PSDB deve desembarcar do avião de Joesley que transportou Temer

Charge do Léo, reproduzida do SIte GGN

Pedro do Coutto

O presidente em exercício do PSDB, Tasso Jereissati, convocou para segunda-feira em Brasília uma reunião da para decidir se o partido sai ou permanece no apoio ao governo Michel Temer. Matéria nesse sentido destaca a importância da convocação – reportagem de Talita Fernandes e Venceslau Borlina Filho, Folha de São Paulo desta quinta-feira – como um marco na história do PSDB e também no desfecho do governo Michel Temer.

A reunião estava marcada para quinta-feira, mas foi adiada para depois da conclusão do julgamento de Temer no TSE. O simples fato de o PSDB reunir-se para decidir sua saída já representa por si um fator de enfraquecimento do presidente da República. Inclusive a reunião foi convocada na noite do dia 7, antes, portanto, da revelação sobre o fato de Michel Temer ter admitido que viajou em avião de Joesley Batista.

ERA MENTIRA – Inicialmente, quando a questão foi levantada no início da semana, o Palácio do Planalto negou a viagem. Entretanto, Joesley Batista a confirmou, o que  obrigou Temer a alterar sua negativa inicial. As repórteres Carla Araujo e Tania Monteiro, além do repórter Fábio Serapião, em O Estado de São Paulo de quinta-feira, assinalaram que o presidente viu-se obrigado a mudar sua versão original, mas acentuando que não sabia que o avião pertencesse a JBS. O fato seria confirmado em seguida pelo próprio Joesley.

Portanto, no encontro dos dois fatos surge um terceiro: se o PSDB já estava propenso a deixar o governo, agora provavelmente encontra mais um motivo para deixar o Planalto e aterrissar na planície de Brasília. Michel Temer assim fica sob dois focos extraordinariamente sensíveis: a decisão do TSE e a retirada dos tucanos na rota de voo do governo.

ABSOLVIÇÃO – No TSE a primeira vista pode-se descortinar uma tendência básica favorável, por 4 votos a 3, a Michel Temer. A decisão oscila em torno de um voto, provavelmente o de Gilmar Mendes. Daí o debate intenso entre o relator Herman Benjamin e o presidente do TSE.

A razão do choque, registrado principalmente pela Globonews, emissora que está transmitindo integralmente a sessão, teve origem no fato de o relator ter transcrito voto de Gilmar Mendes meses atrás, quando impediu que fosse arquivada a ação que hoje se aproxima de seu desfecho.

A jornalista Maria Cristina Fernandes, no Valor, apresentou uma análise do confronto, ressaltando no título que Benjamin usou o voto de meses atrás no Tribunal, para duelar com o autor que outro não é senão o próprio Gilmar Mendes.

Tenho a impressão de que sentindo no ar um clima de empate, o relator procurou amarrar Gilmar Mendes ao Gilmar Mendes do passado, talvez para assim obter, no final da ópera o voto que aparentemente lhe falta para chegar à vitória. É possível.

UMA SURPRESA? – Possível é também a ocorrência de uma surpresa. Mas como todo aquele que necessita uma surpresa a seu favor revela a dificuldade que tem pela frente e que desejava superar.

Herman Benjamin enfrenta uma dificuldade. Mas Michel Temer, nos próximos dias se depara com duas: o próprio Tribunal Superior Eleitoral e a iniciativa do PSDB de saltar ou não numa escala de voo do avião de Joesley Batista.

One thought on “PSDB deve desembarcar do avião de Joesley que transportou Temer

  1. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO analisa a possibilidade do PSDB segunda-feira ( 12 Jun 2017), sair da Base Aliada do Governo TEMER (75) PMDB, e sendo o maior Partido da Base Aliada, derrubar o Governo, logo após a decisão do TRE que julga a cassação da Chapa DILMA/TEMER.

    Mas como o próprio Artigo nos informa que o mais provável é o TSE dar ganho de Causa à Chapa DILMA/TEMER por 4 X 3 Votos, é fácil concluir que o PSDB continuará na Base Aliada do Governo TEMER.

    O que Nós precisamos mesmo fazer, é analisar com calma as causas que nos levaram a “Lava Jato”, e fazer uma Reforma Política que moralize a nossa Política.

    A nosso ver, é no mínimo necessário:
    1- Cláusula de barreira alta para reduzir os Partidos no Congresso a 4. ( Direita – Centro Direita – Centro Esquerda e Esquerda).
    2- Exigência de Primárias para escolher os Candidatos dos Partidos a Eleições Majoritárias.
    3- Possibilidade de Re-call de maus Representantes do Povo.
    4- Exigência de que todos os Órgãos de Fiscalizações ( Tribunais de Contas ), sejam ocupados por Auditores Profissionais.
    5- Etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *