PT arrrasou economia. Por isso, ninguém quer assumir Fazenda

Vitor Vieira
Vide Versus

Não pensem que existe alguma disputa pelo ministério da Fazenda. Não. Nenhum economista sério quer assumir a herança maldita de 12 anos de PT, pois o País está “à beira de um abismo”. O PT aparelhou de tal forma o Estado para comprar quatro eleições que não há espaço para fazer as despesas geradas sem colocar o País em uma enorme crise, com corte inclusive na Bolsa Família, Minha Casa, Minha Vida, Pronatec e outros programas.

Embora a presidente Dilma Rousseff tenha prometido “olhar com lupa” os gastos da máquina pública para promover cortes, essa decisão não será simples. O governo tem hoje um universo de cerca de R$ 56,8 bilhões, em que poderia promover cortes no chamado custeio da máquina. Só que a própria presidente Dilma deixou claro que também não está disposta a diminuir o número de ministérios, o que poderia gerar economia de cargos nomeados politicamente, gratificações, despesas com terceirizados e estrutura física de cada um.

Segundo dados do Siafi, de janeiro a outubro, os gastos em custeio chegam a R$ 615,67 bilhões, sendo que apenas R$ 56,8 bilhões, ou 9,22% do total, são efetivamente passíveis de corte. Isso porque mesmo as despesas livres do governo já são hoje, na sua maioria, comprometidas com pagamentos sociais.

DESPESAS CORRENTES

Esse espaço para corte de R$ 56,8 bilhões equivaleria a 1,1% do PIB, mas os especialistas dizem que não se pode simplesmente acabar com todos esses gastos de custeio dos ministérios de uma só vez. Embora agora a presidente fale em cortar, o problema dos gastos públicos é que o governo vem aumentando, ano a ano, essas chamadas despesas correntes — especialmente com pagamento de benefícios sociais e previdenciários, onde não se pode cortar.

O levantamento no Siafi foi feito pelo economista Mansueto Almeida, que integraria a equipe econômica de Aécio Neves se o tucano tivesse sido eleito presidente. Foram retirados dos R$ 615,67 bilhões gastos em custeio todas as despesas com as funções sociais — Previdência, Saúde, Educação, Trabalho, Bolsa Família e Assistência Social — e ainda as transferências constitucionais e pagamentos de precatórios judiciais, bem como o custeio dos Poderes Legislativo e Judiciário. Então se chegou aos R$ 56,8 bilhões.

9 thoughts on “PT arrrasou economia. Por isso, ninguém quer assumir Fazenda

  1. O chato de tudo é aguentar esse partido, que optou pelo comunismo, ou melhor, com o seu nome atual, bolivarianismo. Com isso , além do fracasso econômico que já era previsível, ainda afrontam o povo querendo lhe tirar o direito à informação. tentando de todo o jeito destruir a democracia.
    Aí dose para quem não tem estômago para tanto atraso.
    Fosse o PT um partido honesto e tivesse como exemplo uma Austrália ou uma Coreia do Sul para seguir e ainda assim fracassasse , poderia muito bem obter a compreensão do país, pois as intenções foram boas. Mas não, queria copiar o que tem de pior atualmente no mundo ocidental: Argentina, Venezuela e até Cuba.
    Por essas e outras não há como não condenar um partido assim .

  2. Em resumo, o governo não tem outra opção para manter a monstruosa máquina administrativa, inchada de pelegos petistas e apaniguados em seus 39 ministério, senão: 1. aumentar a carga tributária combinado com 2. o aumento da taxa básica de juros – a SELIC.

    O primeiro a ser suportado pela classe média e trabalhadora. O segundo, também.

    Só que 60% dessas famílias já estão suportando compromissos com o sistema financeiro da ordem de 45% do seu rendimento. E outros 41% comprometidos com a carga tributária já existente.

    Ou seja, já temos 86% do orçamento dessas famílias comprometidos com o pagamento dos dois itens citados.

    Aumentar o que e como agora, cara pálida?!

    Voltamos então ao que já dissemos aqui anteriormente: o governo petista nos empurrou para uma cilada recessiva com inflação em que não há horizonte de saída.

    Se medidas saneantes forem implementadas hoje, levaremos de dois a quatro anos para sairmos disso.

    Como não há, cara pálida, todo o esforço implementado por Itamar e FHC no ajuste econômico feito para o equilíbrio da moeda e das finanças públicas será jogado no esgoto petista.

    Pior, quem teve de fazer os sacrifícios para o equilíbrio macroeconômico naquela época foi a sociedade brasileira, vista agora pela gangue que tomou conta do poder público, como mera massa de manobra. Um reles instrumento para garantir a hegemonia politico-ideológica da América Latina.

    E estamos conversados, cara pálida.

  3. Fosse o país sério, com equidade, incentivando iniciativas, sem falcatruas, sonegação, parasitagem, demagogia, superfaturamentos, idéias de jerico, serviços pagos e não entregues a contento ou às vezes nem entregues, inchaço, incompetência, conluio entre os poderes, ineficiência dos governos, qual seria o problema do endividamento chegar próximo dos 100% do Pib,… estamos de passagem e o país será eterno enquanto o sol deixar.
    Ps. Estou só com o tico, o téco já era! 🙁

    • Até dá para fazer isso, a questão é: quem estará disposto a adquirir papéis da dívida pública de um governo que já mostrou que não honra compromissos, mente a torto e a direito, inclusive com manipulação contábil, e não garante nem o pagamento dos juros da dívida?!

      Pior, o quadro futuro é terrível, esgotadas as possibilidades de ajustes no orçamento, já que o crescimento da arrecadação via aumento da carga tributária se torna uma opção ainda mais recessiva para um país que já está em recessão técnica.

      A solução tem de ser drástica, reduzindo os gastos correntes. Mas, este é um caminho que vai na contramão do processo de hegemonia petista, pois, reduzir os ministérios e os gastos correntes significaria abrir mão de apoio político necessário dos grupos que estão compactuando e se beneficiando deste projeto hegemônico petista.

      O PT está disposto a tudo para derrubar definitivamente a democracia brasileira. E vai fazê-lo sob as bençãos da maioria dos brasileiros, custe o que custar. Inclusive passando por cima da situação econômica do país.

      Para o PT isto é apenas mais um detalhe. É apenas mais um sacrifício a ser feito pela sociedade em nome do projeto político da agremiação.

      Simples assim.

  4. Ledo engano, doce ilusão dos que imaginam que ninguém almeja ser titular do Ministério da Fazenda.
    Por trás dos biombos onde se juntam como quadrilha. alguma sacola já deve conter muitos nomes… não se espantem quando forem anunciados.
    O senhor Wagner Pires não está sendo catastrófico quando emite um juízo de valor como esse, de que o PT está disposto a tudo para derrubar definitivamente a nossa democracia.
    O PT se valeu. exatamente da eleição, para tentar complementar o projeto político de cubanização do Brasil, tal como foi feita por Chavez, Maduro e Morales.. .bolivarianamente falando.
    Pior: muitos brasileiros estão se omitindo, aceitando, e colaborando…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *