PT e CUT querem transformar o Dia do Trabalhador num culto a Lula

Resultado de imagem para dia do trabalho em curitiba

Defesa da libertação de Lula será o ponto alto

Bernardo Bittar
Correio Braziliense

Apesar do ataque ao acampamento Marisa Letícia, do PT, em Curitiba, a programação da vigília Lula Livre está mantida. A ideia é que amanhã, durante o feriado em homenagem ao trabalhador, os principais nomes do partido façam discursos em prol da liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Além disso, uma gravação de Lula, de 1986 e nunca divulgada, será distribuída pelo país.

A segurança dos acampamentos no Paraná será reforçada, com câmeras para registrar a movimentação. Ontem, a advogada Márcia Koakoski, 42 anos, uma das feridas no ataque a tiros contra o acampamento pró-Lula, afirmou em um vídeo que ouviu pessoas fazendo ameaças de morte no local, antes dos disparos.

PROGRAMAÇÃO – A assessoria de imprensa do PT no Paraná disse que a programação amanhã, Dia do Trabalhador, começa às 7h, com a concentração no terminal Boa Vista, próximo à sede da Polícia Federal. De lá, os manifestantes seguem para o edifício da PF, onde, diariamente, há uma rito conhecido como “bom dia, Lula” — quando todos dizem a frase aos gritos. Em carta à senadora Gleisi Hoffmann (PR), o ex-presidente afirmou que consegue ouvir seus apoiadores, e pediu para que eles continuem com a “tradição”.

Depois do “bom dia”, haverá um ato ecumênico e, em seguida, todos caminharão para o Centro, às 14h, onde acontecerá ato público na Praça Santos Andrade. A expectativa é de que a cúpula do partido fale em favor de Lula.

No fim, shows de artistas locais e de grandes nomes nacionais, como Maria Gadu e Beth Carvalho, encerram a programação. A Polícia Militar do Paraná vai reforçar a segurança nos dois acampamentos e na vigília petistas.

PONTO ALTO – Discursos contra a reforma da Previdência e a reforma Trabalhista devem ser o ponto alto do evento, acredita a presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Paraná, Regina Cruz. “Essas coisas vão atrapalhar a vida da classe trabalhadora do país, que é quem nós representamos. Mas estamos felizes que a mobilização ocorrerá aqui, e não em São Paulo. A escolha do local ocorreu porque o maior líder sindical do Brasil, o presidente Lula, está na nossa cidade.”

O documentarista Celso Maldos liberou um vídeo inédito de Lula discursando em 1º de maio de 1986 para ser transmitido em telões. A escolha se deu por causa do momento político daquela época, pouco depois do fim da ditadura militar (que acabou em 1985). Lula encerra seu discurso dizendo “Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós”. A ideia do cineasta é fazer um link entre o passado e o presente, dando a entender que, hoje, também vivemos tempos de opressão.

“Quando um curitibano se queixar da nossa presença aqui, precisa se lembrar que foi uma escolha do Brasil. Vamos permanecer”, explicou o ex-deputado federal e presidente do PT de Curitiba, Florisvaldo Fier, conhecido como doutor Rosinha.

9 thoughts on “PT e CUT querem transformar o Dia do Trabalhador num culto a Lula

  1. Se é para homenagear bandido, deveriam homenagear também o Beira-Mar. A única diferença perceptível entre os dois é o número de dedos.

  2. “PT e CUT querem transformar o Dia do Trabalhador num culto a Lula”

    Querem transformar Lula em trabalhador??
    Quando foi que Lula trabalhou pela ultima vez?
    Quando perdeu um dos dedos?

    Pilantra safado! Sua trajetória política não deve ser vista como trabalho, mas ‘arranjo’ de um grande golpe para ascender socialmente, usurpando da pobreza e carência do povo humilde brasileiro.

  3. Se dependesse dos curitibanos, os acampamentos esdrúxulos não estariam em pé, a maioria de seus integrantes, 95%, não é da região, mortadelas a soldo, 50 por dia, alimentação, cachaça, cerveja,drogas e sexo a vontade, está mais para festa hippie, no estilo Woodstock!

  4. Triste fim do Dia do Trabalho que agora passou a ser como um dia qualquer porque vindo do pt e sua gangue, qualquer “homenagem” torna-se desprezível.

    Querer dedicar esse dia a quem sempre correu da raia na hora de trabalhar, somente para aqueles que como os artistas presentes querem dinheiro público para cantar em festa popular. Malandros, isso é que são.

    Fora Bete Carvalho e sua turma de vampiros que não podem ver uma gota de sangue do povo brasileiro, em forma de dinheiro fácil, para tomarem em nome de que estão se apresentando por alguma causa. Qual a causa? Mlandrice.

    Por favor, vão fazer seus shows chatíssimos, porque quem entende de samba e de cultura, lá não vai, ainda mais quem nasceu e foi cria dono Estácio, como eu.

    Fora bando de espertalhões!

Deixe um comentário para Haremhab Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *