Quando eu piso em folhas secas, caídas de uma mangueira, penso na minha escola…

Beth, a militante do samba - Cantos, Recantos e Encantos - Medium

Guilherme de Brito, Beth Carvalho e Nelson Cavaquinho

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

O pintor, escultor, cantor e compositor carioca Guilherme de Brito Bolhorst (1922-2006), na letra de “Folhas Secas”, em parceria com Nelson Cavaquinho, compara as folhas caídas da árvore mangueira com a sua tristeza quando não puder mais cantar. Este samba foi gravado por Beth Carvalho no seu LP Canto Por um Novo Dia, lançado em 1973 pela Tapecar.

FOLHAS SECAS
Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito

Quando eu piso em folhas secas
Caídas de uma mangueira
Penso na minha escola
E nos poetas da minha Estação Primeira
Não sei quantas vezes
Subi o morro cantando
Sempre o sol me queimando
E assim vou me acabando

Quando o tempo avisar
Que eu não posso mais cantar
Sei que vou sentir saudade
Ao lado do meu violão
Da minha mocidade.

2 thoughts on “Quando eu piso em folhas secas, caídas de uma mangueira, penso na minha escola…

  1. 1) Bela canção, os três citados são bons cantores, compositores, criativos músicos.

    2) Mas… Licença… sempre que vejo a expressão “folha seca” eu lembro do jogador de futebol Didi, criador do chute “folha seca”.

    3) Na copa do mundo em 1958 foi considerado um dos melhores futebolistas pela imprensa europeia. Nelson Rodrigues o apelidou de Príncipe Etíope;

    4) Valdir Pires, o Didi (1928-2001) teve uma brilhante carreira, tendo sido treinador na Arábia Saudita em um time verde e branco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *