Próxima pesquisa é decisiva, porque pode definir quem será a terceira via

Resultado de imagem para promessa eleitoral charges

Charge do Pelicano (Arquivo Google)

Carlos Newton

O maior problema dos analistas políticos é a racionalização. Em época de eleições, tenta-se encontrar justificativa racional para tudo, o que é uma grande perda de tempo, porque a grande maioria dos eleitores quase sempre age de forma totalmente irracional.  É por isso que se diz que não se deve discutir política, futebol e religião, porque falta racionalidade.

No caso da política brasileira, realmente é a mais indecifrável do mundo, fato comprovado pela desistência dos chamados “brazilianistas”, como chamávamos os acadêmicos estrangeiros que se dedicavam à nobre arte de entender a política brasileira. Ou morreram de desgosto ou abandonaram a lide, não se encontra mais ninguém.

EXOTISMO – Na atual eleição, temos o favoritismo de duas candidaturas verdadeiramente exóticas. Uma delas tenta reviver o passado militarista, enquanto a outra sonha em fortalecer o grupo político que institucionalizou o maior esquema de corrupção do mundo, vejam como as coisas são complicadas por aqui.

O editor da Tribuna da Internet considerava que tanto Jair Bolsonaro quanto Lula da Silva eram candidaturas que tinham prazo de validade e um teto de crescimento que impediria a vitória deles. Seriam suplantados por uma terceira via, especialmente por um candidato que não fosse político profissional, digamos assim.

Mas as coisas mudaram muito: Lula da Silva foi preso, não conseguiu ser candidato; Bolsonaro levou um atentado a faca, teve hemorragia interna e quase morreu; e a terceira via até agora não deu o ar de sua graça.   

MUDOU TUDO – Era sabido que Bolsonaro tinha teto, porque sofreria rejeição de mulheres, negros e antimilitaristas, além do público LGTB. Mas a facada criou um clima favorável a ele. Mudou tudo. Lula também tinha teto, porque jamais passou de 20% nas pesquisas espontâneas. Mas Haddad não é Lula, rapidamente alcançou o teto que o editor da TI imaginava, na sua vã filosofia.

No início da semana passada, foram divulgadas três pesquisas mostrando o crescimento da dupla Bolonaro/Haddad, mas ressalvando que entre 43% a 45% dos eleitores continuavam indecisos ou decididos a votar branco ou nulo. Além disso, as pesquisas indicavam também que um terço dos eleitores que já escolheram candidato poderia mudar de voto, vejam que esculhambação. E isso significa que a terceira via, imaginada lá atrás, de repente poderia até ser viável. Mas até agora, nada.

###
P.S. –
Cadê a pesquisa espontânea, que é a mais importante. Certamente será divulgada nesta terça-feira. A gente quer saber se os indecisos, brancos e nulos ainda continuam vencendo a eleição. (C.N.)

26 thoughts on “Próxima pesquisa é decisiva, porque pode definir quem será a terceira via

    • O ideal seria Bolsonaro vencer no 1º turno pro Brasil Jair economizando.

      Senão a fatura será adiada por 1 mês e então teremos o Messias presidente !

  1. Olha a fraude explícita do ibope.
    Não aparece o Paraná na análise da pesquisa:
    “Bolsonaro lidera em 13 estados e no DF (Acre, Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo);
    Haddad lidera em sete estados do Nordeste (há empate técnico entre Haddad e Bolsonaro em Alagoas; no Ceará, onde Ciro Gomes liderava em agosto, a nova pesquisa ainda não foi divulgada);
    Bolsonaro e Haddad empatam tecnicamente em Tocantins;”
    Também não aparece no gráfico por estado. É ´so conferir:
    https://g1.globo.com/politica/eleicoes/2018/eleicao-em-numeros/noticia/2018/09/24/pesquisas-ibope-nos-estados-veja-evolucao-da-intencao-de-voto-para-presidente.ghtml

    E ainda dizem que o Bolsonaro cresceu em todas as regiões: SE 28 p/ 31, NE 16 p/ 17, CO+N 32 p/ 33, menos no Sul aonde caiu de 38 p/ 30. No sul? E cadê o Paraná na pesquisa?
    Segundo o ibopeshop ele tem no RS 35% e em SC 40%. Falta o PR. Mas como é possível ele ter 30% no total da região SUL? Matemáticamente impossível. Para isso acontecer ele teria que ter em torno de 20% no PR que significa cerca de 1/3 do eleitorado do sul. Mostrem os números do Paraná! Torturaram os números e acabaram matando a pesquisa. O Ibope tem um Herzog matemático na mão.

  2. Não posso concordar quando o editor C.N. cita que quem apóia Bolsonaro apóia a volta do regime militar. A imensa maioria dos eleitores de Bolsonaro enxerga nele a única via capaz de expulsar de uma vez por todas A PTralhada que institucionalizou a a cleptocracia no pais e colocaram a nação de joelhos. Ao se ver Haddad fazer campanha para Renan Calheiros fica evidente que é a luta pela retomada do poder. Se vai ser bom ou ruim é outra história, mas só a possibilidade de ver a PTralhada e os partidos chapas branca comandados pelo PMDB e PSDB longe da gestão direta é um sopro de esperança.

  3. Ameaçada, Marília Mendonça exclui vídeo da campanha #EleNão e pede paz

    A gente pede encarecidamente paz. Não posso opinar já que não sei o que o Brasil precisa. Tá na mão de vocês galera! Boa sorte a todo mundo! Que Deus nos abençoe.

    https://goo.gl/Xm5k13

  4. Amanhã será divulgada a pesquisa do Instituto Paraná / Crusoé / O antagonista infinitamente mais serio e isento.

    Ibope e Datafolha ===> não irei perder mais meu com eles e comentar suas fraudes estatísticas.

    • Eu também não iria perder tempo com o ibopeshop. Mas quando vi que DELETARAM o Paraná da pesquisa na cara dura não resisti em analisar a mancada. E os “especialistas” não viram isso? Um estado não aparece? Sumiu e pronto? Sem números para ele? E no SUL é a única região que Bolsonaro caiu? E ainda por cima 8 pontos? Não dá para ficar quieto pois os outros institutos também não são completamente idôneos.

      • O site O Antagonista tem milhões de acessos diários.

        O que for postado lá tem 1000 vezes mais influência que o Jornal Nacional e suas safadezas.

        Podem mentir e trapacear mas os tempos são outros.

        Amanhã vamos ao site O Antagonista e ver a nova pesquisa da Paraná.

        • Claro Eduardo, mas o jornal hoje fica ligado em todos os restaurantes do país e as pessoas observam de passagem. O que falam parece verdade e é isso que querem, preparar a fraude.

          • O que falam não convence mais ninguém, pois a verdade verdadeira está na vida das pessoas: desemprego, violência, precariedade na educação saúde, serviços e etc.

            No dia 07/10 teremos a resposta.

  5. Uma curiosidade: Os EUA entre 1948 e 1951 gastou pouco mais de US$ 13 bilhões para a reconstrução de 19 países da Europa. Esse valor corrigido totalizaria hoje cerca de US$ 100 bilhões, o equivalente a R$ 315 bilhões. O BNDS entre 2008 e 2014 emprestou R$ 400 bilhões, com imenso percentual desses empréstimos destinados ao empresariado campeão nacional e a obras de infraestrutura nas nações irmãs da ideologia PTralha. A Europa foi reconstruída e aqui?

  6. “O editor da Tribuna da Internet considerava que tanto Jair Bolsonaro quanto Lula da Silva eram candidaturas que tinham prazo de validade e um teto de crescimento que impediria a vitória deles. Seriam suplantados por uma terceira via, especialmente por um candidato que não fosse político profissional, digamos assim.” A sua análise me parece correta, e compatível com o são sentimento político compartilhado com a grande maioria da população que saiu às ruas, massivamente, em Junho de 2013, e que até hoje, esperam pela Terceira Via de Verdade. O problema continua sendo combiná-la com os russo$ e americano$ do $istema político podre . E daí, partidos, cadê a Terceira Via de Verdade, o Carlos Newton e a maioria do povo brasileiro querem saber por que vocês a estão cercando desde 2010, como, aliás, já disse o candidato Álvaro Dias, que tb a espera há muito tempo, mas não se dignou colocá-la na cena eleitoral, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, que tem tudo para surrar nas urnas o velho continuísmo da mesmice que já morreu, mas que, nem morto, dá espaço para o novo de verdade surgir e se estabelecer.

  7. Se houver segundo turno Jair Bolsonaro prefere enfrentar o Lula (Haddad).

    Lula e Haddad, fizeram sacanagens Municipais, Estaduais, Federais e Internacionais, eis alguns singelos exemplos:

    A destruição da economia via roubalheira da Petrobrás = Milhões de desempregados.

    A criação de dezenas de estatais inúteis para alojar apaniguados inúteis com bilhões/ano de prejuízo ao Brasil.

    Imaginemos se ele mostra o vídeo do caso Champinho que torturou, seviciou e matou um casal de namorados, com a Maria do Rosário do PT defendendo o facínora e chamando Bolsonaro de estuprador?

    E se mostra o “Kit Gay” criado para sexualizar crianças a partir de 6 anos transformando as escolas num celeiro de pedófilos?

    E o Sapo Criminoso em gravação desprezando as mulheres com baixarias do tipo “grelo duro”, sem falar na “fábrica de viados” de Pelotas?

    E se ele apresentar o porto de Mariel em Cuba e os bilhões torrados e perdidos para favorecer um assassino bárbaro como Fidel Castro e empreiteiras corruptas?

    E a distribuição de dinheiro brasileiro para a Bolívia e Peru construir estradas para facilitar o envio de drogas ao Brasil?

    E a situação calamitosa da Venezuela vendo seu ditador comer churrascada de U$ 1000 enquanto seu povo come lixo podre. Lula e Dilma participaram diretamente do empoderamento de Chaves e Maduro. Haddad declarou recentemente que a Venezuela é uma democracia exemplar.

    E os escândalos do Tríplex e o Sítio de Atibaia?

    E os ataques ao Juiz Sérgio Moro e a Justiça brasileira?

    E se contabilizar todos os líderes petistas sendo presos por roubo do dinheiro do povo?

    E o assassinato de Celso Daniel?

    Haddad arrasou e detonou a cidade de São Paulo em todos os setores.

    E as absurdas ciclovias de São Paulo?

    E se fizer uma comparação entre a Dilma e o novo Poste?

    Pela grandeza e amplitude da destruição é muito melhor e fácil enfrentar o PT, Lula e seu Poste.

  8. Eduardo RJ, José Augusto Aranha e Alex Moura, realmente há uma desmoralização total desses institutos de pesquisa (Ibope e DataFolha), pelo que eles divulgam.

    Gostaria de saber suas opiniões sobre este meu comentário:

    Essas pesquisas estão erradas pelo seguinte motivo (óbvio): nenhuma delas reproduz exatamente o modo pelo qual o eleitor irá chegar ao voto para presidente diante da urna eletrônica.

    Para poderem chegar ao voto para presidente, terão que apertar antes em várias teclas, passando, nessa sequência, por votos para deputado federal (4 números + tecla confirma), deputado estadual (5 números + tecla confirma), 1º senador (3 números + tecla confirma), 2º senador (3 números + tecla confirma), governador (2 números + tecla confirma).

    Só depois desses 22 toques é que se conseguirá chegar ao voto para presidente.
    Ninguém vai dizer (falar) para a urna: “eu voto para presidente em ….”.

    E também não estarão ali “disponíveis” na urna a exibição simultânea, na tela, dos “nomes” de todos os candidatos a presidente, para que o eleitor selecione o de sua escolha.

    É por isso que a pesquisa chamada espontânea (em que o pesquisado é que tem que dizer, sem lista de nomes lhe sendo apresentada, qual seria o seu voto) é a que se aproxima mais da realidade.

    Porém, também padece desse erro de não apresentar a mesma forma como será o voto na urna eletrônica: 22 toques até se poder chegar à fase para digitar o “NÚMERO” (que nem é apresentado nessas pesquisas) do candidato a presidente.

    As pesquisas não medem a “capacidade” de se chegar corretamente, na digitação na urna, até o voto (número) para presidente.

    Por isso, os eleitores menos capazes, que se situam em baixas faixas de renda e de formação escolar, predominantes nos que desejam votar no candidato do PT, acabam não chegando até o final (voto para presidente), podendo apertar a tecla do voto em branco (que é de fácil acesso), ou números quaisquer mais a tecla confirma (voto nulo).
    D
    aí, passa a existir o problema da possibilidade de fraude mais fácil, em que votos nulos ou em branco podem ser “programados” num determinado “percentual” destes, antes da etapa de totalização no TSE, para apontarem para um ou outro candidato, principalmente no caso de presidente, pois é o único caso da parte dos votos que estará em todas as urnas do Brasil, já que os demais (deputado federal, deputado estadual, senador, governador) são específicos para cada estado.

    As acusações de fraude na eleição presidencial de 2014, que deram a vitória à Dilma, foram exatamente baseadas nesse tipo de manipulação possível antes da totalização final dos resultados.

    • Caro Zorro

      Temos que lidar com a realidade imposta pelo STF Bolivariano, não tem jeito.

      A meu ver a fraude se houver se dará na totalização dos votos em Brasília e não nas urnas não auditáveis.

      De todo o modo nada poderemos fazer além de torce e para quem tem fé rezar.

  9. 800 pessoas em 27 capitais ou seja: 30 pessoas por capital. E mais: divididas por 5 classes sociais ( A a E – segundo o IBGE). 6 por classe social. Em cima desta micro parcela está a tendênvia de 140 milhões de eleitores.

    Vão peidar na água para ver se sai borbulha!!!

  10. Infelizmente o editor também, como bom brasileiro que é, não consegue, como todos ou quase todos nossos jornalistas, controlar as emoções e, vez ou outra, deixa-se levar pelas convicções em detrimento de fatos, que o obrigariam a um esforço maior para fazer uma análise mais profunda e sensata da realidade.
    Ele até confessa : ” considero….”
    A tal “terceira via”, que ele menciona o deixa também fora da realidade, visto que aqui neste país só existe a esquerdinha no comando da política, que nos levou ao atraso e a miséria (40 milhoes sem emprego) .
    O que está havendo nestas eleições é uma segunda via, ou parece sê-la, com propostas de uma alternativa de transformar o país numa democracia capitalista.
    Capitalista mesmo, como os países desenvolvidos, coisa que o Brasil nunca foi

  11. A MATEMÁTICA É UMA CIÊNCIA EXATA. Ciro X Haddad vem ai ? Bolsonaro, conforme última pesquisa IBOPE, ao que parece, começou a sofrer o efeito Celso Russomano em SP, em eleições à Prefeitura, saiu na frente fazendo pose de vencedor, dando pinta de que venceria a eleição até no primeiro turno, mas na reta final deste abriu o bico, deu ciranda cirandinha, bambeou as pernas, foi pro saco, não foi nem para o segundo turno. A direita, que quer derrotar o lulopetismo, não é boba, já viu que Bolsonaro perde para qualquer um no segundo turno e já começou a pular fora dele, começou a migrar para Ciro Gomes, de modo que de repente o segundo turno será muito mais eletrizante do que muita gente está pensando, e poderá ser entre Ciro X Haddad, uma revanche de centro-esquerda entre Brizola X Lula. A matemática é uma ciência exata, e só os cabeças de bagre lutam contra ela. Há algum muito tempo o Brasil acordou e descobriu-se um país de esquerda, ou daquilo que se convencionou chamar de esquerda, tendo em vista que no mínimo 70% da população, consciente ou inconscientemente, é de esquerda, naturalmente, ou centro-esquerda, por razões óbvias e ululantes, a medida em que 95% do seu povo não tem a quem reclamar e 5% não tem do que reclamar. Num cenário desse, é natural as pessoas serem de esquerda, ou centro-esquerda, consciente ou inconscientemente. Logo, candidatos do tipo Bolsonaro , de extrema direita, via urnas, não têm mais condições de serem eleitos para presidente, matematicamente falando. E os números não mentem, vide rejeição.

  12. Não vejo grandes mistérios no quadro eleitoral. Bastava observar a realidade chã. O petismo se alimenta da popularidade de Lula, e o bolsonarismo da descrença no sistema.

    Desde o início foi previsível o avanço do PT, fosse quem fosse o candidato, dada a máquina de propaganda do partido.

    As intenções de votos em Haddad consistem basicamente dos satisfeitos com a era lulista, dos beneficiados com o assistencialismo governamental, dos que tiveram algum ganho econômico temporário na onda do crescimento alimentado pela alta das commodities, dos intelectuaizinhos doutrinados nas universidades, dos que trabalham para os campeões nacionais financiados pelo BNDES.
    Além disso, esta é uma eleição de vida ou morte para o PT, que precisa assegurar sua posição entre as principais forças políticas do país. Isso é mais importante para o PT até do que ganhar a eleição. Se disputar o segundo turno e perder, mesmo para Bolsonaro, o PT garante seu lugar de cabeça da oposição. Mesmo isso seria melhor para o PT do que se retirar e ficar por atrás de um Ciro Gomes, como sugeriam os pretensos entendidos da política nacional. Se fizesse isso, o PT perderia seu protagonismo e ficaria um partido igual aos outros, um MDB pintado de vermelho.

    O eleitorado do Bolsonaro consiste principalmente de votantes conservadores que votaram no PSDB a contragosto nas últimas quatro ou cinco eleições presidenciais, e que deseja algum tipo de mão firme contra a corrupção e a criminalidade. Era o tipo de eleitor que em São Paulo votava no Maluf e seu slogan “A Rota vai pra rua”.

    Pessoalmente, cheguei a duvidar que a candidatura do Bolsonaro fosse adiante, não porque fosse desprovida de apelo popular, mas pela sua rejeição pelo sistema político, haja vista a longuíssima novela da escolha de seu vice. Pensava que seria a falta de dinheiro para campanha e de apoio partidário para montar uma chapa o levariam a desistir da candidatura à presidência.

    De resto, a campanha de Bolsonaro se alimenta da desilusão com o sistema político e da rejeição ao onipresente discurso politicamente correto da mídia.

    Nunca houve nem há espaço para a terceira via tão sonhada pelos analistas políticos. O país está dividido entre petismo e antipetismo e este último se voltou para Bolsonaro porque este lhe encarnou melhor o espírito.
    As propaladas terceiras vias tão anunciadas e festejadas pelos comentaristas políticos desde 2017 eram todas irrealistas. O Joaquim Barbosa é odiado pela esquerda por ter condenado José Dirceu, e perdeu o respeito dos antipestistas quando se aposentou do STF. com votos de quem ele se elegeria? A candidatura do Luciano Huck sempre foi uma piada, ele destruiria sua carreira televisiva se levasse a sério as bajulações de que foi alvo. O Ciro, a quem alguns agora querem se agarrar por puro desespero, nunca teve idéias nem ações coerentes, e não parece ter mais intenção real de competir para ganhar, está apenas jogando para angariar simpatias aos petistas, e ter seu carguinho no governo Haddad.

Deixe uma resposta para Eduardo RJ Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *