Reflexões sobre os 98 anos de um jornalista chamado Helio Fernandes

Resultado de imagem para helio fernandes confinado em campo grande

Helio na Tribuna da Imprensa, após o atentado a bomba

Antonio Santos Aquino

Eu conheci Helio Fernandes em 1953 (conheci mesmo); eu, um humilde militar, e Hélio já despontando como um grande jornalista. É interessante dizer que conheci Helio no “Salão Azul” uma casa de sinuca na Lapa. Ele não apostava, não fumava e não bebia, apenas jogava, primorosamente.

Helio mudou-se do Meier, onde nasceu, aos 15 anos, é dificil acreditar que sempre voltasse para jogar sinuca no Meier e no Lins. No “Salão Azul” apinhado de espectadores, perguntei a um deles: “Quem é este senhor?”. Resposta: “É um jornalista”. Depois cheguei a falar com ele na Lapa, creio que trabalhava na “Manchete” e vinha de bonde entre 20 e 21 horaa. Eu servia no Superior Tribunal Militar.

NA LAPA – A duzentos metros do Largo da Lapa ficava o Palácio Monroe, onde funcionava o Senado. A frequência na Lapa, até certa hora, era muito boa. Na madrugada a coisa esquentava. Anos depois conversei diversas vezes rapidamente com Helio na Lagoa Rodrigo quando caminhávamos. No princípio, Helio fazia cooper. Depois passou a caminhar.

Helio jamais pediria para alguém escrever artigos para ele assinar. Nunca poupou os poderosos. Todos, inclusive generais, sentiram o peso de suas críticas ferinas. Tanto assim que não deixaram que fosse candidato em 1966, com eleição garantida.

Depois foi confinado por três vezes em Fernando de Noronha, Pirassununga e Campo Grande. Foi, sim, amigo de Lacerda, mas não cultivava o ódio que Lacerda tinha de Getúlio. Está certo quem disse que pela lógica foi pela prisão de seus tios, que eram comunistas.

A TRIBUNA – Lacerda vendeu a Tribuna da Imprensa para Nascimento Brito, genro da Condessa Pereira Carneiro, dona do Jornal do Brasil, que depois revendeu a  Tribuna para o Helio, que sempre foi um jornalista diferenciado. Crítico mordaz, mas muito elegante e carinhoso com amigos. Ninguém de bom caráter pode falar mal de Helio. Não sei se chegou ao fim a ação judicial contra o governo por terem dinamitado seu jornal e o impedirem de trabalhar por uns dez anos, um processo que se arrasta por uns 40 ou mais. E agora Carlos Newton me informa que ainda vai ser julgada do Superior Tribunal de Justiça.

Hélio é um forte. Perdeu dona Rosinha, dois filhos e o irmão Millôr, um logo atrás do outro. Continuou impávido, trabalhando escrevendo, o que é sua paixão. Parabéns ao Helio por seus 98 anos de vida e lutas. Digo por ele o que escreveu Omar Ibn Ibraim El Caian, um dos maiores filósofos da Pérsia, em seu livro “Quartetos”: “Os cães ladram e a caravana passa”. Mais vida e mais saúde, Hélio.

 

19 thoughts on “Reflexões sobre os 98 anos de um jornalista chamado Helio Fernandes

  1. Permita-me assinar em baixo Aquino!
    A Tribuna da Imprensa era a nossa esperança de luz durante a ditadura.
    Conheci o jornal em 1971 quando comecei a trabalhar como estagiário de Economia e sempre o lia emprestado de um colega de trabalho.
    Quando adquiri o hábito e o gosto da leitura do jornal passei a adquiri-lo diariamente.

  2. “FALA SÉRIO, RENATO RUSSO, QUE PAÍS É ESTE ? Veja só a cara de bravo do novo ministro anticorrupção do Bolsonaro, mais um marajá do serviço público, mais um colecionador de soldos, salários e proventos$. E pensar que o coitado do meu finado e saudoso irmão, um super profissional da metalurgia, trabalhou a vida inteira desde garoto até morrer trabalhando, aposentado com apenas um salário mínimo. Bem diferente da situação do outro ai, só R$ 59 mil/mês ( 60 vezes mais que o meu irmão, super trabalhador), só R$ 26 mil acima do teto que é de R$ 33 mil. E daí, vai encarar ? Cuidado, hen meu, cala boca ai, hein, vc sabe com quem vc está falando, olha o tanque de guerra ai na porta de sua casa, hein ? Acorda gigante, bobão, e abra o teu olho. Esses tb, enquanto sócios-proprietários originais da república 171 dos me$mo$ tb não abrem mãos dos filés mas nem no pau, Juvenal, e o resto que se dane, que se virem com os ossos.” https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/10/18/general-heleno-ministro-bolsonaro-supersalario-recursos-publicos.htm?fbclid=IwAR186EUOk-o5BHja3QhKAS1FEXFzRu3gJl1W7NJGmfdBvViUSHnFgOjKQVI

  3. Senti uma grande alegria ao ver a postagem de ontem de Carlos Newton sobre o niver de Hélio Fernandes. Hoje meu cooração pulou com o testemunho do Prof. Antonio Aquino. Conheceu um grande brasileiro. O que ele escreve são aulas primorosas. Considero que os professores História deveriam recomentar a leitura do seu blog. porque é um material paradidático que ajuda demais a compreender a História do Brasil. Parabéns ao Carlos Newton e Prof. Aquino. Eu deixo uma salva de palmas para os 3: Jornalista Hélio, Prof. Aquino e o jornalista Carlos Newton.

    • Prezada Prof. CARMEN LINS,

      Nosso Editor-Moderador Sr. CARLOS NEWTON LEITAO DE AZEVEDO, não teve tempo de ler nossos Comentários e até o Artigo, veja que o Nome do Autor Sr.ANTONIO SANTOS AQUINO saiu como ANTONIO SOARES AQUINO, e então tomo liberdade de responder: CARLOS NEWTON não foi “Foca” do Tribunal da Imprensa impresso de CARLOS LACERDA e depois de HĖLIO FERNANDES, trabalhou com HÉLIO FERNANDES já como Jornalista Profissional.

      Saudações.

    • Não trabalhei com Lacerda. E nunca fui foca, entrei no jornalismo como Redator de Política de O Globo, em 1966. Com Helio, fui trabalhar primeiro como Editor de Política, depois como Chefe da Redação.

      Abs.

      CN

  4. Meus parabéns ao artigo específico pela lembrança do aniversário de Hélio Fernandes.

    Independente de quase um século de vida(!), o jornalista faz parte da História do Brasil, que precisava ser colocada em livro para jamais se perder.

  5. Belo e necessário Artigo do Sr. ANTONIO SANTOS AQUINO, parabenizando o Decano e Ícone do Jornalismo Brasileiro, Sr. HÉLIO FERNANDES pelos seus 98 anos, ainda na ativa, escrevendo diurnamente suas excelentes análises.

    O Sr AQUINO, Trabalhista Histórico, teve a felicidade de conviver com o grande Jornalista, de correr e caminhar na Lagoa Rodrigo de Freitas junto com ele e conversar muito, o que ė um privilégio.
    O Sr. HÉLIO FERNANDES , além de uma coragem a toda prova, teve sempre como preocupação principal, a JUSTIÇA SOCIAL.

    Sua capacidade de análise Política era proverbial. O grande Gov. CARLOS LACERDA, da Escola Liberal Intervencionista Industrializante, a qual também sou filiado, escutava muito e admirava o Sr. HÉLIO FERNANDES, e em seu primoroso Livro Depoimento conta que na crise Política desencadeada pelo discurso oposicionista do Dep Fed MOREIRA ALVES e a subsequente negativa da Câmara dos Deputados para julgá-lo, pediu a análise de HELIO FERNANDES e esse tranquilamente disse: Desta vez muitos irão para a cadeia, e o senhor será Cassado e Preso. LACERDA riu e disse, desta vez estás totalmente enganado, a Revolucao de 64 que eu muito ajudei a fazer, principalmente estando como Governador aqui no Rio de Janeiro, o olho do Furacão, NUNCA me cassará e muito menos me prenderá.
    No dia 14 Dez 68, LACERDA estava cassado e preso, junto com HÉLIO FERNANDES, o Ator MARIO LAGO, etc.
    Acertou mais uma vez na mosca do alvo.

    • Concordo com você Flávio. Muito bom o artigo de Antonio Santos Aquino. Me lembrei de uma expressão muito usada por Hélio Fernandes : RIGOROSAMENTE VERDADEIRO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *