Reserva de duas UTIs pela Presidência em Natal levanta dúvidas sobre a saúde de Dilma Rousseff.

Carlos Newton

De vez em quando, circulam notícias alarmantes na internet sobre a saúde da presidente Dilma Rousseff. Desta vez, o assunto surgiu no blog do jornalista Polibio Braga, muito conhecido e acessado no Rio Grande do Sul. Ele está levantando suspeitas sobre o estado da presidente, baseado na infraestrutura de assistência médico-hospitalar colocada à disposição da chefia do governo durante os dias que Dilma Rousseff passou na base aérea de Barreira do Inferno, próximo a Natal, acompanhada da família e do ex-marido Carlos Araújo.

Realmente, o Planalto desta vez extrapolou. Além de ter deixado uma UTI móvel à disposição, reservou mais duas salas de UTIs num hospital particular de Natal, que ficaram bloqueadas para atender a presidente Dilma ou alguém de sua comitiva, em caso de emergência.

O resultado desse exagero foi a notícia de que a saúde da presidente não anda bem. Realmente, o Planalto não tem medido despesas para cercar a presidente Dilma Rousseff de todos os cuidados possíveis. E não poderia ser de outra forma, pois esta é prática adotada pela Presidência desde o final dos anos 60, quando o então presidente Costa e Silva teve um acidente vascular cerebral e ficou inválido.

Quando fui trabalhar em Brasília, nos anos 80, tive oportunidade de conhecer o coronel Coutinho, oficial do Exercito que criou esse esquema de segurança médico-hospitalar no Planalto, que é semelhante ao adotado nos Estados Unidos e em outros países. Na época, a revista Manchete, onde eu trabalhava, chegou a fazer uma grande reportagem sobre o assunto.

Desde então. tem sido assim. Não interessa quem esteja à frente do governo, terá sempre à sua disposição uma UTI móvel e uma equipe médica altamente qualificada., esteja onde estiver. Quando o presidente (ou presidenta) viaja, a equipe segue junto, com equipamentos portáteis de UTI. Em qualquer cidade que visitar, sempre haverá pelo menos uma UTI móvel, à disposição desde a chegada ao aeroporto local.

No caso da estada em Natal, o que chamou atenção e levantou suspeitas foi o fato de terem sido reservadas duas UTIs num hospital particular, além da UTI móvel. É um exagero, não há dúvida, e todo exagero sempre justifica esse tipo de notícias, principalmente na internet, onde a liberdade de expressão aqui na Filial realmente funciona no melhor estilo da famosa Primeira Emenda da Constituição da nossa “Matrix”. Que assim seja.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *