Que espelho roubou sua imagem?

http://1.bp.blogspot.com/_6sahCIOgl_k/S-F2NgSfRPI/AAAAAAAAC54/6N7veep2aps/s400/charge_lula.jpg

Carlos Chagas

Não se fala do tempo implacável que nos desgasta, mas de mudanças verificadas muito mais nas concepções e no comportamento dos indivíduos.

Tome-se o Lula. Sumiu aquele desengonçado personagem que, quando líder sindical, postava-se de plantão na calçada das delegacias até que seus companheiros fossem libertados. Que visitava os perseguidos em suas casas, qualquer que fosse a hora da madrugada, injetando-lhes ânimo para a resistência. Não faltava às portas de fábrica, antes do sol nascer, conhecendo pelo nome quantos demandavam o trabalho, nem quando, depois do expediente, reunia-se com eles no botequim, entre talagadas de cachaça. Mesmo depois, na fundação da CUT e do PT, era visto em todas as reuniões aparando arestas e convencendo até os complicados bispos da CNBB.

Quarta-feira, o ex-todo poderoso José Dirceu foi cumprir o resto de sua pena em casa, beneficiado por decisão do Supremo Tribunal Federal, depois de um ano atrás das grades da Papuda. Durante esse tempo, nem uma só visita do chefe ao qual serviu com extrema diligência, a ponto de ser chamado de “o capitão do time do governo”. Telefonemas? A lei proibia se dados para o cárcere, ignorando-se durante os meses em que de dia trabalhou num escritório de advocacia, o ex-chefe da Casa Civil recebeu algum. O tempo era para alta exposição do Lula, ou seja, demonstrações de que Dirceu não havia sido abandonado. Notícia não se tem de qualquer visita, no caso de quem, apesar de estar em guerra com a imprensa, valeu-se dela para subir aos mais altos patamares do poder.

Mas não se fica nesse nebuloso terreno das relações pessoais. O espelho também roubou a imagem de quem passou a viajar de jatinhos de empreiteiras até países da África, como garoto-propaganda celebrando negócios milionários do outro lado do Atlântico. Certamente com as devidas comissões. Ficou um vazio tenebroso quando ao invés de recusar taças de Romané-Conti a mais de mil dólares a garrafa, trocou a cachaça por bebidas privilegiadas. Mesmo depois de deixar a presidência da República, nunca mais voou em aviões de carreira. Sempre jatinhos particulares pagos pelo PT ou, mais provavelmente, oferecidos pelas empreiteiras.

Ainda esta semana, atendeu a pedidos da bancada de senadores de seu partido para uma conversa penosa. Em vez de vir a Brasília pela TAM ou a GOL, convocou-os a São Paulo. Na fotografia estampada nos jornais de sexta-feira, todos eram sorrisos, mas a imagem do Lula era outra, imaginando-se que espelho terá roubado o original.

Será esse fenômeno peculiar apenas ao líder que um dia empolgou o país? Nem pensar. Está à vista de todos a lembrança da jovem idealista que enfrentou a ditadura, foi presa e torturada, mas hoje (cala-te, boca…)

ELA NÃO REPRESENTOU O PT…

Da sóbria entrevista concedida pela presidente Dilma a um grupo de jornalistas, esta semana, emergiu um corpo estranho. Ela disse não representar o PT, mas a presidência da República. Bem que muitos companheiros mereceram o gesto de desprezo, mas a entidade, como partido político, foi a principal responsável por sua reeleição. É como se Neymar não representasse a seleção brasileira, mas o futebol mundial…

2 thoughts on “Que espelho roubou sua imagem?

  1. LULA PRESSIONA PELO SISTEMA FINANCEIRO INTERNACIONAL

    Não há outra leitura senão a do título para entender essas pressões do ex-presidente Lula para que a presidente reeleita, Dilma Rousseff, nomeie Henrique Meirelles como ministro da Fazenda. Em outras postagens falei a respeito (ilustração no face) e as impressões são reforçadas agora pela reportagem da Folha de S. Paulo intitulada “Lula quer indicar a Dilma pelo menos três ministros” (Educação, Cidades e Fazenda). “Interlocutores da presidente, no entanto, ponderam que nenhuma escolha de Lula passará sem consentimento de Dilma. Ainda não há acordo, por exemplo, sobre o novo ministro da Fazenda”, informa a repórter Marina Dias.

    “No seu primeiro mandato, Dilma se incomodou muitas vezes com as interferências de Lua; A presidente queria deixar uma marca de independência em relação ao antecessor e evitava tomar decisões sob sua tutela”, lembra a reportagem da Folha. Pelo visto, dois mandatos diretos mais um indireto não foram suficientes para o apetite de poder do ex-presidente: “Ele avalia que as pastas serão fundamentais para alavancar programas importantes para seu projeto político em 2018”, diz a matéria. Não há dúvida, a escolha do ministro da Fazenda será emblemática para o próximo governo: Dilma rejeita Meirelles ou terá perdido o mais importante round correndo risco de continuar com a pecha de poste do antecessor.

    Afinal, é ou não o capitalismo estrangeiro agindo nos bastidores da República? Reforço as evidências com duas passagens interessantes: 1. O centro da crise que levou ao rompimento entre Leonel Brizola e Lula foi precisamente a entrega do Banco Central para Meirelles (antes da posse, ainda em 2002); 2. Eleita em 2010, antes de assumir, Dilma também enfrentou pressões contra a remoção de Meirelles do BC mas foi firme e nomeou outro, baixando juros.

    AINDA EM TEMPO quanto à pasta educacional, é oportuno lembrar que quando presidente Lula demitiu por telefone o então ministro Cristovam Buarque que se encontrava em Portugal e semanas antes havia sustentado a necessidade do Brasil adotar o sistema de escolas integrais no modelo defendido pelo PDT – Partido Democrático Trabalhista de Leonel Brizola.

    FONTE COMENTADA: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/11/1545226-lula-quer-indicar-a-dilma-pelo-menos-tres-ministros.shtml

    POSTAGEM NO FACE: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1549208461962086&set=a.1382649428617991.1073741827.100006188403089&type=1&theater

  2. Lula me faz lembrar de dois ditados: Macaco que nunca comeu melado,
    quando come se lambuza e o pior capataz é um ex escravo.
    Com relação a Presidente Dilma, todas as medidas mais importantes de seu
    governo, prevalecia a opinião do Lula, podemos dizer que o Lula governou o
    Brasil diretamente por 8 anos e indiretamente por 4 anos, mas isso foi o preço
    que a Presidente Dilma teve que pagar. O que ela poderia esperar do PT (Lula)?

Deixe uma resposta para Valmor Stédile Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *