‘Quando um não quer, dois não brigam’, diz Mourão sobre ataques de Carlos Bolsonaro

Resultado de imagem para mourao

Mourão demonstra ter o equilíbrio que falta a Carlos Bolsonaro

Gustavo Maia
O Globo

Em sua primeira manifestação pública depois de ter virado alvo de ataques diretos do vereador Carlos Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão evocou um ditado popular para tentar diminuir a temperatura na relação com o segundo filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro.

“CALMA” – “Eu sei de todas as angústias, as perguntas que vocês querem fazer, mas é o seguinte: calma, todo mundo emite sua opinião, tal e coisa, né? A minha mãe sempre dizia uma coisa: quando um não quer, dois não brigam, tá certo? Então é essa a minha linha de ação, vamos manter a calma” — declarou o vice-presidente a jornalistas na saída de seu gabinete no Palácio do Planalto, no início da noite desta terça-feira.

Ao ser indagado sobre se Bolsonaro não deveria repreender seu filho como fez na segunda-feira ao divulgar nota dizendo que declarações recentes do ideólogo de direita Olavo de Carvalho “não contribuem” para o governo, Mourão preferiu deixar a resposta a cargo do mandatário.

FILHO É FILHO — “O presidente é o presidente, né? Então ele tem a forma dele de pensar. Aguarda, né? Filho é filho, né? Minha filha estava aqui, pô  — disse.

Mourão, que participou pela manhã de uma reunião ministerial ao lado de Bolsonaro, disse não ter tido oportunidade de conversas sobre o assunto com o presidente, já que o encontro durou quase “a manhã inteira”.

Ainda na noite de terça-feira, o vice-presidente participou de um jantar na Embaixada da China, em Brasília, promovido pela Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban).

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Mourão mostra uma grande qualidade que o filho 02 de Bolsonaro decididamente não tem – equilíbrio emocional. A postura do vice-presidente é perfeita, não faz comentários, segue desenvolvendo normalmente seu trabalho e deixa o vexame e o mico exclusivamente por conta da família Bolsonaro. E como ainda não está à beira do “último suspiro”, tem condições de continuar prestando grandes serviços ao país. (C.N.)

18 thoughts on “‘Quando um não quer, dois não brigam’, diz Mourão sobre ataques de Carlos Bolsonaro

  1. “O recado de Bolsonaro a Gilmar”

    “Em Brasília, há quem interprete o corte do patrocínio da Itaipu ao evento de Gilmar Mendes em Lisboa como um recado de Jair Bolsonaro às movimentaçōes do ministro.”

    “Elas incluem o inquérito inconstitucional que, segundo vazaram à imprensa, pretende pegar empresários bolsonaristas que estariam financiando ataques ao STF.”

    “Amor com amor não se paga.”

    ===> O Antagonista

  2. Seria interessante analisar por que Mourão quis marcar um gol contra indo no tal Wilson Center falar sobre a ” political paralysis…generated by the President’s own”.
    Obviamente estava claro que era um evento para criticar o governo e por outro lado elogiar…Mourão. Se o objetivo do Morão é prestar grandes serviços ao país e manter o equilíbrio emocional no seu entorno, essa ida foi sim um golaço contra.

  3. Falar dos erráticos é chover no molhado, perda de tempo, mas se é disso que a mídia gosta, coloquemos então mais algumas azeitonas nas empadas dos me$mo$. LULA E O SEU PT, ASSIM COMO OS DEMAIS PARTIDOS, e seus caciques, usuários e afins são contra a RPL-PNBC-DD-ME, mas Ela, generosa que é, não leva isso em conta na busca da verdade como Ela realmente é. “Porteira que passa um boi, passa uma boiada inteira.” Se Moro, do “Conje”, do “rugas” e cia, e o TRF4 erraram até mesmo na dosagem da pena a que condenaram o ex-presidente, é possível que tenham errado em tudo no caso. Daí, a última chave do molho para abrir a porta da esperança do Lula é o STF, ao qual basta cumprir texto expresso da Constituição para colocá-lo na rua. Todavia, se for verdade tudo aquilo que o Romero Jucá confessou no grampo do comparsa, Sérgio Machado, os fiéis escudeiros do “Quadrilhão do PMDB”, que pois Temer na presidência da república dos me$mo$, sucedido por Bolsonaro, Moro e CIA, que a mídia nativa não enxerga, mas que a imprensa do mundo inteiro não se cansa de denunciar,fato que faz do Brasil uma vergonha jurídica mundial, então Lula está ferrado mesmo, desgraçado, desbundado e sem futuro, e só poderá contar com o possível advento da Revolução Redentora, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, que, embora sendo contra, prevê a sua libertação tb. https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2019/04/24/trf-4-pode-interceptar-lula-a-caminho-no-ceu/?fbclid=IwA

  4. Carlos Bolsonaro já foi apelidado na internet de “Tonho da Lua”. E está claro que o apelido lhe cabe muito bem!

    Será que esse cara não tem algum trabalho a ser feito na Câmara Municipal da Cidade do Rio de Janeiro, aonde é vereador???

    Porque parece que o “moleque” não aguenta ficar um minuto sequer sem atrapalhar o governo do próprio pai…

    • É estranha essa ligação tão estreita entre o pai e o baita marmanjão , que não pode ser contrariado. Já se disse que o caso seria de algum nível de autismo. Vai saber.
      Ademais, o 02 não se deu conta, ainda, de que quem tomou a presidência do pai foram maia e gilmar, que conduzirão o Brasil até 2022, sem que nenhum general dê um pio.

  5. Picuinha, é tudo o que esse governo foi até agora. Picuinha…

    Basta uma boa sola de coturno para colocar as coisas em ordem…

    Num mundo onde estamos o tempo todo ouvindo falar de extremistas, terroristas, o que voce vê quando aparece uma foto desse desajustado filho do presidente?
    Tá na cara, esse quando o pai perguntava”o que voce vai ser quando crescer?” , respondia: “terrorista”.

  6. Neste país quem transcende a condição mental infanto-juvenil e passa a se equiparar intelectualmente com os estudiosos sérios do primeiro mundo, sofre todo tipo de inveja e ódio.

    Roberto Campos, Nelson Rodrigues, Ipojuca Pontes, Olavo, Lobão e outros que não me lembro.

    Quando me refiro ao brasileiro infanto-juvenil e invejoso, falo dos que têm diploma universitário.

    O nosso povão é igual a todos em qualquer país do mundo: quer se divertir e no nosso caso até está imune a esse lixo de gente que tem acesso aos órgãos de comunicação e que contribue para a destruição do Brasil com seus: “minério não dá duas safras”.

  7. “Pai e filho”

    “Os ataques de Carlos Bolsonaro a Hamilton Mourão contam com a anuência de Jair Bolsonaro, que, publicamente, coloca panos quentes no embate.”

    “A paciência de Bolsonaro com o vice se esgotou com o polêmico convite do Wilson Center, reproduzido por O Antagonista.”

    ————————————————————

    Não é o convite apenas toda a página oficial do evento mete a borduna no Presidente Jair Bolsonaro e seu governo.

    https://www.wilsoncenter.org/event/conversation-his-excellency-hamilton-mourao-vice-president-the-republic-brazil

    O “General” Hamilton Mourão “ser tão bonzinha”.

  8. Mourão saiu da obscuridade dos quartéis para tornar-se vice-presidente graças ao trabalho de formiguinha da família Bolsonaro. Junto ao Levy Fidelix e tratado como fascista pela elite, não seria eleito nem vereador de Cucui.

    Apesar disto, após a vitória, bastou a cleptocracia tucano-petista dos mé®dia mostrar-lhe a Andréia Sadi, os ‘flashes’ com um estojo de maquiagem e ele, ingrato, encheu-se de ‘brush’ para criticar as propostas de campanha do Bolsonaro (ou seja, da sua chapa). É lógico que o eleitorado bolsonarista não aceitaria essa vilania sem uma reação à altura.

    Esse é um ponto, o outro é a disputa por poder dentro do governo. Carlos Bolsonaro queria cravar as suas mãos na Secom, mas Mourão (o mesmo que aplaudiu a promoção do seu filho no BB) criticou publicamente a nomeação, o que contribuiu para o recuo do PR. Como vemos, o filho 02 não o perdoou.

    E o Olavo, por que ataca histericamente o Mourão? Para além da trairagem do vice, há o jogo de interesses, uma mistura de promoção pessoal, vingança e estratégia. Com a Secom sob a sua influência (Carlos é ligado ao professor), ele barganharia a liberação de verbas para a imprensa mediante uma mudança ideológica na linha editorial do veículo, um passo importante para derrotar a esquerda na tal da ‘guerra’ cultural e, de quebra, ele se vingaria dos seus desafetos pelo seu total banimento dos meios de comunicação do pais.

  9. Antes da eleição em 2108 era só paulada abaixo da cintura:
    “No fascismo de Mourão, desprezo absoluto pelo Brasil e pelos brasileiros”, 274
    “Bolsonaro, Mourão e a disputa interna do fascismo no governo”, GGN
    “O general Mourão, o judiciário da América Latina e as novas bestas fascistas”, DCM
    “Vice de Bolsonaro, general exalta legado da ditadura e ataca “ativismo gay”, UOL
    Agora todo mundo elogia o cara… preparado, democrata, moderado, conciliador, deveria estar no lugar do Bolsonaro… estranho….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *