Reflexões sobre Marx e a importância de sua obra para humanizar o trabalho

Resultado de imagem para marxo charges

Charge de Diego Novaes (Arquivo Google)

Francisco Bendl

Sem querer criar polêmica, pois todos sabem que não sou comunista, digo que Karl Marx e Friedrich Engels foram dois brilhantes filósofos, cujo tema que abordaram foi inédito para a humanidade até aquele momento. Se, anteriormente, o regime feudal praticamente escravizava os aldeões, depois ressurgiu a escravidão principalmente, no continente americano recém descoberto. Com a explosão industrial no século XVIII, houve a necessidade de se contratar as pessoas e as minas de carvão e outros minerais foram uma espécie de início do trabalho sem qualquer fiscalização, apenas e tão somente a exploração do ser humano, como dizia Marx.

As empresas então precisavam muito da mão de obra, que era abundante e aceitava os maus tratos de seus empregadores, não havendo qualquer direito a ser exercido, só trabalho.

EMPREGO SAZONAL – Os estudos de Marx e Engels identificaram a seguinte situação: um dono de terra detém a propriedade. Contrata pessoas para plantar. Elas permanecem cuidando das plantações. Quando prontas para colher, os empregados cumprem com esta tarefa, embalam a mercadoria, que é armazenada em depósitos.

Serviço feito, e até vir o novo ano com a renovação desse plantio, os empregados são demitidos no rigoroso inverno europeu.

Com o tempo, ficam sem dinheiro, e não têm condições de adquirir o que eles mesmos plantaram, aquilo que produziram!

INDUSTRIALIZAÇÃO – Da mesma forma, Marx e Engels raciocinavam em relação aos produtos fabricados. Se não houvesse empregados, não existiria a indústria, e o trabalhador não teria como comprar o que ajudara a produzir, a não ser que recebesse uma compensação da riqueza que gerou para seu empregador e o país.

Marx revolucionou este aspecto, estudando as relações do capital com o trabalho, quando a mão de obra valia muito menos do que o dinheiro que produzia, sem ter direitos sociais.

Em outras palavras: analisando esses problemas gravíssimos, Marx passou 15 anos trabalhando apenas o primeiro volume desta sua obra-prima complexa, “O Capital”.

MAIS-VALIA – Em sua obra, o filósofo detalha a “mais-valia”. que os trabalhadores criam para os que possuem os “meios de produção”. O sistema poderia funcionar bem, mas os capitalistas exploradores vendiam seus produtos não para comprar outros bens, mas para aumentar sua própria riqueza. O “dinheiro que gera dinheiro”, ou o processo de acumulação de capital está no cerne da crítica de Marx e Engels ao capitalismo.

O trabalho deles deve ser mesmo estudado e compreendido. Mas a questão não é a teoria que Marx e Engels criaram, mas sim o apelo à revolução, porque a mente humana sempre distorce os fatos ou o que ela pretende mediante as suas intenções.

Enfim, não se estuda Teologia ou Deus sem que Ele esteja ligado intimamente ao demônio, pois foi o Criador que o colocou em nosso caminho! Marx tem sido lamentavelmente rotulado negativamente porque os comunistas e/ou socialistas deturparam seus estudos.

20 thoughts on “Reflexões sobre Marx e a importância de sua obra para humanizar o trabalho

  1. Karl Marx descreveu o mundo que ele conhecia, o inicio da industrialização, onde tudo era feito a “braço”, pois não existia sequer a eletricidade e o motor movido a derivado do petróleo. Eram outros tempos.
    Querer adaptar as teorias de Marx e Angels aos dias atuais é não mais do que uma utopia sem qualquer correspondência com a realidade.
    As coisas mudaram, as leis trabalhistas até exageraram um pouco na proteção ao trabalho, que o diga a nossa gloriosa justiça trabalhistas.
    Os comunistas atuais, abominam a burguesia, acham que a classe burguesa é a causadora de todos os males.
    É difícil de entender, pois são os pequenos empresario que acolhem a grande maioria da mão de obra assalariada,são os grandes empregadores.
    Não desejam que o trabalho deixe de ser explorado pelo capital? Como então ser inimigo do pequeno empreendedor, que também já foi empregado e passa a ser empregador? Pressupõe as teses comunistas, que todos sejam empregados do estado e que na verdade o comunismo seja apenas um capitalismo de estado, onde o poder público seja gestor de todos os negócios e patrão de todos os empregados?
    Ai então entra o “casamento” da comunização de todos os bens, com o totalitarismo do pensamento único, onde elegem uma figura como o “grande líder” e a sua volta circulam os “ditadores de aldeia” ou seja, a casta de puxas-saco, geralmente incompetentes, que passam a mandar em tudo.
    Isso que existe em Cuba, Coreia do Norte e agora também na Nicarágua, Venezuela e outros países, nada tem a ver com marxismo na sua forma original, são nada mais, nada menos, que grupos obcecados pelo poder e as riquezas que isto trás consigo.
    Marx e Engels são escritores do passado, com teses totalmente anacrônicas para os dias atuais.

    • Prezado Hermenegildo,

      Eu concordaria contigo quanto ao final do teu comentário afirmas que as teses dos escritores Marx e Engels são totalmente anacrônicas para os dias atuais(sic), SE o homem tivesse evoluído mentalmente!

      Não foi o que aconteceu.

      Se a Ciência e a Tecnologia dispararam, o ser humano ainda acredita em fadas, duendes e bichos do mato, ou seja, ainda tem em mente escravizar, explorar o próximo, humilhá-lo e ser superior a qualquer outro!

      Se as relações entre capital e trabalho fossem levadas com responsabilidade, seriedade e valorização do empregado, definitivamente não haveria leis trabalhistas, a justiça especializada.

      Quantos trabalhadores que foram prejudicados, lesados, que nem na Justiça receberam o que tinham de direito?

      O erro na implantação do comunismo é que os aproveitadores aumentaram o poder do Estado, centralizaram-no em demasia, além de haver a elite do partido que vive alheia à dificuldade do povo.

      Ora, mas este quadro não tem diferença do nosso, mesmo que o Brasil seja capitalista e democrático!

      Qual o movimento que estaria errado?
      O comunismo ou o capitalismo?

      O comunismo praticado passa longe das ideias do seu criador, da mesma forma que o capitalismo não é este praticado no país.

      E, convenhamos, mas estudar as ideias de homens reconhecidamente inovadores, e aperfeiçoar esses pensamentos, de modo que as relações entre dinheiro e suor sejam mais amenas e valorizadas ao mesmo tempo, contribuiria sobremaneira para que as relações humanas se tornassem mais … humanas.

      Muito obrigado pelo comentário procedente e interessante.

      Abraços.

  2. Prezado Francisco Bendl,

    Concordo inteiramente com o que você escreveu, especialmente quando diz que: ” Em sua obra, o filósofo detalha a “mais-valia”. que os trabalhadores criam para os que possuem os “meios de produção”. O sistema poderia funcionar bem, mas os capitalistas exploradores vendiam seus produtos não para comprar outros bens, mas para aumentar sua própria riqueza. O “dinheiro que gera dinheiro”, ou o processo de acumulação de capital está no cerne da crítica de Marx e Engels ao capitalismo.”

    A mais valia continua cada vez mais violenta e selvagem no capitalismo (no Brasil temos ainda bolsões feudais e até trabalho escravo) , e o que fomenta o uso da mais valia é este inúmero exército de desempregados que quando podem, desesperados, aceitam trabalhar por um salário mínimo, que é inferior a mil reais. A objeção de Marx ao capitalismo continua sendo justa e correta. Não há capitalismo ético, já que sem mais valia, o capitalismo não tem como existir.

    Mas, como disse, concordo inteiramente com o que você escreveu. Também ressalto, como você, que os países que julgaram estar implantando as idéias marxistas (cujos dirigentes sequer leram Marx – à exceção de Lênin), passaram a se dizer comunistas e deturparam tudo o que Marx e Engels escreveram. Não merecem sequer ser chamados de governos marxistas.

    Quanto à expressão “Socialistas”, que segundo Marx seria uma transição do capitalismo para um regime mais justo, este é um conceito que ficou amorfo, mal-definido, bastando ver, pelo menos no Brasil (e também na Europa), mas no Brasil, os que se denominam Socialistas, não têm nada a ver com o Socialismo escrito nas obras de Marx, bastando ver que temos no Brasil, partidos de políticos envolvidos em processos de corrupção, tais como o PSB, PSD, PSDB. O único partido que se denomina socialista e não tem qualquer parlamentar ou membro de Poder Executivo estadual ou municipal envolvido em corrupção é exatamente o PPS -23.

    Parabéns pelo seu brilhante artigo.

    • Chicão Bendl vc escreveu muito bem, parabéns.

      1) Bom comentário Dr. Ednei, por favor, sempre que possível, brinde-nos mais sobre o tema.

      2) Me fez lembrar a citação de Marx: “O que há de certo é que eu próprio não sou marxista”.

      3) “Declaração feita ao militante francês e genro de Marx, Paul Lafargue, em reação ao que se entendia por marxismo na França. A frase foi registrada por Engels em carta a Eduard Gernstein”.

      4) Ora, se Marx não era marxista, as esquerdas brasileiras (falo com todo o respeito) precisam estudar mais.

    • Caro dr. Ednei,

      Muito obrigado pelo comentário, que me envaidece e orgulha.

      Indiscutivelmente o homem tem esta tradição, de deturpar as ideias originais para tirar proveito dessas mudanças.

      Com o objetivo sempre voltado para o poder, e não para que o ser humano viva melhor, o comunismo que conhecemos se tornou sinônimo de direitos individuais e coletivos cerceados, ir e vir proibido, fome, doenças e miséria!

      Viviam bem os membros do partido, da polícia secreta, os burocratas, mas a população padecia terrivelmente.

      Se até os dias de hoje a intenção do empresário é pagar pouco para seus funcionários e demiti-los ao primeiro sinal de dificuldade na economia, o resultado é este que nos deparamos:
      desemprego e inadimplência.

      Curiosa e inexplicavelmente, aqueles que demitiram e que contribuíram até mesmo para que esta crise se tornasse mais grave, reclamam das vendas, protestam contra a situação de estagnação que nos encontramos.

      O mais grave, entretanto, é que o empregador mais cruel, que menos reconhece os esforços de seus contratados, que paga pouco, que não os valoriza, simplesmente é também sonegador de impostos!

      A carga tributária tem sido tão alta no mundo capitalista – especificamente no Brasil é insuportável -, que os brasileiros são obrigados a trabalhar SEIS MESES, MEIO ANO, para pagar os impostos cobrados!

      O círculo se tornou tão vicioso, que a imagem é a do cachorro correndo atrás do rabo, sem saber que comeria parte de si mesmo!!!

      Pois a cada demissão desnecessária, perde o empresário, o país e, claro, o demitido, cujas consequências serão menos impostos arrecadados, um povo desesperado, e insatisfação geral.

      Um grande abraço, dr.Ednei.
      Saúde e paz.

      • Prezado Francisco Bendl,

        Quem fica envaidecido e orgulhoso de receber este comentário seu sobre o que eu escrevi, sou eu. Seu artigo, realmente, é magnífico. Faltou eu ressaltar uma parte da História, que só falei de passagem.

        O líder da Revolução Russa de 2017 e chefe político do que provisoriamente podemos chamar de poder Executivo pós czarista foi Lênin, que realmente havia lido Marx, e procurou levar a Rússia não ao comunismo, mas ao socialismo, até porque ele sabia que não era possível queimar etapas. A Rússia não era , na época do czar, um país capitalista, mas sim um regime feudal. Ele sabia que já era um passo enorme , difícil, transpor a política de um regime feudal para um regime socialista. Nos escritos de Marx, a previsão era de que o socialismo, regime de transição para algo melhor socialmente, só era previsto por Marx após o esgotamento do capitalismo, o que não era o caso da Rússia. Lênin nunca cogitou de implantar o comumismo,

        Todavia, Lênin morreu logo nos primórdios pós-revolução, desconfiava – e declarou isso – de Stalin, um bronco assassino e carniceiro, sem escrúpulos. Mas sua morte precoce favoreceu a ascensão de seu desafeto Stalin, e foi aí que começou o desastre a que chamaram (desde Stalin) de comunismo. Stalin foi um tirano, assassino de seu povo, sanguinário, com idéias totalitárias e nunca leu Marx. Sua cultura literária pode ser comparada à do ex-presidente Lula.

        Stalin comandou com mãos criminosas o que chamou de comunismo, e suas idéias totalitárias, arbitrárias e assassinas foram seguidas primeiramente na União Soviética, ainda sob a batuta stalinista, e este mau exemplo foi depois seguido por Cuba, do assassino Fidel Castro (e do outro assassino Che Guevara), o que perdura até hoje, depois por Pol Pot (cujo nome verdadeiro era Saloth Sar) , que em 1960, apoiado pela China do também sanguinário Mao Tsé Tung, autoritário como Stalin, e fez do povo do Cambodja os mesmos horrores stalinistas.

        Os demais partidos comunistas criados apos a ascensão de Stalin, seguiram o modelo stalinista. Nada tinham a ver com as idéias de Marx.

        Em suma, a maior perda do socialismo em todos os tempos foi a morte precoce de Lênin, cujas idéias eram marxistas, Lênin era letrado e procurava Justiça Social, mas seu lugar foi ocupado pelo seu adversário Stalin, contra a sua vontade, e Stalin segui de modelo para outras aberrações, como hoje vemos ainda tanto em Cuba como na Coréia do Norte.

        Um forte abraço, e muita paz.

  3. O que se vê na prática em países socialistas como o Brasil ( linha social-fascista, Getúlio-35, as outras correntes socialistas são o social-comunismo e o nazismo), é que essa doença nascida do marxismo determinou o desemprego de 40 milhões de desempregados em nosso país , devido a leis trabalhistas que, em vez de proteger o trabalhador, os prejudica.
    Resultado , paises vizinhos estão crescendo a quase 5%, pois cairam na real e viram que a melhor vantagem para o trabalhador é o emprego e não leis que espantam seus empregadores.
    O Paraguai hoje cresce a 5% e muitas empresas brasileiras migraram para lá.

    Como já afirmei aqui, o problema do Brasil é o brasileiro. É arrogante. Suas convicções o tiram a humildade para para se inteirar do mundo real. Lê as baboseiras marxistas e se acham donos da “verdade”.

  4. E tem mais, os tais paises comunistas empregaram ao pé da letra as teorias econômicas de Marx, estatizando tudo e determinando preço da produção.
    Resultado: FALIRAM

    Quanto á repressão que houve aos que não concordavam com o governos e que os marxistas que se dizem “autênticos” falam que Marx é democrático, é outro assunto, que até serve de desculpa para os fanáticos usarem para justificar o fracasso desse credo nefasto.

    Para nunca mais esquecer: o fundamental de Marx é a salvação do trabalhador pela sua teoria econômica ,que foi aplicada ao pé da letra, sem oposição, pelas ditaduras comunistas.

  5. Essa é de dor:
    “O sistema poderia funcionar bem, mas os capitalistas exploradores vendiam seus produtos não para comprar outros bens, mas para aumentar sua própria riqueza.”

    E aquela de que ” O Homem é lobo do Homem”?

  6. PARA LER MAIS É PRECISO ESCREVER MELHOR

    23/03/2018

    Jair Ferreira dos Santos

    Certo dia, no início dos anos 90, o programa matinal da TV Globo dirigido ao público infantil mostrava crianças disputando um jogo qualquer, mas quando a brincadeira chegou ao fim aconteceu algo chocante: o garoto que teve o pior desempenho recebeu, ou melhor, foi castigado com um livro.

    O episódio dispensa comentários quanto ao seu significado: no Brasil, ler (mas também escrever) tem qualquer coisa de insensatez heróica, dado o ambiente secularmente pouco receptivo, para não dizer refratário, à cultura letrada. Sabemos quais são as causas genéricas desse tratamento: o obscurantismo português, o elevado preço dos livros, o ensino sem qualidade, os professores mal pagos, as crianças que chegam à escola já impregnadas pela ideologia dos meios massivos, a vassalagem dos autores, sem nenhuma capacidade de barganha, aos editores – a lista não é pequena. Mas se quisermos obter um retrato menos impressionista da situação, seria oportuno refletirmos sobre alguns números preocupantes. No Diagnóstico do Setor Livreiro no Brasil, elaborado em 2007 pela Associação Nacional de Livrarias, podemos pinçar ao acaso as seguintes informações:
    • Existem no Brasil 2600 livrarias; segundo a UNESCO, países com a nossa população deveriam ter no mínimo 17000.
    • O estado de Rondônia, com 620.000 habitantes, dispõe apenas de 4 livrarias.
    • Para universalizar-se entre nós, o livro deveria custar um terço do preço atual por exemplar.
    • Somente 26% dos brasileiros alfabetizados conseguem ler e entender um texto longo (de 20 páginas, digamos, sendo generosos).

    • “Antes escrever as coisas certas mesmo mal do que escrever bem baboseiras.” (Patativa do Assaré)

      O fato bem escrito ou mal escrito é que toda teoria econômica de Marx foi posta em prática ao pé da letra sem obstáculos, sem oposição, nos países que aderiram à sua nefasta ideologia da “salvação” do trabalhador e fracassou vergonhosamente para não dizer coisa pior.

      Essa de dizer que Marx foi deturpado, naquilo de mais importante de sua proposta, que era a de fazer justiça econômica aos trabalhadores nesses países é MENTIRA.

      Por falar em livros….

      “Suspeita-se dos espertos, dos velhacos, dos farsantes: no entanto, não poderíamos atribuir-lhes nenhuma das grandes convulsões da história; não acreditando em nada, não vasculham nossos corações, nem nossos pensamentos mais íntimos: abandonam-nos à própria indolência, ao nosso desespero ou à nossa inutilidade; a humanidade deve a eles os poucos momentos de prosperidade que conheceu: são eles que salvam os povos que os fanáticos torturam e que os ‘idealistas’ arruínam.” CIORAN

      • Por falar em livros…:

        “Um livro para uma criança, é como uma esteira para alguém da nossa idade”, disse. “Dá preguiça começar, mas depois de uns vinte minutos a gente vê como é importante.”
        (Lula, em plena 18º Bienal do Livro, em 2004)

        • Um país em que um presidente da república profere uma frase como essa em plena Bienal do Livro, sem causar uma forte comoção ou escândalo, está definitivamente fadado ao fracasso. É a própria apologia da ignorância, da mediocridade e da burrice.

          E tem trouxa que ainda acha que essa merda de país tem jeito…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *