Rocha Loures será o novo Marcos Valério e vai passar muitos anos na cadeia

Resultado de imagem para roch loures

A fidelidade a Temer custará muito caro a Loures

Carlos Newton

No primeiro parágrafo de ‘O 18 Brumário de Luis Bonaparte’, o jornalista e historiador Karl Marx lembra que o filósofo alemão Georg Hegel dizia que os fatos e personagens de grande importância da história do mundo se repetiam duas vezes. Na sequência, Marx então completa o pensamento de Hegel, ao escrever que a história acontece “a primeira vez como tragédia, a segunda como farsa”. Mas na verdade as coisas não são bem assim, No Brasil, por exemplo, a tragédia do publicitário mineiro Marcos Valério está se repetindo com o empresário paranaense Rocha Loures, e desta vez não será como farsa, porque vai ser uma nova tragédia.

Os dois – Valério e Loures – têm pontos em comum, porque ambos são muito ricos e não eram políticos. Em Minas, o publicitário cuidava de sua agência, fazia sucesso em âmbito nacional e a vida lhe sorria. No Paraná, o empresário ajudava o pai a ficar cada vez mais rico e abrir indústria em São Paulo, onde rapidamente se tornou diretor da Fiesp. O erro de Valério e Loures foi o mesmo, ao se envolverem em política.

SEM DELAÇÃO – Confiante no extraordinário poder do PT e na influência de Lula no Judiciário, tendo nomeado vários ministros, inclusive Joaquim Barbosa, relator do processo do Mensalão, o publicitário Marcos Valério relutou em fazer delação premiada. Não se abriu e ganhou a maior pena do mensalão – 40 anos, 4 meses e 6 dias de prisão, com multa de R$ 3 milhões.

Depois, em 2017, Valério pegou mais 18 anos pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha, ao pagar propina a um procurador da Fazenda Nacional para beneficiar os bancos BMG e Rural no conselho que analisa recursos contra punições estipuladas pelo Banco Central.  

Se tivesse feito delação, o publicitário já estaria solto há tempos, poderia nem ter havido a segunda condenação, se ele tivesse incluído os crimes em seus depoimentos. Quando se arrependeu e tentou colaborar com a Justiça, já era tarde demais, até hoje a delação está encruada.

O NOVO VALÉRIO – Ingênuo e inexperiente, Rocha Loures está se tornando o novo Marcos Valério. Foi preso pelo crime da mala da JBS, mas só ficou 57 dias na Papuda. O relator Edson Fachin decidiu libertá-lo, porque a Primeira Turma do Supremo havia soltado a irmã, o primo de Aécio Neves e um assessor do senador Zezé Parella. Foi um erro de Fachin, que não deveria ter se curvado à Primeira Turma, pois os dois casos eram muito diferentes.

Enquanto esteve preso, Rocha Loures se recusou a depor. Mais recentemente, em 24 e 27 de dezembro, enfim prestou depoimentos e surpreendeu a força-tarefa, ao negar ter relação de amizade ou profissional com o presidente Michel Temer, embora tenha trabalhado como assessor dele por três oportunidades – uma vez quando Temer era vice-presidente da República e outras duas vezes já na chefia do governo.

MATERIALIDADE – Se não mudar este depoimento e realmente contar o que sabe, Loures estará liquidado. Vai repetir a trajetória de Marcos Valério e ficar preso indefinidamente. O caso de Loures é gravíssimo. Além de ter sido filmado recebendo a mala da JBS, ele depois devolveu o dinheiro à Justiça e ainda completou os R$ 35 mil que faltavam nos R$ 500 mil, que representavam sua comissão de 7%.

Judicialmente, Loures agiu como um retardado. Ao entregar a mala de dinheiro e depois completar os R$ 500 mil, ele deu materialidade ao crime. É como se tivesse virado “réu confesso”. Não tem condições de negar nada. Seu depoimento significa que agiu sozinho em graves crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, numa situação mais grave do que Marcos Valério.

No caso de Loures, além das filmagens e da mala de dinheiro, há grampos telefônicos e depoimentos de empresários que também o incriminam. Seu advogados não têm a menor chance para absolvê-lo. Está antecipadamente condenado a ser uma nova versão de Marcos Valério.

4 thoughts on “Rocha Loures será o novo Marcos Valério e vai passar muitos anos na cadeia

  1. Os procuradores do MPF sabem que existe abundância de provas contra Temer e a denúncia só não foi feita ainda devido à blindagem pré-acordada em troca do cargo de PGR.

    Raquel Dodge está prevaricando e essa atuação da PGR de Temer é inaceitável !

    Raquel Dodge é a Prevaricadora Geral da República !!!

    Já era pra PGR ter feito a 3ª denúncia contra Temer no caso da MP do porto de Santos faz meses !!!

    Mas Raquel Dodge, a Prevaricadora Geral da República, foi escolhida por Temer justamente pra isso: continuar engavetando essa denúncia !

  2. Duvido, Rocha Loures tem a proteção do Vampiro. Pode ficar tranquilo, que o processo adormecerá nas gavetas do corrupto Judiciário para prescrever como o mensalão tucano. Infelizmente, o Judiciário é seletivo, azar do Marcos Valério que entrou para a gangue errada – os petralhas. As outras duas fortes gangues da política têm imunidade para roubar e se corromper. Tucanalhas e os canalhas do PMDB tem o apoio do Judiciário e MP.

  3. Há algo no ar além dos mosquitos transmissores de doenças…

    Dias atrás saiu a notícia que Geddel não faria a “delação premiada”; agora é o Loures…

    Ao que parece, deve ter sido garantido aos dois que a OPERAÇÃO ABAFA será um sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *