Quem enfrentará o Lula?

Resultado de imagem para TUCANOS CHARGES

Charge do Frank, reprodução do Arquivo Google

Carlos Chagas

De repente, virou briga de foice em quarto escuro a disputa entre Aécio Neves e Geraldo Alckmin pela indicação do PSDB à presidência da República. O senador mineiro identifica o dedo do governador paulista na denúncia feita pela Odebrecht, de haver depositado milhões em nome da conta administrada por Andréi Neves num banco de  Nova York. A delação foi feita pelo ex-presidente de uma das subsidiárias da empreiteira, Benedicto Júnior, em função de propinas nas obras da cidade administrativa do governo de Minas e da construção da usina hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia.

Já Geraldo Alkmin supõe dever-se a Aécio Neves os estímulos à candidatura presidencial de João Doria Júnior, prefeito de São Paulo.

O senador e presidente nacional do PSDB montou espetacular banca de advogados para defendê-lo, com o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Velloso, o ex-procurador-geral da República, Aristides Junqueira, e Alexandre Toron.

DESMENTIDOS – Paulistas e mineiros dedicam-se à sutil arte dos desmentidos, sabendo que no fundo da tertúlia estão os dois candidatos ao palácio do Planalto. O governador de São Paulo anda com uma lista no bolso do paletó, com o nome dos convencionais tucanos que daqui a pouco mais de um ano decidirão sobre a candidatura.  Na verdade, muito antes disso a escolha poderá estar concretizada, numa espécie de duelo de titãs, opondo o poder econômico de São Paulo à ortodoxia partidária.

Como tertius, José Serra assiste de camarote, atrás do apoio de Alckmin ou de Aécio para tornar-se o novo governador paulista. João Dória Júnior será o quartus, embaralhando as cartas. A dúvida é saber quem enfrentará o Lula…

7 thoughts on “Quem enfrentará o Lula?

  1. -“Quem enfrentará o Lula?”

    Os chatos, os carrapatos, a frieira e a tuberculose…. Enfim, tudo que se pega num calabouço, ou cela fedorenta e húmida.

  2. O senhor insiste, hein, seu moço. Lula será condenado pelo juiz Moro. Isso é tão certo como errada é a sua opinião insistente e tola.

  3. A sociedade brasileira incentivada pelos jornalistas dedica um espaço gigantesco à disputa política como se o próximo presidente a ser eleito em 2018 tivesse poderes de fazer mudanças radicais na economia. É preciso ter clareza que vivemos numa sociedade extremamente endividada e financeirizada. Basta ver a situação da União, Estados e Municípios. É pouquíssima a flexibilidade dos gestores frente a crise do setor público. Alguém terá de ser eleito, mas a imprensa precisa ter mais responsabilidade ao alertar sobre os desafios vindouros para os eleitos.

  4. Um nome desponta, abanado, tornado inflexível, exatamente o oposto do Luiz Ignácio, e o nome dele é Bolsonaro.

    Sei não…
    A sorte está lançada… faltam estadistas, sobram picaretas e corruptos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *