Quanto mais importante é o blog ou site de Política, maior é o número de robôs

Resultado de imagem para robos na internet charges

Charge do Alpino (Cartuns Alpino)

Carlos Newton

Embora  a imprensa tradicional ainda esteja resistindo nos países mais desenvolvidos, no Brasil vive a maior crise de todos os tempos, ainda se mostrando impotente e  incompetente para enfrentar a concorrência dos sites, portais, blogs e redes sociais que infestam a internet. É o novo mundo da comunicação social, que se expandiu desordenadamente e hoje atinge muito mais pessoas, devido à popularização dos celulares.

Já houve tempo em que as bancas de jornais eram importantíssimas na divulgação de conhecimentos gerais. Hoje, a maioria delas está fechada ou se transformou em ponto de venda de doces, refrigerantes, sorvetes, cervejas e biscoitos, chega a dar pena.

CADA UM DO SEU JEITO – Jornais e revistas não vão morrer, é claro, mas terão de sobreviver à custa de assinantes e de publicidade direta ou de patrocínio indireto, defendendo interesses de governantes e grandes grupos empresariais ou financeiros, como sempre aconteceu, aliás. Se dependessem da venda em banca, faz tempo já teriam ido à falência.

Como Bolsonaro fechou os cofres à imprensa que ousa criticar o governo, hoje as verbas públicas fazem a fortuna de sites e blogs antes desconhecidos e de altíssima irresponsabilidade profissional, criados para defender o governo.

Ao mesmo tempo, o governo beneficia também veículos amestrados e amoldáves, com a TV Record e o SBT. Aliás, chega ser comovente o esforço da Gazeta do Povo, que já foi um grande jornal e hoje vive publicando apenas matérias a favor de Bolsonaro, na esperança de captar recursos federais, 

ADMIRÁVEL MUNDO NOVO – Nessa enlouquecida fase do jornalismo brasileiro, que certamente surpreenderia até um gênio como o escritor e filósofo britânico Aldous Huxlei, cada veículo acabará encontrando seu nicho.

No caso da Tribuna da Internet, o objetivo do blog é operar como um jornal dos jornais, conforme dizia nosso amigo Alberto Dines, através da transcrição das melhores reportagens e artigos da grande imprensa sobre política, economia e questões sociais, acompanhados de matérias e comentários próprios.

Assim, o leitor tem diariamente um panorama geral do momento político e socioeconômico.

ROBÔS EM PROFUSÃO – Hoje em dia, a importância dos portais, sites e blogs formadores de opinião pode ser avaliada pela quantidade de robôs que cada um consegue atrair. A TI, por exemplo, desde o início sempre esteve infestada por humanoides. Hoje, atuam em maior número os androides adoradores de  Bolsonaro, que fazem plantão 24 horas, junto com o replicantes a serviço de Lula da Silva, também muito numerosos e que se multiplicam velozmente.

Em menor número marcam presença os humanoides a serviço do PSDB, que hoje se empenham na exaltação de João Doria, e de robôs do PDT, a serviço da campanha de Ciro Gomes.

Esta semana, um fato curioso. Surgiu um novo robô tão radical e ofensivo que tivemos de deletar seus comentários logo no primeiro dia. E vida que segue, diria o grande João Saldanha. 

BALANÇO DE JANEIRO – Como fazemos a cada mês, vamos divulgar o balanço das contribuições dos amigos que nos ajudam a manter o blog.

De início, os depósitos na Caixa Econômica Federal:

DIA  REGISTRO  OPERAÇÃO     VALOR
04     344818         EST TA POS……………5,00
05     000001         CRED TED…………..35,00
18      181042         DP DIN LOT……….100,00
20      201014        DP DIN LOT…………20,00
29      291247        DP DIN LOT…………30,00

Agora, os depósitos na conta do Banco Itaú/Unibanco:

05     TED  033.1593  DASOUZ…………80,00
07     TED  033.3591  ROBERSNA…..200,00
08     TED  001.5977  JOSANP………..200,08
15      TED  001.4416  MARACRO…….250,00
28     TED  033.3591  ROBERSNA…..200.00

Agradecendo muitíssimo a todos os que contribuem para a manutenção desse espaço, vamos em frente, sempre juntos. (C.N.)  

22 thoughts on “Quanto mais importante é o blog ou site de Política, maior é o número de robôs

  1. LAMÚRIAS DE CROCODILO

    Em meio ao chororô, ao se despedir do cargo, Rodrigo Maia acusou o governo de “injusto” por “concentrar renda nas mãos dos servidores públicos”. O mala engavetou todos os projetos de deputados que acabavam privilégios, regalias, incorporações, gratificações em cascata.

  2. O “grande jornal da família paranaense” realmente bateu no fundo do poço, mas ele sempre foi assim, chapa branca. Corria aqui na “city que ri” que no dia em que os comunistas tomassem o poder, a primeira página do jornal seria impressa em vermelho, de tão chapa branca que o jornal era. As coisas mudaram na primeira ditadura de Maria Louca, ele brigou com o jornal que dali para frente só teve trégua nos governos pestistas. Até o Betinho brigou com esta gazeta . A isto ficou resumida esta gazeta centenária, babar no saco do Pinóquio para não acabar de vez.

  3. Bolsonaro fechou a torneira do dinheiro público à impren$a e o chororó é cada vez maior. Não adianta, se não tiver competência, vai quebrar.

    Interessante a visão do sr. CN sobre robôs, “todo aquele que apoia Bolsonaro”. Que bom que ainda vivemos numa democracia, não é mesmo?

    Apesar de ser um homem de fé, não sou dizimista da TI, nem cúmplice. Todo órgão de imprensa tem a liberdade de escolher a sua linha editorial e lutar por aquilo que acredita. Sendo assim, não tem porque reclamar.

    Infelizmente quem controla a informação nos dias de hoje são os globalistas que comandam os jovens bilionários das Big Techs, e eles tem a sua agenda própria, cumprida a risca por seus soldados. A imprensa tradicional faz muito barulho, mas não apita nada. Servem apenas para serem manipuladas por aqueles que pagam.

  4. Acho interessante e ao mesmo tempo contraditório, que os seguidores de Bolsonaro, seus robôs e sectários falem em democracia, se não admitem que o energúmeno presidente seja criticado!

    Bolsonaro é infalível!
    Correto, sincero, incorruptível, probo, honesto, verdadeiro, a virtude em pessoa, caso o povo não soubesse que liga com um corrupto, incompetente, insensível e genocida!

    Enfim, se antes era assim com Lula, ladrão e genocida, com Bolsonaro não é diferente, pois as ideologias são idênticas nos seus meios de lesar e prejudicar o povo, além de roubá-lo, explorá-lo e manipulá-lo!

    Só não me abordem a democracia, pois simplesmente escancaram o quanto são hipócritas e cínicos|!

    • Amigo Chicão, situaste bem o problema dos seguidores fanáticos de Bolsonaro: O ídolo deles é infalível, e qualquer argumento em contrário é desqualificado apesar das evidências.
      Fica impossível discutir com um deles, mesmo que em outros assuntos aja como pessoa sensata e ponderada. Se falamos em rachadinhas e Queiroz, rebatem dizendo que nos outros governos a corrupção era muito maior, sem pensar que estamos falando da pessoa do presidente e que não existe pessoa mais ou menos honesta, ou se é ou não é. Se falamos em incompetência, já fartamente demonstrad, têm o desplante de chamá-lo de estadista e melhor presidente que o Brasil já teve. Se falamos de duzentos e trinta mil mortos na pandemia dizem que a culpa é do Mandetta, que quando foi demitido não chegávamos ainda aos três mil. Qualquer um que diga o contrário é classificado como um “esquerdopata” e um comunista, como se o comunismo já não tivesse deixado de ser uma ameaça há tanto tempo e o mundo se dividisse exclusivamente entre bolsonaristas e uma esquerda, da qual aliás nem sabem direito quantas gradações tem.
      Um abraço do Mano

      • Meu caríssimo Mano,

        A tua concordância com o meu pequeno comentário me deixa muito alegre, pois sabes que te admiro pelas tuas qualidades de sensatez, equilíbrio, realidade da situação, responsabilidade e comprometimento com a verdade!

        Pois a verdade é esta, meu amigo, que a democracia nunca antes foi tão humilhada, ofendida, agredida, atacada e desrespeitada, quanto atualmente tem sido no Brasil!

        E como gostam de encher a boca e proferir que estamos em pleno estado democrático de direito.
        Meros piadistas,e sem graça nenhuma. Aliás, a classificação para esta gentalha deveria ser de cínicos, hipócritas, manipuladores e venais.

        Um grande e fraterno abraço, Mano.
        Saúde e paz, extensivo aos teus amados.

    • Bendl, bom dia! Não sou lulista, petista, psolista… Tendo algum desencontro do que penso e essas correntes, mas ainda assim sou mais à esquerda que direita, embora tenha um ou outro tema de agenda que concorde com esta. Que caminho podemos tomar para diminuir desigualdades econômicas e sociais(?) Pular fora do cercado que nos impõe as potências capitalistas que dominam o tabuleiro de xadrez mundial(?) Não vai ser com o caminho pregado por Guedes, Pedro Malan… Veja as consequências do conluio da direita com o centrão depois das eleições de 2014 que trouxeram instabilidade política para dar o bote e tomar o poder com um Impeachment que foi um Golpe em 2016.
      Dito isso. Concordo quando chamas Bolsonaro de genocida. Mas Lula… O país era menos miserável no seu tempo. Não considero tão à esquerda como deveria supor de sua origem no movimento operário trabalhista. Muitos banqueiros, financistas, rentistas encheram os bolsos. Mas inegável que muitos miseráveis saíram da linha da pobreza extrema e as classes baixa tiveram mais acesso ao ensino técnico e superior, linhas de crédito… A pecha de genocida não é adequada ao Lula.

      • Prezado Leão da Montanha,

        Muito me anima debater contigo certos assuntos, em face de tuas colocações, argumentos, educação, respeito e elegância no tratamento que me destinas nessas ocasiões.

        A recíproca é a mesma.

        Dito isso, vamos lá:
        Acuso Lula de genocida pelo seguinte fato:
        Se não houve no tempo do petista uma pandemia, foi na administração do PT que surgiu a ampliação do projeto social mais falso e enganador existente:
        O Bolsa Família!

        Lula condenou milhões de pessoas à miséria, à pobreza, que dependessem permanentemente do governo para ter a fome saciada, apesar de razoavelmente.
        Certamente a perspectiva de vida desses desvalidos é bem menor que a nossa, pois apenas com 200,00 por mês, convenhamos, torna-se impossível comentarmos sobre qualidade de vida, pelo contrário, a existência é permeada com esgotos a céu aberto, doenças facilmente transmissíveis, falta de água encanada, atendimento médico, dentário, Planejamento Familiar … em níveis precários a péssimos.

        Caso Lula fosse mesmo adepto do povo; quisesse o seu bem; tinha poder político para tanto; havia apoio do congresso e demais instituições; bastava querer para realizar, Lula deveria ter aberto postos de trabalho.

        Devolver a dignidade ao ser humano;
        que tivesse de volta a sua autovalorização;
        que voltasse a trabalhar e ganhar o seu sustento sem depender de esmolas e caridade pública.

        Não foi esta a intenção de Lula e do PT.
        A razão era aumentar o curral eleitoral;
        o motivo era prender o povo à benevolência do governo para com os oprimidos;
        a meta era colocar o brasileiro à mercê de Lula e o PT, pois lhe deram de comer.

        Quantas milhares de pessoas morreram sem uma alimentação que as mantivessem em pé?
        Quantas milhares de pessoas morreram por falta de proteínas?
        Quantas milhares de pessoas morreram porque os postos de saúde não tinham como atender a demanda de desvalidos?
        Quantos brasileiros morreram às portas dos hospitais sem atendimento?

        Lembra do Programa Mais Médicos?
        Jamais a intenção foi alcançar à população o atendimento esperado, jamais!
        O golpe petista era transferir dinheiro para Cuba, pois os profissionais recebiam 1/5 do salário combinado, pois a maior parte ia direto para as contas do governo cubano!

        Que fim levou o “programa”?
        O Brasil resolveu a falta de médicos no interior?
        Nada!
        Basta vermos o que aconteceu com Manaus, que até oxigênio faltou para salvar a vida de centenas de amazonenses!

        Portanto, Lula e Bolsonaro se equiparam no genocídio que o brasileiro tem sido vítima!
        Lula deu o pontapé inicial neste planejamento maldoso, criminoso.
        Bolsonaro não só o segue irrestritamente como o ampliou mais ainda, aumentando o desemprego, a fome, a miséria e a pobreza nacionais!

        Abraço.
        Saúde e paz, parceiro.

    • Continuando sobre o que comentou o caro Bendl. Ainda sobre Lula. Sabendo que tem muita admiração pelos lavajatistas. E a todo tempo chama o molusco de ladrão e defende com ardor o ex-Juiz e o Procurador que encabecavam aquela força-tarefa. É preciso olhar com atenção e compreender que o lavajatismo na operatividade do poder estatal agiu de maneira contraproducente. O poder subiu a cabeça e passaram a ver na atuação a possibilidade de influir nas disputas eleitorais, ou desde o início o propósito único era este. Pelas regras processuais cada um dos atores desempenha um papel. E isso não foi observado. Temos o reconhecimento disso internacionalmente, nas manifestações do órgão da ONU. O episódio conhecido como Vaza-Jato escancarou a conduta inadequada dos agentes públicos. O que antes apenas insinuavam as imagens públicas nós eventos. Sorrisinho para cá e para lá. Entre as conversas vazadas teve até discussão sobre o quanto aquilo estava rendendo em palestras(?) foram isso, na questão processual, juiz sugerindo ação da acusação(?) trocar procuradora(?)
      Francamente, como disse Gherardo Colombo, Magistrado italiano, que atuou na Operação Mãos Limpas, não tem como compará-la com a Lava-jato mesmo. Na Itália os agentes públicos atuaram no estrito limite das suas funções. Se os atos do juiz e procuradores do Brasil fosse em seu país estariam respondendo na justiça italiana…

      • Leão,

        Dando sequência ao nosso diálogo, quero insistir sobre o que penso desta discussão entre os que apoiam Moro, e os que o criticam pelo comportamento jurídico inadequado.

        Vamos lá:
        Causa-me espécie, estranheza, um mal-estar, eu ler que o ex-juiz e procuradores da Lava Jato, hoje encerrada, sejam muito mais criticados e severamente, que os ladrões que nos roubaram bilhões de reais ao longo de 16 anos!!!

        Não aceito essas medidas, essas comparações, essas questões que alegam ter sido prejudiciais tanto à justiça quanto ao réu.

        De um lado, o dos “mocinhos”, exige-se uma conduta irrepreensível, imaculada, ilibada;
        do outro, dos bandidos, uma compreensão imensa, uma aceitação dos crimes praticados como “normais” no sistema corrupto brasileiro, por Lula e asseclas.

        Não dá para eu aceitar essa distinção que que querem dar ao processo.
        Não posso concordar que um atalho dali ou daqui, impeça que o resultado obtido pela Lava Jato não deva ser reverenciado, admirado e aplaudido.

        Por que para os ladrões do povo, os corruptos, os meliantes enrustidos nos três poderes, aceitamos as suas práticas ilícitas, e sem maiores protestos?
        Por que para Sergio Moro e procuradores, eles têm o repúdio de uns e outros; a critica veemente pelo que fizeram; o desejo de vê-los atrás das grades, e Lula solto com foguetes e festas pelo Brasil inteiro!?

        Por que para uns os rigores da lei e, para outros, os beneplácitos e considerações da mesma lei?

        Mais a mais, Leão, me diz com a tua natural sinceridade:
        Nosso poder Judiciário tem moral para criticar Sérgio Moro (leia-se STF)?!

        Oposição, situação, possuem condições de criticar Moro, e querer vê-lo punido de qualquer maneira?

        Como que aceitam a obtenção do sigilo telefônico entre juiz e procuradores ilicitamente, porém se rebelam contra o magistrado que mostrou ao mundo Brasil a nossa situação decadente ética e moralmente?

        Por essas e outras, Leão, que defendo com garras e dentes a Lava Jato, e serei sempre grato ao valente e corajoso Sérgio Moro e aos procuradores que fizeram parte da maior operação policial da nossa história!

        A desvalorização deste movimento é para mim um atestado de que somos roubados, explorados e manipulados, e não só aceitamos ser vítimas, como gostamos de ser maltratados.

        Eu não, meu amigo.

        Abração.
        Saúde e paz.

        • Gosto de discutir também contigo e o respeito é recíproco. Mas sinto que nesse tema o olhar diferente e distante seja prejudicial à verdade. Abraço pra ti!
          Mas não se esqueça: o caminho é pela esquerda.
          Leão da Montanha

  5. O grande e experiente Editor-Moderador do TRIBUNA DA INTERNET, Sr. CARLOS NEWTON com seu IDEALISMO, produz um excelente Noticiário/Tradução simultânea da Política/Econômia, e permite um Forum de Debates aberto a TODOS(AS), que para nós, é a maior Riqueza da T I .
    Como é agradável ler e interagir com Pessoas Educadas, de preferência mais experientes que nós, no debater dos Assuntos Políticos/Econômicos.

    Infelizmente o Sr. CARLOS NEWTON agora com ajuda do bom Sr. MARCELO COPELLI, que Editam 24/7 continuamente o ano todo, não tem tempo para “corrigir” OFENSAS a Pessoa de Colegas Comentaristas em tempo real, o que “afugenta” da T I os melhores Comentaristas.

    Não me refiro a “Ofensas” às IDEIAS, o que é normal porque Ninguém é Dono da Verdade, mas a ataques PESSOAIS. Eu mesmo já fui taxado pelas minhas Ideias ( Nacional-Desenvolvimentista Semi-Estatal PRIVATISTA NACIONAL – LACERDISTA), de ingênuo, burro, infantil, tolo, etc, e até perguntado que Xampu eu uso porque lava tão bem meus cabelos e MAIS AINDA MEU CÉREBRO, etc, mas tudo bem, a Gente se defende como pode, argumenta, etc.
    Mas se te chamam de Cafajeste, F D P, etc, pela Opinião emitida, aí é tirar o time de campo e partir para outro Jornal Virtual melhor. Aconteceu com muitos aqui.

    O aparecimento de Robots na Internet é como o Atrito nas Máquinas, impossível de evitar, mas desde que não emitam OFENSAS PESSOAIS não atrapalham, e notar que Defensores das Políticas de Esquerda, Centro e Direita, de Comunistas até Conservadores Reacionários não são Robots, são defensores destas ideias que geralmente não escrevem muito.

    Bom são os COMENTARISTAS que expõem suas IDEIAS , Debatem, sem ofender PESSOALMENTE Ninguém, tenham que IDEIAS tenham.

    Assim como o estado dos Banheiros Públicos dão uma ideia do desenvolvimento Econômico-Social de uma Nação, o nível de CONTRIBUIÇÕES, principalmente uma Mensalidade de R$ 20 para ajudar a manter a T I onLine dão uma ideia de nosso Padrão de JUSTIÇA. Remunerar mesmo com pequena Mensalidade é o mínimo que devemos fazer para com Aquele que TRABALHA 24/7 para nos proporcionar esse bom Forum de Debates.

    Nesse ponto não é muito elogiável nossa situação, Arrecadando +- R$ 1.000/Mês, +- R$ 2.000/Mês, no máx, quando deveria ser no mínimo 10 X mais, Temos que melhorar.

    Lembro sempre que a T I é lida também por Senhoras, Jovens e até Crianças, e por isso devemos ter mais cuidado ainda.

    Abração a TODOS.

  6. A teta estatal secou, a mídia de outrora não manipula mais ninguém, novos tempos, jornal impresso? Lembro do Estadão aos domingos, seção empregos, calhamaço, tenho um recorte guardado há 25 anos, bons tempos do verdadeiro jornalismo, atualmente, pura militância de tudo que não presta, redação da foice mentirosa, manipuladora, repleta de gazelas, sapatas, drogados, novilíngua, verdadeira agressão ao idioma pátrio, linguagem e escrita neutra(a turma do x), ideologia de gênero, ataques aos pilares do ocidente, aos valores judaicos-cristãos, conservador taxado como fascista… eis o resultado… chora e esperneia!

  7. Caro Chicão, ando até desconfiado dos debatedores “educados”, aqueles que nos querem no pelotão de fuzilamento do Moro e Dallagnol.

    Não se desgaste Chicão? Não perca seu tempo.

    Veja a lista abaixo da Odebrecht:

    Abelha – Francisco Appio, ex-deputado estadual (PP-RS)
    Acelerado – Eduardo Siqueira Campos (DEM-TO)
    Aço – Wellington Magalhães, vereador (PTN-MG)
    Adoniran – Braz Antunes Mattos Neto, vereador (PSD-SP)
    Anão – Antonio Carlos Magalhães Neto, prefeito (DEM)
    Alba – Tiago Correia, vereador (PSD-BA)
    Alemão – Carlos Todeschini (PT-RS)
    Alemão – Valdir Raupp (PMDB-RO)
    Aliado ou Gremista – Marco Maia, deputado federal (PT-RS)
    Amante ou Coxa – Gleisi Hoffmann, senadora (PT-PR)
    Amarelou – Durval Amaral, presidente do Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR)
    Amigo – Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente (PT-SP)
    Amigo C – Paulo Câmara, vereador (PSDB-BA)
    Angorá, Primo, Bicuíra ou Fodão – Eliseu Padilha, ministro (PMDB-RS)
    Aquático – João Fischer (Fixinha), deputado estadual (PP-RS)
    Aracaju – Aloizio Mercadante (PT-SP)
    Asfalto – Jaime Martins, deputado federal (PSD-MG)
    Aspirina – Angela Amin, ex-prefeita (PP-SC)
    Atleta – Renan Calheiros (PMDB-AL)
    Atravessador – Alcebíades Sabino, ex-deputado estadual (PSC – RJ)
    Avião – Manuela D’Ávila, deputada federal (Pc do B-RS)
    Azeitona – José Fernando de Oliveira, ex-deputado (PV-MG)

    Ex-executivo da Odebrecht, Benedicto Júnior confirma lista de apelidos em depoimento

    Babão – Iris Rezende, prefeito (PMDB-GO)
    Babel – Geddel Vieira Lima, ex-ministro (PMDB-BA)
    Babosa – Paulo Alexandre Barbosa, prefeito (PSDB-SP)
    Baianinho – Paulo Hartung, governador (PMDB-ES)
    Baixada – Manoel Neca (PP)
    Balzac – Yeda Crusius, deputada federal (PSDB-RS)
    Barão – Carlin Moura, ex-prefeito (PC do B-MG)
    Barbie ou Belo Horizonte – Marta Suplicy, senadora (PMDB-SP)
    Barrigudo – Fabio Ramalho, deputado federal (PMDB-MG)
    Batalha ou Chorão – Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB (PSDB-PE)
    Bateria – Maria do Carmo Lara Rezende, ex-prefeita (PT-MG)
    Belém ou M&M – Geraldo Alckmin, governador (PSDB-SP)
    Benzedor – João Paulo Papa, deputado federal (PSDB-SP)
    Bico – Geraldo Júnior, secretário municipal (SD-BA)
    Bitelo – Lúcio Vieira Lima, deputado federal (PMDB-BA)
    Biscoito – Sandro Mabel, ex-deputado federal (PR-GO)
    BMW ou Manso – Beto Mansur, deputado federal (PRB-SP)
    Boa Vista – Paulinho da Força, deputado (SD-SP)
    Boca mole – Heráclito Fortes, deputado federal (PSB)
    Bocão – Sandro Boka, ex-deputado (PMDB-RS)
    Boiadeiro – João Paulo Rillo, deputado estadual (PT-SP)
    Bolinha ou Pescador – Anthony Garotinho, ex-governador (PR-RJ)
    Bonitão ou Garanhão – Fabio Faria, deputado (PSD-RN)
    Bonitão, Pavão, Bonitinho, Velho, Casa de Doido – Julio Lopes, deputado federal (PP-RJ)
    Bonitinho – Robinson Faria, governador (PSD-RN)
    Boquinha – Sérgio Borges, ex-deputado (PMDB-ES)
    Botafogo ou Déspota – César Maia, ex-prefeito do Rio (DEM-RJ)
    Botafogo – Rodrigo Maia, presidente da Câmara (PMDB-RJ)
    Buzu – Henrique Carballal, vereador (PV-BA)
    Brasília – Fernando Capez, deputado estadual (PSDB-SP)
    Brigão, Piloto – Beto Richa, governador (PSDB-PR)
    Bronca – Paulo Rubem Santiago, ex-deputado (PSOL-PE)
    Bruto – Raul Jungmann, ministro (PPS-PE)
    Caim – Osmar Dias, ex-senador (PDT)
    Caju – Romero Jucá, senador (PMDB-RR)
    Candomblé – Edvaldo de Brito, vereador (PSD-BA)
    Campinas – Francisco Chagas, ex-vereador (PT-SP)
    Caldo – Blairo Maggi, ministro (PP-MT)
    Calvo – Pablito, ex-vereador (PSDB-MG)
    Campari – Gim Argello, ex-senador (PTB-DF)
    Canário – Esmael de Almeida, deputado estadual (PMDB-ES)
    Carajás – Arnaldo Jardim, secretário estadual (PPS-SP)
    Carmem – Fabiano Pereira, ex-deputado (PSB-RS)
    Caranguejo – Eduardo Cunha, ex-deputado federal (PMDB-RJ)
    Carrossel – Rosalba Ciarlini, prefeita (PP-RN)
    Castor – Rodrigo de Castro, deputado federal (PSDB-MG)
    Cavanhaque – Helder Barbalho, ministro (PMDB-PA)
    Centroavante – Renato Casagrande, ex-governador (PSB-ES)
    Cérebro – Mendes Ribeiro Filho, ex-deputado (PMDB-RS)
    Cerrado – Ciro Nogueira, senador (PP-PI)
    Chaveiro – José Chaves, ex-deputado (PTB-PE)
    Chefe Turco, Kibe ou Projeto – Gilberto Kassab, ministro (PSD-SP)
    Chorão – Pedro Eurico, secretário estadual (PSDB-PE)
    Cintinho – Mauro Lopes, deputado (PMDB-MG)
    Cobra – Wilma de Faria, vereadora (PT do B-RN)
    Colorido – Fábio Branco, secretário estadual (PMDB-RS)
    Coluna – Ana Amélia Lemos, senadora (PP-RS)
    Comprido – Agnelo Queiroz, ex-governador (PT-DF)
    Comuna – Daniel Almeida, deputado federal (PC do B-BA)
    Conquistador – Dalírio Beber, senador (PSDB-SC), e Napoleão Bernardes, prefeito de Blumenau (PSDB-SC)
    Contador – Paulo Ferreira, ex-tesoureiro do PT (PT-RS)
    Contas – Arselino Tatto, vereador (PT-SP)
    Correios – Alexandre Postal, deputado estadual (PMDB-RS)
    Crusoé – Robson de Lima Apolinário, ex-deputado suplente (PDT-SP)
    Cruzeiro do Sul – Barros Munhoz, deputado estadual (PSDB-SP)
    Curitiba – Roberto Freire, ministro (PPS-SP)

    Marcelo Odebrecht confirma que codinome amigo fazia referência a Lula

    Da Casa – Alberto Pinto Coelho, ex-governador (PP-MG)
    Da hora – Carlos Melles, deputado federal (DEM-PR)
    Decodificado – Luiz Carlos Hauly, deputado federal (PSDB/PR)
    Decrépito – Paes Landim, deputado federal (PTB-PI)
    Dengo – Antonio Anastasia, senador (PMDB-MG)
    Dentada – Gustavo Correa , deputado estadual (DEM-MG)
    Dentuço – Gustavo Fruet, ex-prefeito de Curitiba (PDT-PR)
    Desesperado – Germano Rigotto, ex-governador (PMDB-RS)
    Diamante – Paulo Abi Ackel, deputado federal (PSDB-MG)
    Disco – Luiz Paulo Correa da Costa, deputado estadual (PSDB-RJ)
    Diplomata – Hugo Napoleão, ex-governador (PSD-PI)
    Do reino – Fernando Pimentel, governador (PT-MG)
    Doutor – Juarez Amorim (PPS-MG)
    Drácula – Humberto Costa, senador (PT-PE)
    Duro – Ricardo Ferraço, senador (PSDB-ES)
    Educador – Paulo Henrique Lustosa, deputado federal (PP-CE)
    Ema – Lúdio Cabral, ex-vereador (PT-MT)
    Enteado – José Otávio Germano, deputado federal (PP-RS)
    Escuro – Marco Alba, prefeito (PMDB-RS)
    Escritor – José Sarney (PMDB), ex-presidente
    Esquálido – Edison Lobão, senador (PMDB-MA)
    Eva – Adão Vilaverde, deputado estadual (PT-RS)
    Fantasma – Ideli Salvatti, ex-ministra (PT-SC)
    Fazendão – Elbe Brandão, deputada estadual (PSDB-MG)
    Feia – Lídice da Mata, senadora (PSB-BA)
    Feio ou Lindinho – Lindbergh Farias, senador (PT-RJ)
    Ferrari ou Grisalhão – Delcídio do Amaral, ex-senador (MS)
    Filhinho ou Filinho ou Gordo – Dimas Fabiano Jr., deputado federal (PP-MG)
    Filho – Paulo Bornhausen, ex-deputado (PSB-SC)
    Filho do reino – Luciano Rezende, prefeito (PPS-ES)
    Filhote – Luiz Paulo Vellozo, ex-prefeito (PSDB-ES)
    Filósofo – Paulo Bernardo, ex-ministro
    Fino – Bruno Siqueira, prefeito (PMDB-MG)
    Flamengo – Adrian Mussi, ex-deputado federal (PMDB-RJ)
    Fodinha – Frederico Antunes, deputado estadual (PP-RS)
    Fósforo – Tarcísio Caixeta, vereador (PC do B-MG)
    Fragmentada – Weliton Prado, deputado federal (PMB-MG)
    Frances – Célio Moreira, deputado estadual (PSDB-MG)

    Delação da Odebrecht: João Borba Filho diz que codinome de Cabral era ‘Próximus’

    Garoto – Otávio Leite, deputado federal (PSDB-RJ)
    Goleiro – Paulo Magalhães Júnior (PV-BA)
    Gordo – Pimenta da Veiga (PSDB-MG) e Antonio Anastasia, senador (PSDB-MG)
    Grego – Jorge Piciani, deputado estadual (PMDB-RJ)
    Grenal – Valdir Andres, ex-prefeito (PP-RS)
    Gripe – Cesar Colnago, vice-governador (PSDB-ES)
    Gripado ou Pino – José Agripino, senador (DEM-RN)
    Grisalho – Arlindo Chinaglia, deputado (PT-SP)
    Grosseiro – Plauto Miró, deputado estadual (DEM-PR)
    Guarulhos – Carlos Zarattini, deputado federal (PT-SP)
    Guerrilheiro – José Dirceu, ex-ministro (PT), ou João Vaccari, ex-tesoureiro do PT
    Igreja – Bernardo Santana, deputado (PR-MG)
    Inca – Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados (DEM-RJ)
    Índio – Eunício de Oliveira, presidente do Senado (PMDB-CE)
    Inferno – Ronaldo Santini, deputado estadual (PTB-RS)
    Itabuna – Campos Machado, deputado estadual (PTB-SP)
    Itacaré – Celso Russomanno, deputado federal (PRB-SP)
    Italiano – Audifax Barcelos, prefeito (Rede-ES)
    Italiano – Antonio Palocci, ex-ministro (PT-SP)
    Itambé – Edinho Silva, prefeito (PT-SP)
    Itatiaia – José Maria Eymael (PSDC-SP)
    Itumbiara – Edson Aparecido dos Santos (PSDB-SP)
    Jacaré – Jader Barbalho, senador (PMDB-PA)
    Jangada – Luiz Carlos Busato, deputado federal (PTB-RS)
    João Pessoa – Vicentinho, deputado federal (PT-SP)
    Jogador – Márcio Reinaldo, prefeito (PP-MG)
    Jornalista – Elismar Prado, deputado estadual (PDT-MG)
    Jovem – Adolfo Viana, deputado estadual (PSDB-BA)
    Jujuba – Bruno Araújo, ministro (PSDB-PE)
    Justiça – Renan Calheiros, senador (PMDB-AL)
    Kimono – Artur Virgílio, prefeito (PSDB-AM)
    Lagarto ou Largato – Gil Pereira, deputado estadual (PP-MG)
    Lamborghini – Luiz Fernando T. Ferreira, deputado estadual (PT-SP)
    Lento – Garibaldi Alves, senador (PMDB-RN)
    Lima – Luiz Fernando Faria, deputado federal (PP-MG)
    Louro – João Alves Filho, ex-prefeito (DEM-SE)
    Macapá – Ricardo Montoro, ex-deputado estadual (PSDB-SP)
    Machado – Kátia Abreu, senadora (PMDB-TO)
    Maçaranduba – Ivo Cassol, senador (PP-RO)
    Magma – Guilherme Lacerda (PT-ES)
    Manaus – Aloysio Nunes, ministro (PSDB-SP)
    Masculina – Iriny Lopes, ex-deputada federal (PT-ES)
    Médico – Colbert Martins Filho, vice-prefeito (PMDB-BA)
    Menino da floresta – Tião Viana, senador (PT-AC)
    Mercedes – Edinho Bez, ex-deputado federal (PMDB-SC)
    Metalúrgico – Nilmário Miranda, secretário estadual (PT-MG)
    Mineirinho – Aécio Neves, senador (PSDB-MG)
    Misericórdia – Antônio de Brito, deputado federal (PSD-BA)
    Missa – José Carlos Aleluia, deputado federal (DEM-BA)
    Moleza – Jutahy Magalhães, deputado federal (PSDB-BA)
    Montanha – Marcos Montes, deputado federal (PSD-MG)
    Montanha – Paulo Pimenta, deputado federal (PT-RS)
    Musa – Ana Paula Lima, deputada estadual (PT-SC)
    Navalha – Arlete Magalhães, deputada estadual (PV-MG)
    Navalha – Wellington Magalhães, vereador (PTN-MG)
    Navegante – José Anibal, ex-senador (PSDB-SP)
    Natal – José Genoíno, ex-presidente do PT (PT-SP)
    Nervosinho – Eduardo Paes, ex-prefeito do Rio (PMDB-RJ)
    Neto – Eduardo Campos, ex-governador (PSB-PE)
    Novilho ou Charada – Fernando Bezerra, senador (PSB-PE)
    Novo – Max Filho, prefeito de Vila Velha (PSDB-ES)
    Nulo ou Duro – Ricardo Ferraço, senador (PSDB-ES)
    Oxigênio – Hudson Braga, secretário de obras do RJ

    Veja apelidos dados a políticos nas planilhas de doações da Odebrecht

    Padre – Josenildo Sinésio, ex-vereador de Recife (SD-PE)
    Padrinho – Eduardo Azeredo, ex-governador de MG (PSDB-MG)
    Palmas – Vicente Candido, deputado (PT-SP)
    Parente – André Vargas, ex-deputado federal por SC (sem partido)
    Paris – Márcio França, vice-governador de SP (PSB-SP)
    Parreira – José Roberto Arruda, ex-governador (ex-DEM)
    Passadão ou Triângulo – Jorge Bittar, ex-deputado federal (PT-RJ)
    Patati ou Padeiro – Marconi Perillo, governador (PSDB-GO)
    Pavão ou Velhos – Julio Lopes, secretário de transportes (PP-RJ)
    Pavão – Ivar Pavan, ex-deputado estadual (PT-RS)
    Pelé – Nelson Pellegrino, deputado federal (PT-BA)
    Pequeno – Sérgio Aquino, candidato a prefeito de Santos (PMDB-SP)
    Persa – Ayrton Xerez, ex-deputado federal (DEM-RJ)
    Pescador – Zeca do PT, deputado federal (PT-MS)
    Polo – Jaques Wagner, ex-governador (PT-BA)
    Ponta Porã ou Corredor – Duarte Nogueira, prefeito (PSDB-SP)
    Pós-italiano ou Pós-itália – Guido Mantega, ex-ministro
    Poste – Marcio Lacerda, ex-prefeito (PSB-MG)
    Praia – Ademar Traiano, deputado estadual (PSDB-PR)
    Primo – Moreira Franco, ministro da secretaria geral da presidência (PMDB-RJ)
    Princesa – Cida Borghetti, vice-governadora do PR (PP-PR)
    Prosador – Cássio Cunha Lima, senador (PSDB-PB)
    Protegida – Lorena de Fátima Arrué Dias, candidata (PSDB-RS)
    Proximus – Sérgio Cabral, ex-governador do RJ (PMDB-RJ)
    Proximus – Luiz Fernando Pezão, governador do RJ (PMDB-RJ)
    Rasputinzinho – Bernardo Ariston, ex-deputado federal (PMDB-RJ)
    Ribeirão Preto – Roberto Massafera, deputado estadual (PSDB-SP)
    Rio – Marcelo Nilo, deputado estadual (PSL-BA)
    Roberval Taylor – Mário Kertesz, ex-prefeito (PMDB)
    Roxinho – Fernando Collor, senador (PTC-AL)
    Sábado – Domingos Sávio, deputado estadual (PSDB-MG)
    Santo André – João Paulo Cunha, ex-deputado (PT-SP)
    Sapato – Alexandre Passos, ex-presidente da Câmara de Vitória (PT-ES)
    Segundo – Juarez Amorim (PPS-MG)
    Silo – Alexandre Silveira, secretário estadual de saúde (PSD-MG)
    Solução – Maria do Rosário, deputada federal (PT-RS)
    Soneca – Waldir Pires, (PT-BA)
    Suíça – Rodrigo Garcia (DEM-SP)
    Teco – Tico Lacerda (PDT-SC)
    Timão – Andrés Sanchez, deputado federal (PT-SP)
    Tio – Gustavo Valadares, deputado estadual (PSDB-MG)
    Todo Feio e Cunhado – Inaldo Leitão (sem partido)
    Trincaferro – Beto Albuquerque, deputado federal (PSB-RS)
    Tuca – Arthur Maia, deputado federal (PPS-BA)
    Vaqueiro – Ronaldo Caiado, senador (DEM-GO)
    Verdinho – André Correa, deputado estadual (PSD/RJ)
    Viagra – Jarbas Vasconcelos, deputado federal (PMDB-PE)
    Vizinho – José Serra, senador (PSDB-SP)
    Wanda – Antonio Andrade, vice-governador (PMDB-MG)
    Zagueiro – Júlio Delgado, deputado federal (PSB-MG)
    Partidos
    Além dos políticos, as planilhas da Odebrecht também mostraram que alguns partidos eram identificados como times de futebol. Por exemplo, o PT era o Flamengo, e o PSDB, o Corinthians. O PR ganhou o codinome de São Paulo e o DEM, de Fluminense (veja a lista completa abaixo).

    Os documentos foram entregues ao Ministério Público Federal (MPF) pelo delator Luiz Eduardo Soares, que atuou no Setor de Operações Estruturadas – como era chamado o departamento de propinas da empreiteira.
    Abelha – Francisco Appio, ex-deputado estadual (PP-RS)
    Acelerado – Eduardo Siqueira Campos (DEM-TO)
    Aço – Wellington Magalhães, vereador (PTN-MG)
    Adoniran – Braz Antunes Mattos Neto, vereador (PSD-SP)
    Anão – Antonio Carlos Magalhães Neto, prefeito (DEM)
    Alba – Tiago Correia, vereador (PSD-BA)
    Alemão – Carlos Todeschini (PT-RS)
    Alemão – Valdir Raupp (PMDB-RO)
    Aliado ou Gremista – Marco Maia, deputado federal (PT-RS)
    Amante ou Coxa – Gleisi Hoffmann, senadora (PT-PR)
    Amarelou – Durval Amaral, presidente do Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR)
    Amigo – Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente (PT-SP)
    Amigo C – Paulo Câmara, vereador (PSDB-BA)
    Angorá, Primo, Bicuíra ou Fodão – Eliseu Padilha, ministro (PMDB-RS)
    Aquático – João Fischer (Fixinha), deputado estadual (PP-RS)
    Aracaju – Aloizio Mercadante (PT-SP)
    Asfalto – Jaime Martins, deputado federal (PSD-MG)
    Aspirina – Angela Amin, ex-prefeita (PP-SC)
    Atleta – Renan Calheiros (PMDB-AL)
    Atravessador – Alcebíades Sabino, ex-deputado estadual (PSC – RJ)
    Avião – Manuela D’Ávila, deputada federal (Pc do B-RS)
    Azeitona – José Fernando de Oliveira, ex-deputado (PV-MG)

    Ex-executivo da Odebrecht, Benedicto Júnior confirma lista de apelidos em depoimento

    Babão – Iris Rezende, prefeito (PMDB-GO)
    Babel – Geddel Vieira Lima, ex-ministro (PMDB-BA)
    Babosa – Paulo Alexandre Barbosa, prefeito (PSDB-SP)
    Baianinho – Paulo Hartung, governador (PMDB-ES)
    Baixada – Manoel Neca (PP)
    Balzac – Yeda Crusius, deputada federal (PSDB-RS)
    Barão – Carlin Moura, ex-prefeito (PC do B-MG)
    Barbie ou Belo Horizonte – Marta Suplicy, senadora (PMDB-SP)
    Barrigudo – Fabio Ramalho, deputado federal (PMDB-MG)
    Batalha ou Chorão – Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB (PSDB-PE)
    Bateria – Maria do Carmo Lara Rezende, ex-prefeita (PT-MG)
    Belém ou M&M – Geraldo Alckmin, governador (PSDB-SP)
    Benzedor – João Paulo Papa, deputado federal (PSDB-SP)
    Bico – Geraldo Júnior, secretário municipal (SD-BA)
    Bitelo – Lúcio Vieira Lima, deputado federal (PMDB-BA)
    Biscoito – Sandro Mabel, ex-deputado federal (PR-GO)
    BMW ou Manso – Beto Mansur, deputado federal (PRB-SP)
    Boa Vista – Paulinho da Força, deputado (SD-SP)
    Boca mole – Heráclito Fortes, deputado federal (PSB)
    Bocão – Sandro Boka, ex-deputado (PMDB-RS)
    Boiadeiro – João Paulo Rillo, deputado estadual (PT-SP)
    Bolinha ou Pescador – Anthony Garotinho, ex-governador (PR-RJ)
    Bonitão ou Garanhão – Fabio Faria, deputado (PSD-RN)
    Bonitão, Pavão, Bonitinho, Velho, Casa de Doido – Julio Lopes, deputado federal (PP-RJ)
    Bonitinho – Robinson Faria, governador (PSD-RN)
    Boquinha – Sérgio Borges, ex-deputado (PMDB-ES)
    Botafogo ou Déspota – César Maia, ex-prefeito do Rio (DEM-RJ)
    Botafogo – Rodrigo Maia, presidente da Câmara (PMDB-RJ)
    Buzu – Henrique Carballal, vereador (PV-BA)
    Brasília – Fernando Capez, deputado estadual (PSDB-SP)
    Brigão, Piloto – Beto Richa, governador (PSDB-PR)
    Bronca – Paulo Rubem Santiago, ex-deputado (PSOL-PE)
    Bruto – Raul Jungmann, ministro (PPS-PE)
    Caim – Osmar Dias, ex-senador (PDT)
    Caju – Romero Jucá, senador (PMDB-RR)
    Candomblé – Edvaldo de Brito, vereador (PSD-BA)
    Campinas – Francisco Chagas, ex-vereador (PT-SP)
    Caldo – Blairo Maggi, ministro (PP-MT)
    Calvo – Pablito, ex-vereador (PSDB-MG)
    Campari – Gim Argello, ex-senador (PTB-DF)
    Canário – Esmael de Almeida, deputado estadual (PMDB-ES)
    Carajás – Arnaldo Jardim, secretário estadual (PPS-SP)
    Carmem – Fabiano Pereira, ex-deputado (PSB-RS)
    Caranguejo – Eduardo Cunha, ex-deputado federal (PMDB-RJ)
    Carrossel – Rosalba Ciarlini, prefeita (PP-RN)
    Castor – Rodrigo de Castro, deputado federal (PSDB-MG)
    Cavanhaque – Helder Barbalho, ministro (PMDB-PA)
    Centroavante – Renato Casagrande, ex-governador (PSB-ES)
    Cérebro – Mendes Ribeiro Filho, ex-deputado (PMDB-RS)
    Cerrado – Ciro Nogueira, senador (PP-PI)
    Chaveiro – José Chaves, ex-deputado (PTB-PE)
    Chefe Turco, Kibe ou Projeto – Gilberto Kassab, ministro (PSD-SP)
    Chorão – Pedro Eurico, secretário estadual (PSDB-PE)
    Cintinho – Mauro Lopes, deputado (PMDB-MG)
    Cobra – Wilma de Faria, vereadora (PT do B-RN)
    Colorido – Fábio Branco, secretário estadual (PMDB-RS)
    Coluna – Ana Amélia Lemos, senadora (PP-RS)
    Comprido – Agnelo Queiroz, ex-governador (PT-DF)
    Comuna – Daniel Almeida, deputado federal (PC do B-BA)
    Conquistador – Dalírio Beber, senador (PSDB-SC), e Napoleão Bernardes, prefeito de Blumenau (PSDB-SC)
    Contador – Paulo Ferreira, ex-tesoureiro do PT (PT-RS)
    Contas – Arselino Tatto, vereador (PT-SP)
    Correios – Alexandre Postal, deputado estadual (PMDB-RS)
    Crusoé – Robson de Lima Apolinário, ex-deputado suplente (PDT-SP)
    Cruzeiro do Sul – Barros Munhoz, deputado estadual (PSDB-SP)
    Curitiba – Roberto Freire, ministro (PPS-SP)

    Marcelo Odebrecht confirma que codinome amigo fazia referência a Lula

    Da Casa – Alberto Pinto Coelho, ex-governador (PP-MG)
    Da hora – Carlos Melles, deputado federal (DEM-PR)
    Decodificado – Luiz Carlos Hauly, deputado federal (PSDB/PR)
    Decrépito – Paes Landim, deputado federal (PTB-PI)
    Dengo – Antonio Anastasia, senador (PMDB-MG)
    Dentada – Gustavo Correa , deputado estadual (DEM-MG)
    Dentuço – Gustavo Fruet, ex-prefeito de Curitiba (PDT-PR)
    Desesperado – Germano Rigotto, ex-governador (PMDB-RS)
    Diamante – Paulo Abi Ackel, deputado federal (PSDB-MG)
    Disco – Luiz Paulo Correa da Costa, deputado estadual (PSDB-RJ)
    Diplomata – Hugo Napoleão, ex-governador (PSD-PI)
    Do reino – Fernando Pimentel, governador (PT-MG)
    Doutor – Juarez Amorim (PPS-MG)
    Drácula – Humberto Costa, senador (PT-PE)
    Duro – Ricardo Ferraço, senador (PSDB-ES)
    Educador – Paulo Henrique Lustosa, deputado federal (PP-CE)
    Ema – Lúdio Cabral, ex-vereador (PT-MT)
    Enteado – José Otávio Germano, deputado federal (PP-RS)
    Escuro – Marco Alba, prefeito (PMDB-RS)
    Escritor – José Sarney (PMDB), ex-presidente
    Esquálido – Edison Lobão, senador (PMDB-MA)
    Eva – Adão Vilaverde, deputado estadual (PT-RS)
    Fantasma – Ideli Salvatti, ex-ministra (PT-SC)
    Fazendão – Elbe Brandão, deputada estadual (PSDB-MG)
    Feia – Lídice da Mata, senadora (PSB-BA)
    Feio ou Lindinho – Lindbergh Farias, senador (PT-RJ)
    Ferrari ou Grisalhão – Delcídio do Amaral, ex-senador (MS)
    Filhinho ou Filinho ou Gordo – Dimas Fabiano Jr., deputado federal (PP-MG)
    Filho – Paulo Bornhausen, ex-deputado (PSB-SC)
    Filho do reino – Luciano Rezende, prefeito (PPS-ES)
    Filhote – Luiz Paulo Vellozo, ex-prefeito (PSDB-ES)
    Filósofo – Paulo Bernardo, ex-ministro
    Fino – Bruno Siqueira, prefeito (PMDB-MG)
    Flamengo – Adrian Mussi, ex-deputado federal (PMDB-RJ)
    Fodinha – Frederico Antunes, deputado estadual (PP-RS)
    Fósforo – Tarcísio Caixeta, vereador (PC do B-MG)
    Fragmentada – Weliton Prado, deputado federal (PMB-MG)
    Frances – Célio Moreira, deputado estadual (PSDB-MG)

    Delação da Odebrecht: João Borba Filho diz que codinome de Cabral era ‘Próximus’

    Garoto – Otávio Leite, deputado federal (PSDB-RJ)
    Goleiro – Paulo Magalhães Júnior (PV-BA)
    Gordo – Pimenta da Veiga (PSDB-MG) e Antonio Anastasia, senador (PSDB-MG)
    Grego – Jorge Piciani, deputado estadual (PMDB-RJ)
    Grenal – Valdir Andres, ex-prefeito (PP-RS)
    Gripe – Cesar Colnago, vice-governador (PSDB-ES)
    Gripado ou Pino – José Agripino, senador (DEM-RN)
    Grisalho – Arlindo Chinaglia, deputado (PT-SP)
    Grosseiro – Plauto Miró, deputado estadual (DEM-PR)
    Guarulhos – Carlos Zarattini, deputado federal (PT-SP)
    Guerrilheiro – José Dirceu, ex-ministro (PT), ou João Vaccari, ex-tesoureiro do PT
    Igreja – Bernardo Santana, deputado (PR-MG)
    Inca – Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados (DEM-RJ)
    Índio – Eunício de Oliveira, presidente do Senado (PMDB-CE)
    Inferno – Ronaldo Santini, deputado estadual (PTB-RS)
    Itabuna – Campos Machado, deputado estadual (PTB-SP)
    Itacaré – Celso Russomanno, deputado federal (PRB-SP)
    Italiano – Audifax Barcelos, prefeito (Rede-ES)
    Italiano – Antonio Palocci, ex-ministro (PT-SP)
    Itambé – Edinho Silva, prefeito (PT-SP)
    Itatiaia – José Maria Eymael (PSDC-SP)
    Itumbiara – Edson Aparecido dos Santos (PSDB-SP)
    Jacaré – Jader Barbalho, senador (PMDB-PA)
    Jangada – Luiz Carlos Busato, deputado federal (PTB-RS)
    João Pessoa – Vicentinho, deputado federal (PT-SP)
    Jogador – Márcio Reinaldo, prefeito (PP-MG)
    Jornalista – Elismar Prado, deputado estadual (PDT-MG)
    Jovem – Adolfo Viana, deputado estadual (PSDB-BA)
    Jujuba – Bruno Araújo, ministro (PSDB-PE)
    Justiça – Renan Calheiros, senador (PMDB-AL)
    Kimono – Artur Virgílio, prefeito (PSDB-AM)
    Lagarto ou Largato – Gil Pereira, deputado estadual (PP-MG)
    Lamborghini – Luiz Fernando T. Ferreira, deputado estadual (PT-SP)
    Lento – Garibaldi Alves, senador (PMDB-RN)
    Lima – Luiz Fernando Faria, deputado federal (PP-MG)
    Louro – João Alves Filho, ex-prefeito (DEM-SE)
    Macapá – Ricardo Montoro, ex-deputado estadual (PSDB-SP)
    Machado – Kátia Abreu, senadora (PMDB-TO)
    Maçaranduba – Ivo Cassol, senador (PP-RO)
    Magma – Guilherme Lacerda (PT-ES)
    Manaus – Aloysio Nunes, ministro (PSDB-SP)
    Masculina – Iriny Lopes, ex-deputada federal (PT-ES)
    Médico – Colbert Martins Filho, vice-prefeito (PMDB-BA)
    Menino da floresta – Tião Viana, senador (PT-AC)
    Mercedes – Edinho Bez, ex-deputado federal (PMDB-SC)
    Metalúrgico – Nilmário Miranda, secretário estadual (PT-MG)
    Mineirinho – Aécio Neves, senador (PSDB-MG)
    Misericórdia – Antônio de Brito, deputado federal (PSD-BA)
    Missa – José Carlos Aleluia, deputado federal (DEM-BA)
    Moleza – Jutahy Magalhães, deputado federal (PSDB-BA)
    Montanha – Marcos Montes, deputado federal (PSD-MG)
    Montanha – Paulo Pimenta, deputado federal (PT-RS)
    Musa – Ana Paula Lima, deputada estadual (PT-SC)
    Navalha – Arlete Magalhães, deputada estadual (PV-MG)
    Navalha – Wellington Magalhães, vereador (PTN-MG)
    Navegante – José Anibal, ex-senador (PSDB-SP)
    Natal – José Genoíno, ex-presidente do PT (PT-SP)
    Nervosinho – Eduardo Paes, ex-prefeito do Rio (PMDB-RJ)
    Neto – Eduardo Campos, ex-governador (PSB-PE)
    Novilho ou Charada – Fernando Bezerra, senador (PSB-PE)
    Novo – Max Filho, prefeito de Vila Velha (PSDB-ES)
    Nulo ou Duro – Ricardo Ferraço, senador (PSDB-ES)
    Oxigênio – Hudson Braga, secretário de obras do RJ

    Veja apelidos dados a políticos nas planilhas de doações da Odebrecht

    Padre – Josenildo Sinésio, ex-vereador de Recife (SD-PE)
    Padrinho – Eduardo Azeredo, ex-governador de MG (PSDB-MG)
    Palmas – Vicente Candido, deputado (PT-SP)
    Parente – André Vargas, ex-deputado federal por SC (sem partido)
    Paris – Márcio França, vice-governador de SP (PSB-SP)
    Parreira – José Roberto Arruda, ex-governador (ex-DEM)
    Passadão ou Triângulo – Jorge Bittar, ex-deputado federal (PT-RJ)
    Patati ou Padeiro – Marconi Perillo, governador (PSDB-GO)
    Pavão ou Velhos – Julio Lopes, secretário de transportes (PP-RJ)
    Pavão – Ivar Pavan, ex-deputado estadual (PT-RS)
    Pelé – Nelson Pellegrino, deputado federal (PT-BA)
    Pequeno – Sérgio Aquino, candidato a prefeito de Santos (PMDB-SP)
    Persa – Ayrton Xerez, ex-deputado federal (DEM-RJ)
    Pescador – Zeca do PT, deputado federal (PT-MS)
    Polo – Jaques Wagner, ex-governador (PT-BA)
    Ponta Porã ou Corredor – Duarte Nogueira, prefeito (PSDB-SP)
    Pós-italiano ou Pós-itália – Guido Mantega, ex-ministro
    Poste – Marcio Lacerda, ex-prefeito (PSB-MG)
    Praia – Ademar Traiano, deputado estadual (PSDB-PR)
    Primo – Moreira Franco, ministro da secretaria geral da presidência (PMDB-RJ)
    Princesa – Cida Borghetti, vice-governadora do PR (PP-PR)
    Prosador – Cássio Cunha Lima, senador (PSDB-PB)
    Protegida – Lorena de Fátima Arrué Dias, candidata (PSDB-RS)
    Proximus – Sérgio Cabral, ex-governador do RJ (PMDB-RJ)
    Proximus – Luiz Fernando Pezão, governador do RJ (PMDB-RJ)
    Rasputinzinho – Bernardo Ariston, ex-deputado federal (PMDB-RJ)
    Ribeirão Preto – Roberto Massafera, deputado estadual (PSDB-SP)
    Rio – Marcelo Nilo, deputado estadual (PSL-BA)
    Roberval Taylor – Mário Kertesz, ex-prefeito (PMDB)
    Roxinho – Fernando Collor, senador (PTC-AL)
    Sábado – Domingos Sávio, deputado estadual (PSDB-MG)
    Santo André – João Paulo Cunha, ex-deputado (PT-SP)
    Sapato – Alexandre Passos, ex-presidente da Câmara de Vitória (PT-ES)
    Segundo – Juarez Amorim (PPS-MG)
    Silo – Alexandre Silveira, secretário estadual de saúde (PSD-MG)
    Solução – Maria do Rosário, deputada federal (PT-RS)
    Soneca – Waldir Pires, (PT-BA)
    Suíça – Rodrigo Garcia (DEM-SP)
    Teco – Tico Lacerda (PDT-SC)
    Timão – Andrés Sanchez, deputado federal (PT-SP)
    Tio – Gustavo Valadares, deputado estadual (PSDB-MG)
    Todo Feio e Cunhado – Inaldo Leitão (sem partido)
    Trincaferro – Beto Albuquerque, deputado federal (PSB-RS)
    Tuca – Arthur Maia, deputado federal (PPS-BA)
    Vaqueiro – Ronaldo Caiado, senador (DEM-GO)
    Verdinho – André Correa, deputado estadual (PSD/RJ)
    Viagra – Jarbas Vasconcelos, deputado federal (PMDB-PE)
    Vizinho – José Serra, senador (PSDB-SP)
    Wanda – Antonio Andrade, vice-governador (PMDB-MG)
    Zagueiro – Júlio Delgado, deputado federal (PSB-MG)
    Partidos
    Além dos políticos, as planilhas da Odebrecht também mostraram que alguns partidos eram identificados como times de futebol. Por exemplo, o PT era o Flamengo, e o PSDB, o Corinthians. O PR ganhou o codinome de São Paulo e o DEM, de Fluminense (veja a lista completa abaixo).

    Os documentos foram entregues ao Ministério Público Federal (MPF) pelo delator Luiz Eduardo Soares, que atuou no Setor de Operações Estruturadas – como era chamado o departamento de propinas da empreiteira.

    Estão todos livres leves e soltos, usufruindo dos milhões aquinhoados!

    Ah! Mas o Moro e Dallagnol se falaram pelo telefone! Que crime hediondo Chicão!! rsrs

    Pior que os “educados” não mencionam no crime de hakear ligações sem autorização da justiça.

    Vivemos num país onde no nosso judiciário grassa o legalidade, não deixam passar uma vírgula da nossa constituição. São rigorosos ao extremo e metem todo mundo em cana!

    Quanta desfaçatez!

    O que impera no nosso judiciário é a vista grossa descarada. Vão inocentar o maior ladrão do planeta e enjaular Moro e Dallagnol!!!

    Estas conversa que aparecem nestes liks abaixo são do boca mole gilmar mendes.

    Seriam estas as conversas republicanas que os educados gostam?

    https://youtu.be/UBdiRKf4tH4

    https://youtu.be/g2BgfEt4wMU

    Por isso Caro Chicão, não se desgaste com a tentativa “educada” de nos convencer.

    Este país está recheado de sacanas comendo pelas beiradas…

    Querem eliminar o Moro e Dallagnol custe o que custar.

    Se necessário for, queimarão a Cidadã.

    O único que está em cana é o Cabral e nem deixam ele abrir a boca, se abrir, o brasil vai virar o Vesúvio a milésima potência!!!

    Querem eliminar o Dr. Sérgio Moro DE QUALQUER MANEIRA!!
    Mas não vão conseguir, ele tem o maior cacife político da história do Brasil.
    Ganha desses merdas num acachapante e desmoralizador… primeiro turno.

    O Brasil tem que mudar, E VAI MUDAR!!! NEM QUE SEJA NA PORRADA!!!

    Um forte abraço e muita saúde pra aturar esta bagunça na zona.
    JL

    P.S. Ainda faltam outras listas como JBS e outras…

    Mas são o Moro e Dallagnol que tem que ser enjaulados!

    PQP MIL VEZES!!!

    • Meu caro amigo Espectro,

      Che, que notável comentário!

      Que documento importante que trazes a público, ainda mais para aqueles que têm preguiça de pesquisar ou não sabem como fazê-lo.

      Postaste um dos textos mais significativos que li na TI nesses dez anos como participante assíduo do blog.
      Memorável, que deve ser enaltecido e aplaudido por todos nós ou por aqueles que querem um país mais digno, pelo menos.

      Não é por nada que Moro está sendo execrado, caluniado, ofendido, agredido, diante da quantidade de nomes que a Operação Lava Jato flagrou roubando o povo e país!

      Pois esta gentalha que deste os nomes, parceiro, sequer é lembrada quando os detratores do ex-juiz publicam suas assacadilhas contra tão importante personagem que tivemos nas últimas décadas!
      O ódio que desenvolvem pelo ex-magistrado federal é pessoal, então escondem seus objetivos através de supostas irregularidades praticadas no desenrolar do processo, julgamento e condenação, dessa quadrilha enorme que nos deste a conhecer, e que Moro a enquadrou conforme os ditames da Justiça e da lei!

      Muita gente, Espectro, que deseja o mal para o ex-juiz federal, muita.
      E o propósito é o mesmo para todos:
      depreciar o nome de Sérgio Moro;
      roubar-lhe a dignidade;
      desonrá-lo;
      humilhá-lo publicamente;
      torná-lo criminoso, enquanto os verdadeiros ladrões são esquecidos e seguem nos roubando, explorando e manipulando, como sempre fizeram!

      Brilhante, guri, extraordinário comentário.

      A verdade veio à tona;
      as razões pelas quais querem tanto acabar com Moro, publicaste para todos nós;
      texto de fôlego, de pesquisa, de buscas pela realidade que o Brasil está inserido, ou seja, à mercê da corrupção em todos os níveis e em qualquer poder constituído!

      Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Lewandowski, que sempre se declararam inimigos de Moro, certamente tiveram muitos amigos “constrangidos” pela Operação Lava Jato.

      – Que audácia deste juiz – devem ter pensado.
      – Quem ele pensa que é para nos tirar o protagonismo de se fazer justiça – a reação dos ministros, indiscutivelmente.

      Eis o motivo pelo qual o trio de ministros, principalmente Mendes, aceitou e elogiou o roubo dos diálogos mantidos entre Moro e procuradores.
      Finalmente veio à baila a conduta tão eficiente e eficaz do ex-juiz, na interpretação de suas excelências, na descoberta de várias quadrilhas travestidas em partidos políticos, cuja atuação sempre foi lesar e prejudicar o Brasil e seu povo.

      Moro demonstrou a nós e ao mundo, que a Justiça brasileira poderia ter feito muito antes o que ele veio realizar tempos depois:
      processar, julgar e condenar os criminosos.
      Mas, a proteção, a parcialidade, o acordo com o sistema, sempre impediram que os ladrões e corruptos fossem conhecidos, inclusive o modo como operavam na dilapidação do erário e patrimônio brasileiros.

      Tal comportamento valente, audacioso, corajoso de um simples juiz, desagradou a Alta Corte.
      Moro se tornou o herói nacional, enquanto o STF ficava em segundo plano.
      A vaidade, a inveja, a cumplicidade com os nocivos e nefastos ladrões, foram incisivas em classificar Moro como também criminoso pelo STF, pelo fato de não seguir à risca os preceitos judiciais.

      Exatamente como sempre agiu o Supremo, cujo resultado durante anos a fio foi assistirmos a destruição do Brasil, e a ética e moral deletados dos dicionários dos poderes constituídos, mormente para os ministros do STF!

      Foi assim com Collor, que acataram acocados e o rabo entre as pernas com o confisco;
      Foi assim com o mensalão, onde quem não era parlamentar sofreu penas pesadas, enquanto os políticos tiveram um tempo para descansar nos presídios, e depois livres, leves e soltos;
      mais tarde com o petrolão, onde dificultaram ao máximo as investigações, impedindo propositadamente que a verdade fosse exposta!

      Sensacional documento, Espectro.
      Evidente que vou copiá-lo e guardá-lo porque comprova ser a máfia política e judiciária que nos comanda há tempos.
      Cabe a nós, o povo, somente obedecer e outorgar poderes.

      Por essas e outras que sempre pergunto:
      Aonde estavam as FFAA, que permitiram tanto acinte contra a nação e seus cidadãos?
      Por que derrubaram Jango do Poder, e nada fizeram com presidentes infinitamente piores que o gaúcho?!

      O Brasil está irremediavelmente comprometido com a corrupção.
      Moro tentou mexer com este poder avassalador, então hoje paga com o seu caráter, personalidade, honra e dignidade, o preço pela sua intromissão no azeitado e bem lubrificado sistema, que segregou, separou e desnorteou o povo porque inculto e incauto, analfabeto absoluto e funcional, pobre e miserável, desempregado e esfaimado, e condenado hediondamente pelo Bolsa Família a ser pedinte o resto de sua vida!

      Che, Espectro, maravilhoso trabalho.
      Digno de um cidadão, um patriota, um legítimo nacionalista!

      Orgulho-me e me sinto honrado em ser teu amigo, parceiro.
      Meus mais efusivos parabéns e aplausos por esta postagem que, repito, uma das mais importantes já registradas na TI!

      O meu abraço forte e fraterno.
      Saúde e paz, extensivo aos teus amados.

  8. Caramba Chicão,
    Um elogio desta envergadura partindo de você, me enche de orgulho.
    Me dei o trabalho de pesquisar um pouco e mostrar aos que pregam o controverso “EDUCADAMENTE”, só pra poder esfregar nas fuças destes e dos robôs, uma verdade irrefutável. Não tem como defender nada! Tem mais é que botar o rabo entre as coxas e aguardar a ascensão do Dr. Sergio Moro.
    Não quero um salvador da pátria, quero que alguém interprete as leis como tem que ser interpretadas. Como nós leigos a interpretamos.
    Os magistrados em todos os níveis estão de SACANAGEM!!
    Estão mais sujos que pau de galinheiro. Roubam e deixam roubar e assim segue o pacto. Vocês não mexem com a gente que nós não mexemos com ninguém.
    A palavra de ordem é: ALIVIAR PRA GERAL!!!
    A merda do povo paga a porra toda, quem puder pagar, que pague. Quem não puder, que morra como um pobre diabo, que se danem todos!
    Me preocupa em demasia a falta de noção dessa gente, me preocupa realmente o descolamento da realidade.
    Não podemos mais aceitar isto, não podemos ser aqueles que eles achem que somos os excrementos que saem dessas bundas corruptas depois de se encherde lagostas e vinhos caros.

    Afinal, (?) o que é mais necessário pra aniquilar com essa gente? Que eles nos coloquem em fila indiana pra nos estuprar e gritarem que tomamos o que merecíamos. Que graças a eles estamos sendo alimentados diariamente pelo ânus com a gala dos animais que estão no poder.

    Caro amigo, me perdoe pelas palavras e pela ira, mas o sono tranquilo que deveriamos ter depois de horas de trabalho, se tornou um tremendo pesadelo pra nós.

    No meu texto anterior mostro dois links pros “educadinhos” de plantão, estão até agora em silêncio. Nem um pio!
    E, pelo jeito calados ficarão!

    Pra finalizar, o teu elogio me coloca uma medalha de bronze no peito, que pra mim é muito, pois há tribunários medalhas de ouro de montão. Eu sou apenas um trabalhador honesto e humilde que com hombridade, não me calo!!!

    Muito obrigado Mr. Francisco Bendl, um dos maiores baluartes deste digníssimo espaço, comandado magistralmente, E COM PACIÊNCIA DE JÓ do Sr. Carlos Newton.

    Deixo um forte abraço a todos os amigos da TI que com equilíbrio ajudam o nosso editor a não ficar doido com tanta conversinha fiada dos “educadinhos” de plantão.

    Um forte abraço!
    José Luis.

  9. Espectro,

    Indiscutivelmente este é o blog sonhado e almejado por Carlos Newton:
    Debates à altura;
    diálogos educados e respeitosos;
    publicações de verdades absolutas;
    isenção partidária e ideológica;
    a busca por denominadores comuns para a sociedade, hoje dispersa e alheia aos acontecimentos injustos e maus tratos que recebe de nossos governantes.

    Podemos discordar, porém podemos extrair das diferenças aquilo que admitimos como correto e necessário, e deixarmos de lado os aspectos que somente nos prejudicam e lesam permanentemente.

    Difícil fazer o povo tomar providências em seu próprio benefício?
    Impossível, nessas alturas.
    Mas, nada resiste ao trabalho, Espectro, e é esta a nossa função, de esclarecer, motivar, alertar, avisar, com base em verdades e na realidade incontestável do caos e da calamidade que imperam na vida de cada um de nós!

    Outro abraço, parceiro.
    E conta comigo, sempre, em qualquer dia e hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *