esse discurso ainda mantém os votos da mentira.
    Lula e o PT nunca foram de esquerda, que não existe mais desde a implosão da URSS( União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Gorbachov foi o último presidente comunista.
    A China não é comunista há muito tempo, na verdade desde a morte de Mao Tsé Tung. Hoje, a China é um país capitalista na economia e ditadura ferrenha na política. Lembrem-se do massacre na Praça da Paz Celestial e agora, na duríssima repressão aos manifestantes de Hong Kong.
    Por falar em repressão, tanto os liberais, os conservadores e os ditos progressistas, quando o povo sai às ruas para protestar, é bala e bomba para cima dos manifestantes. No Chile, a polícia e o Exército chileno já cegaram mais de 25 jovens manifestantes, com tiros de bala de borracha. Nada diferente do que aconteceu na Venezuela, no Equador, no Chile e nesta semana na Bolívia, o próximo país da América do Sul que está entrando em grave crise política e econômica. Esperem quando o povo argentino for para às ruas e provavelmente irá, pois a situação econômica deixada pelo governo Maurício Macri é desastrosa. O povo só sai às ruas, quando o estomago começa a pedir água e comida. Com a barriga vazia, quem consegue se manter em pé?
    Os empresários precisam ter em mente, que não se pode ir muito fundo na acumulação capitalista e do lucro exacerbado. Alguma coisa deve ser distribuída para as classes trabalhadoras. Tirar todos os benefícios sociais pode-se configurar como jogar gasolina no fogaréu da insatisfação social.

    • Perfeito, xará!

      Muitas borxonetes ficarão com as orelhas rubras e a face em brasa ao ler seu comentário!

      Populistas conservadores e seus asseclas viraram, na prática, proxenetas do esquerdismo, comunismo, socialismo, Lula, e PT. Precisam manter essas entidades muito vivas nas mentes dos otários e ignorantes. Literalmente vivem delas! Fizeram delas um meio de vida e sobrevivência! Alimentam constantemente o medo da volta do comunismo para sua própria sobrevivência. Sem comunismo, Lula e PT, o bolsonarismo não é nada. Por isso presisam do Lula como unidade de comparação ao bolsonarismo.

      • Aí vem a borxonete zurrar assim:

        “Aiiinnnn, bom mesmo era o Lula!!!!!!”

        Resposta: Não, quadrúpede! Lula não era bom não! É por isso que ele tá preso e o poste dele perdeu a última eleição!

        O LULA TÁ PRESO, SEUS BABACAS!!!!!!

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk x

  5. Não existe comunismo mais, é tudo mentira.
    Vamos reaproveitar Lula para colocar tudo conforme deveria ser.
    A história é muito mentirosa, Cuba está aí mesmo pra provar o contrário.
    Esse povo não tem a boca torta pois nunca usou cachimbo.
    A sacanagem começou com com Kruschev que desestalinizou a Mãe Branca, urge agora via $talinácio reestalinizar.

  6. Respeitosamente quanto aos comentários que li nesta página, então deveremos abolir de vez a esquerda e a direita?

    Tendências políticas que existem apenas como terminologia para quem está no governo e quem está de fora?

    Nenhum regime econômico é culpado pela miséria e pobreza?

    Alimentos racionados na União Soviética, Cuba, China, antes de sucumbir ao capitalismo, a fome, o genocídio, então não foram por culpa do comunismo e /ou socialismo ou da esquerda?

    O mesmo significa à direita ou não?
    Ou é só o capitalismo o culpado pela miséria, pobreza, fome, desemprego, endividamento da pessoa?!

    A revolta popular quando acontece é somente por causa da barriga roncando?!

    Credo, mas que disgnóstico simplório foi dado aos problemas sociais, políticos e econômicos repentinamente!

    Mas de onde vem a pobreza e a miséria?
    Por gosto pessoal ou através de regimes políticos e planos econômicos?

    Os milhões que morreram de fome na União Soviética, na época de Stalin, o mesmo na China, a pobreza franciscana do povo cubano, o mesmo com o coreano do norte, no Camboja, Laos, que sequer ouvimos falar dessas nações … nada a ver com o comunismo e a política econômica igualitária a todos, menos, evidentemente, às “chefias”??!!

    Se a direita ou a esquerda, se o comunismo e o socialismo não são culpados pelas atrocidades que aconteceram nesses últimos 120 anos, quer dizer que a culpa é só do capitalismo??!!

    Ora, ora, mas a China, a Rússia, o Vietnã, deixaram de ser países miseráveis justamente porque adotaram o capitalismo para se desenvolver e, ao mesmo tempo, esse sistema é o culpado pelo que de ruim acontece no mundo??!!

    Pelo amor de Deus, meu caro Roberto Nascimento, a quem admiro e reverencio pelos seus artigos e comentários, então é só a direita que cai de pau em cima dos que protestam por melhores condições sociais???!!!

    A pobreza e a miséria na União Soviética, China e Cuba, protagonizadas por décadas de comunismo e socialismo não deixaram esses povos à míngua por que o responsável foi o capitalismo?
    Por acaso, os governos de esquerda, que dizimaram milhões de compatriotas, que ultrapassam CEM MILHÕES de pessoas na Rússia e China foram causados pelo capitalismo??!!

    Quer dizer que a esquerda nunca teve erros?!
    Lula – quanta retórica inócua para dizer que o PT nunca foi de esquerda, em agressão à inteligência alheia, de modo a eximi-la de suas culpas, mentiras, roubos e explorações que cometeu quando no governo -, o ex-presidente era de direita???!!!
    PT, PCdoB, PCB, PSOL, PDT, enganaram o povo, pois era de direita???!!!

    Então como vou acreditar em Ciro Gomes, se a sua intenção maior, o seu objetivo primordial quando candidato à presidência era de unir “as esquerdas” em torno do seu nome, INCLUINDO OS PARTIDOS QUE CITEI, Ciro mentiu desavergonhadamente?

    Essas siglas não são de esquerda, mas uma direita dissimulada, camuflada, falsa?!
    Mas é muito exercício de imaginação para se mudar a verdade, a realidade tanto nacional quanto estrangeira, que a esquerda sempre foi excepcional, legítima, que sempre quis o bem para o povo, que sempre lhe garantiu liberdade, direitos de ir e vir, alimentos, fartura, estabilidade jurídica, social … MAS QUE AINDA NÃO FOI UTILIZADA POR NAÇÃO ALGUMA E GOVERNO NENHUM NESSE MEIO TEMPO, SEQUER NA UNIÃO SOVIÉTICA,CHINA, CUBA, CORÉIA DO NORTE, LAOS, CAMBOJA, VIETNÃ ….é isso?!

    Quer dizer que a oposição a Bolsonaro não é da esquerda, mas de uma direita insatisfeita com ela mesma??!!

    Che, por favor, pensem antes de postar certas afirmações não só incoerentes quanto ilusórias, enganosas, que até acredito serem publicadas por desconhecimento, jamais por má fé, pois conheço os comentaristas e sei sobre suas honestidades de propósito neste blog.
    Mas precisam considerar a história, os fatos, os acontecimentos, e não saírem divagando contra isso ou aquilo, de modo a isentar a esquerda e sua ânsia de retomar o poder a qualquer custo, e de apagarem dos registros os males que esta política praticou, desde que o mundo assistiu a Revolução Russa, em 1917, e que mudou o mundo a partir daquela data, incluindo ser uma das causas da Segunda Guerra, e outras que surgiram após o maior conflito da Humanidade em todos os tempos!

    Abração a todos.

  7. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO analisa Protestos Populares pelo Mundo e afirma que eles nada tem a ver com Comunismo ou com Subversão.

    E esses Protestos Populares aconteceram/acontecem em Economias Ricas, desenvolvidas como EUA ( Tea Party, Occupy Wall Street, etc) , na França ( Coletes Amarelos), no Reino Unido ( Brexit, pois sair da União Europeia é sinal de que a coisa não estava boa ), etc, e nos Países em Desenvolvimento como Argentina no passado, Brasil há pouco tempo, e agora no Chile, o País mais Rico perCapita da America do Sul, com os melhores Índices Macro-Econômicos (Inflação, Câmbio e Equilíbrio Fiscal e que tem Baixa Dívida Pública de +- 25% do PIB).
    Os casos de Venezuela, Equador, Bolívia são mais simples de explicar porque são Economias de péssimos Índices Macro-Econômicos, mas os outros não.

    Embora a Desigualdade Social freie o Desenvolvimento Econômico por falta de Demanda (Consumo), não parece ser a Causa principal.
    A Causa Principal parece ser um sentimento difuso de FALTA DE PERSPECTIVAS DE MELHORIA no Padrão de Vida Média do Povo no Futuro.
    Na média, os Filhos por mais que estudem e se esforcem, NA MÉDIA, sentem que não terão o Padrão de Vida dos Pais.
    Isso tudo tem a ver com o fim do Comunismo da URSS (1980), ( Propriedade Estatal dos Meios de Produção e Plano Central Dirigente) que fazia contra-ponto ao Capitalismo (de Mercados com Propriedade Privada dos Meios de Produção), com a GLOBALIZAÇÃO, e especialmente com a maioria da Economia passando de Industrial para FINANCEIRA.

    Num Mundo mais complexo e inter-conectado há uma INCERTEZA muito grande em tudo, e o Cidadão Médio se sente Inseguro e sem confiança em melhorar de Vida.

    Esse é o grande desafio da Política com P maiúsculo, que temos que enfrentar.

  8. Percival Puggina
    49 min ·
    CANDENTES APELOS À VIOLÊNCIA REVOLUCIONÁRIA NA UERJ

    Organizado pelo jornal Nova Democracia, tendo por tema Balanço das lutas de 2019 e perspectivas: Sob um ponto de vista revolucionário, ocorreu no dia 22 de outubro um evento no auditório da UERJ.
    Grande destaque dado a Vladimir Safatle, filosófo professor da USP que discursou contra a conciliação e pela revolução. Destaque, também, para um palestrante que afirmou estar o povo “sedento de passar a faca em todos os seus inimigos”.

    https://youtu.be/2Z8qegIM75M

  9. Esquerda e direita hoje em dia não tem o mesmo sentido de antigamente. Há muitas misturas de ideologias.
    A direita atualmente é aquela ideologia que abriga os conservadores, principalmente de costumes.
    Em economia, a direita é caracterizada pelo neoliberalismo. Menos direitos sociais às pessoas, as desigualdades sociais são vistas como normais, os privilégios às elites são vistas como necessárias, o meio ambiente não é relevante. O nacionalismo se faz presente (pelo menos quando se trata de símbolos). A meritocracia é a mais importante na ascensão do individuo..
    O Estado mínimo é o objetivo.
    Parte do princípio que o ser humano é mau por natureza.

    A esquerda se caracteriza por ser mais liberal em costumes.
    Na economia por mais direitos sociais, pela luta à redução das desigualdades sociais, pela redução de privilégios da elite, pela preservação do meio ambiente.
    A busca por aproximar a igualdade de oportunidades é outra característica.
    O Estado relevante é o objetivo.
    Parte do princípio que o homem é bom por natureza.

    No Brasil não temos essa divisão clara.. Há uma mistura de características.

    Eu, por exemplo, sou ambidestro. Gosto de muitas coisas que são características da esquerda e outras que são características da direita.
    Para mim, o homem em princípio é mau por natureza.
    Também acho que as leis devem ser endurecidas.
    Mas gosto de uma política econômica que reduza as desigualdades.
    Quanto aos costumes, acho que cada qual com suas escolhas,
    Quanto à meritocracia, para mim só é válida se as chances são iguais.

  10. Como dizia o filósofo espanhol Ortega y Gasset: “Ser de esquerda é, como ser de direita, uma infinidade de maneiras que o homem pode escolher de ser um imbecil: ambas, com efeito, são formas de paralisia moral.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *