Rejeição e semi-indecisos (voto útil) vão decidir essa eleição

Carlos Newton

No segundo turno, “mano a mano”, como dizia Carlos Gardel, a eleição presidencial vai ser decidida por vários fatores, é claro, mas dois deles são realmente fundamentais. O principal é o índice de rejeição nas pesquisas, quando os entrevistadores perguntam em que candidato você não votaria em hipótese alguma. O outro fator primordial é o grande número de eleitores semi-indecisos, aqueles que dizem, por exemplo: “Vou votar em Fulano, mas também posso votar em Sicrano”. São um subproduto do grupo do “voto útil”.

No caso de Dilma Rousseff, Marina Silva e Aécio Neves, esse eleitor semi-indeciso é muito comum e faz variar as tendências. Entre Dilma e Marina, por exemplo, isso se dá em função da origem comum, sendo Dilma PT e Marina ex-PT. Assim, muitos entrevistados se sentem à vontade em votar numa ou em outra.

Da mesma forma, há aqueles que pretendem votar em Aécio ou Marina, dependendo das circunstâncias. São os que pretendem tirar o PT do poder de qualquer maneira e para eles não importa quem será o candidato a conquistar esta façanha, nada fácil, porque não é somente Dilma a adversária a ser vencida, é preciso também derrotar Lula, um grande líder, que já não engana a todos o tempo todo, mas que por enquanto ainda engana a muita gente.

DILMA, A MAIOR REJEIÇÃO

A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que dizem que não votam em um candidato de jeito nenhum). Nesse item da pesquisa Datafolha, a mais recente, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Vejam no que deu:

Dilma Roussef, 33%; Marina Silva, 22%; Aécio Neves, 21%; Pastor Everaldo, 21%; Zé Maria, 18%; Levy Fidelix, 18%; Eymael, 17%; Luciana Genro, 16%; Rui Costa Pimenta, 15%; Eduardo Jorge, 15%; Mauro Iasi, 14%.

Bem, no primeiro turno, a eleição transcorre sem essa forte incidência dos fatores rejeição e voto semi-indeciso. Mas no segundo turno será beneficiado quem sofrer menos rejeição e conseguir captar o mais número de eleitores semi-indecisos. Vai ser uma briga boa.

 

8 thoughts on “Rejeição e semi-indecisos (voto útil) vão decidir essa eleição

  1. Que otimo seria se a decisão fosse pela rejeiçao dos candidatos e nao pela intençao de votos.
    O Newton contesta as pesquisas quanto a intençao de votos à Dilma é maior do que os candidatos que lhe motivam a paixao, mas adora o resultado quando a rejeiçao é maior para a candidata a reeleiçao, reeleiçao que foi comprada de maneira vergonhosa pelo sociologo, coisa inedita no mundo democratico, pois nenhum governante no mundo, ousou comprar parlamentares para seu baixo intento.

  2. Concordo com a análise, Sr. Newton.

    Nosso candidato é um no primeiro turno; e no segundo, aquele que garantir a alternância do poder, em último caso.

    Nosso voto é, assim, útil à causa da democracia.

  3. As coisas funcionam assim na midia mentirosa, na entrevista da Presidenta Dilma ao Bom Dia Brasil, a Miriam Leitao quis debater o baixo crescimento do Brasil com a Presidenta, levou numeros e como exemplo citou o crescimento da Alemanha em comparaçao com os 0,33% do Brasil, e disse que a Alemanha seria de 1,80%, no que a corrigiu a Presidenta, dizendo que o crescimento se comparado com o do Brasil de 0,33% seia de 0,80%. Pois bem depois sem que a Presudenta pudesse contestar eles de forna dissimulada, disseram que os numeros da Miriam estavam corretos como corretos estavam tambem os da Presidenta. Mentem e manipulam por que saberem que seus telespectadores, em sua maioria nao tem capacidade de discernimento.
    Quando a Miriam vem falar de crescimento ela cita o numero do ultimo trimestre 0,33% e traz o crescimento da Alemanha do ano que vem – 1,80% e nao do ultimo trimestre que foi de 0,80%. Como gostam de manipular os manipulaveis, ainda bem que essa gente nao passa nunca dos 37%.

  4. Dilma só terá os votos daqueles que acreditam em conto de fadas, somados os votos daqueles que se esforçam para acreditar em conto de fadas. Existe um bom número de eleitores nesta condição, mas a maioria vê a vida com os olhos da realidade. Acredito mesmo que Dilma terá os votos que conseguir no primeiro turno, e só. Quem acredita nas fantasias do governo votará nela no primeiro turno.

  5. Muito bom CN. Essa questão do voto ” consolidado ” é muito pouco falada. Aí quando o resultado for diferente nas urnas os institutos vão ser malhados. Mas a culpa maior é deles por pouco divulgar esse fato

  6. Cheguei num ponto em que não creio em pesquisas. Tem instituto levando muito dinheiro do governo petista.
    [Idem pesquisadores de fundo de quintal.
    Aqui em BH, há centenas deles em cada esquina.
    Mas vou votar na Marina.
    O Brasil caminha para uma ditadura comunista.
    Quem viver, verá.

  7. Mais um vez, mandou bem, senhor Moderador… vai contar, e muito, o índice de rejeição da Dilma que, até a eleição talvez chegue perto da casa dos 40%…
    Quanto à eleição, é todo o Brasil se “ligar” no que vai anunciar a sinistra urna eletrônica, que não dá recibo do voto do cidadão… como resultado do 1º turno.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *