Quais números os eleitores devem digitar nas urnas de outubro?

Pedro do Coutto
Num ótimo artigo publicado na edição de 11 de setembro da Folha de São Paulo, o diretor geral do Datafolha, Mauro Paulino, e o diretor de Pesquisas do Instituto, Alessandro Janoni, focalizam um ponto de importância essencial nas eleições de outubro: como devemos todos nós, eleitores, proceder para marcar nossos votos nas urnas eletrônicas?
Com base no exemplo de Marina Silva, cuja parcela de 25% dos que pretendem votar nela desconhecem seu número no teclado, roteiro para o voto ser computado no sistema, os autores do artigo concluem que, para a candidata do PSB, neste momento, mais importante que tudo é divulgar a numeração que corresponde a seu nome.
Evidentemente, o caso de Marina Silva não constitui exemplo isolado. Pelo contrário. Ressalta a existência de um defeito de comunicação, pelo menos referente aos candidatos a cargos majoritários: presidente da República, governadores e senadores, já que existem variações a partir dos algarismos que compõem as legendas escolhidas. O problema deve se generalizar. No caso de Marina Silva chama mais atenção porque, como focalizamos em artigo recente neste site, ela alcança melhores índices junto aos eleitores de renda mais alta (em termos brasileiros), enquanto Dilma Rousseff, ao contrário, domina nos  grupos sociais de renda menor. Renda menor, escolaridade rudimentar. Como explicar a aparente contradição.

POUCA DIVULGAÇÃO
Vale observar o fenômeno para ver se Dilma Rousseff está expondo seu número na cédula de forma mais exposta e mais intensa do que Marina Silva em torno de sua candidatura. Aliás numa campanha não marcada pelo entusiasmo, que se reflete (refletia) no ato de eleitores gritarem o nome de seus candidatos nas ruas, é fundamental expor nos horários eleitorais, a forma clara e objetiva sobre como votar certo. Há, certamente, pouca divulgação a respeito do ato de votar. É simples.
Nas próprias mensagens que dirigem à opinião pública, as candidatas e os candidatos podem fazê-lo ao mesmo tempo em que simulem como votar em si próprios. Esta propaganda, inclusive, fará reduzir o número de votos nulos, já que uma parte deles decorre mais de erro que da vontade de anular o sufrágio. O mesmo comportamento pode ser exercido pelos candidatos a deputado federal e estadual.
Estes poderiam até, no tempo de que dispõem, aparecer usando corretamente as teclas que conduzem à verdade das urnas. Vou mais além, com base no artigo de Mauro Paulino e Alessandro Janini. Os partidos, principalmente estes, deveriam, na reta final das campanhas, a produzir filmetes que mostrem o roteiro do voto para que ele seja convalidado através do processo eletrônico atual. O custo de uma produção dessas seria mínimo, sobretudo levando-se em conta os efeitos a serem proporcionados. Mais do que quanto às candidaturas em todos os níveis, sobretudo à própria democracia.
Saber votar constitui um ato legítimo de cidadania. Não devemos contribUir, por  omissão, para que desconhecimentos e erros se acumulem. Basta dizer o seguinte: se o desconhecimento numérico é alto nos segmentos de maior escolaridade, e portanto de renda, imagine-se o que acontece com os votos para deputado federal e estadual. Até porque os números dos presidentes reúnem dois algarismos formando uma dezena. Para deputado estadual o eleitor tem de digitar cinco teclas. Para deputado federal o eleitor tem de digitar quatro teclas. Para senador três. Assim, diante da tela eletrônica, os eleitores têm que digitar cinco vezes: para presidente, governador, senador, deputado federal e estadual. Um treino fará bem ao sistema eleitoral e ao processo político.

2 thoughts on “Quais números os eleitores devem digitar nas urnas de outubro?

  1. Li em blogs governistas que Eduardo Campos era traidor, Marina idem… ora… quem está há 12 anos no poder, não fez as reformas de base e fez a opção preferencial pelos banqueiros, Maluf e afins? (o presidente Lula disse que no seu governo nunca os banqueiros receberam tanto…)?

  2. Essa foi boa! Quer dizer que 25% dos que dizem que votarão em MARINA, sequer conhecem seu número no teclado? E os MARINISTAS estão eufóricos achando que teremos mesmo segundo turno? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…………….! É DILMA MESMO, COM O NÚMERO 13 E A FORÇA DO POVO!

Deixe um comentário para Antonio Claudio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *