Reflexões sobre Eduardo Cunha e o equívoco de FHC

Roberto Nascimento

O destino do deputado Eduardo Cunha pode ser semelhante à derrocada de Severino Cavalcanti, também ex-presidente da Câmara. A pressão da opinião pública costuma ser devastadora, até que o político por si só abandone o barco, temendo um desgaste muito maior e até a perda dos direitos políticos por oito anos, em caso de destituição pelos seus pares.

Vários deputados e senadores desistiram de seus mandatos para aliviar a pressão da sociedade, quando acusados de irregularidades. Geralmente dá certo essa saída, como ocorreu com Renan Calheiros e Jáder Barbalho, que renunciaram antes de serem cassados e hoje são novamente senadores.

Em segundo lugar, considero um tapa na cara da sociedade e dos homens honestos que ainda existem no Brasil, a decisão da empresa Camargo Corrêa de devolver 700 milhões de reais à Petrobras, Eletronuclear e Eletrobrás, conforme reportagem de Mário Cesar Carvalho na Folha de São Paulo

QUAL O VALOR?

Será realmente de 700 milhões o valor da tunga nas três  estatais por esta empreiteira? Ora, senhores, um simples gerente da Petrobrás, o Sr. Pedro Barusco (portanto, um empregado público, que não é dono de nenhuma grande empresa), devolveu 97 milhões de dólares, que equivalem à quase a metade do valor oferecido pela Camargo Corrêa.

É só comparar a desproporção dos valores, simples exercício de lógica, para concluir que algo está errado nessas contas.

O povo brasileiro não pode continuar a ser enganado pelos poderosos de plantão. As empreiteiras estão indóceis a procura de uma saída para continuar a receber financiamentos para executar obras públicas com recursos oferecidos pelos bancos do Estado (nosso dinheiro). Logo, um acordo de leniência, que significa confessar aquilo que interessa e oferecer uma merreca de indenização pelos mau feitos, e estamos assim todos perdoados para continuar a vida que segue.

E AS VÍTIMAS?

Só que muitas pessoas morreram pelo caminho sem atendimento nos hospitais, por falta de leitos e de remédios, enquanto fortunas foram mandadas pelos doleiros da corrupção para paraísos fiscais mundo afora. Essa fatura não há como saldar, o efeito foi devastador, inclusive com reflexos no atual desemprego e desespero das famílias, que estão se desintegrando por falta de pão na mesa e olha que estamos apenas no começo da crise.

O que fazer, minha gente? Por que roubaram tanto nas obras que poderiam sair por um preço bem menor do que foram licitadas? É justo fazer isso em benefício próprio, se as crianças brasileiras vão para escolas que não têm o mínimo de condições para um aprendizado eficaz, enquanto cada criança japonesa tem um computador individual?

O futuro do país está ameaçado por culpa da corrupção desenfreada, me desculpe o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que afirmou não ser esse o mal maior e sim a má gestão dos recursos públicos. Ouso discordar do sociólogo e intelectual da Sorbonne.

3 thoughts on “Reflexões sobre Eduardo Cunha e o equívoco de FHC

  1. Roberto Nascimento
    Permita que me junte a ti. Já escrevi muitas vezes sobre FHC. Pesando seus acertos, que os petistas dizem não existirem, e os erros cometidos e que continua a cometer, errou mais do que acertou.
    Não foi e, continua não sendo, liderança de nada. Se deixou sinais e esboços de “colunas na economia” do país, em outras áreas, como no ensino, deixou muito pouco.
    Suas manifestações são ambíguas, quase displicentes. As vezes, sociólogo. Outras vezes, lulesco.
    Deveria estar á frente das oposições. Mais do que pela idade, suyas manifestações tem sido “fora da casinha”. Na verdade, o ex-presidente está fora da realidade. É pena. Não temos mais ninguém que possa convocar o povo ir às ruas, na defesa da pátria.

  2. A Rainha da França está entre os politicos mais corruptos que este Páis ja produziu, somando todosos seus amigos do peito , parentes, filhos, filhas e integrantes do Partido., fora a mãozinha amiga corrupta da Midiazinha Chapa-Amiga.
    Sempre viveu ás custasdo dinheiro roubado do povo brasileiro, isso é vísivel aos três olhos de Camões., somentea Tropinha de Choque Efegaciana não enxerga ou não quer enxergar.
    Dizer que acorrupção não é o malmaior , é a maior desfaçatez e tapa na carado povo .
    Seus”amiguinhos” mesmo fora do Plácio do Planalto ainda mantém a vida criminosa nas várias frentes de corrupção, tanto em São Paulo, como nos Estados que governam, e as Prefeituras,…
    Essa estorinha da carochinha de dizerque “tárico” porque dá palestras émais uma daquelas piadas prontas paracontar lá na Terrinha Além Mar……eh!eh!eh
    Se fossémos um Páis sério, A rainha da França., a esta hora, só haveria lembranças de sua nobre cabeça de caviar rolando após passar pela guilhotina……..eh!eh!eh
    VIVE LA FRANCE.!!!!

Deixe uma resposta para armando Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *