Quando ela enfim chegar, será festejada pelos brasileiros, e todos dirão: “Vacina, eu te amo!”

NoIgnorancia Nuestra tristeza necesita empatía, no ignorancia Nuestra  tristeza necesita empatía, no ignorancia (con ...

Charge do Adão (Arquivo Google)

Vicente Limongi Netto

Olá, vacina. Onde você andava? Sei que tua missão é árdua. Tua presença no mundo é mais requisitada do que Papai Noel. Dê um jeito. Coloque o Brasil na agenda. A agonia da pandemia destrói famílias, empregos e sonhos. Até mesmo os mais fortes suplicam por você. Seja generosa. Será bem-vinda. Não se acanhe.

Despreze a brigalhada torpe da politicalha.  Será recebida com glórias. Foguetórios e cantorias. Por anjos e crianças. Por idosos que não perdem a esperança.  Em carreatas de ambulâncias e sirenes de bombeiros. Você poderá entrar em todos os lugares. Sem pedir licença.

DE BRAÇOS ABERTOS – A maioria esmagadora dos brasileiros estará esperando por você de braços abertos. Feliz e emocionada. O Cristo Redentor será teu guia e tua luz. Não esqueça de trazer milhões de seringas, que “as autoridades” esqueceram. Você conhece a má fama do Brasil. Deixamos tudo para a última hora. 

A improvisação e o amadorismo estão em todas as partes. Sobretudo nos gabinetes dos graduados burocratas. O ocupante de plantão do Palácio do Planalto é bizarro e birrento. Bateu o pé, igual criança que não quer comer. Garante que não deixará você chegar perto dos braços dele. Destrambelhado estrupício. 

Não perca tempo com ele. Vá em frente. Vacine quem queira. Venha logo. Não demore. Você é a mensageira do amor. Da paz, da harmonia e do sossego.

NÃO HÁ RACISMO? – Deplorável, cretino e covarde o depoimento do “técnico” Mano Menezes, segunda-feira, no Jornal Nacional, isentando o atleta do Bahia no episódio de racismo contra Gerson, jogador do Flamengo. E pensar que o despudorado e vexaminoso Mano já foi técnico da seleção brasileira…

Por fim, no  editorial “A destruição da política externa”( Estadão- 20/12), Celso Lafer é citado como ex-ministro das Relações Exteriores do governo de Fernando Henrique Cardoso.

Porém, Lafer também ocupou o mesmo posto no governo Collor de Mello. Por que a informação foi sonegada ao leitor? Por acaso o jornal quer reescrever a história republicana? Ou trata-se, apenas, de reles preconceito e torpe rancor contra o então jovem presidente da República que lutou para tirar o Brasil das amarras do atraso? Francamente, jornalismo ruim é isso aí.

11 thoughts on “Quando ela enfim chegar, será festejada pelos brasileiros, e todos dirão: “Vacina, eu te amo!”

  1. A objeção de Bolsonaro à vacina, deve ser porque, além de aliado do Coronavírus, ele seja também uma variante do vírus. Assim, o imunizante pode eliminar ou neutralizar tronco e cepa! Para quem já é inerte……

    • Abordagem muito interessante esta sua Paulo. Uma outra é que a vacina é contra-indicada a político idiota – em especial este 00 a esquerda – impossível de ser remediado….

  2. “STF pediu 7 mil doses de vacina contra Covid-19 para imunizar ministros e funcionários.

    O pedido foi feito à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que desenvolve vacina junto com o laboratório AstraZeneca e a Universidade de Oxford” (O Globo)

    É a velha carteirada.

    Que falta faz ao Brasil de uma Rainha da Inglaterra.

  3. Boa noite , leitores(as):

    Senhor Vicente Limongi Netto , mas como esperar a chegada da vacina contra o ” NOVO CORONAVIRUS , COVID 19 ” , se o próprio Presidente da República Jair Messias Bolsonaro , esta fazendo o ” DIABO ” para impedi-la , boicotando-a literalmente ?

  4. “O governo de São Paulo e o Instituto Butantan anunciaram hoje que a vacina CoronaVac, contra covid-19, produzida em parceria com o laboratório SinoVac, apresentou segurança e eficácia suficientes para pedir registro de uso emergencial.

    A taxa de eficácia, porém, não foi divulgada, segundo as autoridades, a pedido do laboratório chinês, que revisará os dados antes que eles sejam encaminhados para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O órgão só deve receber a documentação em até 15 dias, quando analisará as informações e decidirá se aprova o uso do imunizante em território nacional”.

    Lamento, mas pelo conteúdo exposto, a vacina “xing-ling” ainda permanece “nos braços de Morfeu”.

    Obs.: Não desista do seu proselitismo, mas cabe à ciência a última palavra( infelizmente ou não)..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *