Reflexões sobre uma estranha praga que atinge o Brasil e o mundo – a corrupção –

Resultado de imagem para corrupção charges"

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Carlos Newton

Nosso amigo Francisco Bendl indaga por que existe essa praga da corrupção que atinge o mundo, com maior ou menor incidência de um país para outro, mas existindo até mesmo nas nações que punem com extrema severidade esse tipo de crime, como a China e a Rússia. Realmente, é uma das principais questões da atualidade.

Assim como Bendl, nos últimos anos tenho pensado muito a respeito, a partir da constatação de que nos tempos modernos as pessoas perderam uma característica antiga – a simplicidade, que marcava as relações num tempo em que não havia tamanha desigualdade social. A diferença entre as pessoas e as classe sociais era muito menor.

ÉRAMOS IGUAIS– Os ministros do Supremo,  juízes, parlamentares e autoridades, todos  iam de bonde para o trabalho, interagiam com a população, não havia essa “metidez”, os carros chapa branca, os cartões corporativos etc.

Mas o que será que motivou essa ambição desmedida, essa competição insana e esse consumismo suicida que marcam a sociedade nos dias de hoje e, sem a menor dúvida, são as forças motoras da praga que chamamos de corrupção.

TUDO POR DINHEIRO – As pessoas se tornam corruptas e corruptoras apenas por um motivo – dinheiro para ascenderem na escala social, movidas pela ambição, pela competição e pelo consumismo (não necessariamente nesta ordem).

As pessoas hoje agem de forma irracional, querem cada vez mais dinheiro, e nesse particular o melhor exemplo dessa insaciabilidade é o ex-governador Sergio Cabral, que chega a ser um caso patológico.

Esses novos hábitos sociais criaram um clima permanente de insatisfação, que reúne os sete pecados capitais – avareza, inveja, gula, luxúria, ira, preguiça e soberba. Mas, como Bendl pergunta, qual a origem disso tudo.?

NOEL PERCEBEU – Com sua genialidade, Noel Rosa percebeu o início dessa mudança social aqui no Brasil. Em 1933, compôs “Não Tem Tradução” (mais conhecida como “Cinema Falado”), cuja letra dizia tudo em alguns versos, como: “O cinema falado é o grande culpado da transformação…”; “Essa gente hoje em dia que tem a mania da exibição…”; ou “E esse negócio de alô, alô boy e alô Johnny só pode ser conversa de telefone…”.

Noel Rosa era um cronista musical, que falava da cidade e de suas características sociais. Não lhe passou despercebido esse fenômeno social provocado pelo cinema, que de lá para cá só veio se agravando, porque agora é a televisão que invade as casas, incentivando a ambição, o consumismo e a competição.

FELICIDADE – Hollywood vende uma imagem artificial de felicidade, exibindo aquelas mansões maravilhosas, com extensos gramados e jardins, piscinas limpinhas, onde não se vê uma só folha caída, tudo arrumado e limpo, e não se vê um só empregado.

Na vida de real, o milionário não fica sozinho um instante, tem de conviver com um número enorme de empregados e seguranças para manter a mansão, sua vida é uma chatice.

Em tradução simultânea, os produtores e artistas nos vendem ilusões de uma felicidade fictícia, que as pessoas tentam conquistar de todo jeito, inclusive por meio da corrupção.

P.S.No decorrer de minha vida de jornalista, conheci muita gente famosa e bem-sucedida, inclusive o homem mais rico do país, Jorge Paulo Lennan, quando jogava tênis toda manhã no Fluminense. Sinceramente, não lembro de ter conhecido nenhum milionário realmente feliz. No entanto, já encontrei um número enorme de pessoas absolutamente felizes, que vivem sempre com um sorriso no rosto, mas nenhuma delas era rica. Um desses exemplos, modesto funcionário da clínica Aldeia, em Niterói, era chamado de “Sorriso”, Sua alegria de viver era impressionante, vivia sorrindo, mas nem tinha dentes.  Deve ser por isso que existe o ditado: “O dinheiro não traz felicidade”.

P.S 2 – Desculpem os erros  Me distraí e postei esse artigo sem rever o texto. Bendl pediu que cada um de nós aqui na TI opinasse sobre o tema. Já atendi ao amigo, e o espaço está aberto a vocês. (C.N)

35 thoughts on “Reflexões sobre uma estranha praga que atinge o Brasil e o mundo – a corrupção –

    • O PT está fora do poder há dois anos e seu líder maior está preso. Enquanto isso, o atual presidente mantém um ministro indiciado pela PF por esquemas de laranjas, e seu ex-motorista, amigo íntimo da família há anos, foi flagrado num áudio de junho de 2019 oferecendo cargos no parlamento em troca de “20 continho”.

    • jOAO QUAL FOI O GRAU DE CORRUPÇAO NAS DITADURAS VARGAS E A DE 64,TEMOS COMO SABER,JA QUE EMILIO ODEBRECHT AFIRMOU QUE SUA EMPRESA CORROMPE DESDE 1940 COM SEU PAI NORBERTO.O QUE SE DA DE INSENÇOES E O QUE SE PAGA DE JUROS E AMORTICOES DA DIVIDA ESTES SIM SAO OS NOSSOS GRANDES PROBLEMAS ALIADO A UMA FRACA E POBRE ELITE.

  1. Qualquer sistema simbólico, por ser uma virtualidade, necessita de suportes concretos e ocasiões concretas para existir. A cada vez que um juiz julga de acordo com os códigos da Justiça (mesmo que sua sentença seja injusta), e que sua sentença é acatada e cumprida, a ideia de Justiça tem continuidade. Em outras palavras, quanto mais as práticas cotidianas confirmam os códigos, mais o conceito de justiça se fortalece e se reproduz, consolidando o lastro necessário para continuar constituindo aspectos essenciais de nossa subjetividade. Continuamos acreditando na Justiça e nos comportando de acordo com essa crença. A instituição continua viva. Mas este não é o caso no Brasil.

    Ao contrário, quando o representante emblemático de uma instituição (juiz, presidente da República, parlamentares, governadores de Estado, pais, educadores, médicos, advogados, funcionários públicos) sustenta, simultaneamente, uma lógica pública e outra ligada a interesses pessoais, as duas se corrompem.

    Como consequência, o vínculo até então naturalizado entre o significante “juiz” e o significado “justiça” vai se enfraquecendo, até que, no limite, se dissolve e se desnaturaliza. Há uma fratura do símbolo. O juiz deixa de simbolizar Justiça. A instituição se enfraquece ou morre. Assim também ocorre também com os políticos, normalmente corrompidos por empresários corruptos para que ambos levem vantagem roubando dinheiro público. Estabelece-se uma epidemia de corrupção que, infecciosa, contamina pais, educadores, médicos, e os demais já citados e mesmo parte da população que passa a praticar diferentes delitos, como sonegação de impostos, propinas a policiais para se livrar de multas de trânsito, só para dar poucos exemplos, o que contamina o caráter e o danifica, e o cidadão comum, inclusive o de baixa renda, também se corrompe, porque assimila em sua vida a prática de certos delitos, e na hora de votar, vota em políticos que fazem como ele: políticos corruptos. Neles confiam quando fazem promessas messiânicas de que irão combater a corrupção, com discursos messiânicos, porque, apesar de tudo, o superego dos eleitores que praticam delitos (que também é corrupção) clama, do fundo do inconsciente do eleitor para corrigir sua vida delitiva. Vota nos mentirosos messiânicos, embora sabendo que são mentirosos, para mentir para o próprio superego, como fazem os católicos ao pedir perdão de seus pecados no confessionário, embora saibam que após o perdão dos pecados dado pelo confessor, irão comungar, mas logo à frente continuarão praticando os mesmos pecados que diziam ao padre no confessionário de que estavam arrependidos de tê-los feito. A corrupção é, pois, um mal-estar na Cultura.

    Segue-se um efeito em dominó, em que todas as palavras perdem o lastro que a instituição viva e o símbolo forte garantiam. Há um esvaziamento semântico. As palavras que eram determinadas por aquele sistema se esvaziam de significação. A toga e a beca, por exemplo, tornam-se engraçadas, fantasia de carnaval, em lugar de inspirar um temor respeitoso. As palavras: “réu”, “culpa”, “transgressão”, “punição”, “lei”, “justiça”, ainda existem, mas já não significam. Não são mais significações operantes — uma significação é operante quando tem o poder de produzir subjetividade. As subjetividades aí constituídas — o modo de ser, pensar, agir e sentir das pessoas — já não serão determinadas pelas significações ligadas a esse sistema simbólico.

    Quando um juiz aceita suborno, coloca em andamento um processo que culmina na corrupção do sistema que ele representava.

    O mais grave, porém, ainda está por vir. O laço simbólico fraturado tende a se refazer, ligando o mesmo significante a um novo significado. Por exemplo, o significante “Justiça” pode agora ligar-se ao significado “terminar em pizza”. A consequência desse novo laço é que a sensibilidade das pessoas com relação ao tema se altera. Em outras palavras, a subjetividade constituída por esse e nesse novo laço passa a achar normal a impunidade. Institui-se outra moralidade, isto é, uma nova sensibilidade diante dos mesmos fatos.

  2. Coloco esse texto que foi publicado num jornal aqui do RS.
    O autor colocou alguns exemplo dessa corrupção, mas existem muito mais. Então, replico para reflexão:

    Pelópidas Bernardi: corrupção moral
    Empresário, aviador e advogado
    21/11/2016 – 05h45min
    Atualizada em 28/11/2016 – 18h42min

    “A corrupção moral é a pior espécie de ilícito humano que pode existir entranhada no seio de uma sociedade. Ela vem de erros e permissividades cometidos pelos pais e educadores, desde a mais tenra idade, e está entre pobres, ricos, esquerdistas e direitistas. Como células cancerosas, multiplica-se celeremente, estabelecendo desigualdades que alimentam o ódio, ficando o dilema, como profetizou Rui Barbosa, de tanto ver triunfar a corrupção, dá até vergonha de ser honesto.

    O levar vantagem em tudo disfarça-se em pareceres e sentenças nas grandes decisões de governo e de Estado e são a corrupção moral: ninguém nunca as viu, mas elas existem! Estão por todo lado: nas esferas privadas e públicas, seja Legislativo, Executivo e Judiciário.

    A corrupção moral aparece quando o “eu” torna-se protagonista total, em detrimento do interesse da maioria. Desta forma, jogam-se no lixo os interesses públicos, bem maior, para somente se prezar o que se quer pessoalmente. E o pior: Isso ocorre legalmente, dentro dos limites das leis – mas totalmente fora dos médios parâmetros morais aceitáveis pela moral.

    Quando vemos neófitos fazendo proselitismo político nas ruas, em campanhas em eleições, caminhando como zumbis portando estandartes políticos sem qualquer ideologia, a dinheiro, é corrupção moral. Doação milionária para políticos é o mesmo. Sabe-se que, quem recebe um favor desses, terá que devolver a bênção, seja tráfico de influência ou benesses públicas.

    Do exposto, exsurgem-se no Brasil, hoje, profundas e necessárias discussões acerca dos altíssimos salários pagos ao setor público, e diferenças abissais pelos recebidos pelos trabalhadores normais assalariados. Como paradoxo total, sabe-se que os cofres públicos sustentam-se com recursos advindos dos impostos arrecadados da iniciativa privada. Disso abstrai-se uma dicotomia ininteligível ao bom senso: como os que sustentam o público ganham infinitamente aquém?

    Urge-se um grande pacto social. Cada bom brasileiro deve fazer a mea culpa reavaliando seu papel na sociedade, as leis e os tetos salariais devem ser respeitados sobretudo, dentro da realidade do país, para que as desigualdades sociais e salariais sejam mitigadas, pois uma nação que pretende que a moral e o bom senso sejam os ditames do dia-a-dia, tem que corrigir seu rumo, mostrando ao seus pares que pretende ser o que prega em sua bandeira, um estado de ordem e progresso.”

  3. Com o dispositivo jurídico deste país , legislado por criminosos e incompetentes, para salvaguardar os primeiros, a corrupção, os roubos e assassinatos praticamente não são punidos com o devido rigor, como nos países civilizados que tem até prisão perpétua e pena de morte.

    E taí essa gente do crime no stf , ainda hoje, votando a favor dos criminosos.

  4. Infelizmente temo que seguiremos o caminho venezuelano. A esquerda se infiltrou em todas as instituições e para esta gente existe apenas um Deus: o dinheiro. E para isso, tiram até a liberdade das pessoas. Que Deus nos ajude!

    • ANTONIO A ESQUERDA NAO CHEGOU AO PODER OS PARTIDOS QUE ASSUMIRAM O PODER EM 2002 SAO PARTIDOS DE CENTRO DIREITA VIDE O QUE OS BANCOS GANHARAM DE DINHEIRO NESTE PERIODO SO PARA FICAR NOS BANCOS OS MAIORES PREJUDICADOS FORAM OS TRABALHADORES.

  5. Importante, saudável, estimulante e necessária, a vontade de Carlos Newton de insistir em ser feliz e de continuar produzindo , como ser humano e jornalsta. Viver é mesmo para os bravos. Newton é um deles.

  6. OKAY!!!!

    “Quem tem boca vai a Roma”

    Nascemos todos com boca e a grande maioria nem sabe que Roma existe.

    Perdemos essa característica da “simplicidade” ao concebermos a existência de “Roma” ou é algo intrínseco em nosso código animal?

    À noite todas as mariposas, invariavelmente, seguem em direção à luz artificial do poste, crentes (atordoadas?) de que encontraram um remanescente da vida quando, na verdade, encontraram o seu fim. A maioria delas estará morta ao amanhecer.

    Acho maravilhoso o cinema falado escancarar esses códigos ancestrais, como na cena do filme “Expresso para o Inferno” quando John Voight é chamado de animal por sua atitude violenta e responde: – “PIOR!, HUMANO!”…

    Outra do cinema, o estudo da sociopatia de um indivíduo que difere do contexto social, pela frenologia, em “Kaspar Hauser”, do Herzog, analisando a massa cinzenta do Kaspar para explicar o enigma de seu comportamento social.

    Nosso raciocínio não é igual ao das mariposas. Mas pense na primeira vez que voce assiste á aquela cena do filme “Carrie, a Estranha” (no original, “Carrie” de 1976), quando a sociedade derrama um balde de sangue de porco na cabeça da Carrie.
    É aí que deparamos com um mal bem superior aos sete pecados capitais: o Medo; nosso maior inimigo…

    Há séculos, Epicuro cita nosso papel: pastorear as ovelhas nas planícies, sem almejar os picos das montanhas, quando o objetivo principal for alcançar uma vida cheia de felicidade e tranquilidade, a ausência do medo através da amizade e da liberdade.

    Heráclito distingue entre leis humanas e a lei Divina. A lei subjacente da Natureza se manifesta como uma lei moral para os seres humanos.

    Hipólito cita: “Para Deus todas as coisas são suficientemente boas e justas, mas as pessoas consideram certas coisas erradas e certas coisas certas”

    O que leva a pessoa a almejar os picos das montanhas? Desejar-se mais perto de Deus, do Divino?

    Chega de Filosofia!
    Deixando de lado o o verdadeiro Deus, o fogo divino separando e condenando todas as coisas, o senso humano de justiça, a busca dos fundamentos metafísicos e aplicações morais, o que aconteceu foi o seguinte:

    Deus ter se transformado em Dinheiro? Tudo começou quando nossos “‘brimos’ arianos”‘ subiram aos picos das montanhas, ‘pra ver’.
    Deram sorte de encontrar por lá umas cabras montesas e notaram que dava pra ficar lá por um tempo.

    Passado esse tempo, quando cabras foram acabando, visitaram as planícies trazendo uma ‘historinha’ do que existe nas Alturas redigida em escritura, descrevendo o Cosmo Divino.
    Demandaram aos felizes moradores das planícies que seguissem a escritura como ‘mandamento de vida’, incutindo no texto o medo de que se não cumprissem o dever de enviar as ovelhas para as montanhas, queimariam no inferno, discriminados, banhados com sangue de porco, teriam sua massa cerebral dilacerada sendo devorados por feras inumanas!

    Assim que, hoje em dia, dependendo da planície, todo sábado, ou todo domingo, os humanos das planícies se reúnem pra validar o mandamento, embora muitos, já bastante infelizes, estejam perdidos tentando escalar as encostas dessas montanhas, agora protegidas por muralhas com espinhos de aço e fortes armamentos letais, na busca incessante (mariposas dirigindo-se à luz) de saber qual é a real…

    Não há mais “lei”, o que há é um monte de escrituras baratas (incluindo aí a nossa Constituição Federativa), que todos podem comprar.
    Os humanos das planícies, cada dia mais sem dentes….
    As ovelhas, transformadas em ‘chisitos’, doritos, cebolitos, e Deus….?
    Deus está riquíssimo !!! Biblionário !!!

    . . . . .

    • PS: Então? Táokei!?

      Agora, falando sério, volto a mencionar aquele praga la, o Juvencarlos da vida que gastou um Honda do nosso dinheiro para reparar os dentes, nem sei o nome dele, aquele deputado ‘Presidente Internacional da Igreja Assembleia de Deus Catedral do Avivamento’.
      Levam esse traste na Comitiva Presidencial ao Japão durante o período cerimonial de entronização do Imperador Naruhito. ??

      Japão, uma cultura viva, fechada até bem pouco tempo, onde uma pessoa de idade que tenha ainda muitos dentes, manda arranca-los ou mete a boca numa pedra com tudo, pra que os dentes caiam, só para não envergonhar os seus descendentes..

      Sinceramente, não temos, nos 200 e tantos milhões de brasileiros, algo melhor para nos representar?
      Não quis entrar no assunto do consumismo suicida ou dessa ascenção social irracional por meio das redes sociais ou do intento desses novos formadores de opinião atuais.

      Tenho conceitos completamente diferentes, grupos de 300 famílias no máximo, escolhidas a dedo, coexistindo na mais feliz das vidas, não vou alongar no assunto….

      A questão é moral mesmo, individual, e ética.
      Os denominadores comuns ainda existem e coexistem.
      Continuamos Humanos, Deus é presente, sempre!

      Heráclito orientou-se pela busca de um princípio constitutivo comum da pluralidade nos seres que habitam a natureza e baseou sua teoria em que os opostos são necessários para a vida e que estão unidos em um sistema de troca.

      Mas o que um zé bunda como esse tem para trocar com quem quer que seja no Japão?

      E mais, que cartilha, escritura ou frase (gravada num guardanapo pra não esquecer) teria esse Bozotário para nos dirigir???

      Como é possível o povo conviver com medo, vivendo dessa mentira?

      Que briba, malandro, que briba…..

  7. Com o advento da mente ou consciência (desta vez, talvez um conterrâneo de Vidal entenda) nos humanos, surge a primeira mentira: o ideal. Com ele a corrupção, nos seduzindo com “bem” e do “mal” estabelecido pela sua sistematização conhecida como religião ou ideologia, com o fim de obtermos o paraíso.

    Não sou religioso e muito menos acredito em Deus, mas na Bíblia, um livro de ciências humanas de sua época, com sua linguagem simbólica mostra Deus avisando a Adão para não comer dos frutos da arvore do conhecimento , pois ele se distanciaria de sua condição natural e o iludiria com mentiras a tal ponto que ele se acharia senhor do universo.
    *(o tal conhecimento não passava de opiniões pessoais, com pouco ou nenhum fundamento sólido, pois nem ciências exatas havia naquela época para que nós humanos pudéssemos ter uma noção mais próxima da nossa realidade).

    Por falar em ciências humanas, hoje neste país, mesmo depois de milênios da tal bíblia, com o aviso do tal deus, sobre a ilusão dos conhecimentos baseados em opiniões pessoais, de “iluminados”, elas corrompem os incautos com suas fantasias religiosas políticas. Com o estabelecimento do “bem” e do “mal” advindo de sua falsa-moral. As universidades estão aí para não nos deixar mentir e até um reitor de uma delas, o Mauro Iasi, declarou que tínhamos que matar os infiéis, como se fez nos países onde adotaram sua ideologia.

    *Advento da mente ou consciência (antropologia biológica)
    Após (antropologia cultural)

    A mente, mente. Corrompe.

    • Essa só o TAL Mario Junior entende:

      “A LOUCURA
      NÃO E NORMAL,
      NEM PURA.

      É ACTO
      PACTO
      SOCIAL
      AB SOLUTA
      MENTE
      SEM CURA.”

      Isso é que dá colocar um extremista radical de direita estudando Humanas !

    • Fica frio Junin! Ha uma saída para sua duvida existencial e falta de controle mental !

      SANATÓRIO DE BARBACENA

      Hydrotherapia, eletricidade, massagem, gymnastica, tratamento de convalescentes e doentes de febres, BERIBERI e de moléstias nervosas, mentaes e BRONCHO-PULMONARES

      HOTEL E CASA DE SAÚDE

      Estabelecimento sanitário, situado no magnifico clima de Barbacena, montado expressamente sob direcção medica e condições de hygiene moderna para o tratamento de moléstias nervosas, dos anêmicos, limphaticos, depauperados, infecções palustres e infecções do fígado, baço, útero, etc.

      Bilhar e outros jogos de recreio, banheiras, latrinas e gás encanado em todo o estabelecimento, cercado de jardins, campo e matta, onde podem todos os hospedes fazer passeios sem sair do SANATORIO.

      O trem expresso sai da corte diariamente e chega ao estribo do SANATORIO as 3 da tarde.
      A diária e de 5$ para as pessoas sãs e de 6$ a 10$ para os doentes.
      Assignatura para 30 duchas . . . . . 50$000

      A diária dos doentes mentaes é de 7$ a 10$”

      • Essa “alegoria” apológica do reclame de jornal de 1889 do Hospital Colônia de Barbacena cabe bem nessa postagem.

        Como algo anunciado como centro de lazer e tratamento humano foi se transformar no maior Holocausto da historia brasileira?!

        Não recomendo horror por nada, mas quem assistiu ao documentário “Holocausto Brasileiro” ao deparar com essa propaganda do jornal tem a noção exata do que e a corrupção humana, a que nível a corrupção pode chegar…

        O filme está, na integra, no Youtube:

        https://youtu.be/5eAjshaa-do

        Muito forte. Cenas devastadoras da condição humana…

        Acho extremamente marcante o depoimento de uma mulher, Sueli Rezende, aos 53 minutos e 23 segundos, no filme (que é uma cena de outro filme: “Em Nome da Razão” de Helvético Ratton, 1979):

        “Estamos todas de azulão,
        Lavando o pátio, de pé no chão.
        La vem a boia do pessoal,
        Arroz cru e feijão sem sal.
        E mais atrás vem o macarrão,
        Parece cola de colar balão,
        E mais atrás vem a sobremesa,
        Banana podre em cima da mesa E mais atrás vem as funcionária
        Que são as puta mais ordinária”

        A corrupção é a essência que leva a humanidade a essa condição.

  8. A vida do ser humano é uma cadeia de desejos materiais, satisfeito um passa-se a ter outro.
    Quando um ser humano não tiver mais desejos, aí sim encontrará a paz.
    Nos anos 40 o número de ricos eram poucos, assim mesmo era considerado rico quem tinha um carro americano. Nessa época nem papel higiênico existia e o povo era mais alegre e feliz do que os dia de hoje. A alegria e a felicidade não está na riqueza ou na pobreza de cada cada um, está no entendimento de aceitar com naturalidade e resignação o que a vida lhe impôs.

      • NÃO !!!! O CACETE !!!

        A dor vem do sentir medo!

        De ser otário de acreditar que as coisas se resolvem levando dizimo para a Igreja, ou tendo uma atitude medrosa, paralisante, do tipo “Ai Deus! Me ajude!”

        Aí é que mora o problema!
        O lavado cerebral nem entende do que está falando! Está pedindo a Judas ( me á’Jude)…!

        E, nada de resignar-se.
        O que se espera é que haja entedimento, auto-conhecimento, noção de que nós, humanos, somos parte da criação da obra de Deus, que somos ‘co-criadores’ com Deus, Deusa, Tudo que Há; e termos a responsabilidade, o intento de fazer o contrário!
        Não é “Deus me ajude”!
        É “ok Deus, vamos nessa!”

        Resignar-se, dar-se á vida, ao amor.
        Não é um ‘tábão’, me dá um cadiláque que eu serei menos corrupto.

        Às vezes as pessoas mais espiritualizadas que conheço, olham para mim e lembram que eu falo “OK Deus, vamos nessa”, e riem!, lembrando que não e tão fácil assim….
        Eu questiono, existe jeito melhor de superar os trancos dessa vida?
        Ser integro e dirigir bem o Intento, dentro do que e de Deus, e não do homem.
        O homem é um instrumento de Deus.
        O dinheiro é um instrumento do Homem.
        Tá vivo, Deus diz: sirvam-se….

        Cabe entender o que é certo e errado, elegante e medíocre, a fazer….
        Que a vida cobra.

  9. Dura lex, sede lex.

    “Sócrates deixou os juízes e foi para a prisão, teve que esperar mais de um mês a morte no cárcere, pois uma lei vedava as execuções capitais durante a viagem votativa de um navio sagrado a Delos. Este navio sagrado ía todos os anos à ilha natal de Apolo para celebrar a ajuda que o Deus Apolo havia dado a Teseu para vencer um minotauro (monstro) que obrigou durante anos Atenas a pagar um cruel contributo. A lei exigia que nenhuma execução tivesse lugar antes do regresso do navio. Por isso, Sócrates ficou a ferros 30 dias, sobre custódia dos Onze, magistrados encarregados, em Atenas, da polícia e da administração penitenciária.
    Durante estes 30 dias recebeu os seus amigos e conversou com eles. Uma manhã o discípulo Criton preparou e propôs a fuga ao Mestre, porém Sócrates recusou, declarando não querer absolutamente desobedecer às leis da pátria. E passou o tempo preparando-se para o passo extremo em palestras espirituais com os amigos. Especialmente famoso é o diálogo sobre a imortalidade da alma que se teria realizado pouco antes da morte e foi descrito por Platão no Fédon com arte incomparável.
    Após 3 dias a proposta de Críton, deu-se o dia da execução. Estiveram presentes todos os amigos de Sócrates excepto Aristipo, Xenofonte (estava na Ásia) e Platão (estava doente), Xantipa e seus filhos.
    Recusou ser vestido depois de morto por uma rica túnica que Apolodoro lhe havia trazido, preferia o seu manto que havia sido suficientemente bom até ali e que continuaria a sê-lo depois da sua morte. Passou os seus últimos momentos a conversar sobre a imortalidade da alma. Tomou um banho, e antes que o sol tivesse inteiramente desaparecido no horizonte pediu o veneno. Críton argumentou proferindo que Sócrates ainda tinha tempo pois o sol ainda ía sobre as montanhas. No entanto Sócrates não quis adiar o inevitável uma vez que não valia apena economizar quando já não lhe sobrava mais nada. Pediu o veneno e pegou na taça de cicuta com uma mão firme e bebeu sem desgosto nem hesitação até ao fundo.”

  10. Entendi, se pelas leis , pela constituição, obriga os cidadãos colocar suas filhas num bordel, temos que aceitar.

    Aí sim, lei é lei e ponto final.
    Que a realidade dane-se.

    Segundo um dos juízes, que é a favor dessa lei, diz que ela beneficia a própria família, trazendo bons proventos para seu sustento.
    E completou: “A família é tudo. É sagrada”

  11. O Brasil é caso perdido.

    Até aqui, um lugar frequentado por pessoas supostamente cultas, alfabetizadas e esclarecidas, ainda tem quem defenda bandido, o crime organizado e, por consequência, a continuidade da exploração dos brasileiros pobres!

    Ser honesto no meio de tantos bandidos vencedores é como ser vegetariano em uma churrascaria: é preciso ter muita força de vontade e princípios morais.
    É caso para se trancar em casa ou fugir para algum lugar minimamente civilizado.

  12. Caro Newton,

    Muito agradeço teres mencionado o meu nome neste teu artigo muito bem escrito, como sempre.

    Se fosse possível fazer a alusão, a corrupção no Brasil seria o nosso inferno, afora não existir qualquer movimento que nos tire desse sofrimento e padecimento ao longo de décadas.

    Agora, a religião não tem absolutamente nada a ver com a corrupção, nada.
    As pessoas podem estar sendo enganadas, iludidas, permitindo que suas mentes permaneçam retrógradas e sem qualquer questionamento e criatividade, mas isso não é corrupção, porém ignorância, então diretamente ligada à falta de conhecimentos, e de NÃO se usar a inteligência para se questionar a nossa própria existência!

    A corrupção, atualmente, deveria estar sendo estudada por sociólogos, psicólogos, psiquiatras, de modo que se chegasse à conclusão sobre os motivos pelos quais este mal é invencível e nos leva de arrasto.

    O que há com o povo brasileiro?
    Por que os parlamentares são essencialmente corruptos?
    Por que o poder corrompe?
    Somos um povo sem caráter?
    Por que não combatemos a corrupção, muito menos os poderes constituídos a enfrentam?

    Inacreditavelmente, a corrupção se tornou o assunto mais importante para esta nação.
    Educação, Saúde, Insegurança são consequências da corrupção, logo, de nada adianta queremos resolver a Educação e demais graves problemas, se deixamos de combater o mal maior, a corrupção hoje definitivamente instituída no Brasil!

    Um forte abraço, Carlos Newton.
    Saúde, muita saúde.

  13. Extraído de um livro: sobre desenvolvimento e corrupção. Será que a relação é direta?

    “Dois casos perdidos

    Eis o perfil de dois países em desenvolvimento. Você é um analista econômico que está tentando avaliar as perspectivas de desenvolvimento eles. O que você diria?

    País A:
    Até uma década atrás, o país era altamente protecionista, com uma tarifa
    industrial típica bem acima de 30%. Apesar da recente redução da tarifa, permanecem
    importantes restrições ao comércio, visíveis e invisíveis. O país tem fortes restrições aos
    fluxos de capital transnacionais, bem como numerosas restrições à detenção estrangeira
    de ativos financeiros. As empresas estrangeiras que produzem no país se queixam de que sofrem discriminação por meio de taxas e regulamentações diferenciadas da parte dos governos locais. O país não tem eleições e é permeado pela corrupção. Os seus direitos de propriedade são obscuros e complicados. Em particular, a sua proteção dos direitos da propriedade intelectual é fraca, o que o torna a capital mundial da pirataria. O país tem um grande número de empreendimentos de propriedade do governo, muitos dos quais apresentam grandes perdas mas são sustentados por subsídios e direitos de
    monopólio concedidos pelo governo.

    País B:
    A política comercial do país tem sido literalmente a mais protecionista do mundo nas últimas décadas, com uma tarifa industrial média entre 40 e 55%. A maioria da população não pode votar, e a compra de votos e a fraude eleitoral são difundidas. A corrupção é desenfreada, com os partidos políticos vendendo empregos públicos para aqueles que os apoiam financeiramente. O país nunca recrutou um único funcionário público por intermédio de um processo aberto e competitivo. As suas finanças públicas são precárias, com registros de inadimplência de empréstimos do governo que preocupam os investidores estrangeiros. Apesar disso, o país discrimina intensamente os investidores estrangeiros. Especialmente no setor bancário, os estrangeiros são proibidos de se tornar diretores enquanto os acionistas estrangeiros nem mesmo podem exercer o seu direito de voto, a não ser que residam no país. Ele não tem uma lei de concorrência, permitindo que cartéis e outras formas de monopólio se espalhem
    incontrolados. A sua proteção da propriedade de direitos intelectuais é incoerente, particularmente desfigurada pela recusa do país em proteger os direitos autorais dos estrangeiros.

    Esses dois países estão envolvidos até o pescoço com coisas que supostamente obstruem o desenvolvimento econômico, ou seja, o intenso protecionismo, a discriminação contra os investidores estrangeiros, a fraca proteção dos direitos de propriedade, monopólios, a ausência da democracia, a corrupção, a falta de meritocracia e assim por diante.

    A impressão que se tem é que ambos estão caminhando em direção a um desastre sob o aspecto do desenvolvimento. Mas reflita um pouco.”

  14. A corrupção existe no mundo todo, é inegável. Mas em outros países se tenta combatê-la, ou pelo menos impedir que ela cresça desbragamente. A China sempre se preocupou em denunciar e punir autoridades corruptas, desde os tempos imperiais, e continua fazendo isso, como fez quando mandou para a prisão Bo Xilai, um dirigente comunista notavelmente corrupto e ambicioso, que fomentava na sua província um delirante culto à sua personalidade, numa paródia da revolução cultural. A Rússia após a ascensão de Vladimir Putin tem se esforçado em coibir os excessos dos assim chamados “oligarcas”, os corruptos que se apropriaram das riquezas nacionais nos tempos de Yeltsin, Já o Brasil parece mais uma Rússia eternamente presa à era Yeltsin, ou uma China governada exclusivamente por tipos como Bo Xilai. Precisaríamos de um poder central que quisesse realmente fazer valer as leis e punir quem comete abusos e desvios, ao menos o que se excedem nisso. Mas parece que isso é querer demais.

    • Além do mais, nosso povo parece que nem sabe querer….
      Vai-se ao cúmulo de considerar de Bozolado a Huck como possiveis líderes…
      Uma piada.
      Agpra irão sentir na carne o governo de merda pro qual votaram…
      Dessa vez será, literalmente, na carne….
      Só nao chega a ser a pica do tamanho de um cometa, essa é pro Queirós….
      E pra prole bozonarda.

  15. Carlos Newton, essa parte de teu texto me fez recordar minha infância-juventude: “ÉRAMOS IGUAIS– Os ministros do Supremo, juízes, parlamentares e autoridades, todos iam de bonde para o trabalho, interagiam com a população, não havia essa “metidez”, os carros chapa branca, os cartões corporativos etc.”

    Isso, Carlos Newton, ocorria quando a capital do Brasil era no Rio de Janeiro. Na rua em que morava, no bairro de Botafogo, alguns moradores se reuniam à noite, sob a luz de um poste da light, para jogar cartas (sueca). Um pequeno comerciante, o dono de uma pequena quitanda, o gari que varria a rua e … um ministro do STF. No jogo,lembro bem, não haviam apostas de dinheiro. O ministro ia de bonde para a cidade, onde se localizava o STF; às vezes, no mesmo bonde que eu ia para a escola. Era tudo muito simples.

    Usando parte de teu texto, pergunto: “mas o que será que motivou essa ambição desmedida, essa competição insana e esse consumismo suicida que marcam a sociedade nos dias de hoje” ?

    Será que foi a construção de Brasília em vez de termos investido na educação da população ?

    O que todos temos a certeza é que a corrupção no Brasil, infelizmente, virou INSTITUIÇÃO e, pelo que podemos observar, a INSTITUIÇÃO MAIS FORTE DO PAÍS.

    A que Ulisses, com compreensível emoção, chamou de Constituição ‘CIDADÔ, pelos que temos observado ao vivo nas sessões do STF, já se transformou em Constituição PROSTITUTA.

  16. CN, o trecho “PS” no texto também me trouxe recordações.
    Quando criança, cresci na Sociedade Amigos de Bairro da Praia do Pernambuco, no Guarujá.
    Ali, naquele tempo, estava condensado grande parte do poder financeiro (famílias oligarcas), poderosos formadores de opinião da época (o D e o Z da DPZ, por exemplo), gente graúda do governo (Simonsen, etc.), o Emerson fazendo cooper na praia (com o boné da Copersucar), etc, e até os Generais que chegavam da base de Santos para discutir o editorial da próxima ‘O Cruzeiro’ a ir para as bancas….

    Eramos uma comunidade um tanto isolada da cidade naquele tempo e, em meio a isso, nós, a juventude da praia, convivíamos muito bem com caseiros e todo o pessoal que trabalhava no bairro, dos sorveteiros da Kibon aos seguranças do ‘Jequitimar’.
    Tínhamos a liberdade de ir beber e jogar bilhar na favela da “Maré Mansa”, nos fundos do bairro. Certa vez me convidaram para jantar, um arroz feijão bife e quiabo, tava tão bom que cochilei no barraco e esqueci de voltar para casa.
    Convivíamos pacificamente, e felizes. No meu caso tem gente simples daquele tempo que até hoje me chama de ‘meu filho’.

    Os meses de estudo eram em São Paulo, onde encontrava com o Mario Amato todos os dias, no vestiário, saindo da natação; eu almoçava no clube, éramos garotada, faziamos alvoroço porque fulano de tal estava usando um relógio digital, daqueles primeiros, vidro escuro, onde apareciam os números em luz vermelha, isso muito antes dos mostradores de cristal liquido poderem ser comprados a baciada na galeria Pagé; isso no tempo em que para ter um relógio digital precisava possuir a fortuna de um Blairo Maggi.

    Lembrei também do diaem que usava um chapéu de feltro do meu avô (cravado de ‘bottons’ da Eco92) e caminhava pelo no centro de São Paulo (Xavier de Toledo – Mappin – Praça Ramos de Azevedo – Teatro Municipal) quando o Antonio Ermírio de Moraes saiu, sozinho, do prédio da Votorantim, caminhando na mesma calcada no sentido oposto.
    Nos miramos uns segundos a mais que o normal, eu por ser quem ele era, ele por eu estar com aquele chapéu.
    Não pareceu infelicidade o que vi na face do bilionário, mas um semblante de quem não tinha aquele tipo de liberdade, de poder usar um chapéu 4 décadas fora da época e andar com aquele ar de ‘saí por aí’…
    E, quando que eu veria novamente um bilionário caminhando sozinho no centrão de São Paulo, nos dias de hoje!?!

    Lembrei de fotografias da São Paulo antiga, das ruas no Centro ao Conjunto Nacional na Av. Paulista, todos trajavam ternos, chapéus, até mesmo na classe operaria todos tinham um terno e um chapéu para fazer par aos costumes, não eram relegados ao malabarismo de farol, a maratonistas de chinelo furado correndo para vencer o tempo do semáforo, tirando a sorte para vender umas balinhas…

    Na década de 90 havia um ambulante vendendo drops na rua do melhor cursinho de São Paulo, junto ao cemitério da Consolação, que ‘falava’ em inglês com todo mundo quando oferecia seu produto; era de uma simpatia! Ele transmitia uma felicidade que não tinha jeito! Todos, mesmo os ranzinzas, todos entravam na dele! Só via-se motorista abrindo o maior sorriso! E o cara vendia aos montes por conta disso! Ficou famoso, foi ‘estudado’ por trabalhar feliz assim…

    Se a alma do negócio é a felicidade, mas felicidade mesmo e não essa ‘macacagem’ dos presidentes que posam um ‘sorriso colgate’ para as câmeras, e meio segundo depois está olhando pro lado com ‘vontade de matar’, certamente estamos vivendo um negócio errado.

    O exemplo sempre vêm de cima, dos que nos antecederam nesta vida.

    Vendo a simplicidade que você mencionou no texto sumindo, a empatia e o coletivismo sendo trocados por “metidez”, a poesia musical de Noel trocada pela baixaria de uma Anita qualquer da vida, resta-nos reconhecer as nossas riquezas do passado, valorizar as riquezas sociais que sobrevivem do presente (como o show dos Tribalistas na Arena do Palmeiras em 2018!) e comungar com o verdadeiro Deus, em espírito, para que tenhamos a força necessária para reavivar a memória que nos ensinou o caminho dessa felicidade; que ela esta sendo perdida, cada vez mais por falta de exemplos, sendo apagada da lembrança dos que vivem o tempo atual.

    Corrupção é uma decorrência dessa perda.

  17. O ALTISSIMO SEJA LOUVADO ..SEMPRE …

    Não importa o que se diz ou o que se fala sobre a corrupção , no fundo só falácias humanas que desde dos tempos antigos tenta REMEDIAR a REBELIÃO da criatura contra o criador .

    Corrupção é apenas mais uma semente desta rebelião ..nefasta . Somente a palavra do ALTISSIMO é o caminho para conter essa degeneração na alma e espirito do homem.

    Somente no criador celestial somente no EU SOU …há paz e vida , somente no VERBO que se fez carne há paz e vida para TODO HOMEM.

    Fora disso …só conjecturas tolas e falsas.

    SEM MIM NADA PODEIS FAZER …EU SOU A VIDEIRA VERDADEIRA E VÓS OS RAMOS TODO RAMO QUE ESTIVER EM MIM ESSE DARÁ FRUTO …EU E O PAI SOMOS UM ..NINGUÉM VEM A MIM SE O PAI QUE ME ENVIOU NÃO O TROUXER , E EU O RESSUSCITAREI NO ÚLTIMO…PAZ ESTEJA CONVOSCO … (Boas Novas de João ).

    salmo 103 a todos os comentaristas…

    O ALTISSIMO SEJA LOUVADO …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *