Quando será o encontro da realidade de Bolsonaro com a realidade concreta dos fatos?

Charge do Ivan Cabral (ivancabral.com)

Pedro do Coutto

Encerrada a Olimpíada de Tóquio, marcada por êxitos brasileiros que emocionaram não só os adeptos do esporte em geral, mas também aqueles que buscam encontrar motivos para terem amor pelo país, aguardemos, a partir de hoje, domingo, quando será o encontro da realidade do presidente Jair Bolsonaro com a realidade concreta dos fatos.

Esse é o dilema que falta ser esclarecido pelo personagem principal da profunda crise brasileira, o próprio presidente da República. Já disse em vezes anteriores que Bolsonaro, eleito democraticamente nas urnas de 2018, rompeu com ele próprio, enquanto candidato vitorioso, pois fez tudo ao contrário do que anunciou que faria e não cumpriu os compromissos da campanha eleitoral a começar com os assumido consigo mesmo e com o país.

DESENCONTRO – Os ataques incrivelmente agressivos praticados por Jair Bolsonaro contra aqueles que ele julga serem apenas os seus inimigos só podem encontrar explicação em um desencontro dele consigo mesmo. É como alguém que olha a sua imagem no espelho e não encontra a si próprio e, em face de tal desencontro, percorre em vão uma estrada de autoconhecimento.

Quando não houver mais possibilidade de a imagem real poder se assemelhar com a imagem que idealiza, Bolsonaro recuará e cairá na verdade dos fatos históricos. Não estão longe nem o dia e nem a hora. Isso porque, na minha opinião, vai decorrer da comprovação de que o seu projeto de golpe contra a Constituição, como ele próprio anunciou, não poderá lhe permitir um canal que o iluda sobre o que está acontecendo no país e no que ele próprio provocou com uma tempestade de absurdos em sequência.

CORRUPÇÃO ELEITORAL –  Basta examinar agora as suas denúncias sobre a corrupção eleitoral que ele prevê para as urnas de 2022. É dos raríssimos casos em que a formalização da denúncia antecede o acontecimento concreto. Por que ele se baseia na hipótese contrária a ele? É difícil explicar logicamente, uma vez que as ações criminais não podem se caracterizar apenas pelas intenções ocultas de cada um; é preciso que aconteça o fato.  

E por que a corrupção o derrotaria se ele ocupa o poder? Fraude eleitoral só pode ser cometida por quem ocupa o governo e movimenta as suas engrenagens. Nunca, é claro, pelos opositores do titular do mandato.

DELÍRIO – Se ele parte para o delírio prevendo a sua própria derrota por fraude é porque no fundo da questão sabe de antemão que será derrotado pelo ex-presidente Lula da Silva nas urnas se as eleições fossem hoje , como deixaram claras as pesquisas do Datafolha: 46% a 25%. Não há nenhuma fraude que leve a esse resultado. A diferença é simplesmente gigantesca.

Assim, se não puder compatibilizar seu projeto e um novo AI-5 com o apoio militar para torná-lo possível, aí sim terá que aceitar a verdade dos fatos e dos acontecimentos. Para mim, acentuo mais uma vez, ele irá renunciar ao poder que deseja perpetuar, renunciando assim a si mesmo.

PRECATÓRIOS – A posição do ministro Paulo Guedes em relação aos precatórios, cujo pagamento pretende adiar para tempos não determinados, cobre de ridículo o próprio titular da Fazenda e do Planejamento, uma vez que já perdeu os ministérios do Trabalho e da Previdência Social.

No meu ponto de vista. Guedes é um dos maiores farsantes da história econômica brasileira. Ontem, o congelamento salarial, com o aumento de preços; hoje o não pagamento de dívidas resultantes de processos na Justiça Federal transitados em julgado há 30 anos.

NAS GAVETAS – Quem me dá essa informação é o meu amigo Alexandre Farah, advogado e ex-deputado estadual. Os precatórios de 2021 nasceram com os julgamentos de 1990. Dormem nas gavetas do Tesouro, portanto, há três décadas, desse espaço de tempo nasceram cerca de 100 milhões de brasileiros.

Paulo Guedes quer prolongar absurdamente uma odisseia que parecia não ter fim e que, em grande parte dos casos, os credores são herdeiros legais de credores que já se foram com o vento e com o tempo.

FUTEBOL DE OURO –  Foi uma partida difícil, sem dúvida, a que marcou a nossa vitória por 2 x 1 contra a Espanha neste sábado. É o destino do esporte, pois se todas as vitórias fossem fáceis não haveria o impulso ou a emoção de competir. E se ninguém errasse, os jogos terminariam 0 x 0.

Nesse ponto, caímos numa outra realidade; a dificuldade de vencer que no fundo é o que glorifica as equipes e que abrilhantam as suas vitórias. Como dizia o meu saudoso amigo Nelson Rodrigues “todas as vitórias são santas”. Quando elas chegam, nós devemos apenas agradecer a Deus  e ao desempenho do nosso time, principalmente quando esse time é o Brasil.

EMOÇÃO – Vamos caminhar com mais essa vitória, recebê-la com emoção e, no fundo, com uma lágrima de felicidade. Assim recebemos também as vitórias de outros tantos atletas brasileiros nesta Olimpíada.

Vitória eterna como todos os momentos de glória da própria existência humana. Vamos ver se neste domingo fatos novos surgirão. Eles surgem sempre. Não fosse tal processo, a história já teria acabado há muito tempo. Ao contrário, ela é tão eterna quanto a presença do ser humano na terra.

9 thoughts on “Quando será o encontro da realidade de Bolsonaro com a realidade concreta dos fatos?

  1. Nessa semana finda, o filósofo brasileiro Lira citou Montesquieu, Locke e Aristóteles para reafirmar a separação dos poderes. Vejam só: foi tão longe no tempo para fechar o momento relembrando o forró: é preciso dançar sem pisar no pé do outro!
    Êta bichinho bom! Não esqueça: fique com o dedo no butão amarelo.

  2. Todas as promessas de Bolsonaro feitas na campanha foram genéricas. Foram ideias vazias e superficiais.
    Que eu me lembre ele prometeu acabar com os pardais e acabar com o PT.
    Cobrar coerência de Bolsonaro não tem razão de ser. Ele sempre foi coerente. Sempre se escondeu dentro da Câmara Federal. Hoje se esconde do cargo de Presidente. Ele quer ser apenas Bolsonaro.

  3. Pedro do Couto
    Discordo da possibilidade de renúncia.
    No mundo fictício, imaginário e tenebroso em que ele vive enclausurado, essa hipótese não existe.
    Aguardemos o pior.

  4. Quando o alto oficialato das FFAA’s encararem a realidade dos fatos, tomarem coragem e fazer o que tem que ser feito.
    PS: Junto com tudo que tem que ser feito, vai também o clã dos infernos.

  5. Bolsonaro deve se sentir honrado por ter outro farsante em sua frente na corrida eleitoral.

    O ex presidiário só está na frente porque no concurso de salafrarios quem ganha é quem mais deu prejuízos a outrem.

    A mídia ganha mais ainda com a quantidade de tolos que acredita que um cachaceiro aloprado poderá enganar novamente o povo e levar outros onze caminhões cheios do que não lo pertencente.

    Os dois jamais serão presidentes novamente porque as chances desperdiçadas por ambos não mais lhes serão concedidas pelo povo trabalhador enganado em sua boa fé em incapazes homens públicos sem experiência e vontade de se doar aos legítimos interesses dos que lhes elegeram.

    Os patifes se merecem, e se reconhecem, no íntimo, que só querem enricar e serem play boys, embora tenham nascidos matutos mas querem ser malandros, e nem existem mais malandros pois o Estácio hoje não tem mais prostituição.

    Basbacas que são, vivem nós seus cercadinhos a procura do ovacionismo dos cupinchas felizes com as migalhas dos seus banquetes às custas da miséria alheia.

    Fingerm ser homens de bem, mas seus semblantes diabólicos mostram o péssimo caráter de um e de outro, que se comparados, não haverá vencido nem vencedor.

    Não podem andar livremente pelas ruas das cidades, muito menos no interior, porque sabem que a sede do povo faria a justiça que a democracia impede, e aí seriam impiedosamente julgados pelos malefícios que causam ao Brasil.

    Vão ser sempre assim, sem rumo, sem amigos verdadeiros e muito menos pessoas normais que lutam por ideais republicanos, algo que desconhecem profundamente.

    Acham que entendem de política, embora não estudem seus conceitos, e não sabem nem o significado, tal é a preguiça e o comodismo de cada um.

    O que conseguiram foi enricar com o dinheiro público pago pelos impostos do cidadão, e.por isso estão muitíssimo satisfeitos e se glóriam com suas esperteza de matutos metidos a malandros.

    No fundo, são dois comédias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *