PSB diz a Joaquim Barbosa que não garante a vaga de candidato a presidente

O problema é que Barbosa quer ‘mandar’ no partido

Daniela Lima
Folha (Painel)

Está difícil. Dirigentes do PSB voltaram a dizer ao ex-presidente do STF Joaquim Barbosa que não podem garantir a ele apoio para uma candidatura presidencial agora. O ministro tem até 7 de abril para decidir se assina a ficha de filiação na sigla. “Ele é muito bem-vindo, mas, se vai ser candidato ou não, é algo que vai ter que ser analisado mais para frente”, afirma o secretário-geral do partido, Renato Casagrande.

Na conversa com Barbosa, o vice-governador de São Paulo, Márcio França, disse que as alianças do PSB em vários estados já estão definidas e seria ruim colocar agora uma peça nova que pode desestabilizá-las. No ano passado, Barbosa disse a pessoas próximas que só entraria no PSB se tivesse certeza do apoio para se candidatar. Agora, ele cogita a possibilidade de se filiar mesmo sem esse compromisso.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Muito importante a informação da coluna Painel, que cresceu muito sob a editoria de Daniela Lima. A reação a Joaquim Barbosa tem justificativa. Ele ainda nem se filiou e quer mandar no partido, não tem a menor humildade. Como diria o senador Romário, o ministro aposentado Joaquim Barbosa está entrando agora no ônibus da política, mas já quer sentar na janela. Deste jeito, fica difícil o PSB aceitar a candidatura dele, que mudaria totalmente o quadro e teria grande chance de ser presidente. (C.N.)

11 thoughts on “PSB diz a Joaquim Barbosa que não garante a vaga de candidato a presidente

  1. A vaidade e boçalidade destes ministros do STF é impressionante. Que tipo de gente são eles? Para mim enviava tudo para o Paredon de Fidel, ninguém ia sentir falta, muito pelo contrário, seria um favor ao povo brasileiro.

  2. Deus que nos livre de pessoas orgulhosas, vaidosas, prepotentes, Não tem o mínimo de humildade que qualquer pessoa deve ter para viver. A gente viu como se comportou como Presidente do STF. Mandou um jornalista chafurdar no lixo. Os ministros do STF ´poderiam se pronunciar sobre Joaquim Barbosa.

    • Você se lembra do contexto? Era a época do mensalão. Quem realmente peitou o problema e trouxe a lume, dando-lhe o resultado que se conhece? Foi o ex-ministro.

      Então estamos assim: se o ministro pecou e mandou o repórter, ele mesmo, chafurdar-se no lixo, ele ofendeu ao jornalista e pediu-lhe desculpas.

      Se o repórter aproveitou e acobertando-se da posição de jornalista resolveu cutucar a onça com a vara curta, mereceu a crítica.

      Quem saiu-se bem pela ousadia, espírito combativo e determinação de macho durante seu período na corte foi o ex-ministro Joaquim Barbosa.

      Bom mesmo é Gilmar Mendes, não é?

  3. O ex-ministro está correto. Partidos políticos, e o PSB não foge a regra, são vira-folha. Tidos como um verdadeiro balcão de negócio, a hora faz a decisão.

    Então o ministro vai emprestar seu nome, solidarizar-se com o PSB, empenhar-se com o partido e este dirá a ele que no momento oportuno decidirá?

    Quem procurou quem?
    Se o ex-ministro enleva o PSB, este que se una para apoia-lo. Agora, imaginar que podem fazer de Joaquim Barbosa peteca, estão redondamente enganados.

    Joaquim não poderia ceder e o fez muito bem.

  4. Juiz Joaquim gerenciando o Brasil ??? Em que lugar do sistema solar já se viu isto?
    Que tal pegar o melhor juiz de futebol e levar pra copa da rússia no lugar do neimar ?

    • Um metalúrgico dirigindo o Brasil? Onde já se viu isso? Mas tivemos, não é? E olha o no que deu.

      Uma incompetente no ministério das minas e energia eque depois quebrou a Eletrobras, pode?

      Que tal um ministro que mistura seus negócios pessoais aqui e em Portugal com o apoio financeiro do governo, além de ter assento na suprema corte e se encontrar um presidente no escurinho do Jaburu?

      Pode um presidente receber o campeão da indústria de carne (“tem que manter isso, viu?”)? Ter nas costas dois processos, o primeiro na história do país?

      Quem não merece o ex-ministro é o partido que faz ‘cu-doce’ dele.

      Aliás o tal partido está fazendo exatamente o que partidos no Brasil faz.

      A escolha não é juiz de futebol no lugar de Neymar. Mas mesmo quando figuras de escol foram candidatas a cargos públicos não foram escolhidas, logo, sua lógica de começar metendo os pés pela mão faz toda justiça a seu raciocínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *