Renan Calheiros avisou há um mês que Polícia Federal seria usada contra a oposição na CPI

Renan Calheiros na CPI da Covid — Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Renan alertou que Bezerra foi usado para justificar a PF

Octavio Guedes
G1 Política

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), alertou colegas há um mês que a Polícia Federal estava se movimentando para tentar intimidar membros da comissão. O curioso é que a constatação foi feita a partir do indiciamento, também pela PF, do líder do governo Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), e expoente da tropa de choque bolsonarista na comissão.

Em conversa com seus pares, Renan advertiu que o indiciamento de Bezerra era uma manobra do governo para mostrar independência da Polícia Federal e, assim, ficar livre para mirar os alvos da oposição.

CONSELHO A BEZERRA – O relator diz ter conversado com o próprio Bezerra, aconselhando-o a recorrer ao Supremo Tribunal Federal, já que no entender dele, a Polícia Federal não tem competência para indiciar senadores.

O indiciamento de Bezerra foi tornado público no dia 8 de junho deste ano. A PF afirma ter evidências de que o senador recebeu R$ 10 milhões em propina de empreiteiras quando era ministro da Integração Nacional no governo de Dilma Rousseff. Também foi indiciado o deputado Fernando Bezerra Coelho Filho, do DEM.

Em síntese: Fernando Bezerra teria sido usado como cavalo de Tróia, uma figura em alta na CPI.

RENAN INDICIADO – Depois de indiciar Fernando Bezerra, a Polícia Federal fez o mesmo em relação a ao senador Renan Calheiros, por suspeita de ter recebido R$ 1 milhão em propina da Odebrecht. Renan é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Os fatos teriam ocorrido em 2012. Segundo a Polícia Federal, a vantagem indevida envolve a aprovação de uma resolução no Senado que tratou de benefícios concedidos pelos estados a produtos importados, a chamada Guerra dos Portos. A partir dos dados da PF, a Procuradoria-Geral da República vai decidir se denuncia o senador ao Supremo Tribunal Federal.

Em nota, o senador Renan Calheiros disse que essa investigação está aberta desde março de 2017, sem que tenham encontrado provas. A nota afirma que o indiciamento ocorre em um momento em que a CPI mostra todas as digitais do governo na corrupção da vacina e que a parte politizada da polícia tenta fazer uma retaliação.

NOTA DA ODEBRECHT – Em nota, a empresa Odebrecht informou que colaborou com a Justiça a partir de 2016; que, desde então, fez acordos no Brasil com o Ministério Público Federal, com a Advocacia-Geral da União, a Controladoria-Geral da União e o Cade; e que, no exterior, também fechou acordos com o departamento de Justiça dos Estados Unidos, o Banco Mundial e outras instituições.

7 thoughts on “Renan Calheiros avisou há um mês que Polícia Federal seria usada contra a oposição na CPI

  1. Encontrar virtude nos políticos que aí estão?!

    Êta, tarefa inglória!

    Contudo, mais difícil ainda será nos próximos cinco séculos encontrar governantes mais trapalhões e broxados que as excrescências que aí estão.

  2. Até o Quadrilhão dos Irmãos Metralhas, FHcorrupto e Luladrão elogiam o famoso ladrão corrupto Renan Tucanalheiros…..

    Demais da conta…

  3. Legislativo, Executivo, Judiciário, às vezes travam uma guerra de bugios, um jogando excremento no outro.

    Sujos, imorais, antiéticos, incompetentes, indústrias de comportamentos devassos e deletérios, o trio é o exemplo do que não presta, do que não serve, do que é inútil para o País.

    Nesse meio tempo, sobra para o povo, como sempre, ser respingado por esta merda produzida pelos tais “poderes constituídos”!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *