Quem pariu a Copa que a embale


Percival Puggina

De vez em quando me vem à lembrança a figura do Lula oferecendo o Brasil para sediar a Copa de 2014 com aquele ar de Moisés malandro levando o povo à terra prometida. Entre os anos de 2003 e 2007, o governo brasileiro suou o topete para alcançar o espetacular objetivo. Sempre fui contra.

Antes da Copa da África do Sul, a propósito do “Let it be! (Pois que seja!)” com que o bispo Desmond Tutu respondeu aos jornalistas que lhe perguntaram se os estádios sul-africanos não se transformariam em elefantes brancos, eu escrevi: “A FIFA impõe aos países eleitos para acolher seu empreendimento exigências que só se cumprem despejando bilhões de dólares nos seus cofres, nas betoneiras das construtoras e nos altos fornos das siderúrgicas. Se fosse bom negócio, não faltariam empreendedores interessados em bancar a festa porque sobra no mundo dinheiro com tesão para o crescei e multiplicai-vos”.

Contudo, os delírios de grandeza e a notória imprudência do líder máximo do petismo nacional mobilizaram a opinião pública que aceitou a Copa como um dos símbolos símbolos do Brasil potência emergente. A maior parte do povo brasileiro, do mesmo modo como espera o último dia de qualquer prazo para fazer o que deve, esperou o último ano anterior ao evento para perceber o descompasso entre o oneroso Brasil da FIFA, para inglês ver, e o carente Brasil dos brasileiros. E aí, alguns pularam, irresponsavelmente, do oito para os oitocentos: “Não vai ter Copa!”. Como não vai ter Copa? Vai ter, sim, e não serão alguns milhares de meliantes presunçosos que vão impedir a realização do evento. A estas alturas, com o pouco de vergonha que nos reste na cara, faremos a Copa.

RISCOS NA MÍDIA

O que me traz novamente ao tema é o fato de que Lula quis fazer uma borboleta e produziu um morcego. Os espaços que nestes dias a mídia do resto do mundo dedica ao Brasil, em vez de exibir as maravilhas nacionais como sonhava o Lula, estão tomados por severas admoestações aos viajantes sobre os riscos de vir ao nosso país. Nosso cotidiano, descobrem, é assustador.

A potência emergente foi tomada de assalto pelo crime organizado, tanto nos últimos andares do poder, no grande mundo, quanto no submundo. (Não por acaso, A Tomada do Brasil é o título do meu próximo livro). Basta-nos assistir os noticiosos do horário noturno para nos depararmos com cenas que ora lembram ocorrências de países em guerra, ora nos nivelam com as mais atrasadas republiquetas da África Subsaariana.

MARKETING PESSOAL

Se Lula, se Dilma, se o petismo dominante pretenderam transformar a Copa numa excelente oportunidade para o marketing pessoal, político e – até mesmo – nacional, seus burros empacaram dentro d’água. Foi mal, para dizer como a gurizada destes tempos. A atualidade brasileira, a violência e a insegurança de nossas ruas fazem lembrar o que Eça de Queirós escreveu numa crônica de 1871 quando se falava, em Lisboa, sobre os turistas que viriam à terrinha com a construção de uma ferrovia ligando Portugal à Espanha. Escreveu então o mestre lusitano: “A companhia dos caminhos de ferro, com intenções amáveis e civilizadoras, nos coloca em embaraços terríveis: nós não estamos em condições de receber visitas”.

Não estamos, mesmo. Mas agora, quem pariu a Copa que a embale. Que apresente e justifique ao mundo, aos nossos visitantes, o Brasil real, a insegurança das nossas ruas, a violência do cotidiano nacional, nossa incapacidade de cumprir prazos, a limitação monoglota de nossos aeroportos, hotéis, restaurantes e táxis e as muitas tentativas de passar-lhes a perna a que estarão sujeitos. É o lamentável Brasil de 2014.

9 thoughts on “Quem pariu a Copa que a embale

  1. Como brasileiro desportista, fiquei muito feliz quando da confirmação do Brasil como sede desta próxima Copa. Hoje estou ainda mais feliz em ver que milhões de compatriotas que gostam do Futebol tem Arenas modernas e confortáveis para assistirem os jogos, os profissionais do jornalismo esportivo sérios não negam esse fato. Os atletas igualmente assim como todos os profissionais do setor atestam a importância das novas arenas. Acrescente-se a isto as obras de mobilidade urbana etc… E a legislação com vistas a incrementar a gestão dos clubes? Hoje já se sabe que mais de 500 mil turistas já adquiriram ingressos no exterior e estarão presentes no evento. Enfim, apesar de todas as críticas dos torcedores contrários ao BRASIL, fico feliz porque VAI TER COPA.

  2. antonio
    Tenho lido comentários em jornais, revistas e assistido tv e ouvido rádio. Também não verifiquei qualquer indicação de que não teríamos a copa.
    os comentários vão nas linhas de aplicação de recursos públicos maiores do que os inicialmente informados, aumento dos valores na construção e reformasd, falta da conclusão de obras (muitas) e preocupação dos turistas com segurança. Quem vive aqui conhece nossa insegurança.
    Todo o brasileiro quer a copa. Afinal, não somos o País do futebol?
    O que não queremos é que a paixão do povo pela bola seja usada da forma como foi. Muitos estão ganhando recursos enormes e vamos pagar. Enquanto isto, nenhum problema foi resolvido nos governos petistas.
    Sabe, queria ver o que os atuais detentores do poder diriam se estivessem na oposição. No mais vamos torcer pela seleção. A presidente, com toda a certeza e pelas razões já sabidas, deverá torcer muito mais e de forma desesperada.

  3. A Copa já está comprada e paga (muito além do razoável). Dilma vai levantar a taça junto com os jogadores. Isso somado a força das urnas eletrônicas é capaz de garantir a perpetuação do PT no Poder, sabe-se lá por quanto tempo ainda…

  4. Que saudades me dá,dos governos militares que para muitos tem um a de ditadura,até poderia ser,mas uma ditadura branca,pois existia a “Ordem e Progresso” e foram os precursores da nossa herança bendita,onde hoje os governos só fazem é Dilapidações em massa.Me lembro que foi proposta a copa do mundo nos tempos militares e o melhor Presidente que o Brasil teve falou abertamente,com responsabilidade e dignidade “No meu Brasil não podemos ter a copa do mundo,pois temos muitas prioridades” Só que,eis que chaga o dito ou mal-dito “mundo novo” onde tudo pode pois o povo paga tudo,pois são cordeiros de um futuro comunismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *