Queimado pelas “offshores”, Paulo Guedes se tornou um “estorvo útil” para Jair Bolsonaro

Charge do F.Mata (Arquivo Google)

Vicente Nunes
Correio Braziliense

Apesar do barulho em torno da divulgação de que o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, têm contas em paraísos fiscais (offshores), o presidente Jair Bolsonaro nada fará em relação ao tema. Não quer dar munição à oposição. E tem certeza de que os subordinados nada fizeram de errado.

Especificamente em relação a Paulo Guedes, dizem aliados de Bolsonaro, o ministro se tornou um “estorvo útil” para o presidente da República. Quando começar de verdade a campanha à reeleição em 2022, Bolsonaro poderá jogar a culpa em Guedes se a economia não se recuperar.

UMA BOA DESCULPA – Afinal, ressaltam os aliados do presidente, ele sempre deixou claro que não entendia nada de economia, e que confiava no Posto Ipiranga dele. Ninguém descarta a possibilidade de Bolsonaro dizer aos eleitores que acreditou demais no ministro e está pagando o preço por isto.

Outro ponto levantado pelos aliados de Bolsonaro: não há nenhum nome forte no mercado ou na academia disposto a substituir Paulo Guedes no Ministério da Economia. Todos os grandes economistas consideram o governo atual como um caso perdido.

Quanto a Campos Neto, Bolsonaro não quer briga com o projeto que o governo dele defendeu no Congresso, o da independência do Banco Central. A ordem, portanto, no governo, é deixar a poeira baixar até a próxima crise chegar. Por enquanto, os críticos ficarão falando sozinhos.

###
O NEGOCIADOR GUEDES SE QUEIMOU NO SENADO
Denise Rothenburg

A notícia de que o ministro da Economia, Paulo Guedes, deixa seu dinheiro lá fora, numa offshore ativa nas Ilhas Virgens Britânicas, caiu como uma dinamite nas negociações para aprovar a PEC da reforma do Imposto de Renda.

Os senadores começam a pensar que não dá para o ministro proteger o próprio dinheiro num paraíso fiscal e taxar justamente os lucros e dividendos daqueles que mantêm seus recursos por aqui, tentando ajudar a recuperação da economia e a geração de empregos.

ECONOMIA TRAVADA – Conforme o leitor já sabe, Guedes vem sendo atacado pela seara política há tempos, porque os aliados do governo estão cada vez mais impacientes com as dificuldades na economia e a falta de perspectiva para um milagre econômico no período eleitoral.

Agora, esses ataques vão aumentar e vai ter muita gente dizendo que o ministro perdeu o verniz para negociar as reformas. E os políticos estão quebrando a cabeça para tentar descobrir se houve operações de mercado com os recursos depositados nas offshores de banqueiros reveladas pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos. Sem esse detalhamento, fica difícil saber se há alguma irregularidade.

Nos tempos da Operação Lava-Jato, Sergio Moro conseguiu informações sobre as offshores de alguns enroscados no caso porque se tratava de suspeita de corrupção. Até aqui, não há nada que caracterize esses recursos como tal. Até porque a maioria declarou ao fisco.

8 thoughts on “Queimado pelas “offshores”, Paulo Guedes se tornou um “estorvo útil” para Jair Bolsonaro

  1. Tudo isso a gente vai saber
    Mas só na hora H do Dia D.
    Logo é preciso compreender
    Que alguns podem mandar
    E outros tem que obedecer.

    Assim é a vida,
    E o que é certo já foi dito:
    O reino dos céus é do pobre
    E o da terra é dos ricos!

    (Só falta a viola!)

  2. Isso, do Ministro aplicar dinheiro em paraísos fiscais é ilegal em função do cargo da maior relevância, mas, pior ainda e imoral.
    E os empresários, principalmente do setor bancário, fica muito mal na foto.
    Eles, com o beneplácito de Guedes, cobram do povo, juros estratosféricos, mas, pagam pelas aplicações da poupança e dos Fundos de Investimentos dos brasileiros, uma ninharia.
    Se todos os brasileiros pudessem, colocaria sua poupança nas offshores, conforme fez o ministro Guedes.
    Olá, senhora Febraban, a Federação dos Bancos, instituição, que banca o ministro, como fica depois dessa gigantesca descoberta, a consciência popular, de que bem vocês acreditam na rentabilidade das instituições bancárias nacionais?
    Por isso, falta dinheiro para tudo no Brasil, pois nossos endinheirados investem no país dos outros.
    Vou tentar fazer a mesma coisa, pois não quero ficar comendo mosca. Vou em busca do ouro, seguindo o exemplo do ouro de rolo, meu guru Guedes.

  3. Paulo Guedes, no ano de 2019, foi chamado pelo deputado federal Zeca Dirceu de “Tchutchuco dos banqueiros”, enquanto com os pobres “era Tigrão”.

    Naquela época, abril, o Governo Genocida era recém empossado, substituindo aquele golpista.

    A Imprensa de cativeiro, lavajatista assumida, como veículos Folha, Veja e outros, descrevia a reação do Guedes de colocar a mãe do deputado no meio como compreensível…

    Agora vemos o quanto Zeca Dirceu estava certo.
    Guedes mantém empresa e contas no exterior de onde recebe a contraparte pelas ações enquanto à frente do Ministério da Economia, onde coloca em prática a venda do patrimônio público do Brasil por migalhas e amplia isenções, reduz impostos para as empresas e os ricos.

  4. Sou contra brasileiros investirem seu dinheiro em paraísos fiscais, eles deve ter suas razões.
    Mas há um ponto a considerar, se os acusacionistas alegam que Guedes aplica sua gana para ganhar com a variação do dólar para mais, e no caso da baixa da moeda americana? Ele perde?
    Será que os acusados estão manipulando as Bolsas de Valores do mundo todo?
    Se eles estiverem solitários usando esse recurso pra sonegar imposto de renda é um caso da Receita apurar e punir.
    Grande parte dos jornalistas e outros artistas usam o artifício para esse fim, declaram imposto de renda como pessoa jurídica onde a taxa é menor, o que também qualifico como sonegadores de impostos.
    Não sou seletivo com picaretagens.
    Agora é no atacado, a grande mídia quer detonar o governo Bolsonaro e não mede esforços, vão bater nessa tecla até a data das eleições, a ordem é fazer sangrar, desistiram do impeachment, estão macumbando para trazer a furo alguém pra representar a terceira via.

  5. O próprio articulista reconhece que não existe irregularidade, entretanto, faz ilações enviesadas e tendenciosas com vistas a desqualificar o ministro.
    É preciso para com essas mesquinharias e pensar mais no Brasil.

  6. Não estou preocupado, nem com a primeira, segunda ou terceira via.
    Faço análise da conjuntura.
    Não tenho compromisso.com o erro, venha de onde vier. Nem tenho corrupto de estimação no espectro ideológico.
    Investir em paraíso fiscal, enquanto prega a política de atração de investimentos para o Brasil e uma tremenda incoerência, de um homem, que fica falando, que as corporações de funcionários tinham que ser mais patriotas e abrir mão de aumentos salarias, enquanto ele na surdina enriquecida nos países alheios, paraísos fiscais, que não cobram impostos.
    Guedes virou um peso morto para o governo Bolsonaro. A permanência dele no comando da Economia, prejudica o presidente e o Brasil.
    Nós é que estamos sangrando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *