Refinaria Passeagrana

Sebastião Nery

RIO – Um amigo de Getulio Vargas, quando Presidente (eleito em 1950), criticava Ricardo Jafet, cunhado de Paulo Maluf:

– Presidente, nos primeiros encontros, no início da sua  campanha eleitoral, Jafet parecia o homem mais desinteressado do mundo. Não pedia nada em troca de sua ajuda. Dizia que era apenas um admirador e lutava como patriota pela volta do senhor ao poder. Depois, quando o senhor lhe entregou o Banco do Brasil, ele revelou seus verdadeiros intuitos.

– Eu sempre desconfio muito daqueles que nunca me pedem nada. Os que se sentam à mesa sem apetite são os que mais comem.

O BARÃO 

Em entrevista ao jornal “Estado de S. Paulo”, em 22 de março ultimo, o barão belga Albert Frére, que arrancou mais de um bilhão de dólares da Petrobrás, assim se definiu cinicamente:

– “Sou um financeiro parasita que compra e vende sociedade. Sou um parasita das finanças do Estado. Sou um vampiro do Estado. Enriqueço graças ao Estado, seja o Estado belga, o francês” …

– Ou o Estado brasileiro. –

“Sim, ou o Estado brasileiro.”

DILMA

Primitiva na ação política, arrogante no exercício do poder, o falso brilhante Dilma Rousseff durante anos recebeu dos áulicos e de colunistas da imprensa chapa branca o diploma de gerente competente, a “gerentona”. Hoje, o valor de mercado da Refinaria de Pasadena, no Texas, que a Petrobrás comprou por 1,2 bilhão de dólares, é de 180 milhões de dólares.

E o estarrecedor: em 2005, a empresa belga Astra Oil, do Barão, comprou a “Pasadena Refining System Inc”pelo valor total de 42,5 milhões de dólares. Ao tentar tirar o corpo fora, agora na Presidência da República, a presidente Dilma quis se eximir de responsabilidade na estranhíssima e milionária negociata. Alguém a enganou. Não é Pasadena é Passe a Grana.

PETROBRAS 

A engenheira Graça Foster, atual presidente da Petrobrás, que vem tentando reimplantar um ciclo de moralização na sua administração, lembrou que o debate no Conselho de Administração é sempre intenso e a preparação de uma reunião toma dias e semanas de discussão.

Na época a Petrobrás era a 12ª maior empresa do mundo em valor de mercado, atualmente é a 120ª.  Responde por 12% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional. É responsável por programa de investimentos maior do que o da União. Igualmente responsável por 13% do total arrecadado com impostos pelo governo federal e 17% do ICMS pago aos Estados. É um escarneo à bela historia da Petrobrás permitir que ela continue   frequentando a lista de escândalos policiais como o da Refinaria do Texas.

LULA 

Desde que Lula chegou ao governo, em 2003, a Petrobrás foi logo transformada em um deposito de escusos interesses e negócios suspeitos. Tomada de assalto por uma malta de falsos sindicalistas, lideres sindicais de araque, milhares e milhares, com salários privilegiados diante dos verdadeiros petroleiros, a Petrobrás virou uma cafua do PT,  a PTralha.

O PT imaginava que os escândalos não apareceriam jamais. De repente, em uma manhã qualquer, um diretor está preso acusado pela Policia Federal de roubar milhões, outro se esconde fugindo pela Europa, outros se abrigam em gabinetes do Congresso, negociam delação premiada. Quando o esgoto correr para o primeiro andar e aparecer a escumalha dos fantasmas, os verdadeiros empregados que dão a vida à empresa em terra e nos mares vão descobrir como são injustiçados e explorados.

PASSEAGRANA 

E o PT começa a jogar Lula contra Dilma, por “não cuidar bem do espolio”. O “Volta Lula” está em todas as colunas do “Exercito do Franklin”. O povo começa a ver tudo. Já está nas redes sociais furando a ferida. Muitos, com ironia, pedem que a Petrobrás  rebatize a refinaria nos Estados Unidos com o seu nome certo: “Refinaria Passeagrana”.

8 thoughts on “Refinaria Passeagrana

  1. De fato em fato, uma história para não ser esquecida!

    O petróleo é nosso! A Petrobrás é nossa! Afirmações que estão ficando vazias.

    A presidente da Petrobrás, Graça Foster, em 15 de abril de 2014, admite: refinaria nos EUA foi ‘mau negócio’, Perante o Senado, ela afirma que Pasadena gerou prejuízo de US$ 530 milhões, e que dificilmente será recuperado.

    Dos fatos

    Em 2006, portanto no Governo Lula, ocorreu o “negócio”, a compra da refinaria, sendo o ato aprovado por todos os envolvidos;

    Em 2008, é descoberta a omissão (ou teria sido ocultação?) de cláusulas do contrato da compra da refinaria;

    A presidente da Petrobrás, Sra. Graça Foster, no seu depoimento, em 15 de abril, foi enfática ao afirmar que: “dados fundamentais foram omitidos por diretor da empresa”. Sobre as medidas tomadas em relação ao nosso colega, o Nestor Cerveró, ele deixou a diretoria da Petrobras e assumiu a diretora financeira da BR Distribuidora no ano de 2008.”

    Está foi sua punição: transferido de empresa, recebendo um “carguinho” na distribuidora, em 2008.!!!

    Reparam na data da punição? No ano de 2008. mas de 2008 a 2013 o que aconteceu? Os “aparelhos internos” da Petrobrás conseguiram apurar alguma coisa? Parece que não!

    Nos primeiros meses de 2014, a oposição consegue assinaturas para solicitar instalação de CPM para averiguar compra da refinaria. Da “punição” ao diretor Cerveró ao pedido de CPI passaram-se, tão somente, quase 6 anos!!!

    A Presidente Dilma e aliados, agora com engajamento e orientações do ex-presidente Lula (por fora e macio), investem contra a CPI exclusiva da Petrobrás. É preciso diluí-la, incluindo mais possíveis casos de corrupção. Uma CPI exclusiva da Petrobrás trará sérios e reais riscos aos dois: Lula (autor/avalista do negócio), Dilma, chefe da Casa Civil e ex-presidente do Conselho de Administração (aprovação) e agora presidente. Quem mais poderá ser incluído com eles na concretização do “negócio”, agora considerado mais um “mal-feito”? Certamente a CPI chegará ao governo Lula. O resultado do “mensalão” poderá tomar outra proporção: também será somado ao caso Petrobrás e outros mais.

    A justificativa é falaciosa: a presidente Dilma, a da Petrobrás e deputados da base aliada argumentam que, “o caso já está sendo tratado pelo TCU, Ministério Público federal, Polícia Federal, etc.” Aprovar CPI para quê? Para prejudicar a Petrobrás?
    Agora, com a comprovação do mensalão, o PT e seus aliados, o ex-presidente e a atual presidente estarão no fogo cruzado. E a Petrobrás pagando a cota do “pato”! Alguém tem dúvida de que a CPI da Petrobrás retroagirá até o governo Lula? Lá encontra-se a origem do negócio, do mal-feito!

    Na verdade, querendo um 2º mandato, a presidente Dilma tenta se proteger, assim como tem de proteger Lula. Caindo nas pesquisas e sob o ataque que se avizinha, poderá existir a necessidade da troca do candidato a presidência: Lula substituiria Dilma.

    Mas, se a CPI atingir seu intento, ambos poderão perder a condição de candidatos!!!
    Do outro lado, a oposição ainda não conseguiu enxergar todos os “furos” e os caminhos a percorrer. Enfraquecida e sem uma grande liderança, parece que só busca o poder. Antes, precisará assumir, com clareza e firmeza, a defesa incondicional da Petrobrás, mostrando o seu desmonte e os riscos que corre. Diante de nossos olhos, encontramos administrações loteadas aos partidos das base do governo, com alguns escolhidos de origem e competências duvidosas, mas respaldados por indicações que, pouco a pouco, começam a ser mencionadas. Quem os aprovou e nomeou já sabemos. É preciso conhecer quem lhes tornou as “costas quentes”. Também são cúmplices!

    E agora? Alguém é responsável ou trata-se simplesmente de “erramos”? Se é meu negócio, azar meu e de minha família. Mas a Petrobrás é patrimônio do povo brasileiro. É pública, portanto não pode ser dada a aventuras!

    As declarações da presidente Dilma e de conselheiros – quanto ao desconhecimento de cláusulas contratuais e pareceres que embasaram a compra, demonstram, no mínimo, o despreparo dos dirigentes e dos conselheiros. Até mesmo o Sr. Jorge Gerdau deixa transparecer isto, em declarações aos jornais: “O empresário Jorge Gerdau Johannpeter, do grupo Gerdau, que ainda mantém cadeira no Conselho de Administração da Petrobrás, afirmou nesta quinta-feira, 20, por meio de nota que “ao aprovar em 2006 a operação de compra e 50% de participação na refinaria Pasadena não tinha conhecimento, como os demais conselheiros, das cláusulas Put Option e Marlim do contrato”. A primeira dessas cláusulas obrigou a Petrobrás, posteriormente, a comprar 100% da refinaria, dando prejuízos para a estatal. Essa é a mesma versão apresentada pela presidente Dilma Rousseff, à época presidente do conselho, para justificar seu apoio ao negócio que custou mais de US$ 1 bilhão. – Fonte – Lu Aiko Otta – O Estado de S. Paulo.

    Brasileiros e brasileiras de boa fé, de todos os recantos do nosso País, fico a imaginar se declarações assim tivessem ocorrido por pessoas de governos anteriores: Collor e Fernando Henrique.

    Diante destes fatos, o que diriam os petistas/associados? No mínimo, que os neo-liberais vão privatizar a Petrobrás; vão beneficiar o capital internacional, os bancos. E de quebra, transferir valores para as contas pessoais nos paraísos fiscais. E, em seguida, processo de IMPEACHMENT ao corrupto! Centrais sindicais e sindicatos iriam às ruas, abaixo-assinados pela internet e tudo mais que já se sabe. Afinal, o País precisa ser defendido dos neo-liberais/ vendilhões. A Petrobrás é nossa!!! Cuidado com a expressão “nossa”, quando pronunciada por eles – quer dizer, deles!

    Por onde andará o PT de tão saudosas posições, quando na oposição?

    Ao contrário, a defesa irracional, desavergonhada e sem a menor lógica ora apresentada pelos defensores dos governos petistas, ofende a dignidade, a memória e a capacidade de compreensão dos brasileiros de verdade. E mais: se a oposição vai expor a Petrobrás, o governo a fragiliza e lhe impõe duras perdas internacionais, que já são contabilizadas também em âmbito nacional. Que o digam os pequenos acionistas e funcionários: analisam ações judiciais para recuperar perdas.

    Da presidente, passando pela direção e conselho de administração da Petrobrás, por senadores e deputados, dirigentes dos partidos que compõe a “tropa de choque” e sindicatos que aderiram – desde o primeiro momento na defesa do “não a CPI”, caberá a total responsabilidade pelo que ocorreu e ocorrerá, daqui para frente, com a empresa. Os grandes tentam empurrar a culpa aos subalternos. Na verdade, a empresa foi “privatizada” pelos partidos: PT/associados.

    Por mais paradoxal e absurdo que possam parecer, a instalação da CPI exclusiva menos servirá a oposição – incapaz de aproveitar e crescer com os fatos e mais a salvação de NOSSA maior empresa – a PETROBRÁS.

    Desta vez, o PT/associados colocaram as duas mãos na cumbuca e com toda a vontade, Por justiça, é preciso que percam tudo, não apenas um dedo!

    Finalmente questiono: diante dos fatos, amplamente comprovados, ainda existem razões para CPI?

    Vão investigar o quê, se tudo está aberto, escancarado, comprovado pelos próprio atores e autores? Nos depoimentos já existem confissões.

    É preciso que a JUSTIÇA se faça, com celeridade e precisão. O País já tem sofrido demais e arcado com prejuízos inexplicáveis e injustificáveis!

  2. OFF: O Brasil tem jeito?!!!

    MARINHA ESTÁ COM MEDO DOS TRAFICANTES NO RIO.
    O Comando da Marinha carioca teme não poder se defender dos traficantes da Ilha do Governador (RJ) e orientou fuzileiros de folga a não portar documentos militares, para evitar a fácil identificação. Os marginais do tráfico têm obrigado moradores e comerciantes da região a informá-los assim que avistarem fuzileiros desarmados para o envio imediato de uma “equipe de extermínio” fortemente armada.

    Mias aqui: http://www.diariodopoder.com.br/coluna/?busca-data=16%2F04%2F2014

  3. As CPIs são instrumentos legítimos da oposição. Destaco que Collor não orientou seus apoiadores no sentido de impedirem a CPI que redundou em seu impeachment. De certo não esperava que a transação com a Fiat Elba pudesse lhe causar danos. Pelo que vimos, os crimes de Collor à época, comparados com os da gangue petista, seriam considerados de pouco potencial ofensivo frente as barbaridades praticadas pelo atual governo. Por isso os PTralhas temem a CPI. Qualquer deslize da tropa de choque governista pode fazer surgir um fato (são tantos!) que justifique que as mais graduadas autoridades desse governo sentem no banco dos réus para explicarem suas vigarices.
    Ministra Rosa Weber, já há fato determinado (Pasadena) para esse CPI. Se o governo quer fazer a de SUAPE ou da Alston, que faça o requerimento e consiga as assinaturas necessárias, o que seria fácil pq tem ampla maioria.

  4. Pasadena. Lula e Dilma estão metidos na maracutaia!
    Ontem, assisti depoimento da presidente da Petrobras, Graça Foster em audiência no Senado, sobre o caso compra de refinaria de Pasadena nos EEUU. As palavras foram ditas por ela milimetricamente calculadas. Ela como se fosse ouvir um réu num processo, as palavras e o conteúdo estavam, visivelmente, orientados por uma boa banca de advogados.

    Mais aqui: http://ossamisakamori.blogspot.com.br/

  5. O artigo de Sebastião Nery é claríssimo, não merecendo qualquer reparo.

    Faz lembrar que o povo brasileiro necessita de explicação clara e verdadeira sobre Pasadena e outras trampas ocorridas no país, pois Dilma declarou que recebeu uma “HERANÇA BENDITA” de Lula.

    Lula era o presidente da República e Dilma presidente do Conselho de Administração da Petrobras quando ocorreu a maracutaia da aquisição de Pasadena, episódio no qual um membro ocioso da nobreza (o barão belga Albert Frére) ludibriou (ou se associou na trapaça) os sábios e operativos integrantes da classe proletária (administração do PT na Petrobras).

    A nobreza não pode continuar com esse comportamento, notadamente, pelo fato de já ter ocorrido a Revolução Francesa (lá longe) e a Proclamação da República aqui no Brasil.

    Face ao declarado por Dilma, com a emersão dos fatos, ficamos todos na dúvida se a trapaça de Pasadena (e outras) faz parte da ‘HERANÇA BENDITA” ou se foi trabalho realizado por Dilma, com inteira autoria e autonomia.

    Por isso, nós, pagadores de tributos, necessitamos de maiores informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *