Romário não acha dinheiro na Suíça e vai processar a Veja

Em Genebra, Romário ficou decepcionado

Deu em O Dia

Após ser acusado de ter milhões em uma conta na Suíça, o senador Romário ironizou a “revelação” nesta quarta-feira e disse que a “conta vai chegar”. “Acabei de descobrir aqui em Genebra, na Suíça, que não sou dono dos R$ 7,5 milhões”, publicou o ex-jogador no Facebook logo após dizer que estava “chateado”. “Eu não finjo ser decente, não faço de conta ser sério e pareço ser correto. Eu sou!”, escreveu Romário.

“Aguardem mais informações…Agora, aqueles que devem, podem começar a contar as moedinhas, porque a conta vai chegar de todas as formas”, disse.

Em 48 minutos, a publicação do Senador no Facebook já contava com mais de 47 mil curtidas e 4.079 compartilhamentos.

DISSE A REVISTA

A revista “Veja” publicou na última sexta-feira que Romário seria dono de milhões, não declarados à Justiça Eleitoral em 2014, em uma conta na Suíça.

A quantia de 2,1 milhões de francos suíços (cerca de 7,5 milhões de reais) estariam depositados, de acordo com a revista, no banco BSI, na cidade suíça de Lugano.

Segundo a publicação, o dinheiro seria de rendimentos em aplicações de um ano, a partir de 31 de dezembro de 2013. A “Veja” diz que há provas disso em um extrato do dia 30 de junho de 2015.

A revista lembrou que Romário já foi autuado, em 1997, por ter aberto empresas no paraíso fiscal das Ilha Virgens Britânicas e feito transferência de bens. Na época, ele jogava no Valência, na Espanha.

MEGASENA

Após a reportagem, Romário já havia usado a rede social para dizer que estava “muito feliz” com a notícia. No post ele escreveu que “assim que possível iria resgatar o montante para depois notificá-lo à Receita Federal.

“Estou me sentindo um ganhador da MegaSena, só que do meu próprio honesto e suado dinheiro. Mas, como se trata da revista Veja, se a informação estiver errada não será nenhuma surpresa”, alfinetou Romário.

O senador ainda negou que ande de Ferrari pelas ruas do Rio pois seu carro foi vendido em 2004 e comentou sobre o PSB.

“O repórter diz ainda que eu teria negociado com meu partido, o PSB, o pagamento do aluguel da casa onde moro no Lago Sul, como uma forma de compensar minha refiliação a legenda. Essas e outras mentiras costuram o enredo de uma farsa. Coisa que a revista tem expertise em fazer”, continuou a alfinetar.

19 thoughts on “Romário não acha dinheiro na Suíça e vai processar a Veja

  1. Gostaria de entender, se o Senador Romário realmente não tem conta em Genebra por que ele foi lá confirmar? Quem pagou as despesas de dessa viagem de cunho pessoal?

    Como muito político declarara a mesma coisa, vamos aguardar quando o Senador Romário vai dar entrada na Justiça contra as declarações da Veja e qual será o veredicto.

  2. Sr. Newton,o fundo da questão do lixo tóxico que se diz uma revista semanal é a CPI DA BOLA CBF e os ladrões do futebol brasileiro, corruptos como ricardo teixeira, havelange,marim, delnero, sanches, eurico miranda.perrelas neves , e outros nao taõ populares.
    O lixo tóxico tem um lado, até as formiguinhas que ficam passeando nos gramados dos campos sabem disso.
    O lixo quer proteger e blindar ” os seus”…..
    Nunca mais joguei meu suado dinheirinho na lata do lixo comprando essa revistinha de araque efegaciana,o fim da assinatura foi no ano de 1997, quando a revistinha lixo nadava de braçadas nas propagandas enganosas da Rainha da França
    De lá para cá o ar ficou mais puro ………eh!eh!eh

    • Eurico, rico ? Fale de seu estado ou de Kleber Leite, Edmundo da Silva, Marcio Braga. Eles já nem mais precisam ser presidentes de onde roubaram tanto.

  3. Romário ganhou milhões jogando em clubes da Europa. Jogou tudo fora. Deixou até de pagar pensão para a ex-mulher.
    Entrou na política para tirar o prejuízo. Não sei se ele é corrupto, mas a revista VEJA não soltaria uma informação tão grave, se não tivesse provas concretas.
    Vamos, pois, aguardar os acontecimentos.

  4. Newton, por favor delete o comentário acima.

    Obs. Os comentários que eu faço custam a entrar. E toda vez dá mensagem de duplicação.

    Obrigado.

  5. Romário, garoto exxxperrrto, ainda mais com assessoria do causídico Kakay, foi logo transferir sua conta para outro paraíso fiscal.

  6. Não foi na copa de 94 que teve o famoso “voo da muamba” em que o Ricardo Teixeira e jogadores trouxeram 17 toneladas de bagagem?
    Não foi Romário um dos líderes dos jogadores que ameaçaram devolver as medalhas recebidas pelo Itamar, e não participar dos desfiles em carro aberto se a receita fiscalizasse o avião?
    Não foi Romário que em 99 foi autuado pela receita por não recolher impostos?
    A lista vai longe.

  7. o caso do romario e mais complexo, tolo são os que acham que ele faliu e ai resolveu entrar na politica, como a memoria do povo e curta eles, esqueceram que o romario somente entrou na politica, quando estorou um escanda-lo de piramide onde ele era um dos cabeças.

  8. Não vai demorar muito e a verdade vem à tona. Se a matéria publicada pela Veja sobre os 7 milhões e meio de reais que o senador Romário teria em depósito clandestino na Suiça não for verdadeira, a revista deu um passe e tanto para Romário fazer um histórico gol de letra que o colocará mais e mais à frente da corrida à prefeito do Rio. Além disso, Romário vencerá a ação por danos morais que ele antecipou que vai ingressar na justiça contra a Veja. Nesse episório Romário X Veja, caso a notícia não seja verdadeira, vence Romário e perde a revista. Perde a ação indenizatória e sua credibilidade. Perde assinantes, leitores e anunciantes. Ninguém vai acreditar mais nas reportagens que Veja publica. Sua credibilidade passar a estar contaminada pelo vírus da dúvida.

    O fato é público e notório. E por envolver um senador famoso, vem ganhando repercussão, mormente às vésperas do começo dos trabalhos da CPI do futebol a ser presidida pelo próprio senador Romário. Por isso é plenamente justificável que o povo se manifeste a respeito, do jeito que cada um sabe, gosta e interpreta o acontecido. Mas tudo não passa de especulação. Qualquer julgamento agora é precipitado. Mas cá pra nós, assim que a notícia foi publicada Romário negou. E ele foi até Genebra para conferir. Segundo Romário, a viagem foi paga com recursos próprios. E lá de Genebra Romário já informou que o banco indicado na reportagem atestou a inexistência do depósito e deu como falso o tal extrato da tal conta que Romário exibiu ao banco suiço. Foi uma atitude que apenas os que não têm culpa e sabem ter sido acusados injustamente têm coragem de tomar. Nenhum dos acusados da Lava-Jato viajou para o exterior para obter prova da falsidade das acusações contra si. Não viajaram porque sabiam que as contas existiam mesmo, eles próprios as abriram e o dinheiro era mesmo deles. Dinheiro sujo e fruto da corrupção. Portanto, bem diferente do caso Romário. Afinal, ter conta bancária no exterior não é crime, desde que o dinheiro nela depositado tenha sido obtido licitamente. O que a lei exige é que a conta e o valor sejam declarados à Receita Federal. É uma questão meramente administrativa. A qualquer tempo pode ser regularizada, caso assim não esteja. Ninguém vai para a cadeia, nem vai ser levado à presença do Juiz Sérgio Moro por causa disso.

    Questão que sempre foi tormentosa para os juízes e tribunais é mensurar o valor do dano moral. No passado, tinha-se como parâmetro a Lei de Imprensa, que estipulava o valor para cada situação específica. Apenas um exemplo: no caso de falsa imputação de crime a alguém a indenização por dano moral era de 200 salários mínimos, no caso culposo. Quando a intenção era mesmo caluniar (dolo), o valor passava a ser ilimitado, conforme doutrina de Darcy Arruda Miranda e Freitas Nobre, dois respeitados jurisconsultos que escreveram, cada um, excelentes obras sobre a Lei de Imprensa (nº 5250/1967), que em boa hora o STF a considerou inconstitucional após o advento da Constituição Federal de 1988.

    Ficou, então, assentado na jurisprudência que fixar o valor pecuniário para reparar o dano moral era atribuição dos juízes. Daí porque nas ações em que se busca tal reparação, deve-se sempre pedir a condenação da parte demandada a reparar o dano moral “no valor que o prudente arbítrio do juiz fixar”. É inútil a própria parte autora-ofendida estipular na petição à Justiça o valor que pretende. É costume ouve dizer que “fulano quer receber tanto pelos danos morais”. Bobagem. Se vencer a ação, o autor receberá o valor que a Justiça fixar “segundo o prudente arbítrio” dos magistrados que decidirem a querela.

    Mas é claro e intuitivo que no valor da fixação da reparação do dano moral o magistrado levará em conta a reputação do ofendido, seus antecedentes, sua posição do meio social, o potencial e o alcance da ofensa, sua repercussão, a opulência financeiro do ofensor..enfim, tudo quanto possa servir como alicerce para a fixação do dano moral. Nesse episódio Romário X Veja, caso o senador venha mesmo abrir processo reparatório por danos morais contra a empresa editora da revista e saia vencedor, não será surpresa se a Justiça tomar como parâmetro para indenizar Romário o mesmo valor que a revista publicou como sendo pertencente a Romário e clandestinamente depositada na Suiça. Para terminar: se Romário não tem mesmo os 7,5 milhões de reais guardados na Suiça, poderá passar a tê-los, aqui mesmo no Brasil, por conta de uma condenação a ser imposta à empresa editora da Revista Veja a título de reparação por dano morais. É um parâmetro. Forte, bom e justo.

    • Muito obrigado Nélio Jacob. Sempre tenho muito prazer em transjmitir ao leitor o pouquinho que aprendi nos 43 anos de exercício da advocacia, sempre defendendo vítimas, vítimas de tudo, principalmente os pobres. Quem cai de trem que circula com porta aberta não mora no Leblon. Foram milhares de ações assim, dentre milares de outras, para as vítimas, para os pobres, muitas gratuitamente.
      Ao Froes, que comentou aqui, em seguida, forte argumentação.
      Jorge Béja

  9. Quem não conhece que compre o Baixinho. Para começar o cara jogou na Holanda e na Espanha por oito anos, quando deve ter ganho uma nota preta, que certamente não trouxe para o Brasil. Fora uma breve volta à Espanha e também breves passagens pelo Qatar, EUA e Austrália, quando deve ter deixado muita grana espalhada pelas Suiças da vida também.

    Sem contar com o que recebeu aqui do Vasco, Flamengo e Fluminense. Recebeu, não, ainda recebe. O Flamengo quitou em março os R$ 4 milhões que devia ao baixinho e o Vasco dividiu a sua dívida em 120 parcelas de R$ 150 mil reajustáveis em 2013. Atualmente ele recebe R$ 180 mil mensais e vai receber essa mesada até 2023!

    Ah, só para constar: o pai de sua ex-mulher, Isabella, com quem ainda se relaciona muito bem, mora na Suiça.

    Querem mais? Procurem saber quantos imóveis ele possui na Barra e no Recreio.

  10. O nosso Dr.Béja apresenta com a didática e clareza de sempre, o fato de Romário ter sido acusado pela Veja de ter dinheiro na Suíça, e este ter ido aquele país e obtido uma declaração do banco onde haveria o tal depósito, mas a instituição financeira negou que houvesse qualquer quantia em nome do ex-jogador de futebol, o craque Romário.
    Como bem alertou o célebre advogado, a atitude do senador de ter viajado em busca da comprovação desse crédito, ninguém que tivesse “culpa em cartório” teria este comportamento, colocando a reportagem da revista em cheque, além da credibilidade do hebdomadário (a palavra está de acordo à complicação arrumada pela Veja).
    Dito isso, também existem contra o parlamentar a sua vida pregressa, de esbanjamento, pensão alimentícia não paga,
    rios de dinheiro ganhos com a sua habilidade com a bola, enfim, Romário nunca foi flor que se cheire.
    Tenho minhas dúvidas, portanto.
    Agora, se a revista não comprovar efetivamente a reportagem, Veja está em palpos de aranha, e que se prepare com uma boa reserva de dinheiro para indenizar o baixinho, pois este irá pedir entre a lua e o sol a quantia de dinheiro que acha que lhe cabe, tanto pela função de senador da República quanto pela mentira publicada contra um cidadão.
    Agradeço ao Dr.Béja mais essas informações sobre este caso, de como se dará o seu desenvolvimento na Justiça, e os valores que Romário poderá sonhar em receber.
    Agora, e se a revista estiver certa, Dr.Béja, ela pode pedir indenização a Romário?
    Um abraço.

    • Bendl, se o Romário propuser a ação com pedido de reparação por danos morais contra a Veja, Romario é o autor e a empresa que edita a Veja é a ré. Se Romário perder a ação, ele será condenado a pagar as custas do processo e os honorários advocatícios do advogado da Veja. São os chamados honorários advocatícios sucumbenciais. No caso, Romário sucumbiu, perdeu a ação e, por isso, é condenado naquelas obrigações: pagar as custas e os honorários da parte contrária.

      Mas a parte contrária, no caso a Veja, se tiver mesmo prova de que a reportagem é verdadeira, a revista pode, no mesmo processo aberto e proposto por Romário, usar a Reconvenção, que é um instituto que permite ao réu se voltar contra o autor que o processa fazendo o mesmo pedido de indenização, no caso, reparação por danos morais. O Direito avançou no Brasil e a pessoa jurídica é susceptível de sofrer dano moral. No passado, isso não era possível.

      No caso, se Romário (reconvindo) perder e a Veja (reconvinte) vencer, a ação de Romário contra a Veja será julgada improcedente e a Reconvenção (que é a ação da Veja contra Romário) será acolhida e julgada procedente. Tudo isso no mesmo processo. E será uma só sentença.

      Grato por ter lido e comentado.

      Jorge Béja

  11. O Flamengo foi obrigado pela justiça a depositar 4,2 milhões na conta do baixinho.
    O Romário tem a receber só do Flamengo e Vasco mensalmente uma importância
    acima de 300 mil reais até o ano de 2022. O Romário, não precisava entrar na política para enriquecer, diferentemente dos que entraram pobres e hoje através da polícia enriqueceram, como o Lula, José Dirceu e tantos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *