Reação devastadora do MP contra Flávio atinge Bolsonaro e desmoraliza Toffoli e Gilmar

Toffoli e Gilmar pensaram (?) que escapariam incólumes

Carlos Newton

Não deveria ter causado surpresa a impressionante reação do Ministério Público do Rio Janeiro, que fez uma impressionante devassa nas declarações de renda e nas movimentações financeiras de Flávio Bolsonaro e sua mulher, atingindo também o ex-assessor Fabrício Queiroz e todos os envolvidos em irregularidades cometidas nos casos das rachadinhas salariais e dos servidores fantasmas no gabinete do ex-deputado na Assembleia do Rio d Janeiro.

É impressionante que os ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli tenham pensado (?) que poderia dar certo o plano de evitar investigações e processos de corrupção, lavagem de dinheiro, sonegação de impostos e improbidade administrativa, sob o argumento da que teria de haver prévia autorização judicial. Foi um sonho macabro que tiveram, mas sem condições de se perpetuar.

APARENTEMENTE – A justificativa encontrada por Gilmar Mendes, que é o verdadeiro criador da trama e usa Toffoli como boneco de ventríloquo, é de que a falta de prévia autorização judicial significaria ofensa à privacidade e abriria espaço para perseguições políticas pelos detentores do poder.

Tratava-se de um argumento aparentemente sólido e houve quem desse apoio à estranha teoria, sem perceber que as aparências realmente enganam. No caso, a suposta  proteção à privacidade funcionou como um blindagem completa, que imobilizou os três órgãos de controle financeiro existentes aqui na sucursal Brazil (ex-Coaf, Receita e Banco Central), enquanto na matriz USA há 22 instituições semelhantes, vejam como somos atrasados na repressão aos crimes financeiros, que são cometidos pela elite política, administrativa e empresarial ou por sonegadores e facções criminosas que fazem lavagem de dinheiro.

UMA JABUTICABA – A ideia de Mendes e Toffoli, porém, era mais uma jabuticaba, que não existe em nenhum país de respeito. Na verdade, nao há possibilidade de haver prévia autorização judicial, é absolutamente necessário que os órgãos de controle façam investigações preliminares, para então o Ministério Público pedir quebra de sigilo. A não ser que fossem convocados juízes paranormais, capazes de adivinhar quando algum contribuinte pessoa física ou jurídica estiver a cometer irregularidades…

É claro que os demais ministros do Supremo, os juízes em geral, os membros do Ministério Público e os auditores fiscais não poderiam concordar com uma insanidade de tal ordem, que jogaria a imagem do Brasil na lata do lixo da História. E o Sindifisco Nacional, que representa os auditores, imediatamente recorreu aos órgãos internacionais de controle dos crimes financeiro, e suas denúncias contribuíram para o convencimento da maioria dos ministros do Supremo.

OS PRÓXIMOS ALVOS – Com o STF cancelando por 9 a 2 a escatológica blindagem dos crimes financeiros, o Brasil escapou do vexame internacional, mas os ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli ficaram completamente desmoralizados. No final do julgamento, entraram em desespero, mudaram subitamente de opinião e votaram contra a necessidade de prévia autorização judicial, deixando a favor da blindagem criminal apenas Marco Aurélio Mello e Celso de Mello, que parecem ser casos patológicos, ninguém entende os votos deles.

Ao lançar mão desse mimetismo jurídico, Gilmar e Toffoli pensaram (?) que escapariam de mansinho, mas na verdade têm um encontro marcado com o fracasso. Os dois ministros (e as respectivas mulheres), apanhados na malha fina da Receita Federal, são os próximos alvos dos procuradores e dos auditores fiscais, que estão movidos pela ira santa, obstinados em lavar a honra da cidadania nacional.

###
P.S.
No embalo do plano sinistro de Gilmar e Toffoli, outros personagens também se julgaram (?) blindados, como Jair Bolsonaro e os filhos, Lula da Silva e os filhos, José Dirceu, Michel Temer, Jader Barbalho e tutti quanti na política nacional. Mas foi ilusão à toa, diria Johnny Alf. De repente, o jogo virou, a Lava Jato está cada vez mais fortalecida e a cidadania brasileira já saiu do estado de coma. É o que interessa, porque o futuro a Deus pertence, como ensinava o ministro Armando Falcão, representante de Roberto Marinho no governo Geisel. (C.N.)

9 thoughts on “Reação devastadora do MP contra Flávio atinge Bolsonaro e desmoraliza Toffoli e Gilmar

    • Grato por suas palavras, Famigerado. A política está nauseabunda e não há solução a curto prazo, O Ministério Público vai desnudar o enriquecimento ilícito das famílias Bolsonaro e Lula da Silva, para pôr fim a essa polarização atual.

      A melhor solução seria Bolsonaro renunciar e deixar o vice Mourão tocar o governo, porque tem muito mais preparo e condições do que ele. Mas isso não vai acontecer e Bolsonaro será submetido a um longo e cansativo desgaste.

      Abs. e vamos em frente.

      CN

      • Que se investigue quem tiver de ser investigado. Mas por fim à polarização vai ser quase impossível. Para substituir essa polarização pelo que? Pelo Rodrigo Maia? Pelo “moderados” de discurso vazio que se locupletam do mesmo, e governam para os ricos? A radicalização veio para ficar, no Brasil e no mundo todo, porque ela mobiliza as pessoas. Os tempos de políticos neutros como sabão de côco que não “ofendiam ninguém e ganhavam eleições pelo poder do dinheiro passaram. A França tem mostrado o insucesso do derradeiro príncipe da moderação política, o Macron.

        O próprio sucesso midiático de Greta Thunberg mostra que a mobilização política hoje se faz pela raiva. alguém acha mesmo que um Rodrigo Maia com sua maturidade e incrível moderação, seria capaz de qualquer debate com a bile de fraulein Gretel Thunberg? Ele provavelmente se limitaria a baixar a cabeça culpadamente, para regozijo da mídia. E nada mudaria, é claro.
        Abs.

  1. 1) Pensamento do dia:

    2) “O povo passa fome porque seus superiores cobram impostos demais; por isso, ele passa fome… reza antigo livro de canções ‘Se eu soubesse que teria de passar por isso, melhor seria que jamais tivesse nascido”.

    3) Fonte: Tao Te King, pág. 148, Richard Wilhelm, editora Pensamento.

  2. Vou repetir:
    Tenho predileção especial pelos comentários e artigos de autoria do meu amigo e professor Rocha, em face do Budismo que o tem como seguidor.

    Da mesma forma, admiro a sua estreita relação com o pensamento oriental, com base na contemplação, paciência e tolerância.

    Dito isso, existe entre mim e ele uma distância oceânica de diferenças quanto à interpretação dos fatos, da realidade atual e, principalmente, a nossa, a brasileira.
    Logo, discordo, respeitosamente, do enunciado que Rocha publicou:
    “O povo passa fome porque seus superiores cobram impostos demais; por isso, ele passa fome… Se eu soubesse que teria de passar por isso, melhor seria que jamais tivesse nascido”.

    Duas questões são postas à discussão:
    1 – o injustiçado pagador de impostos se mostra inerte, passivo, cordato, um covarde;
    2 – ele teria que ter um poder tão extraordinário para impedir o casal que o fez no “rala e rola”, que o aproximaria do Criador, de modo que pudesse impedir a sua própria concepção.

    Portanto, assim como Deus era conhecido no Velho Testamento como o “Senhor dos Exércitos”, e era impiedoso com quem não gostava, o povo deve agir em sua defesa lutando, combatendo, demonstrando coragem, menos frases de efeito e resignadas de má sorte!

    Como se vê, eu ainda tenho muito que crescer espiritualmente, pois as minhas ideias de solução ainda são do passado, à base da refrega, do pega prá capar, do dá ou desce, vulgarmente falando.

    Invejo o meu amigo e professor neste sentido, da sua compreensão sobre o ser humano.
    Eu não tenho esse dom, então acredito que uma decisão radical ou até mesmo um castigo intenso podem sanar problemas como o parlamento que temos, por exemplo, sinônimo de corrupção e desonestidade, vagabundagem e irresponsabilidade!

    Newton, meu caro:
    Alegro-me com o teu retorno.
    Vale dizer que Copelli te substitui à altura, e merece que eu registre meu respeito e admiração pelo trabalho feito como tu gostarias.
    Claro que Copelli ficará conosco, ora no teu lugar, ora ocupando a sua própria vaga na TI, porém com qualidade e discernimento.

    Abração.
    Saúde, muita saúde.
    Excelente fim de semana junto aos teus amados.

    • 1) Chicão, amigão Na essência vc tem um bom coração do tamanhão da sua altura.

      2) A expressão “distância oceânica” comprova que vc também é um poeta !

      3) Que na juventude tirou o primeiro lugar em uma redação escolar, mas o “sistema” garfou o prêmio que era seu.

      4) Bom fim de semana para todos (as) da TI = Tao Infinito !

  3. Parabéns, Carlos Newton !
    É verdade, o Brasil acordou e nós brasileiros que nunca tivemos medo de guerra, não será de cretinos nomeados por bandido que teremos.
    Todas as guerras o Brasil ganhou.Todas.
    Enganam-se esses brasileiros de araque que ainda nao aprenderam que o Brasil é, e sempre será, a pátria de Deus. Terra de Santa Cruz é o seu nome escrito nos céus, e o inferno do STF jamais prevalecerá sobre os sagrados direitos e deveres do seu povo.
    Luises inacios, dilmas, dirceus, toffolis, gilmares mendeses, mellos, e outros traidores passarão, e já irão tarde.
    Ainda em 2020 veremos a queda de todos como um castelo de bruxas que se inceideia com todoa os seus diabos.
    Viva o povo brasileiro!
    “Ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil” !

  4. Velasquez,

    O povo está sendo morto de várias formas, de modo que o Brasil fique preso às castas e elites brasileiras!

    Logo, se é para morrermos, temos de primeiro sobreviver, lutar por nós mesmos, então teremos uma pátria livre porque já estamos sendo abatidos pelo país, enquanto a cada dia a nossa nação se encontra mais escravizada e à mercê de desonestos, corruptos, ladrões e incompetentes!

  5. Vejo o povo brasileiro como vítima de um sistema, que não permite a politização da população. Está aí o Bolsonaro criando uma política educacional para não permitir que o povo seja politizado.
    A partir de 1964 o povo foi levado a um processo de imbecilização, que dura ate´os dias de hoje.
    A maioria do religiosos segue a orientação dos pastores de igreja evangélica, e de padres. O resto da população por falta de conhecimento político segue políticos despreparados fanaticamente como salvador da pátria.
    O povo alienado é como uma boiada, que qualquer um, com uma vara na mão comanda e dar o rumo que quiser.
    Se não surgir um verdadeiro líder que pensa nos interesses do Brasil como nação e do povo como ser humano para esclarecer o povo e comandar uma reação a essas castas perversas que dominam o Brasil, vamos continuar com isso que está aí, e elegendo lulas e bolsonaros da vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *