PT travestido de verde e amarelo na campanha só pode ser Piada do Ano

Resultado de imagem para pt verde e amareloLeonardo Cavalcanti  e Gabriela Vinhal
Correio Braziliense

Na iminência de tentar dialogar com eleitores de centro, a coordenação da campanha do PT decidiu repaginar a logo da sigla e afastar símbolos tradicionais petistas da candidatura de Fernando Haddad (PT) e da vice Manuela D’Avila (PCdoB). Os tons de vermelho deram espaço às cores da bandeira nacional —ferramenta já utilizada pelo partido desde 2010, na campanha do primeiro governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Especialistas, contudo, alertam para o risco de o eleitorado não corresponder às expectativas, por ser destoante do conteúdo passado pela legenda desde agosto. Para eles, a nova face da campanha deve vir acompanhada também de uma mudança na narrativa do petista.

Além do verde e amarelo, o PT já começou a se movimentar para reduzir a exposição de Lula nas fotos oficiais da campanha e dos adesivos da chapa. Antes, Haddad posava ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas, com a nova imagem, quem o acompanha é a vice, Manuela.

BRASIL PARA TODOS – O slogan também foi alterado: agora é “O Brasil para todos” em vez de “O Brasil feliz de novo”, que fazia uma alusão aos anos de Lula no governo (2003-2010). A ideia da nova cara da campanha é mostrar uma frente de união para o povo brasileiro e tentar recuperar os votos de eleitores dos candidatos que não vingaram para o segundo turno.

A nova cara da campanha não será apenas estampada nas redes sociais do partido, mas levada ao horário eleitoral gratuito, que começa nesta sexta-feira. Mesmo antes da mudança, o PT já havia dado sinais de que faria alterações na base de campanha do candidato. No Facebook, em um vídeo publicado na segunda-feira, dia 8, Haddad fala sobre emprego e educação e aparece sob uma tarja azul e amarela — cores desconhecidas pela militância petista. Geralmente utilizadas pelo PSDB, as colorações foram relacionadas, neste ano, a Bolsonaro.

BANDEIRA DO BRASIL – Apoiadores de Bolsonaro utilizam a bandeira do Brasil para pedir votos. Um dos lemas contra o adversário é, inclusive, “A nossa bandeira jamais será vermelha”.

Mas essa não foi a primeira vez que a sigla petista utiliza desses mecanismos para tentar chamar a atenção do eleitor. Especialista em marketing político, Marcelo Vitorin explica que o partido já havia trocado a imagem oficial da candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff em 2010 e em 2014. “Não há problema em trocar a logo. Mas é preciso fazer um plano desde o início. Não dá para atuar no primeiro turno buscando o Lula e depois sinalizar de outra maneira. Há um problema de narrativa”, destacou.

Na disputa pela reeleição, Dilma aparecia ao lado de Lula nas peças do primeiro turno. Na segunda etapa do pleito, ela posou sozinha, em um cartaz com as cores nacionais.

E NA BASE? – A transformação não aconteceu apenas na área de marketing e comunicação, mas na base política do partido. Além do PCdoB como aliado, o PSB e o PDT declararam apoio à candidatura de Haddad para o segundo turno contra Bolsonaro. A sigla de Ciro Gomes, contudo, afirmou que a aliança será apenas “crítica”, ou seja, o partido não integrará a coordenação da campanha do petista.

Não haverá reivindicações, tampouco propostas, como ocorreu com o PSol, que além de anunciar união, afirmou que o cabeça de chapa do PT incluiu quatro pontos do socialista Guilherme Boulos no plano de governo dele. A campanha também vai atuar em outra frente. O partido já pediu para a militância agir nas redes sociais para desconstruir a imagem de Bolsonaro e divulgar as propostas de Haddad.

A MESMA IDEIA – Segundo o diretor do Instituto de Ciência Política da UnB (Ipol/UnB), Paulo Calmon, a estratégia de conversar com eleitores de centro não é apenas de Haddad, mas também de Bolsonaro. A ferramenta é esperada, tanto por causa do cenário polarizado quanto por ter chegado ao segundo turno. Assim como Calmon, o analista político Creomar de Souza afirma que as mudanças parecem ser maiores para o petista, porque ficou em segundo lugar nas votações, ou seja, tem um caminho mais longo a percorrer que o adversário.

Para Souza, apesar da estratégia não ser inovadora, é um mecanismo de “tudo ou nada” aderido, desde o início, pelo PT. No entanto, pode sofrer uma reviravolta. Em vez de conquistar o eleitor, pode soar como oportunista, como se quisesse “maquiar” um novo partido e um novo candidato.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Oportunista? Como a gente dizia nos tempos do Pasquim, “bota oportunista nisso”. É tudo ilusão, porque não adianta nada travestir o PT de verde e amarelo, justamente a marca de Bolsonaro. E esquecer Lula? Será que vai dar resultado? Só pode ser Piada do Ano. (C.N.)

18 thoughts on “PT travestido de verde e amarelo na campanha só pode ser Piada do Ano

  1. Querem esta merda para presidente?
    A criação das piores ciclovias do mundo
    Obviamente, ninguém é contra as ciclovias por princípio. O que muita gente contesta(paulistas) são as ciclovias que Haddad implementou na cidade. Consideradas como uma vitrine de sua administração(desastrosa), por mais absurdo que isso possa parecer, as ciclovias de Haddad nem mereceriam ser chamadas como tais, de tão ruins que são, de tão improvisadas que são. Elas não passam de faixas vermelhas pintadas a esmo no asfalto – não por acaso, ele recebeu a alcunha de “prefeito Suvinil”.

  2. Querem esta merda para presidente?
    A implantação de faixas exclusivas de ônibus fora dos grandes corredores de tráfego
    Haddad subverteu a boa gestão urbana ao promover a proliferação indiscriminada de faixas exclusivas para ônibus. Como no caso das ciclovias, sem critérios técnicos para justificá-las.

  3. Querem esta merda para presidente?
    A invasão recorde de terrenos municipais…
    É provável que, em nenhuma outra gestão, a prefeitura paulistana tenha sido tão conivente com a invasão de terrenos públicos por grupos organizados, como o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST). Segundo levantamento publicado pelos jornais, os ativistas ocupam hoje 16 terrenos municipais, a maioria dos quais reservada para praças e jardins, mas também áreas de mananciais e preservação ambiental, sem que a prefeitura tome qualquer providência para realizar a reintegração de posse.
    Em vez de preservar a propriedade pública, Haddad mantém com o MTST e outras organizações do gênero, que ocupam de forma ilegal os terrenos, uma relação de incômoda promiscuidade. Para aprovar o novo Plano Diretor da cidade, que promoveu modificações na legislação defendidas pelos ativistas, Haddad sugeriu que eles fossem em massa à Câmara Municipal para pressionar os vereadores. Eles não só seguiram a recomendação de Haddad como incendiaram o Centro de São Paulo e criaram barricadas para se defender das forças de segurança. Quando o MTST invadiu um terreno privado em Itaquera, na zona leste da cidade, Haddad convenceu Dilma a gastar R$ 30 milhões para comprar a área e repassá-la aos invasores. Ele também reservou aos grupos de ativistas, em especial aos que atuam como braço do PT, uma parcela considerável do dinheiro da prefeitura para habitações populares. Em vez de entrar na fila como todo mundo, os militantes de carteirinha dessas organizações podem escolher os beneficiários que terão acesso ao programa de casa própria municipal.

  4. -O PT virou a Marina e se tornou o PARTIDO MELANCIA: Verde e amarelo por fora e vermelho por dentro…
    -Cada uma que acontece nesta Terra! Nunca pensei que fosse viver para ver isso!

  5. Tarefa fácil; convencer os argentinos que o maior jogador da história foi Pelé, e convencer os brasileiros que o maior jogador foi Maradona.

  6. Este é o pt. Farsante, cínico, sem ideologia. Como já disse o ze dirceu, querem tomar o poder, e fazem de tudo pra isso. Não tem coerência, postura, compostura, conduta, dignidade. Só o poder importa, de qualquer maneira. La, corrompem.. trapaceiam, traem, saqueiam.
    ACORDa, BRASIL

  7. Perdeu Haddad!
    Perdeu Lulla!
    Perdeu PT!
    Ganhará o Brasil e os brasileiros de boa índole, caráter e princípios.
    Aos demais um conselho: venezualizem!
    Fallavena

  8. Chegaram ao cúmulo de criar a camiseta vermelha para a seleção brasileira. Para o lulopetismo sair de verde-amarelo era sinônimo de coxinha, pato da FIESP, e direitista.

    Agora, para mendigar os votos dos torcedores canarinhos, voltam ao verde e amarelo.
    Os lobinhos em pele de cordeiro não enganam mais ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *