Respostas simples, mas elucidativas a respeito das mortes de Jango, JK e Lacerda. Coincidncias inacreditveis, como tenho dito, com explicao. E CONFISSO sobre erro na data da morte de Jango.

Deivis Hutz:
Helio, uma mdica anestesista minha amiga, era ligada famlia de Lacerda. Me falou que Lacerda, ao morrer, no estava bem de sade, e bastante abalado mentalmente, talvez Alzheimer. Isso na sua opinio, tem algum fundamento?

Comentrio de Helio Fernandes:
Nenhum fundamento, Deivis. Acompanhei tudo de perto, com trs episdios conflitantes entre si, no mesmo dia, o que no natural, Vejamos.

21 de maio, 1977, MEIO DIA. Na Editora Nova Fronteira, Lacerda no se sente bem, levado para o hospital. Dona Letcia vai com ele, logo chegam os filhos, submetido a todos os exames obrigatrios na oportunidade.

21 de maio, 1977, 6 HORAS DA TARDE. Com todos os exames revelando o estado satisfatrio do ex-governador, os mdicos liberam a famlia, pedem que ele durma no hospital, que o procedimento normal para observao. Letcia e os filhos vo para casa.

21 de maio, 1977, ENTRE 19,30 E 20 HORAS. A famlia chamada com urgncia, volta ao hospital, Lacerda j esta morto. Todas as dvidas, nenhuma explicao. Isolado, aos 63 anos, com participao poltica desde os 17 anos, possvel que tivesse depresso, ligeira, lgico, no mortal.

Antonio Santos Aquino:
Helio, a morte de Lacerda mereceu de sua filha Cristina um artigo, acho que foi na Tribuna da Imprensa, dizendo suspeitar que a morte de seu pai no tivesse sido natural.

Comentrio de Helio Fernandes:
Certssimo, Aquino, foi na Tribuna que Maria Cristina escreveu sobre a morte do pai. Colocou todas as dvidas, no aceitou de maneira alguma a morte daquela maneira. Era muito jovem, mas estava l. Impossvel aceitar o que impuseram como verdade.

Carlo Germani:
Caro Helio, oportuno lembrar que Leonel Brizola seria o prximo. Graas ao apoio de Joo Figueiredo, Brizola foi salvo.Numa atitude de extrema astcia, Brizola pediu asilo poltico na embaixada americana em Montevidu. Outra coisa: Brizola morreu de causas naturais?

Comentrio de Helio Fernandes:
Brizola estava bem, apenas gripado, precisava fazer um exame na Casa de Sade So Lucas, o aparelho no funcionou. Ia sendo levado para outro hospital mais bem aparelhado, o elevador enguiou entre dois andares, o ex-governador morreu. Isso parece CAUSA NATURAL? Quanto ao asilo na embaixada americana de Montevidu, no tenho conhecimento. Se existiu, o Aquino deve saber.

Fernando Pawlow:
Caro Helio Fernandes, mais uma vez voc discorda de seus prprios textos. O sr. se esqueceu de que, em textos anteriores atribuiu a morte de Lacerda a um problema cardaco que ele prprio desconhecia e que disse que teses sobre assassinatos eram obra de jornalistas sensacionalistas(certamente se referindo de maneira obliqua ao Cony). Mas saiba que ainda que eu me irrite com suas contradies e seus silncios reiterados ante minhas correspondncias (desde a Tribuna impressa), o sr. minha admirao, quase obsesso, leitura diria. Abraos.

Comentrio de Helio Fernandes:
H algum engano, jamais escrevi isso, pois sempre duvidei do que foi publicado. Realmente, a parte do que foi escrito sobre a morte dos trs pr-candidatos a presidente, chamei de jornalismo sensacionalista, o que confirmo.

Quanto ao meu silncio e falta de resposta, a correspondncia muito grande, s vezes acho que no precisa resposta. O importante o espao aberto para reflexo, anlise, debate, construtivo. Desculpe e obrigado pela generosidade.

Mauricio Peres:
Jornalista, um ponto interessante que chama ateno que entre a morte de Juscelino (22/08/1976) e Lacerda (21/05/1977) transcorreram quase nove meses. Qual a probabilidade de duas pessoas com o destaque que tinham, gozando de boa sade, morrerem de uma hora para outra de causas misteriosas? Coincidncia? S a da impunidade, como voc escreveu.

Comentrio de Helio Fernandes:
Nenhuma possibilidade, Mauricio, de causas misteriosas atingirem trs personalidades que ameaariam a ditadura, que estava praticamente no fim. Pura COINCIDNCIA, que jamais ser explicada.

Carlos Fochesatto:
S uma retificao. Joo Goulart morreu em dezembro de 1976. Tem um livro, O Beijo da Morte, escrito pelo jornalista Carlos Heitor Cony que trata sobre essa dvida.

Comentrio de Helio Fernandes:
A questo do equvoco da data da morte de Jango, vou explicar para todos numa nota s. Quanto ao livro do Cony sobre as trs mortes, puro SENSACIONALISMO e EXIBICIONISMO. O livreco no traz um dado, um fato, a confirmao de qualquer coisa.

Alis, o Cony s tem um livro admirvel e at imperdvel, que se chama A Travessia. Comentando o que li em Fernando de Noronha (no livro que a ditadura no me deixou publicar), chamo de o romance sntese, que comparo ao grande livro de Callado, Quarup, e ao filme de Glauber Rocha, Terra em Transe. Devorado pelo exibicionismo medocre e pela desnecessria e repetida apario na televiso, sem nada para dizer, Cony s escreveu bobagem.

Silvio da Rocha Corra:
Foram muitas coincidncias, demais. Interessante que na poca, na Amrica Latina (sempre a Amrica Latina) ocorreram tambm outras coincidncias bastante parecidas. Se no me engano, o atentado (assassinato) contra um poltico chileno em Washington em 1976 tambm foi digamos coincidncia. Coincidncias acontecem.

Comentrio de Helio Fernandes:

Era a poca do assassinato. Esse chileno, Orlando Letelier, foi assassinado a bomba, morreu numa exploso. evidente, Silvio, outra coincidncia.

Pedro Curiango:
Por que acreditar que alguma coisa ser esclarecida? Aqui est a lgica de toda teoria conspiratria. No adiantam provas, j que a idia da conspirao coisa de f e nada tem a ver com a realidade. Se voc quiser acreditar que o JK foi morto porque o Lula se sentou atrs do motorista do nibus e, como estava bbado, ficava o tempo todo falando enrolado e tirando a ateno dele da estrada o que posso fazer para convenc-lo que quem acredita numa histria desta anda beira do delrio?

Comentrio de Helio Fernandes:
Perfeito, Pedro. No acredito em esclarecimento. J disse, depois de 34 anos, quem saber o que aconteceu? Concordo inteiramente com a tua tese-teoria, nota 10.

Antonio Durval C. Barbosa:
Caro Hlio, para voc, que no erra em datas, surpreendente: o Goulart morreu em dezembro de 1976. Fala-se que as trs mortes esto ligadas Operao Condor. Abraos do seu leitor Antonio Durval (Quase todos os dias compartilho comentrios seus no Twitter. @durvalcb ).

Comentrio de Helio Fernandes:
Estas respostas so interligadas, no final esclarecerei a questo da data. Quanto s mortes estarem vinculadas famosa Operao Condor, o que mais se aproxima do fato verdadeiro. Embora no existam (nem existiro) provas.

Jos Carlos Werneck:
Helio,muito grato pelos esclarecimentos. Gostaria de fazer apenas um reparo: o presidente Joo Goulart faleceu no dia 6 de dezembro de 1976, na cidade de Mercedes, provncia de Buenos Aires, na Argentina. Tinha apenas 58 anos de idade. Grande abrao.

Comentrio de Helio Fernandes:
Excelente o teu artigo sobre o fim da Hora do Brasil, programa criado por Getulio Vargas, manifestao rigorosamente antidemocrtica. Essa Hora do Brasil fazia parte do domnio da divulgao do Poder, e da censura (violentssima) imprensa.

Seria criado ento o DIP, que controlaria todos os jornais. Dirigido por Lourival Fontes, chefe da Casa Civil de Vargas. E um dos 5 conselheiros era o j diretor de O Globo, o jornalista (Ha!Ha!Ha) Roberto marinho.

Quando a Lourival Fontes, um dos maiores talentos mltiplos que j existiram no Brasil. Tambm insupervel na falta de escrpulos, de carter, um canalha completo, que traiu e abandonou o prprio Vargas.

Desculpas, confisso, equvoco
na data da morte de Joo Goulart

Todos esto com a razo, e eu, surpreendido com a confuso das datas. No foi falha de memria, pelo menos a satisfao.

Erro primrio e injustificvel da conta de somar. Sabia que Jango havia nascido em 1919 e morrido com 58 anos. (Embora aqui mesmo, muitos comentaristas falem em 56 ou 57 anos). Justando os 58 anos de vida ao 1919 do nascimento, at cabralzinho chegaria facilmente a 1977. Como que fui colocar a morte (leia-se, ASSASSINATO) de Jango em 1983?

Pensando bem, ao redigir estas notas, e depois de colocar o ttulo, me convenci: alm das desculpas, a todos, devo desculpas a mim mesmo, errar numa conta de somar?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.