Reajuste de aposentado é de apenas 6,23%, abaixo da inflação

Max Leone
O Dia

Aposentados, pensionistas e segurados do INSS que ganham acima do salário mínimo (R$ 788) vão amargar mais um ano sem aumento real. E para piorar, a correção que sairá este mês será menor do que a inflação oficial. Os benefícios de quase 10 milhões de pessoas no país terão reajuste de 6,23%, de acordo com o acumulado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano passado. O indicador foi divulgado ontem pelo IBGE. Uma aposentadoria de R$ 1,5 mil, por exemplo, terá um adicional de R$ 93,45, passando a R$ 1.593,45.

O teto previdenciário subirá dos atuais R$ 4.390,24 para R$ 4.663,75 a partir deste mês. Já os mais de 22 milhões de segurados vinculados ao piso terão reajuste de 8,8%, passando de R$ 724 para R$ 788.

O INPC, que serve de parâmetro para reajustar os benefícios superiores ao mínimo ficou 0,18 ponto percentual abaixo do IPCA, segundo o IBGE. O índice fechou o mesmo período em 6,41%, dentro do teto da meta inflacionária do governo de 6,5%.

O Ministério da Previdência Social informou que o aumento dos aposentados que recebem acima do mínimo será oficializado no começo da semana que vem, quando sairá uma portaria interministerial (Fazenda e Previdência) no Diário Oficial da União (DOU) para estabelecer a correção. Em janeiro do ano passado, as aposentadorias foram reajustadas em 5,56%.

NA FOLHA DE JANEIRO

A folha de pagamento dos benefícios do INSS fecha entre os dias 14 e 15 de cada mês. Tanto o aumento do salário mínimo (8,8%), quanto os 6,23% para quem ganha mais que o piso serão pagos na folha de janeiro. Quem recebe o mínimo começa a ter os depósitos de seus benefícios reajustados a partir do dia 26.

Os primeiros a receber o aumento são aqueles segurados que possuem final de benefício 1 e ganham R$ 788. A folha dos aposentados que têm benefícios acima do mínimo começa a ser creditada em 2 de fevereiro.

O anúncio do acumulado do INPC provocou irritação em representantes dos aposentados. O presidente da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap), Warley Martins, reclamou de mais um ano de achatamento salarial. Segundo ele, um levantamento da entidade revela que de 550 mil a 600 mil aposentados em todo o país vão passar a receber o piso previdenciário de um salário mínimo, devido à falta de aumento real.

“Cada vez mais aposentados passam a receber um salário mínimo devido à política de correção do governo que não nos garante aumento real. Muitos contribuíram a vida toda sobre patamares mais elevados de salários e hoje são empurrados para o piso”, afirma.

De acordo com Martins, desde que o governo passou a usar o INPC como base para corrigir as aposentadorias maiores, as perdas já superaram 80% nos últimos 23 anos.

A LUTA CONTINUA

Com o achatamento das aposentadorias do INSS, muitos segurados são obrigados a continuar trabalhando. E fazem coro para reclamar do pequeno aumento. É o caso de Amaro Manoel da Silva, 61 anos, que se aposentou ano passado mas manteve a função de auxiliar administrativo no restaurante Nova Capela, na Lapa.

“Esse percentual (6,23%) é um absurdo. As aposentadorias não poderiam aumentar menos do que as passagens de ônibus, a alimentação. Acaba que o aposentado tem que trabalhar até não aguentar mais para compensar” afirma.

Antônio Cavalcanti, 70, afirma que o benefício está defasado, mas diz que já teve épocas piores. “É claro que não estamos em situação confortável, mas damos um jeito. Faço ‘bicos’ para compensar”, diz.

5 thoughts on “Reajuste de aposentado é de apenas 6,23%, abaixo da inflação

  1. É só sacarem o que está nos paraísos fiscais, segundo estampado na imprensa, que sobra dinheiro… Sem contar os demais escândalos que envolvem até doacao de recursos para países estrangeiros…

    • Ontem o Sindifisco soltou uma nota mostrando que ela está defasada em 64,3%. Estão nos assaltando por todos os lados. Já os bancos pagam 15% de IR. Abaixo ‘aszelites’ !

  2. Aposentado: a tua hora vai chegar!

    A hora de comprar medicamentos, de ajudar a família com a aposentadoria, de renovar o empréstimo consignado, de voltar ao trabalho, de descansar e de morrer.

    Ser idoso deveria ser sinônimo de sabedoria. Aqui, no país das sacanagens maravilhosas, ser idoso é ser lixo.

    Esperar a aposentadoria chegar, aproveitar os últimos aninhos de vida, com filhos e netos: um sonho cada vez mais distante.

    O PT sempre disse, e continua dizendo, que FHC deixou-nos uma herança maldita: a”privataria tucana. manipulação dos cálculos da inflação. os fundos para salvar bancos; o arrocho nas aposentadorias dos sobreviventes do INSS, as privatizações, a compra da reeleição e algumas coisinhas mais.

    Nos últimos 12 anos, o PT não apenas sacramentou a injustiça contra os aposentados do INSS, mas continuou e aumento a pressão. Em breve, muito breve, estaremos recebendo um salário mínimo. Não importa com quanto contribuiu. Nem a inflação está sendo reposta, que dirá ganho real. Transformaram, nossa aposentadoria em “bolsa miséria”, também.

    No fundo, lá no fundão, o PT tinha alguma razão.

    na verdade, existiu e continua existindo a famigerada HERANÇA MALDITA dos governos de Fernando Henrique.

    Mas a verdade era outra. Já a algum tempo, os mais atilados vem denunciando a verdadeira e real “herança maldita tucana”: a entrega do poder ao PT.

    Senhores e senhoras, esta sim, foi a enorme, desgraçada e maldita herança que FHC nos deixou. Não que os tucanos merecessem permanecer no poder.

    Em 12 anos, além de aparelharem o estado por completo, apodreceram grande parte das instituições, do serviço público, do sistema financeiro, das empresas estatais e uma parcela da sociedade.

    Procurem saber quem enriqueceu nos 12 últimos anos? Pesquise dados sobre o custo para o funcionamento dos legislativos municipais, estaduais e federal. Procure saber, quantos CCs, FGs. e outros “agregados” ocupam cargos em toda a máquina pública. E mais: quanto é gasto em secretarias e ministérios que não possuem verbas para atender as finalidades relacionadas com suas existências.

    As dezenas, centenas de escândalos que jorram, diariamente, do esgoto governamental, por todo o país, já são incontroláveis, inadministráveis.

    Os saques aos cofres públicos, as negociatas, a sanha cobradora e criadora de impostos/tributos: tudo está fora do controle e do alcance da polícia, da justiça e das demais instituições fiscalizadoras. A corrupção vive, cresce e toma conta de tudo.

    E diante do que ai está e do que ainda virá, qual nossa única chance? Fazer o país acordar!
    É preciso gritar, dizer que estamos vivos. Irmos ao núcleo do poder central, que emana de nós mesmos, mostrarmos nossa indignação e exigirmos respeito.

    Se somos tantos e ainda vivos, está na hora de darmos um basta. Afinal, somos aqueles que carregam grande parte da história, do trabalho, das realizações e das aspirações de nosso país.

    Mostremos nosso valor e o muito de energia que ainda temos.

    É preciso lembrar a todos que, o país é nosso também.

    Aposentado: a tua hora vai chegar! Vamos a luta!

Deixe uma resposta para virgilio tamberlini Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *