Rodrigo Pacheco diz que nenhum presidente da República pode agredir ministros do STF

 (crédito: AFP / EVARISTO SA)

Pacheco diz que uma coisa é criticar e outra coisa é ofender

Augusto Fernandes
Correio Braziliense

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), reprovou o recente comportamento do presidente Jair Bolsonaro contra o Supremo Tribunal Federal (STF). Nas últimas semanas, o mandatário tem feito repetidas ofensas a ministros da Corte por conta do posicionamento contrário de alguns magistrados à implementação do voto impresso no país.

Ele também ameaçou reagir “fora das quatro linhas” da Constituição contra o Supremo após ter virado alvo de investigação por questionar a confiabilidade do sistema eleitoral do país sem ter como provar que o modelo é inseguro.

SEM AGRESSÕES – Em entrevista à GloboNews, Pacheco disse que “nenhum presidente da República nem qualquer cidadão pode agredir a Suprema Corte do país”. “Pode questionar, criticar, apontar equívocos, mas agressões e ironias não calham a uma relação que pretende ser institucional, republicana e respeitosa. Não calha, realmente, ofensas de natureza pessoal ou o apontamento de informações que nunca se confirmaram, atribuídas a título de algum ilícito a ministros do STF”, opinou o senador.

“A autocrítica é recomendada a todos os Poderes, especialmente aos seus presidentes, e, obviamente, ao presidente da República. O comportamento haverá sempre de ser pautado no diálogo, no respeito ao outro. Pode até ter duras críticas, mas sem descambar para um desrespeito que, definitivamente, não interessa a absolutamente ninguém, sobretudo não interessa ao povo brasileiro, que depende de exemplos dos homens públicos para termos um ambiente que seja de prosperidade para o Brasil”, acrescentou.

SEM ATAQUES – Pacheco disse também que não concorda com comportamentos que ataquem qualquer uma das instituições, e destacou que “toda alegação, de quem quer que seja, que pregue ilegalidade, ruptura ou algo fora do comando constitucional deve ser rechaçada de pronto”.

“Evidentemente, qualquer pessoa que a diga deve ser repudiada, não há dúvida em relação a isso. Qualquer ameaça, por mínima que ela seja, ao estado democrático de direito será de pronto rechaçada pelo Senado”, assinalou o parlamentar mineiro.

12 thoughts on “Rodrigo Pacheco diz que nenhum presidente da República pode agredir ministros do STF

  1. Papo furado. Na moita é um apoiador dessa bagunça. Esses políticos têm que ter em mente que há um tipping point, um limite para essa pouca vergonha que as supostas autoridades vêm permitindo: é um fundão-assalto do centrão, é um presidente incompetente e inconsequente, é um grupo de generais que se investem de poder que não têm: o exército é do povo, é pago por nós. General é um servidor do exército – não dono!

  2. Pachequinho do Brumadinho é um bunda-mole. Candidato ideal para a Terceira Via. Esta preocupado com o palavrão do presidente e se omite quanto ao crime de “Barrose”. O T$E APAGOU PROVAS!

    “Eu por mim colocava esses bandidos todos na cadeia, a começar pelo $TF, seguindo pelo T$E…”
    Abraham Weintraub

    • O “Barrose” mentiu, prevaricou, apagou provas, blindou o “Pai das urnas eletrônicas” fazendo-o seu assessor no $T, em outras palavras, cometeu crime.
      #BarrosoImpeachmentJá

    • Engano seu, citei a Polícia Federal, que tem credibilidade total do povo brasileiro.

      Você se coloca na linha de tiro e diz “vê se me erra”? Você deveria pensar antes de abrir a boca.

  3. Ainda continuo achando que a Suprema Corte, não tem que achar nada.
    Individualmente, todos têm direito a ter opinião, não usar a Corte para tentar influenciar o que quer que seja.

    Eles tem a obrigação sim, de tentar interpretar as leis, o mais próximo da verdade ……

  4. O que todos esperavam aconteceu: o Lira portou-se como um lambe-botas ao levar o caso do voto impresso para o plenário. Que o povo alagoano não se esqueça dessa traição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *