PT ainda “sonha” com unidade de partidos da oposição para eleições da Câmara e do Senado

Charge reproduzida do Arquivo Google

Sérgio Roxo
O Globo

O PT decidiu, em reunião realizada nesta sexta-feira, dia 11, por sua executiva com deputados e senadores do partido, que tentará construir uma unidade com as outras seis legendas de oposição (PDT, PCdoB, PSB, Rede, PV e PSOL) para as eleições das presidências da Câmara e do Senado.

A sigla ainda não definiu se terá candidatos próprios ou apoiará algum dos nomes que já se colocaram na disputa. Os petistas querem condicionar uma eventual aliança a um compromisso com uma agenda mínima contra o que o partido considera retrocessos no campo dos direitos e da pauta econômica. Ou seja, aceitam apoiar um candidato que não seja radical na defesa da aprovação das reformas econômicas.

PROPORCIONALIDADE – O partido também reivindica o cumprimento da proporcionalidade entre os partidos na ocupaçao dos espaços nas mesas diretoras, nas comissões das Casas e nas relatorias das matérias legislativas.

Na eleição da Câmara, o PT está dividido entre um grupo que quer uma candidatura de oposição para marcar posição e outro que defende uma aliança que permitiria ao partido voltar a ocupar postos na mesa diretora e em comissões. “Vamos lutar até o fim para ter uma candidatura da oposição”, afirma a deputada Natália Bonavides (PT-RN), que faz parte do grupo defensor de uma candidatura do campo de oposição.

APOIO – Candidato do presidente Jair Bolsonaro, o deputado Arthur Lira (PP-AL) procurou petistas, entre eles o ex-ministro José Dirceu, para que a legenda apoie a sua eleição. Nas conversas, Lira se comprometeu com três temas: combate ao “lava-jatismo”, mudanças na Lei da Ficha Limpa e um projeto que permita nova forma de financiamento dos sindicatos.

O PT definiu, na reunião desta sexta-feira, que formará uma comissão com líderes das bancadas na Câmara e do Senado e com dirigentes para acompanhar as negociações de apoio para as eleições das Casas.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGOs petistas sonham que ainda lideram as esquerdas, que são várias e múltiplas. O resultado é que estão sempre a reboque e o deputado Rodrigo Maia já passou a perna neles e está compondo um bloco amplo, de centro-esquerda, já fechado com o PDT. (C.N.)

4 thoughts on “PT ainda “sonha” com unidade de partidos da oposição para eleições da Câmara e do Senado

  1. Jornalista e Editor Carlos Newton ( Tribuna da Internet ) – o Pt fem uma grnde bacada em Brasília- Df, sendo assim o Pt tem um grande peso, mas e precisa sempre fechar acordo com todos de esquerda com o PCdoB, Psb e Pdt mas vizando o melhor para os Partido e que seja bom também para o povo…o PT tem a grande Dep. Federal Marilia Arraes – sempre presente, na minha Opinião.

  2. Vamos ver o resultado das eleições na camara e no senado, para ver quem passou a perna em quem.

    As análises de CN quando se trata do PT não passam de torcida contra. Erra mais do que acerta.

  3. Cardoso, ô, Cardoso,

    Depois que verificaste Bolsonaro estar sendo criticado severamente na TI e merecidamente, saíste do teu esconderijo para voltar a divulgar o PT?

    Newton não torce contra o PT, erras a conclusão.
    O PT SEMPRE jogou contra o povo e contra o país, logo, o Editor apenas registra as verdades quanto à atuação petista.

  4. O PT não agrega, não apoia, não aceita candidatos de outras siglas, apenas exige apoio incondicional.
    Os demais partidos de esquerda, já não estão mais
    a fim de se prestar para a “vassalagem eterna”, e também já descobriram que o Luis Inácio, é na verdade hoje, um “tranca rua” aos interesses do esquerdismo.
    Portanto o partido dito dos “trabalhadores”, já pode ser considerado como apenas um sonho de uma noite de verão, do sindicalismo brasileiro, quanto ao seu desejo de governar o pais.

Deixe uma resposta para Cesário Oliveira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *