Protestos sem razão

Carlos Chagas

Sexta-feira, três presenças no Senado: um senador que presidia, outro que assistia e um terceiro que discursava. Randolfo Rodrigues na direção dos trabalhos, Ana Amélia ouvindo e esperando a vez para ocupar a tribuna, Paulo Paim com a palavra, magoado, tentando demonstrar que o Senado cumpria sua missão e que a imprensa era injusta e maldosa em suas aleivosias pelo abandono de suas obrigações pelo Legislativo. Enquanto isso a TV-Senado mostrava os três senadores em imagem fechada, ignorando qualquer plano aberto, ou seja, sem divulgar o vazio constrangedor do plenário.

 Falando sozinho…

Com todo o respeito, essa sessão matutina da Câmara Alta comprovou uma vez mais as críticas que a mídia vem fazendo desde muito: que o Congresso aproveita para cruzar os braços não apenas nos feriados que prolongamos, como no Carnaval, mas todos os dias da semana, à exceção das tardes das terças-feiras, nas quartas e nas manhãs de quinta. Importa menos que Randolfo, Ana Amélia e Paim desdobrem-se todos os dias, até alegando terem apresentado centenas de projetos em 2012, recebido prêmios de presença, promovido audiências variadas às segundas-feiras e discursado sobre todos os assuntos, desde a previsão do tempo às medidas adotadas pela polícia para evitar desastres nas rodovias, como se verificou dois dias atrás.

A verdade é que três senadores não exprimem o Senado. Diziam nossos avós, que “três andorinhas não fazem verão”. Estavam certos, porque são 81, a maioria dedicando poucos compromissos às suas funções. Na Câmara será igual ou pior, pois nem existem como regra as sessões das sextas-feiras pela manhã. Ainda agora, depois de escolherem seus novos dirigentes, os deputados decidiram não votar coisa alguma até o dia 28, mandando-se todos para os estados. Sem o orçamento, nem os vetos presidenciais nem as medidas provisórias. E como se trata de uma quinta-feira, há quem aposte que só na terça-feira seguinte, 5 de março, Suas Excelências estarão a postos.

SAINDO DA GELADEIRA?

Comentário do senador Aécio Neves feito antes de deixar Brasília: “O governo que se prepare, porque vamos voltar quentes depois do Carnaval”. Não buscando a geladeira, muito pelo contrário, o ex-governador certamente aproveitará esses dias para relaxar, pensando muito pouco ou quase nada em sua candidatura presidencial. Mas seria bom que esquentasse suas pretensões, junto com os tamborins.

Dilma Rousseff está em campanha, Eduardo Campos ameaça começar e Marina Silva já decidiu que seu partido não se chamará partido, mas frente. Está na hora de os tucanos prepararem seu plano de vôo.

COMO TRATAR OS MONSTROS?

Alerta o sempre vigilante Pedro Gomes, do alto de seus oitenta anos e de sua clarividência cada vez maior, para a necessidade de o poder público agir cirurgicamente contra os vândalos que, agora em Santa Catarina, dedicam-se a queimar e depredar veículos, especialmente ônibus. Para o veterano jornalista, são monstros que devem ser tratados como monstros.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *