PSB recorre ao Supremo para garantir vacina aos adolescentes sem comorbidades

Adolescente recebe vacina contra a Covid-19 — Foto: Enio Medeiros/Prefeitura de Aparecida de Goiânia

Em Aparecida de Goiânia (GO), a vacinação continua normal

Fernanda Vivas
TV Globo — Brasília

O PSB pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF), neste sábado (18), que suspenda a orientação do Ministério da Saúde de que não sejam vacinados contra a Covid-19 adolescentes entre 12 e 17 anos sem comorbidades. O partido quer que o Supremo mantenha a orientação nacional de que a vacinação para este grupo seja realizada.

O pedido de decisão liminar (provisória) foi feito em uma ação sobre vacinação que já tramita na Corte, sob a relatoria do ministro Ricardo Lewandowski.

CAPITAIS REAGEM – Dados reunidos pelo Jornal Hoje, da TV Globo, apontam que 20 capitais e o Distrito Federal mantiveram a vacinação para esta faixa etária, mesmo com a recomendação contrária da pasta.

Na última quinta-feira (16), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou que não há “evidências” que justifiquem a alteração da recomendação para uso do imunizante da Pfizer em todos os adolescentes entre 12 e 17 anos.

O posicionamento da Anvisa diverge da decisão do MS, que limitou o uso somente aos grupos prioritários (deficiência permanente, comorbidades e privados de liberdade).

CRÍTICAS DE ESPECIALISTAS – Ao Supremo, o PSB alertou sobre os efeitos da orientação do Ministério da Saúde, que já foi alvo de críticas de especialistas.

“O referido ato possui o condão de comprometer toda a campanha de vacinação contra o novo coronavírus, sendo que a quase unanimidade de especialistas, órgãos e entidades técnico-científicas asseveram a importância da vacinação do referido grupo etário”, afirmaram os advogados da sigla.

A legenda ressaltou ainda que a suspensão da vacinação para adolescentes sem comorbidades viola normas constitucionais, como as que estabelecem o direito à saúde, especialmente de pessoas nesta faixa etária; e o direito à educação, já que a medida tem o potencial de dificultar o retorno seguro às escolas, na modalidade presencial.

DESINFORMAÇÃO E MEDO – “O ato ora questionado não apenas viola o dever constitucional do Estado de assegurar a saúde de todos, como também tem o condão de gerar a desinformação e medo, além de desestimular a população a se vacinar, o que é devastador em um cenário de pandemia”, ponderaram os advogados.

“Mais do que isso, o enfraquecimento da campanha de vacinação coloca em risco a saúde de toda a sociedade, haja vista que os especialistas são uníssonos no sentido de que a eficácia vacinal depende da imunização coletiva, isto é, da amplitude da cobertura vacinal”, completaram.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGSem estar amparado em qualquer orientação científica, o presidente Bolsonaro mandou parar a vacinação dos adolescentes, que deveria ir até os 12 anos, e o ministro Marcelo Queiroga simplesmente concordou. É por essas e outras que já ganhou o apelido de ministro Quedroga, um bajulador que não manda nada. (C.N.)

2 thoughts on “PSB recorre ao Supremo para garantir vacina aos adolescentes sem comorbidades

  1. Os cães de Pavlov continuam salivando ódio quando ouvem o nome Bolsonaro.

    Vários cientistas recomendam cautela na vacinação de adolescentes, tanto pelo efeitos colaterais (a ANVISA mandou alterar a bula de uma vacina), como pela total ausência de informações sobre os efeitos de longo prazo da picada nos adolescentes. Já teve até morte de adolescente após a picada, mas tudo isso é varrido para debaixo do tapete pela mídia prostituída.

  2. 1) A meu ver, o PSB está com boas posturas, e em seu programa agora consta o conceito de “Socialismo Criativo” que é algo próprio para o século 21…

    2) Talvez por isso tem atraído bons nomes como o deputado Freixo, RJ; o governador Dino do MA e na próxima terça-feira 21/09, será recebida a deputada Tabata Amaral, SP.

Deixe um comentário para Antonio Rocha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *